História A Escolha - Parte 1 e 2 - Capítulo 56


Escrita por: ~

Postado
Categorias Taylor Lautner
Tags Drama, Romance, Taylor Lautner
Visualizações 77
Palavras 2.059
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 56 - Folga


Fanfic / Fanfiction A Escolha - Parte 1 e 2 - Capítulo 56 - Folga

*Amelie POV*

Aquele almoço ia dar o que falar. Eu sabia disso. Primeiro, porque o David não tirava os olhos de mim. Ele ia se casar, mas continuava o galinha de sempre. Coitada da Cloe, quem diria que um dia eu sentiria pena dela. Segundo, tem a história da Emily, que é a paciente louca do Nate e ainda por cima é prima do David! Ela olhava tanto para o MEU marido que mais um pouco ele secaria. 

- oi! - David disse sentando ao meu lado e interrompendo meus pensamentos

Olhei para o Nate imediatamente, mas ele ainda não tinha visto a audácia do David.

- não precisa olhar pro seu marido desesperada. Eu não vou atacar você.

- David, você não muda, não é mesmo?

- eu mudei sim Amie. Sou formado, tenho dinheiro e vou me casar! olha que mudança! 

- mas continua o mesmo cara-de-pau de sempre!

- eu!? só porque estou aqui do seu lado?

Revirei os olhos. Ele entendeu o que eu quis dizer.

- está animado? - perguntei tentando mudar o assunto

- sim.

- nossa, que animação. - zombei

- não era com ela que eu sonhei em me casar, então...

Engoli seco e senti um frio na espinha.

- não é legal você dizer isso Dave. Ela é sua noiva e sua futura esposa!

- estou sendo sincero Amie e com você eu posso falar a verdade.

- se não está feliz não se case, oras!

- e morrer solteiro?

- encontre alguém que você ame de verdade primeiro e depois...

- eu já encontrei, mas ela já está casada.

Eu não podia acreditar no que estava ouvindo.

- David, se essa pessoa que você ama está casada com outro é porque não é a pessoa certa pra você.

- eu não sou a pessoa certa pra ela, mas ela é a pessoa certa pra mim.

- quem é a pessoa certa pra você David?

Nathan perguntou, parando em nossa frente, cruzando os braços.

- a Cloe. e é por isso que vou me casar com ela! - disfarçou

David era mesmo muito sem vergonha e pelo visto ainda tinha medo de apanhar do Nate.

Ele saiu para falar com outras pessoas e eu fiquei com o Nate. Ele sentou ao meu lado e me abraçou. 

- quero ir embora. - ele disse

- só mais um pouco Nate, fica chato irmos embora assim, tão cedo...

- chato pra quem?

- Nate, nós somos os padrinhos!

Ele revirou os olhos e continuou me abraçando. 

- hey casal! onde está o John hein? Liguei pra ele, mas ele não atendeu! - disse Cloe

- ele está de férias. - respondi

- ah, e está com o Peter ainda?

- eles moram juntos, Cloe. - respondeu Nate

- uau hein! até eles foram mais rápidos que eu!

Ficamos rindo das palhaçadas da Cloe até a prima louca do Dave se aproximar.

- Cloe! você acredita que o doutor Nathan é meu médico!?

Médico dela!?

- ahm, coincidência né? - ele disse todo sem graça

Cruzei os braços e fiquei esperando mais galinhagens.

- ah é? não sabia! - Cloe falou espantada

- ele é um ótimo médico viu!?

Se minha profissão não fosse salvar vidas eu juro que tiraria a vida dela em dois minutos.

- ah com certeza! ele sempre foi nerd! e a Amie também! - Cloe completou e eu dei um sorriso torto

- eu não sabia que ele era casado, mas é legal conhecer você Amie.

Ah não sabia!?

- eu falo pra ele que a nossa aliança deveria ter sido maior... - provoquei

Nate me olhou surpreso e tentou disfarçar.

- A Amie também é Ortopedista e é muito melhor do que eu! - ele disse 

- ah, mas eu prefiro médico homem, desculpa viu Amie, mas é verdade. Os médicos homens são mais atenciosos, delicados, não pegam com brutalidade... eu adoro!

