História A Escolha - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Gina Weasley, Harry Potter
Tags Gina, Ginny, Harry, Mistério, Potter, Romance, Weasley
Exibições 96
Palavras 1.839
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Crossover, Ecchi, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi gente!

Essa fic é uma spin-off da minha outra história, A Troca!
Vocês podem dar uma olhada lá no meu perfil para encontra-la. Já estão disponíveis muuuitos capítulos.

Pois é, né? A coisa desenrolou tanto e tão bem, que eu percebi que o Harry e a Ginny mereciam uma história só para eles, explicando direitinho como é relação dos dois e porque ela é tão complicada assim ~tretas, haha ~
Espero muito que "A Escolha" agrade a vocês também!

Antes, gostaria de agradecer a todos que acompanham a minha outra história, que já tem muuuuuuitas visualizações. Isso que me incitou a começar essa aqui.
Eu adoro todos vocês <3

Outra coisinha:
Só explicando, os cinco primeiro capítulos acontecem antes da volta de Ron, lá n'A Troca. É um avisinho pra quem quiser acompanhar as duas histórias não acabar ficando perdido na cronologia. Prometo que vou correr o máximo para sincronizar as duas fics.

Agora vamos ao que interessa.

Capítulo 1 - A Decepção


– Gin, você tá linda!

– Tem certeza mesmo? – eu perguntei, vacilante.

– Confie em mim. O Harry vai adorar...

Hermione balançou a cabeça em confirmação. Seu sorriso era bondoso. Mione estava tentando me passar segurança. Eu sorri em resposta, mas por dentro eu estava pura agitação.

     E esse relógio que não gira logo...!

– Ele vai chegar aqui que horas, por sinal? – Luna perguntou, deitada na minha cama – Já passou das seis há muito tempo...

– Nós marcamos as oito – eu respondi, ainda me olhando no espelho – O Harry me falou alguma coisa sobre estar ocupado saindo de vez da casa de Snape, mas eu não entendi muito bem o que isso significa.

– Ele comentou comigo também – Mione falou ao meu lado, se apoiando na penteadeira – Parece que finalmente o processo de liberação dos bens dos pais dele foi deferido. Ele ganhou a causa e Snape resolveu não recorrer novamente.

– De uma forma ou de outra é justo, né? – Luna disse esticando as longas ondas loiras despretensiosamente – Harry daqui a pouco faz 22 anos. Teoricamente ele tem direito a tudo que herdou desde os dezoito.

Eu concordei e sentei na beirada da cama.

– É, eu sei. Mas algo me diz que esse trabalho todo não é por causa do dinheiro, sabe? – eu apontei. Entender o que se passava na família do Harry era muito complicado pra mim.

– Verdade – Hermione concordou – Até porque mesmo com todas as brigas, Snape nunca se recusou a pagar nada do que Harry quis ou precisou.  Pelo menos não durante esse período que a gente se conheceu...

– Por falar em período... Como é que tá esse coraçãozinho, hein? – Luna indagou na minha direção, sorrindo – Um ano, amiga!

     Um ano!

– Vocês não sabem como ele tá pulando – meu coração batia apressado. Acho que o sorriso bobo na minha já indicava o meu nervosismo – Eu fiquei tão feliz quando ele me convidou pra jantar. Isso significa que ele lembra, né?

– Claro que ele lembra, Ginny! – Hermione se apressou em responder – Até porque óbvio que foi importante pra ele também.

– Mas é só a data do nosso primeiro beijo – eu disse – E a gente não tem nada sério.

– No entanto, você só fica com ele e ele só fica com você. E nenhum dos dois tem o mínimo interesse de mudar esse acerto indireto – Luna rebateu, divertida. Ela me cutucou com a ponta do pé – Mais sério do que isso só o casamento da Mione e do Viktor.

Nós rimos do comentário dela. Embora eu não gostasse do Krum, ele e a minha amiga já estavam juntos há um bom tempo.

– É, o tempo passa rápido mesmo – Mione falou, sentando na outra ponta da cama e cruzando as pernas em borboleta – Viktor e eu vamos fazer quatro anos juntos já.

     Tomara que o Harry me aguente mais do que isso.

– Nossa, realmente... – eu falei admirada – Deve ser muito bom ter alguém pra contar nesse tempo todo.

A cara que Mione fez não foi exatamente de pura alegria por isso.

– É legal... Um exercício de convivência – ela respondeu, evasiva.

– De paciência, você quer dizer – Luna olhou para Hermione, sábia – Ou de resistência, talvez.

Mione riu, mas não se manifestou. Nós permanecemos ali, conversando sobre outras coisas até que eu senti o celular no meu colo vibrar. Dei uma olhada na tela e sorri, feliz.

– O Harry já tá vindo? – Luna perguntou ao ver a minha cara.

– Não, ainda nem são sete e meia – eu respondi, jogando o celular em cima do lençol – Foi o meu irmão avisando que vai me ligar às três da manhã.

– Qual dos? – Hermione questionou – Você fala “meu irmão” e esquece que tem seis.

– Ronald – eu respondi, rindo.

– Esse é o que mora em Londres né? – Luna indagou – Ele ainda tá pensando em voltar?

– Não só está pensando, como já deu entrada na transferência de universidade – voltar para cá era a melhor coisa que o meu irmão poderia fazer no momento – Se tudo der certo ele chega em menos de dois meses.

– Ele vai chegar nas férias, pelo menos – Mione falou e nós concordamos – Na última semana, mas acho que isso é o suficiente pra começar a conhecer a cidade.

– É sim, Ron já me pediu até pra fazer uma lista de bares – eu contei e as duas riram – Como se não já bastasse o Harry pra fazer tour de cachaça.

