História A Escolha - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias AnnaSophia Robb, Justin Bieber
Personagens AnnaSophia Robb, Jeremy Bieber, Justin Bieber, Pattie Mallette
Tags A Seleção, Castelo, Clarissa, Justin Bieber, Princesas
Exibições 49
Palavras 2.997
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


EUUUUUU VOLTEEEEEEEEEEEI
Nos vemos lá em baixo

Capítulo dedicado a @Shiinetw
amo vc, e espero que goste <3
Especial Katian, pq é o otp da minha nenem asldkaslçdk

Espero que gostem, desculpem os erros

Capítulo 11 - Capítulo Especial - Katian


Fanfic / Fanfiction A Escolha - Capítulo 11 - Capítulo Especial - Katian

''Amor é algo complicado, amamos quem não nos ama, odiamos quem nos ama'' 

Point of View Príncipe Ian 

Semanas atrás, ainda na Inglaterra...

Hoje era o dia que eu levaria Kate para passear pelo palácio, já havia pensado em tudo, por onde iríamos, onde almoçaríamos e jantaríamos. O jantar era com um dos chefes mais renomado do mundo, a sua comida era uma mistura de italiana com francesa, o sabor era simplesmente mágico e para alguém que entende de comida, como eu, sabe que misturar etnias na cozinha era algo arriscado, mas em seu caso era como uma bela sinfonia perfeita. Eu estava terminando de me arrumar, um terno clássico, não era pesado demais, a cor azul - preferida dela - era escura, o que fazia com que meus olhos se destacassem. A camareira estava arrumando o quarto enquanto me ajudava na execução da roupa.

-Príncipe, se me permite dizer, sua roupa está linda como o senhor - Sorri e a olhei

-Aurora, suas palavras me motivam todos os dias - Disse enquanto passava o perfume - Se eu não a tivesse, teria que ir a sua procura, pois ninguém é como você - O sorriso sincero dela me fez sorrir também - Vamos, me diga, ela irá gostar de mim? 

-Se ela não gostar, ou seu coração já está tomado por outro alguém ou não tem interesse em homens como o senhor - Só de pensar em seu coração tomado por outro, me deixava suando frio, Kate sempre foi uma garota linda, quando ia para a Ilha visitar as crianças eu a via, e sua simplicidade era bela demais, sempre me cativando e me fazendo querer te-la ao meu lado, na vida e na cama. 

-Eu vou indo - Peguei o pequeno buque de Jasmim, lá havia umas seis ou sete flores, um laço azul turquesa rodeava as flores a deixando todas juntas, e o papel branco fazia tudo combinar perfeitamente - Até depois Aurora, tenha um bom trabalho - Sorri e ganhei um abraço sincero seu, poucos trabalhadores do castelo gostavam de mim, poucos mesmo, nem de Justin eles gostavam e ele é o mais educado. Aurora sempre nos cuidou, então, a tratamos como se fosse uma segunda mãe.

-Bom passei Senhor Ian - Sai do quarto, indo em direção ao seu, tinha que descer as escadas e ir ao segundo andar, onde ficavam os respectivos quartos brancos, ou seja, de pessoas que não eram da nobreza e nem trabalhavam aqui, eram hóspedes ou familiares. Antes de bater em sua porta, parei em frente ao espelho e arrumei meu terno, verificando tudo novamente, após isso, bati três vezes na porta. As mãos geladas seguravam as flores, podia ver uma pequena tremida nas mesmas, e sabia que vinha de mim aquilo, a respiração era como se eu tivesse corrido seis quarterões ou mais, e as pernas bambas fazia parecer que havia saído de um sexo selvagem. Ela abriu a porta, meu sorriso foi espontâneo, era quase impossível controlar. Seu vestido branco com detalhes em azul e preto a deixavam graciosa, o salto branco a fazia ficar na minha altura, uma maquiagem clara e os lábios rosados, chamando minha atenção em dobro, o cabelo estava preso em uma trança lateral que a deixava incrivelmente linda, os brincos de ouro com pedras brancas ornavam com o vesto da sua roupa. Seu perfume era doce, e fazia com que eu quisesse o deixar marcado em meu travesseiro.

