História A Drop In The Ocean - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Ação, Aventura, Drama, Família, Ficção, Romance, Suspense, Violencia
Exibições 5
Palavras 1.059
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Mistério, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 10 - Beijos Roubados


Fanfic / Fanfiction A Drop In The Ocean - Capítulo 10 - Beijos Roubados

-Vai mais rápido! –Kayla grita enquanto Tomaz dirige apreensivo.

-Mais rápido? Impossível! –ele diz não tirando os olhos da rua.

-Eu sabia que aceitar a proposta seria um erro! –ela diz já desanimada.

-Não foi um erro. Você só precisa se acalmar, já compramos o café e estamos perto da minha casa. Vai dar tudo certo.

-Tomaz já são 06:00 horas, sua mãe e sua irmã estão acordando! Como você quer que eu me acalme?

Ele para o carro rapidamente e beija ela, na boca. A garota fica sem reação, surpresa.

-Melhorou?

Ainda sem fala, ela simplesmente concorda com a cabeça. Ele então, liga o carro novamente e dirige até a mansão onde estaciona e entra na cozinha em silêncio ao lado de Kayla, que faz o café o mais rápido que pode. Eles escutam passos na escada e Tomaz sai da cozinha e vai direto sentar em uma das cadeiras, junto à mesa.

-Bom dia Tommy! –Victória diz beijando a bochecha do irmão.

-Bom dia princesa! –ele responde, se acalmando. –Dormiu bem?

-Muito bem! –ela diz se sentando perto dele.

-Bom dia meus amores! –Brietta exclama se juntando à eles.

-Bom dia. – os dois respondem em coro.

Kayla leva o café até a mesa, pontualmente.

-Como está sendo o primeiro dia de trabalho, Kayla? –Brietta pergunta com um sorriso no rosto.

Kayla olha para Tomaz, que solta um sorrisinho.

-Agitado, Sra. Cavichioli.

Todos dão um sorriso.

-Que bom. Isso é um bom sinal. A mesa do café da manhã está satisfatória. –Brietta diz com elegância.

-Fico feliz, senhora.

Kayla se curva um pouco, e saí dali para deixa-los à vontade. Do lugar que está sentado, Tomaz olha para a garota limpando a cozinha sorrindo, e então, ele dá um sorriso também.

-Papai não virá comer? –Victória pergunta, mordendo um pedaço de torrada com a geleia de frutas vermelhas.

-Ele não está em casa, teve que ir até a IANC resolver algumas coisas sobre o Hospital San Diego.

-Algum problema? –Tomaz pergunta preocupado.

-Nada muito grave, suponho. O sucesso desse Hospital é muito importante para o pai de vocês, um detalhe pequenino que dá errado é o suficiente para deixa-lo louco!

Todo riem, sabendo que isso é um fato.

-Vou me arrumar pra escola. Com licença. –Victória diz terminando de comer e se levantando da mesa.

-Vou me retirar também. –Brietta diz tomando um gole de café. –Hum, isso aqui está divino! –elogia.

-Vou ficar aqui mais um pouco. –Tomaz diz.

-Tudo bem querido. –ela vai até ele e lhe dá um beijo na testa e vai para o andar de cima junto de Victória.

Tomaz espera elas terminarem de subir para se levantar e ir até a cozinha.

-Parabéns. Estava tudo ótimo. –ele diz chegando perto de Kayla.

-Fico feliz que tenha gostado. –ela diz passando por ele e indo arrumar a mesa.

-Imagino que tenha gostado também. –ele diz, a seguindo.

-Do café da manhã? –ela diz, se fazendo de desentendida enquanto pegava as xícaras, levando-as para a pia da cozinha.

-Não. Do beijo. –ele diz, nada modesto.

-Já tive melhores.

Ele a pressiona contra a pia, fazendo-a arregalar os olhos.

-Com caras melhores do que eu? –ele diz acariciando seu antebraço.

Ela abre a boca pra falar, mas nada sai.

-Se te deixei sem fala, suponho que a resposta seja um não.

-Você se acha não é?

-Sim. –ele diz sorrindo orgulhosamente.

-Pode me soltar? –ela diz devolvendo o sorriso.

-Não. Não até você confessar que também está apaixonada por mim.

Ela acha graça nas palavras dele.

-Então quer dizer que você está apaixonado por mim?

Dessa vez que fica sem fala é ele, percebendo que ele mesmo se denunciou.

-Se te deixei sem fala, suponho que a resposta seja um sim. –ela diz, satisfeita consigo mesma.

Ele solta um sorrisinho.

-Não estou apaixonado por você. –Tomaz diz isso olhando para a janela à direita da garota.

-Então diz isso olhando em meus olhos.

Ele olha nos olhos dela.

-Eu não estou...

-Tommy vamos! –Victória exclamou do outro lado da cozinha. –O que está fazendo?

Tomaz se virou para ver a irmã.

-Nada. Vamos. –ele disse indo embora.

Kayla fica decepcionada, ele ia dizer.

...

Tomaz levou Victória pra escola. Ele precisava falar com alguém, alguém que pudesse lhe falar o que fazer, e só pensou em Nora.

-Você gosta de aparecer na minha porta em... –ela disse assim que ele entrou na casa dela.

Eles se sentaram lado a lado.

-Preciso de um conselho.

-Sobre?

Ele respirou fundo.

-Tem uma garota, uma mulher... Eu acho que sei lá, devo estar gostando dela, mas é que eu nunca senti nada disso antes sabe? Eu não sei... tenho medo de acabar estragando tudo.

-Por que não diz que gosta dela? O “não” você já tem.

Ele olha pra ela. E se encanta pela maneira que ela encara a vida.

-Você é incrível.

Nora fica vermelha.

-Eu não sou não. –ela diz parando de olhar pra ele.

Ele segura o queixo dela, direcionando seu rosto pra cima, de forma que os olhos deles se encontrassem.

-É. Você é sim.

Nora por impulso se aproxima, e rouba um beijo de Tomaz, que mais uma vez fica sem reação. Ele não retribui, mas não se afasta por causa do choque. Após poucos segundos, Nora se afasta.

-Por que fez isso? –ele pergunta, ainda atônito.

-Eu queria fazer isso há algum tempo pra falar a verdade.

-E por quê?

-Por que também te acho especial. Pessoas especiais devem escolher pessoas especiais, não acha?

Tomaz viu sentido naquilo e concorda com a cabeça.

-E eu acho... que escolhi você. –a garota termina.

Ele se afasta. Nora percebe o que está ocorrendo.

-Mas você não me escolheu não é mesmo? –ela conclui.

Tomaz não fala nada, afinal, o que dizer nessas horas?

-A garota de que fala, com certeza é especial também. –ela diz.

-Ela é sim. Muito.

Nora abaixa a cabeça, percebendo que o que fez foi um erro.

-Sinto muito. –ele diz tentando uma aproximação, mas quem se afasta agora é Nora.

-Pode ir embora por favor? –ela diz tentando não chorar.

-Nora...

-Vai embora! Tomaz, Por favor! Vai embora... –ela diz começando a chorar.

Ele decide não insistir, não quer magoá-la ainda mais e então vai embora, deixando Nora sozinha com suas lágrimas e se sentindo uma boba.

“Vai... embora...”



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...