História A Dose Da Maldade - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias 50 Tons de Cinza, Cúmplices de um Resgate, Giovanna Chaves, João Guilherme Ávila, Larissa Manoela
Personagens Giovanna Chaves, João Guilherme Ávila, Larissa Manoela
Tags João Guilherme, Larissa Manoela
Exibições 144
Palavras 1.091
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Mistério, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa Leitura!

Capítulo 4 - A Surpresa


Max e Helena ficavam os dias inteiros se preocupando com os trabalhos sem nem ao menos perguntar se a filha estava bem. Os dias da semana passaram como uma lesma de tão lento e doloroso que foi. Larissa tinha conhecido um garoto muito estranho, o beijou dentro de uma sala de cinema, quase fez sexo com o garoto, brigou com ele por querer domina lá em seus braços e te lá como um brinquedo e para piorar, seus pais mal olhavam na cara dela para perguntar se ela estava bem. Finalmente era sexta e ela iria para a casa dos tios, estava pronta para ir quando notou que seus pais não estavam em casa.

- Olá doçura. - a babá de Larissa se aproximou para se despedir da garota.

- Ah, Oi Branca. Você sabe aonde estão meus pais?

- Eles já foram trabalhar.

- Claro, sempre é assim... - Larissa suspirou ficando ainda mais triste.

- Não fica assim, vá logo por que eu não quero começar a chorar. - Branca era muito apegada a garota e ficar longe dela por 1 dia era difícil, 3 dias era ainda mais pior.

- Não começa, por favor. - Larissa começou a rir e abraçou a babá com muita alegria em saber que sempre podia contar com ela nas horas mais difíceis ou tristes que passava.

Ela caminhou para dentro do carro pedindo ao motorista para que fosse a casa dos tios dela sem nem ao menos olhar para ele que estava no banco a frente, 4 horas se passaram e Larissa adormeceu no carro de tanta demora, quando acordou estava deitada em uma cama e em sua volta tinha uma janela que ia do chão ao teto, as cortinas eram claras quase transparentes, o tempo estava nublado e em volta parecia uma floresta, ela não estava na casa dos tios e nem em casa, estava em outro lugar.

- Espero que esteja gostando da vista. O lugar é lindo e não é nem o começo do que virá pela frente. - João falou sorridente com duas taças de champanhe cheias.

- Por que estou aqui? Eu deveria está na casa dos meus tios. - Larissa estava assustada.

- Não se preocupe, liguei para eles avisanso que você passaria essa semana aqui comigo.

- Por que disse isso?

- Você não quer ficar comigo?

- Claro que quero mas... - Larissa foi interrompida com o dedo de João em seus lábios secos

- Apenas me escute, quero te pedie desculpas pela forma com te tratei. Vamos esuqecer oque aconteceu e aproveitar o máximo juntos, você sempre quis liberdade, agora você tem. Aproveite, enquanto está comigo. - João entregou a taça de champanhe para Larissa que logo bebeu tentando se acalmar com cada palavra dita por João.

Já era noite e os dois foram jantar, o lugar era lindo, a vista, tudo. Larissa se encantava por cada detalhe.
Larissa olhou para um violão que estava enfeitando a sala com o piano.

- Sabe tocar? - Ela perguntou a João que afirmou. - Pode tocar pra mim? - novamente ele afirmou e pegou o violão começando uma melódia.

A música era lenta e logo se transformou em uma música sedutora que deixava Larissa cada vez mais seduzida. João parou por um momento pensando no que veria depois, ele olhou para Larissa que estava confusa e então se levantou deixando o violão de lado e olhando fixamente para os olhos verdes da garota e pegando na nuca dela.

- Minha vida não é fácil, meus sentimentos chegam ao êxtase e eu não consigo me controlar. Você é linda, eu gosto de você, gosto de beija lá e te lá em meus braços mas não da forma que você pensa. Não sou o garoto que espera que eu seja.

- Deixe me sentir isso que você diz ser diferente do meu ponto de vista.

- Você se machucará muito. E irá sofrer.

- Por amor?

- Não. Por ódio. - João se afastou de Larissa tentando desviar o olhar da garota que não compreendia.

Larissa nunca tinha amado alguém como João e não queria perde lo mas não queria se machucar. Ela era as vezes ingênua demais e não conseguia controlar seus sentimentos e precisava aprender mas não sabia como faria isso.

- Deixe me experimentar o seu lado...

- Não é um lado romântico e nem um conto de fadas Larissa Manoela. Entenda, eu não sou seu príncipe. Sou um garoto que usa uma garota para seus prazeres e abusa sem piedade, você me ama mas eu não a amo e isso é difícil tanto pra você quanto pra mim.

Os dois ficaram em silêncio, Larissa deixava algumas lágrimas escorrerem de seu rosto. João era arrogante demais as vezes porém odiava ver uma garota chorando por ele. Ele não aguentou ver Larissa com a cabeça baixa chorando olhando para o chão, ele segurou seu queixo e a beijou segurando cada vez mais forte o sua cintura.

- Tudo bem. Eu sei que isso vai ser doloroso demais, minha família não pode saber que isso tudo era uma farsa, eles não me amam e nem me querem por perto mas eu não posso deixar as coisas do jeito que estão e jogar isso na cara deles. Preciso que continue sendo o meu namorado por pelo menos 1 mês. - Larissa falou mesmo com as lágrimas no rosto.

- Eu sei, eu fiz isso, a culpa é minha mas irei fazer oque está me pedindo. - Mais um beijo foi dado e os dois ficaram entre beijos e amassos no sofá por longas horas. O tempo estava bem frio no lado de fora, João foi tomar um pouco de ar, Larissa foi ao banheiro tomar um banho. João estava parado olhando o vento ir em seu rosto e não parava de pensar até tomar uma decisão, ele sabia que iria machucar Larissa mas também sabia que durante 3 dias não iria conseguir descansar sem ao menos te lá em seus braços.

Quando Larissa estava saindo do banheiro com uma toalha em volta do corpo João entrou no quarto trancando a porta deixando Larissa assustada com a presença dele.

- Oque você está fazendo?

- Cala a boca e tira essa toalha do corpo. Agora! - João se atirou em cima de Larissa a beijando deixando a língua dos dois mais selvagem. - Você quer amor? Então você terá amor. - João sussurrou no ouvido de Larissa antes de puxar a toalha da garota e jogar no chão.


Notas Finais


Espero que tenha gostado.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...