Fiquei boquiaberta enquanto o Nate não sabia mais o que fazer. 

- uma vez eu fui em um ginecologista e...

Ela ia continuar, mas graças ao bom Deus, Cloe percebeu a minha irritação e a tirou dali.

- Emily, preciso te mostrar uma coisa! vem! - disse Cloe arrastando a vadia de lá

Soltei um suspiro alto e bufei.

- essa louca é uma galinha da pior espécie!

- coitada Amie! ela é engraçada vai...

- eu tenho que achar tudo isso engraçado, mas o David não pode sentar ao meu lado por dois minutos que você vem aqui igual a um pavão!

- ah, então eu já entendi. Eu estou com ciúmes de um cara que nós conhecemos há muitos anos e que não larga do seu pé, enquanto você está com ciúmes de uma doida que é minha paciente.

Olhei pra ele sem entender.

- eu tenho razão de ter ciúmes do David e...

- ah Nathan! por favor! 

Deixei ele falando sozinho e ao andar rápido minha perna começou a doer. Há duas semanas eu parei a fisioterapia, porque o Peter, que era meu Fisio, saiu de férias com o John. Eu precisava dele urgente! Minha perna de uns dias pra cá doía mais do que o normal, mas eu pedi para o Nathan fazer uns exames em mim e nada. Acho que eu estava mesmo era estressada.

- hey! que cara é essa e porque me deixou falando sozinho?

- só não quero brigar Nate e minha perna dói...

- está doendo? vem! vamos sentar!

Sentamos um pouco, mas logo fomos para casa.

(...)

- Peter precisa voltar logo! - Nate disse

- pois é! acho que essas duas semanas sem ele estão fazendo falta... - falei fazendo careta ao sentar

- essa dor é só quando você anda? - ele perguntou

- é, eu sinto um peso forte na perna sabe, como se os ossos estivessem abrindo e...

Minha nossa! Eu sou Ortopedista e não me liguei nisso? A minha perna estava pesando porque algo no meu corpo estava mudando. Aliás, a dor não era só na perna, era no quadril também!

- Amie, que cara é essa? parece que viu um fantasma!

- ahm, nada! eu lembrei que preciso rever meus pacientes de Segunda, só isso.

Eu não queria assustar o Nate e nem deixa-lo ansioso, mas eu precisava ter certeza de tudo antes de falar algo. 

(...)

Na Segunda-feira de manhã, assim que cheguei na clínica eu fui até o depósito de remédios e peguei um teste de gravidez. Nós sempre tínhamos isso no estoque, caso precisássemos fazer algum exame com radiação em uma paciente que não saberia se estaria grávida ou não.

Fui ao banheiro que havia na minha sala e fiz. Eu não estava nervosa, afinal, eu tomava a pílula todos os dias, quer dizer, eu tentava não esquecer todos os dias de tomar.

Pois é, mas eu estava enganada se achei que todos os meus esquecimentos não dariam em nada. 

- minha nossa! - exclamei 

Eu não sabia se ria ou se chorava e também não sabia como contaria ao Nate. Saí do banheiro atordoada e joguei o teste no lixo. 

- senhora Ledger o seu próximo paciente já chegou. 

- pode pedir pra ele entrar, por favor.

Atendi muitos pacientes no dia e mal tive tempo de falar com o Nate. E eu como médica não deveria ter medo do que estava por vir, mas eu estava, principalmente por causa da minha deficiência. 

Alguns médicos que eu fui me alertaram sobre uma gravidez. Em um determinado mês eu teria que ficar de repouso, mas como fazer repouso com vários pacientes esperando para serem atendidos? 

- com licença...

Nathan entrou na minha sala no final do dia, mas eu não tive coragem de dizer absolutamente nada sobre o teste.

- pronta para ir? - ele perguntou

- sim! me dá uns minutos?

- está tudo bem?

- está! porque?

Será que estava tanto assim na cara?

- nada, você parece... preocupada...

- ah não, eu só estou cansada... mal tive tempo de ir ao banheiro hoje...

- sabe Amie, eu estava pensando... porque não tiramos férias?

- férias Nate? e os nossos pacientes?