-Está lindo - Ela suspirou enquanto sorria, sai do transe e entreguei as flores 

-Espero que goste, é apenas um carinho a mais - O sorriso seu aumentou, fazendo o meu também aumentar

-Como sabia que era as minhas preferidas? - Olhei em seus olhos claros conseguindo ver o paraíso lá dentro

-Da mesma maneira que sei que azul é sua cor preferida.. Todos nós temos nosso jogo, o meu é um segredo - Estiquei a mão - Vamos princesa? Nosso passeio começa agora - Ela levou as flores e as deixou em um copo com água, logo depois fechando a porta e entrelaçando nossos dedos, coisa que eu achei que ela não faria

-Aonde vamos? - Seu olhar era como o de uma criança, queria saber as informações o mais rápido e isso me fazia rir 

-Espere, você verá - E então chegamos a porta do palácio - Antes de começarmos o passeio, saiba que vamos passar o dia fora, e que jantará comigo - Pelo canto dos olhos percebi que seu rosto ruborizou, fazendo com que seu lábio fosse mordido pelos seus dentes, era visível sua ansiedade e eu podia ler seus pensamentos ''Não saberei me portar'' - E não se preocupe, não é nada muito chique, onde você se sentiria mal ou algo do tipo.. É algo simples e lindo - E então seus olhos foram de encontro ao meu rosto, e quando chegamos lá fora o pequeno vento fez alguns fios de cabelo irem em sua face, os mesmo que eu tirei com a mão livre. 

-Começamos por onde? - Desci as escadas e andei com ela pelo jardim 

-Vou te mostrar partes do palácio que ninguém jamais viu, apenas quem mora aqui, e depois podemos andar pela cidade se quiser - Os olhos brilharam e eu considerei como um sim 

-E se alguém nos ver aqui? - Neguei sorrindo, e percebi que havíamos chegado na parte que os portões eram totalmente fechados, não dando visão a rua

-Ninguém sabe o que tem aqui, ninguém nos verá... Aqui - apontei para o pequeno estábulo - Fica os cavalos, podemos andar se quiser 

-Estou de vestido e saltos - Assenti - Mas amanhã podemos andar? 

-Claro, sempre que você quiser, tanto aqui quanto lá no castelo. Venha - Andamos até lá, e abri as portas mostrando os cavalos a ela - Essa é a de Justin, Amora, não me pergunte a origem do nome eramos crianças com sérios problemas de imaginação - Sua gargalhada foi ouvida, e eu ri junto - O meu é o Thor, como disse, crianças sem um pingo de imaginação, e o de Patch é a American, a gente ganhou eles quando era crianças e foi crescendo com nós - Seu sorriso era fraco, e os olhos passavam pelos animais - Pode tocar, nenhum morde - Fui até o Thor e passei a mão em seu rosto, fazendo um carinho que ele gostava, enquanto via Kate passar a mão na Amora e depois na American - Vamos, precisamos ver mais coisas.. Só que você vai cansar de andar, tem certeza que não quer ir a cavalo? - Ela parecia pensar, e então me olhou

-Vamos, eu só vou ter que cuidar do meu vestido - A risada fraca dela me fez rir também, e então eu peguei tudo que precisava para os cavalos e deixei que ela escolhesse quem queria montar - Amora - Arrumei ela para Kate, e a ajudei a subir, logo depois alimentei American e peguei o Thor, subindo nele - Seu terno não irá estragar? 

-Não, já andei muito de terno, e nunca estragou nada - Coloquei meus óculos de sol e comecei a guiar Amora, que logo reconheceu o caminho que iriamos - Aqui - Apontei para um pequeno jardim - Ficava a nossa antiga casa, antes de isso ser um palácio morávamos aqui, isso foi a uns 18 anos atrás, quando eu tinha meus cinco anos, Bieber tinha acabado de nascer, e minha mãe não queria sair daqui, ai ela construiu o palácio. Quando tudo ficou pronto, destruíram nossa casa... - Meu tom ficou baixo, e ela me olhou percebendo isso - E depois disso, percebemos que nunca seriamos ''normais'', morávamos em um castelo, todo fechado, e não podíamos sair de casa quase. Então meu pai mandou quebrar um muro que tinha aqui, e dai ficamos com isso - Nossos cavalos pararam no portão, Kate abriu a boca em um perfeito 'o', olhando aquilo. - Vamos ver lá - Ela andava com os olhos brilhando e maravilhada com aquilo - Quando descobrimos que tínhamos uma ''floresta'' no nosso quintal, pensamos em explorar, e todas as noites, as escondidas, nós três vinhamos aqui, ali - Apontei para a frente - Tinha um balanço, ele ficava escondido atrás da enorme mata, mas quando cortaram essa parte da mata, tivemos que achar outro lugar - Os cavalos iam de vagar, e então eu pensei em algo - Quer correr para o riacho? 

-Vamos - Ela sorriu, mostrando sua parte aventureira - Vai na frente né? 

