História A Dream or a Nightmare? - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Chandler Riggs, The Walking Dead
Personagens Carl Grimes, Chandler Riggs, Daryl Dixon, Enid, Glenn Rhee, Maggie Greene, Michonne, Personagens Originais, Rick Grimes
Tags Drama, Romance
Visualizações 27
Palavras 2.274
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Volteiii!!! Espero que gostem...

Capítulo 7 - Primeiro dia


Acordei com uma vontade louca de tacar o meu celular na parede, por conta do barulhinho irritante do despertador, mas como eu praticamente tinha acabado de pagá-lo, infelizmente não fiz.

 

Olhei a hora e eram 6 horas da manhã. Levantei da cama com muito custo e fui para o banheiro, fiz minha higiene e fiz uma make básica pra tirar a minha cara de quem ressuscitou dos mortos. Coloquei uma calça jeans preta, uma blusa meio cropped branca e um casaco com quadrados preto e vermelho amarrado na cintura e um all star preto.

 

Desci para a cozinha e encontrei uma senhora em frente ao fogão, parecia estar fazendo panquecas. Ela me olhou e eu fiquei meio sem graça por ela de repente achar que eu estava a “espionando”.

 

-Ah, você deve ser a Melany, eu suponho.- a senhora que parecia ter uns 60 anos me perguntou.

 

-Sim, sou eu. Prazer.- falei estendendo as minhas mãos para ela e a mesma apertou.

 

-Prazer. O meu nome é Joana. Sou a empregada da casa.- ela disse abrindo um sorriso simpático o qual logo retribui. Eu ia abrir a minha boca para perguntar uma coisa só que ela continuou.- Na Sala De jantar.- sorri assentindo.

 

Fui para a sala de jantar que acabei descobrindo ser ao lado da cozinha– o que era meio lógico– e encontrei apenas o Mingus sem blusa sentado em uma cadeira de frente para uma mesa cheia de comida, ele devorava uma pilha de panqueca até que percebeu que eu estava ali.

 

-Bom dia, Melany. Senta aeee.- falou com a boca toda suja de chocolate me fazendo rir. Sentei ao seu lado e comecei a me servir de algumas frutas.- Você só vai comer isso?

 

-Só. Eu não sinto muita fome de manhã.- falei meio tímida.

 

-Ata. E antes que pergunte, meu pai ta dormindo. Eu te levo pra escola.- assenti e continuamos a comer.

 

Depois de comermos eu fui para o meu quarto escovar os dentes e o Mingus foi se arrumar. Peguei o meu celular e respondi algumas mensagens da minha mãe que eu não tinha respondido de madrugada, como o esperado, ela não quis entrar em detalhes sobre o porquê dela ter voltado para o Brasil e apenas disse que eu não precisava me preocupar. Resolvi descer para a sala e esperá-lo lá.

 

Assim que abri a porta do quarto, dei de cara com o Mingus segurando uma mochila na mão.

 

-Ah..oi..- falei.

 

-Oi..aqui- me estendeu a mochila- é pra você, aí tem tudo o que você vai precisar, lápis, borracha, apontador, cadernos e etc. Desculpa se você não gostar dos cadernos, mas é que fui eu que escolhi na pressa e eu não sabia bem do que você gostava..- terminou meio tímido.

 

-Ah, que isso. É claro que eu vou gostar, você parece ter estilo.- falei fazendo-o rir.

 

Peguei as coisas e entrei no quarto novamente, sendo seguida por ele. Botei a mochila na cama e fiquei olhando os cadernos, eram 7 cadernos, cada um com duas matérias. Os cadernos eram simplesmente fantásticos, alguns tinham notas musicais e instrumentos, outros corações e casais se abraçando, outros eram de animais.

 

-Uau, eu simplesmente amei tudo!- falei o abraçando forte- Obrigado.

 

-Que bom que gostou..agora vamos para não nos atrasarmos.- ele falou parecendo um pouco envergonhado.

 

Peguei dois cadernos e botei na mochila, deixei os outros em cima da cama mesmo, depois eu arrumo em algum lugar. Mingus pegou a sua mochila no quarto dele e seguimos em direção ao elevador, conversamos sobre coisas aleatórias até chegarmos no estacionamento do prédio.

 

Mingus apertou um botão na chave do carro e o mesmo fez um bipe. Entramos no carro e ele começou a dirigir, ficamos conversando sobre coisas aleatórias novamente, achei ele muito legal e fofo.

 

Quando chegamos no estacionamento da escola, rapidamente Mingus saiu do carro e abriu a porta do meu lado, que -obviamente- era do carona. Sai do carro, dando um sorriso tímido para ele, o qual retribuiu. Mingus abriu a porta de trás do carro e me deu a minha mochila, pegando a sua logo em seguida. Nos viramos para a entrada da escola e no mesmo instante gelei, eu sei que mudanças são importantes, que sem elas não evoluímos, não nos tornamos algo melhor, algo diferente, mas eu não gosto muito de mudanças, mudanças são difíceis e quando tem haver com escola, é pior ainda. Todos são iguais, sempre tem algum motivo para te zoarem, sempre tem algum motivo para você ser zoado.Me arrepiei só de pensar em passar por tudo o que eu passei de novo.