- Amie, somos humanos, precisamos descansar... e eu já falei com o John sobre isso, ele fica aqui na clínica atendendo as emergências.

- quando você falou com o John?

- por telefone. Ele ligou para saber se estava tudo bem por aqui.

- hum. bom, podemos pensar nisso depois?

- temos que pensar até amanhã.

- porque?

- porque a reserva que eu fiz para o resort é só até amanhã. Se não confirmarmos, perdemos a vaga.

Respirei fundo e eu sabia que eu não ganharia um argumento com ele. Talvez eu precisasse mesmo de um descanso e de um tempo para dizer a ele que ele seria pai.

- quando vamos? - perguntei

Ele abriu um sorriso gigante.

- no próximo final de semana.

- e onde é esse resort?

- no litoral e parece ser bem badalado. Eles inauguraram a pouco tempo, então, está difícil de conseguir um quarto.

- tudo bem. - dei de ombros

(...)

É claro que com muito trabalho na clínica a semana passou voando. 

- eu nem arrumei as malas ainda! - exclamei

- não precisamos levar muita coisa Amie. Apenas roupas de banho e... se quiser levar umas camisolas sexies, daquelas que você costuma usar...

Eu e Nate estávamos casados há três anos e mesmo assim, cada vez que ele falava das minhas camisolas eu me arrepiava por inteiro. 

- eu vou arrumar tudo rapidinho... - falei

E foi rápido mesmo, se eu não tivesse parado algumas vezes para sentar por causa dos enjoos fortes.

- vamos? 

Tentei disfarçar e assenti. Pegamos a estrada e fomos para o litoral de Nova Iorque.

Chegamos no resort quatro horas depois e eu não sei como não passei mal no caminho. 

- temos uma reserva no nome de Nathan Ledger. - disse Nate entregando os documentos para a recepcionista

- Senhor Ledger a sua suíte é a 1355, lado direito. Divirtam-se!

Sorrimos para o recepcionista e fomos para o quarto. Estávamos felizes afinal, eram raros esses momentos de descanso. 

- que lindo aqui Nate...

- é mesmo. estou louco pra ver o quarto!

- Amie!? Nathan!?

Paramos de andar e nos viramos para olhar e ter certeza de que não era um pesadelo. Minha nossa!

- David? o que faz aqui? 

Nathan já estava incomodado e paz era a última coisa que teríamos naquele lugar.

- viemos para ficar essa semana e vocês?

Deus do céu.

- nós também... - balbuciei

- Dave, a Cloe está chamando você e...

Ah não! A prima vagabunda!?

- o que é isso? reunião de família? - ironizou Nathan

- calma doutor... é só a minha prima que vocês já conhecem!

Engoli seco e comecei a enjoar de verdade.

- Nate, quero entrar no quarto.

- nos vemos por aí! - disse David enquanto a vaca da prima não parava de olhar pro meu marido

Ao entrarmos no quarto eu joguei minhas coisas na cama e fui direto para o banheiro.

- Amie, você está bem?

Eu precisava falar, mas estava sem coragem. Eu, uma médica, sem coragem do que é mais que natural!? Eu continuava a mesma molenga de sempre.

Saí do banheiro tentando parecer uma pessoa normal, mas Nathan além de me conhecer há muitos anos, era médico...

- estou com indisposição. Acho que foi a viagem...

- a viagem ou o David?

- que?

- eu vi a sua cara quando o viu. Porque ele ainda mexe com você hein Amie?

- Nathan, eu não vou discutir sobre isso, é um absurdo você ainda sentir ciúmes do David!

- do mesmo jeito que é um absurdo você sentir ciúmes da prima dele...

- o David não marca consulta comigo todas as semanas. - falei cruzando os braços

Ele não tinha mais argumentos, claro.

- você tem razão Amie. Não viemos aqui para brigar e sim para descansar e aproveitar os poucos momentos que temos juntos, então...

Parei de escutar o que ele dizia. Ele tinha razão. Mal tínhamos tempo para nós, quanto mais para uma criança.

- Amie? está me ouvindo?

- ai, desculpa. o que você disse?

- disse para darmos uma volta pelo resort. o que acha?

- claro! vamos!

E lá fomos nós.

(...)


Notas Finais


COMENTEM!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...