-Claro, estarei aqui, quase ao seu lado, não se preocupe - E então fiz com que Thor começasse a correr, sabendo onde iríamos, os cavalos eram tão acostumados a fazer esse trajeto, que até vendados eles iriam. O vento batia contra mim, e era algo tão libertador, Kate, logo ao meu lado, sorria, ela soltou a trança, deixando os cabelos enormes voar, ela também amava a liberdade. - Agora vamos descer, se segure - Gritei, e ela entendeu, a descida era logo a frente, os cavalos sabiam ir normalmente, mas eu e meus irmão já caímos muitas vezes aqui, e então começamos a descer. Escutei o riso de Kate, e olhei para ela 

-É magnifico - Sua risada era contagiante, e me fez sorrir junto a ela, enquanto descíamos. Pássaros cantavam ali por perto, nunca desmatamos ou destruímos alguma parte daqui, o que os empregados faziam era cortar boa parte da grama, por conta da higiene mesmo, mas nada além. Então, vários animais viviam aqui, havia pássaros, Patch já encontrou (ele jura de pé junto) uma cobra, e Justin fala que uma vez, com seus amigos, viu um macaco. Alguns esquilos estavam por ali, e eu pude perceber que havia vários filhotes, mas nem deu tempo de mostrar a Kate, já que estávamos rápidos. E logo o barulho do riacho foi ficando mais forte, o ar ali era puro e ótimo, um bom lugar para relaxar. Muitos cachorros viviam ali naquela região, e começaram a correr em frente aos cavalos quando nos viram, parando na pedra que ficava em frente ao riacho, e logo paramos também. 

A água escorria da parte mais alta da parede de pedras, caindo e formando uma linda cachoeira, a água limpa e clara mostrava as pedras, alguns passarinhos bebericavam a água, e vez ou outra os cachorros faziam igual, os cavalos por sua vez tomavam água rápido. Ajudei a Kate a descer, e então tirei meu blazer deixando o em um galo de árvore. 

-É muito lindo aqui, sério, parece um conto de fadas - Terminava de tirar a blusa branca, ficando só de calça e sapatos, ela me olhou - Vai nadar? 

-Claro, devia ter vindo preparado mas nem pensei em vir ao riacho - Ela sentou na pedra, brincando com os cachorros - Não vai entrar também? 

-Ficarei só te vendo - Meu olhar ficou triste e ela percebeu - Eu entro depois, vai primeiro 

-Terá que nadar nua, tem certeza que não quer entrar comigo agora? - Tirei a calça e vi sua cara de espanto e riso 

-Vamos nos secar como? - Dei de ombros - Minha camiseta seca muito bem, podemos usar isso.. Isso é o que menos importa agora, vamos, tire seu vestido - Falei e tirei as meias e o sapato, colocando tudo na pedra 

-Se algum animar pegar? - Gargalhei e fui até ela

-Querida, eu conheço aqui como a palma da minha mão, e te digo nunca nenhum animal fez isso, pois todos eles ficam mais para frente no outro rio, então pode ficar tranquila.. E ninguém vem aqui não sendo eu e meus irmãos, e hoje, bom, eles saíram ou seja, ninguém mesmo virá aqui. Beijei sua testa e fui até a árvore tirando a cueca, e indo correndo para água, mergulhando na parte mais funda - Vamos Kate, é só ficar nua - Ela riu e negou, indo até onde estava minhas roupas e tirando as suas. De costas para mim, eu podia ver suas curvas, a silhueta bem desenhada, a lingirie preta me fazia ter espasmos, e meu corpo que a pouco estava gelado pela água ficou quente ao ver ela retirando o sutiã e a calcinha, amarrou os cabelos em um coque bem alto. E então ela virou o corpo, correndo para água como eu, e entrando por onde entrei, só não molhou o cabelo, mas entrou e veio até mim. 

-Está gelada - Kate grudou em mim, e eu só pensava em não ficar duro, a concentração estava dando certo, mas quando ela grudou as pernas em mim, eu quase falhei, respirava fundo olhando seus olhos e sorri - Vamos, nade, eu vou ficar em cima de você como um bicho - Gargalhei, ela foi para as minhas costas, e eu comecei a nadar por ali, ela deixava alguns beijos na minha nuca e eu fingia não sentir, para receber cada vez mais. A soltei, seus seios ficaram meio cobertos e meio aparecendo, os olhos dela estavam em minha boca enquanto os meus estavam intercalando entre seios e boca, até que ela me atacou. Nossos lábios se juntaram, agarrei sua cintura colando seu corpo no meu e a guiando até a pedra mais próxima, ao encostar ela comecei a descer meus beijos, a enchendo de chupão naquela região - Ian... - Suas unhas arranhavam meu abdômen, e eu sentia que a qualquer momento iria sangrar. Deixei um chupão em cima do seu seio, e voltei ao seus lábios, Kate grudou suas unhas em meus braços e então gemeu entre o beijo. Meus dedos desceram pela sua barriga, até sua intimidade a penetrando, em um leve pulinho no meio do beijo, percebi que ela estava gostando. E então, saiu do beijo e foi ao meu pescoço deixando chupões ali, grudei suas costas na pedra e comecei a ir mais rápidos com os dedos, Kate saiu do meu pescoço e gemeu, alto e lindo. Com a mão livre apertei suas bochechas, grudei nossos lábios e começávamos de novo o beijo. 