 

Mingus percebeu que eu estava nervosa e me lançou um sorriso confortante, logo senti sua mão ao encontro da minha. Ta, aquilo estava estranho, mas dei de ombros. Entramos na escola e logo senti olhares curiosos na nossa direção.

 

-Você precisa ir na diretoria pegar os seus horários.- Mingus falou assim que parou em frente a uma porta que estava com uma placa escrito “diretoria”.- Vai lá, eu te espero aqui.- assenti e entrei na sala.

 

Escolhi os meus horários e peguei a senha do meu armário que Mingus fez questão de me mostrar onde era, mesmo o dizendo que não precisava se preocupar.

 

Chegamos lá e eu deixei algumas coisas que eu não ia precisar usar nos primeiros tempos. Assim que eu Fechei o meu armário, dei de cara com aqueles lindos olhos azuis..espera? O que eu disse? Ou melhor..o que ele está fazendo aqui?

 

-Oi, Melany…- aquela rouquidão falou em um tom sarcástico. Logo Chandler olhou para mim dos pés a cabeça– corei– e depois olhou para alguma coisa atrás de mim, para o Mingus, que o fez travar o maxilar revezando o olhar entre mim e o Mingus. -Eae.

 

-Oi.- Mingus disse seco, senti o clima pesar entre eles.

 

-Olha..tenho que admitir, mandou bem, dude.- Chandler falou me olhando com um sorrisinho malicioso. Franzi o cenho.

 

-Ham? Do que ele está falando, Mingus?- perguntei eu era meio lerda para essas coisas.

 

-Cala a boca, Chandler.- Mingus disse o repreendendo.

 

-Quem você pensa que é para me mandar fazer alguma coisa? E até parece que não rolou nada com uma gostosa dessas dentro de casa..- Corei novamente.

 

-Não rolou nada! E tenha mais respeito quando se dirigir a ela!- Mingus gritou.

 

-Claro, porque o seu pauzinho não deu conta da cadela, não é mesmo? Eu tinha me esquecido..- Agora o Chandler tinha extrapolado de vez, foi tudo muito rápido, eu só vi o Mingus correr para cima do Chandler e acertar um soco na sua cara, o que fez o mesmo devolver com mais intensidade, logo os dois começaram a rolar pelo chão e um monte de gente começou a se aproximar, formando uma rodinha em volta. Entrei em desespero e corri para tentar separá-los, mas eles obviamente eram mais fortes que eu, então não deu certo. Comecei a chamá-los, mas todos começaram a gritar “Briga”, “Briga”. Tentei mais uma vez e nada. Chandler estava por cima de Mingus distribuindo socos e mais socos por todo o corpo de Mingus, que logo inverteu as posições e ficou em cima de Chandler. Olhei para um lado e para o outro, eu estava desesperada, eles pareciam que iam se matar. Logo vi um garoto loiro ao lado de um moreno, que se eu não me engano estavam conversando com o Chandler antes deles se embrearem. Fui na direção deles.

 

-Ei, vocês. Vocês são amigos do Chandler, certo?- Eles assentiram.- Por favor, façam alguma coisa, esses dois vão se matar.- eu já estava quase chorando. Tá, eu sei que é só uma briga de escola, mas eu realmente me importava com eles, mesmo não os conhecendo muito bem.E além do mais, eu nunca tinha presenciado uma coisa dessas. E tudo começou por minha causa.

 

-Por favor…- pedi derramando algumas lágrimas. Os dois se olharam e foram para onde os dois estavam brigando.

 

-Para, cara. Isso não vai dar em nada.-O loiro falou puxando Chandler pela camisa e o segurando. O moreno estava segurando o Mingus. Olhei para os seus rostos e tanto o Chandler quanto o Mingus estavam com apenas um corte no supercílio, provavelmente também iriam ficar com marcas roxas no tronco, mas não era possível ver por conta da roupa.

 

-Me larga. Eu vou acabar com esse cara.- Chandler gritou enquanto se debatia para se soltar do amigo.

 

-Não se eu acabar com você primeiro, otário.- Mingus gritou também tentando se soltar do garoto moreno.

 

“Queridos, alunos. Como hoje é o primeiro dia de aula, eu solicito que todos se dirijam para a quadra fechada em 10 minutos, onde teremos nossas apresentações de boas vindas.”- uma voz surgiu de alguns alto falantes que ficavam pendurados nos corredores. Agradeço mentalmente por isso, porque se dependesse dos dois, ficariam o dia todo brigando.

 

A rodinha foi se dispersando e aos poucos os dois desistiram de lutar e os meninos os soltaram. Corri em direção ao Mingus e peguei em sua mão.

