História A Emoção no Olhar - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias A Bela Junie (La Belle Personne)
Exibições 3
Palavras 347
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Pansexualidade, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 1 - Observar


Eu realmente amo estar na estrada e ver o sol se esconder por trás das árvores. Sentir a brisa leve como uma pluma dançar junto aos meus cabelos. O entrelaçar de duas mãos como se fossem uma só. Choros que mais parecem risadas. Trocas de olhares capazes de parar o mundo por alguns segundos.

Pequenezas estas que só dois bons pares de olhos sobrecarregados de poesia poderiam documentar.

 

- Lourdes? – Sun chama pela moça, mas ela não corresponde. Talvez por estar perdida no mundo da lua como a mãe dela costumava dizer.

 

Enquanto o giz ficava cada vez menor ao se tornar mais uma palavra no texto escrito no quadro, Lourdes pensava. Essa talvez seja sua sina, pensar.

Eu até consigo ouvi-la: “penso demasiadamente em fugir de tudo, correr para bem longe até esquecer o teu nome, o gosto amargo da tua boca, a loucura que adora transbordar teus olhos. Droga! Como eu odeio guardar cada detalhe teu como se fosse o paragrafo de algum livro que não sai da minha cabeça, odeio o fato de você não ser só mais alguém por ai.” Enquanto me perco a olhar ela tão calma como demonstrava ser, Sun cutuca-a varias vezes, e somente assim a moça volta de seu transe monótono.

- O que foi? – Lourdes fala com um tom de desanimo ao se virar para Sun.

- Por que você está sempre tão longe daqui? - Sun pergunta se escorando na cadeira de Lourdes.

- As vezes a realidade é tão doída que é mais fácil evitá-la. – a garota respondeu e logo virou-se para frente, mas antes disso pousou o seu olhar no meu, confesso que gelei. Foram os dois segundos mais satisfatórios do meu dia.

 

Uma pergunta sempre me perturba a mente, por que eu sinto que posso ler cada gesto e cada olhar dela?

 

 

 

O sinal toca e invade meus ouvidos violentamente como de costume. Levantei-me decidia a falar com ela. O que fiz? Passei por sua carteira como um furacão sem nem olhar em seu rosto. Deixei o medo possuir meu ser mais uma vez.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...