-O que você quer? - Perguntei, percebendo suas pernas tremer, e em outro gemido ela sorriu 

-Você sabe o que eu quero - Neguei e sorri, diminuindo a velocidade, ela respirava forte, e então mordeu forte meu lábio, e começou um beijo ali. Tirei meu dedo da sua intimidade e posicionei meu pau em sua entrada - Viu como sabe - Em um sussurro sexy entre o beijo, ela proferiu essa frase, a penetrei com tudo e seu gemido foi auto, aquilo me motivava a ir rápido. 

Coloquei ela em cima da pedra, puxei suas pernas para meu ombro, enquanto apertava suas coxas e recebia puxões de cabelo, chupava Katherine, seus gemidos me faziam ir mais rápido com a língua a apertar suas coxas. 

-Ian.... - E então ela finalmente gozou, suas pernas tremiam, olhei para seu rosto e vi seus olhos fechados e suas mãos apertando os próprios seios - É minha vez de retribuir - Sua cara era de uma garota safada, meu pau estava endurecido, e então sentei na pedra e ela começou, agarrava seus cabelos guiando o ritmo. Sua boca quente aquecia meu pau, e meus gemidos eram descontrolados. Suas unhas arranhavam minhas coxas, enquanto minhas mãos agarravam seu cabelo, desfazendo o coque e formando um rabo. 

-Kate, eu não quero gozar na sua boca, então pare - Foi difícil falar tudo isso, mas eu consegui. Ela levantou com um olhar escuro e sexy, nossos lábios se tocaram e eu voltei para a água, penetrei sem dó nela, suas pernas a minha volta faziam tudo fica mais fácil. Logo gozamos juntos, ela gemia alto meu nome enquanto eu chupava seu pescoço

-Ian, eu  to sem forças - Seu rosto ruborizado caiu em meu pescoço, minhas mãos foram para sua nuca e fizeram um carinho ali, ela respirava falho enquanto deixava leves beijos em minha clavícula. - O que vão pensar quando nos verem? - Ri fraco e mordi sua orelha 

-Que alguém, te fode muito bem - O riso dela foi fraco e baixo - E que você é uma mulher bem resolvida. Pare de pensar o que vão achar, só você deve achar algo em você. - Acariciei seus cabelos - Você é feliz? 

-Como assim? - Suas mãos que alisavam minhas costas molhadas, desceram para minha bunda apertando ali, ri nasalado. 

-Com a sua vida, seu jeito, seus amigos... - E então ela parou para pensar, como se na sua mente tivesse mil e um pensamentos, então eu a abracei e beijei sua bochecha 

-Ás vezes me sinto insuficiente, para tudo - Sua voz baixa mostrava que isso era algo que ela não falava a todos - E você? 

-Minha vida é diferente, cansativa, tem sua parte legal mas muitas partes ruins. A falta de privacidade, de liberdade, e de vida - Kate beijou meu ombro - Ás vezes eu penso que as pessoas não ficarão comigo, pela minha vida pública, ou por estar nos tabloides que sou um cafajeste... Ser assim é horrível e bom, é um masoquismo. 

[...]

Já havíamos jantado, era hora de se despedir, meu sorriso era murcho e sem vida, mas ter ela ali me animava um pouco

-Obrigada pelas flores, sério, foi o melhor passeio  - Ela me abraçou, e eu aproveitei aquilo para te-la uma última vez hoje, em meus braços

-De nada, e desculpa se não consegui te mostrar coisas legais - E então Kate negou

-Coisas legais? Andar a cavalos, o riacho, as flores.. tudo, foi incrível. Obrigada Ian, foi muito bom - Então a porta branca se fechou, Aurora que passava por ali me esperou, e fomos juntos a cozinha.

-Seu dia foi bom senhor? 

-Para com senhor Aurora, eu sou seu segundo filho, pra você é Ian - Falei colocando água em meu copo

-Desculpas - Sua risada fraca foi ouvida - Mas como foi? 

-Tudo certo, ela adorou - Sorri e olhei ao copo - Acho que já fiz minha escolha 

 

Continua...?

 

 

 


Notas Finais


Desculpa a demora, sério era pra ter saido a muito tempo mas né desculpem me
agr tudo voltou ao normal (estou esperando as capas ficarem prontas para postar sempre açsldkaç)

Mas é isso, eu acho aslçdkasçdlka
amo vcs <3 (roupa da Kate http://www.polyvore.com/kate/set?id=209360849)

Esse capítulo conta um pouco do q ocorreu lá no palácio, é um flashback, e vc irão ver como ele é importante mais para frente

Byeeee


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...