História A Dose Da Maldade - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias 50 Tons de Cinza, Cúmplices de um Resgate, Giovanna Chaves, João Guilherme Ávila, Larissa Manoela
Personagens Giovanna Chaves, João Guilherme Ávila, Larissa Manoela
Tags João Guilherme, Larissa Manoela
Exibições 178
Palavras 1.174
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Mistério, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Obrigado pelos comentários. ❤
Boa Leitura!

Capítulo 3 - O Jantar


O sol estava brilhando. Larissa estava muito empolgada para a noite que não demoraria muito para chegar, ela deveria se arrumar para tomar seu café da manhã mas ao em vez disso, ela preferiu comer no quarto sozinha. O closet estava cheio de roupas variáveis, ela tentou escolher o melhor possível. Pensou várias e várias vezes em como deixaria o cabelo. Larissa tinha um cabelo liso mas nem sempre ela deixava ele do jeito normal, as vezes ondulava o cabelo, ela adorava cabelos ondulados.
Era pra ser um almoço mas João falou tantas mentiras ao pai de Larissa que o rapaz não notou que tinha falado jantar... Era domingo, a única coisa que Larissa sempre pensava, era dormir mas dessa vez pensava em ficar acordada. Ela tentou assistir um filme para passar mais as horas, depois uma série, viu três episódios e no quarto teve que parar, entram 16:30, não faltava muito para às 18:00. Os pais de da garota estavam a espera dela, João a olhou de cima a baixo. Ela estava linda. Os cabelos estavam soltos e lisos, o vestido iam até os joelhos, era rosa, uma das cores favoritas dela, a maquiagem estava uma cor básica e a boca em tom avermelhado chamando um pouco de atenção. Os pais iam reclamar mas ela estava tão linda que eles nem se importaram.

Seguindo o percurso até a casa do rapaz. Max, pai de Larissa, fez varias perguntas ao garoto. Eles apenas conversavam sobre negócios. A mãe de Larissa estava exausta de tudo sem entender nada que os dois conversavam.
A casa de João era uma mansão muito bonita, os pais e Larissa admiraram o gosto do pai de João.

- Sejam bem vindos. - Leonardo se apresentou logo em seguida. Ele ficou conversando com Max enquanto Helena e a mãe de João conversavam sobre moda. Larissa apenas admirava a casa e olhava fixamente para as rosas que estavam no jardim através da janela.

- Quer ir lá? - João tinha percebido que Larissa não parava de olhar o jardim.

- É lindo o seu jardim. - Larissa o olhou com um sorriso estampado no rosto.

- Então venha. - Sem se importar, João segurou a mão de Larissa e caminhou até o jardim fazendo todos pararem de falar e observar os dois de mãos dadas andando pelo jardim.

- É tudo tão lindo. O cheiro, tudo! - Larissa olhava em volta.

- Gosta de flores roxas? - João perguntou parando em frente a um banco pedindo para a menina se sentar.

- Sim! - Após ela responder. João saiu de sua vista, ela esperou ele aparecer por 5 minutos.

- Aqui está uma flor para a garota mais encantadora que já conheci. - João entregou uma flor roxa para Larissa, ela estava muito feliz com aquele jantar.

- Obrigado! - Ela retribuio dando um beijo na bochecha do rapaz.

Todos foram para a mesa jantar. Conversaram por mais algumas horas e a mais calada era Larissa. Leonardo queria saber mais nos próximos planejamentos da jovem.

- E então Larissa? Gostou do jantar? - Leonardo estava curioso.

- Ah sim! Foi muito bom. - Ela deu um breve sorriso sendo retribuído de volta.

- Fará alguma coisa nesse próximo final de semana?

- Sim. Vou para a casa dos meus tios, ficarei apenas 3 dias. - Os tios dela não eram ricos mas também não tão pobres. Os pais da jovem não se davam bem com os tios da menina porque eram pobres mas Larissa precisava ir para não ficar sozinha em casa.

João olhou para ela com muita raiva, eles se retiraram da sala de jantar dizendo que Larissa queria conhecer a sala de cinema. Ela não estava entendo nada da raiva do rapaz e nem da sala de cinema que ela não sabia que ele tinha uma.
Os dois ficaram andando em silêncio, João pegou mais forte na mão de Larissa e os dois entraram dentro da sala de cinema. O lugar era grande, a tela da TV era bem espaçosa e os sofás eram muito aconchegantes, Larissa olhou vários filmes que estavam expostos em uma grande prateleira. Tinha uma mesa ao lado, quando ela finalmente virou para João, foi jogada direto em cima da mesa. Ele a puxou com força fazendo ela gemer, ele a beijou intensamente e começou a morder os lábios da garota. Os dois ficaram entre beijos, gemidos e sem fôlego por vários minutos que pareciam não ter fim. Ele já ia começar a tirar o vestido dela quando recebeu um empurrão da garota.

- Acho que estamos indo longe demais. - Larissa mal conseguia falar, ela ainda tentava voltar a respirar normalmente.

- Eu sei que você quer mais. - João sorriu com malícia.

- Sim, eu quero. Mas não aqui e nem agora. - Larissa tentou ficar séria. - Vamos, já devem ter sentido a nossa falta.

- Creio que não... - Ele revirou os olhos mas prosseguiu segurando as mãos de Larissa e a guiando de volta para a sala de jantar.

Os pais de Larissa estavam rindo com os pais de João. Os dois ficaram esperando a risada acabar por horas. João levou Max, Helena e Larissa para casa, os pais da garota deixaram os dois sozinhos no carro sem notar que a garota estava lá. Eles estavam bem bêbados.

- Meu pai gosta de beber muito. - João falou quando os pais de Larissa saíram.

- Deu pra perceber. - Larissa falou em tom sarcástico. - Preciso ir. Obrigado pela noite.

- De nada. - João beijou Larissa novamente mordendo os lábios da garota e fazendo mais uma vez ela gemer.

- Você gosta de me torturar. - Ela falou sorridente.

- É esse o meu prazer. - Ele sorriu maliciosamente. Larissa ficou confusa.

- Por que você estava bravo comigo? Depois que a gente foi pra a sala do cinema, você não parava de me olhar con raiva. - Ela tinha esquecido desse detalhe e fez com que João se lembrasse.

- Você vai passar o final de semana na casa dos seus tios. - Ele revisou os olhos.

- Qual o problema? - Ela continuava não entendendo.

- Nenhum. Você podia ter me contado. - Ele olhou ela fixamente esperando uma resposta.

- Eu acho que a gente só está juntos por causa de uma mentira que você fez então eu não devo muita satisfações...

- Sim. Você me deve. Eu sou seu. - João falou rígido fazendo Larissa ficar assustada.

- Não. Eu não sou de ninguém. - Ela estava brava com o comportamento do rapaz.

Ele tentou beija lá mais uma vez, porém ela saiu logo deixando ele sozinho. Larissa estava com raiva do rapaz, ele tratava ela como se ela fosse realmente só dele, os dois mal se conheciam ou pelo menos no ponto de vista dela era isso.
João tentou ligar várias vezes e durante os dias da semana Larissa não o retornou, ela ainda estava com raiva e nem tão cedo iria conversar com ele.


Notas Finais


Espero que tenha gostado.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...