 

-Vamos logo.- Falei o puxando. Os dois estavam se encarando com um olhar mortal, mas assim que ouviram a minha voz me olharam.- Muito obrigado, pela ajuda, pessoal.- falei para os garotos que assentiram. Me virei ainda segurando a mão de Mingus e sai andando até que parei pois ouvi alguém me chamando.

 

-Ei espera aí.- me virei novamente e encarei o garoto loiro que começara a falar.- Eu sou o Sam e esse é o Tyler-Falou apontando para o garoto moreno.- prazer em conhecê-la, Melany.

 

-Igualmente.- Falei forçando um sorrisinho. Chandler e Mingus reviraram os olhos.

 

Voltei a puxar o Mingus até encontrar o banheiro masculino, respirei fundo e sem pensar duas vezes abri a porta, puxando o Mingus para dentro.

 

-Melany! Você não pode entrar aqui..- Mingus me repreendeu. Mas já era tarde demais pois já estávamos lá dentro, por sorte não havia ninguém.

 

-Você entrou em uma briga por mim, eu preciso te agradecer de alguma forma- ele me olhou com uma cara confusa. Peguei um pouco de papel higiênico e molhei, limpando o seu Corte que estava sangrando. Estanquei o sangue até parar de sair. Peguei um band aid que eu sempre carrego comigo em caso de emergências e coloquei no lugar machucado, depositando um beijo no local logo em seguida.

 

-Obrigado.- ele falou,meio tímido.

 

-Obrigado você.- falei o abraçando.

 

Fomos para o ginásio coberto como a diretora havia solicitado e nos sentamos nas últimas bancadas para podermos enxergar melhor o que acontecia lá embaixo.

 

Assim que me sentei,corri meus olhos pelo ginásio e vi o Chandler na primeira fileira praticamente embaixo de onde estávamos, ele estava com aqueles dois garotos e mais alguns que eu não conhecia, tinham algumas meninas usando roupas bem provocantes, uma delas estava sentada no colo do Chandler. Devia ser uma das “putas” dele, porque só sendo isso pra ter algum tipo de relacionamento com uma pessoa como ele.

 

A diretora se aproximou do grupinho deles e pareceu falar alguma coisa para as meninas, que ficaram animadas dando alguns gritinhos estéricos. As meninas saíram da quadra dando pulinhos de alegria. Franzi o cenho. Chandler olhou em volta da quadra e logo os seus olhos me encontraram e ele ficou me encarando de uma forma que me fez ficar com um pouquinho de medo, logo o garoto loiro, o Sam, pareceu chamar a sua atenção e ele voltou o seu olhar ao amigo.

 

-Já se encantou, é?- fui despertada dos meus pensamentos por Mingus, me virei para ele.

 

-Oi? Não é isso…-balancei a minha cabeça em sinal de negação e ele riu.- Você e ele não parecem se entender muito bem.. Por que?- perguntei e ele soprou um suspiro.

 

-Eu prefiro não falar disso agora..

 

-Por que?- Franzi o cenho. Aí tinha coisa...

 

-É complicado, Melany…- ele falou com um olhar triste. É, com certeza tinha coisa nessa história, que só pelo modo como se olharam antes da briga e pelo olhar que Mingus tinha acabado de me lançar, com toda a certeza não era uma coisa simples e fácil que se contaria para uma pessoa que tivesse acabado de conhecer. Devia ser uma história triste, uma história complicada. Preferi não insistir.

 

—Muito bem, queridos alunos. Sejam bem vindos de volta.- a mesma moça que tinha falado nos auto falantes apareceu no meio da quadra com um microfone nas mãos.- E para aqueles que não me conhecem, eu sou a diretora dessa incrível escola.-OK, acho que eu nem preciso falar que teve algumas pessoas que a vaiaram quando ela disse isso, né? Mas felizmente ou infelizmente ela pareceu não ligar.- Muito bem, para os alunos novos, sejam bem vindos também. Agora, como de costume, vamos ter a nossa apresentação de boas vindas feita pelas nossas queridas cheerleaders.- assim que ela disse isso, algumas garotas entraram no ginásio usando uma saia curtíssima, uma blusa, que era azul e branca, em que a barriga delas ficavam um pouco de fora pelo tamanho curto. Na mesma hora em que começaram a entrar, o ginásio todo foi a loucura, os garotos gritavam e falavam coisas como “gostosas”. Elas começaram a dançar uma dança que por mim não seria considerada como dança, pôs  se resumia em fazer movimentos sensuais parecendo que estavam fazendo “aquilo” ao invés de dançar mesmo.

 

 Olhei para as garotas e só depois de um tempo percebi que eram as “putas” que estavam com o Chandler e os amigos deles. Revirei os olhos,só podia ser né…

 

Olhei para o Mingus que estava do meu lado, quase babando pelas garotas.

 

-Ei, fecha a boca. Vai entrar mosca.- falei batendo de leve no seu queixo e ele pareceu sair do transe, rindo logo em seguida.

 


Notas Finais


Então..é isso, espero que tenham gostado. E...desculpa pela demora pessoal.
Beijos, Abraços e tchauuu <3 <3 <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...