– Deixa eu ver a cara dele? – Luna pediu.

Eu passei o celular para ela, já na galeria.

– Nossa, vocês são muito parecidos! E nem é só na cor de cabelo – ela comentou, olhando para mim e depois para a foto – Até as sardinhas de vocês são iguais, só que ele tem um pouco menos.

– Cadê?! Eu quero ver também – Hermione esticou o braço pedindo o celular.

Luna passou para ela, mas no momento que Mione tocou o aparelho, ele voltou a vibrar. Ela olhou a tela e me devolveu o celular, me dizendo que era o Harry. Eu atendi animada, cumprimentando-o. Harry não me respondeu no mesmo tom. Conversamos um pouco no ritmo semelhante até Harry me dizer o motivo da ligação meia hora adiantada. Minha felicidade foi diminuindo a cada frase que ele dizia.

– Ah, hmm... É...? – eu disse meias palavras, tentando me manter impassível – Não Harry, tá tudo certo, não tem problema nenhum. Depois a gente se fala.

Harry me disse mais algumas coisas, seu tom mesclava entre vergonha e arrependimento. Impaciente, eu dei desculpa e desliguei o telefone. De relance eu vi o olhar preocupado de Hermione e o semblante pesado de Luna. Voltei a jogar o celular em cima da cama e me atirei junto no colchão, olhando para o teto. As meninas permaneceram em silêncio por alguns minutos, somente me observando.

– Ginny, o que aconteceu? – Hermione quebrou o silencio. Minha amiga não aguentaria ficar calada por muito tempo.

– Não vai ter mais jantar – eu respondi, apertando os olhos.

– Por quê? – Luna me perguntou, chegando mais perto.

– Harry achou algo mais importante pra fazer.

– Oh, Gin... – Mione também se aproximou – Não fica assim...

Eu tentei me segurar, mas uma lágrima escorreu pelo meu rosto.

– Ele esqueceu... – eu contei. A voz vacilante de Harry durante a ligação tinha sido a explicação suficiente para a minha conclusão – Ele simplesmente esqueceu... Eu não... Eu sou uma imbecil.

– Ei, você não é não – Luna discordou – Eu tenho certeza que o Harry não esqueceu, Gin. Deve ter rolado alguma coisa excepcional pra ele cancelar assim, em cima da hora.

– Rolou sim, Lu, ele achou algo mais interessante pra fazer. Isso que rolou – eu falei, inconformada – E deve ser uma coisa muito boa, porque nem coragem de me dizer o que era ele teve.

Mais lágrimas caíram, os pingos alcançando o lençol abaixo de mim. Passei a mão, buscando enxuga-las rapidamente. Parte da maquiagem saiu nos meus dedos. Mesmo com a visão turva eu pude ver que Hermione e Luna se olharam rapidamente, preocupadas. Mione engoliu a seco e Luna soltou um longo suspiro

     Por que eu tenho a impressão que todo mundo sabe o que está acontecendo menos eu.

– Gin, tenta deixar a mente livre agora, tá? – Hermione recomendou. Ela segurou minha mão, apertando solidária – Você tá de cabeça quente. Amanhã você conversa com o Harry e pergunta o que aconteceu.

– Eu não vou conversar com ninguém, Mione – eu falei apressada – Eu também não vou me importar se Harry cancelou. Várias vezes ele já deixou claro que a nossa relação é casual apenas.

– Não deixou não – ela rebateu – Ele nunca falou isso a você.

– Ele nunca falou nada – eu argumentei irritada – Ele nunca fala nada e vive me deixando sozinha. Eu posso fazer a interpretação que eu quiser diante disso.

– Nós não vamos te deixar sozinha, então – Mione decretou, decidida. Meneou a cabeça em concordância – Hoje a gente dorme aqui.

     Eu tenho as melhores amigas do mundo.

– Não precisa se preocupar. Eu tô bem, vocês podem ir pra casa.

– Nada disso. A gente vai ficar – Luna determinou, ajudando Hermione – Vamos dormir aqui com você e isso já tá decidido.

– Meninas, não... Não precisa – precisa sim, não me deixem... – Não é obrigação de vocês...

– Claro que é. Somos amigas – Mione retrucou, se deitando ao meu lado – Até porque, eu vou ocupar o ouvido de vocês a noite toda com os meus problemas também.

– E eu vou fazer brigadeiro – Luna completou, deitando do meu outro lado.

Eu ri do empenho das duas em me fazer ficar melhor.

– Obrigada, gente – eu agradeci, completamente sincera. Seria bom ter companhia durante a madrugada.

Nós nos levantamos e fomos até a cozinha. Luna começou a preparar algum doce para a gente comer. Nisso ela era especialista. Nós conversamos por algum tempo, sentadas no chão da sala, enquanto víamos um filme bobo na televisão. As meninas buscavam me animar, mas nada que elas falavam conseguia levantar o meu humor. Arrumamos a sala com edredons e almofadas e acabamos nos deitando logo depois. Hermione e Luna relutaram por alguns minutos, mas acabaram dormindo quase que automaticamente.

Eu fiquei mais um tempo acordada, olhando distraída para desenho animado que passava na TV, sem absorver quase nada. Ainda faltavam umas duas horas até o horário que Ron havia marcado de me ligar. Embora eu ainda estivesse melancólica por causa do que aconteceu, meus olhos começaram a pesar. Eu dei espaço para o sono e cedi, adormecendo. Quando meu irmão ligou eram quase quatro horas da manhã. Conversamos por quase uma hora até que ele avisou que teria que ir trabalhar.

 Assim que a ligação terminou eu desliguei a tela do celular, decidida a voltar a dormir. Não consegui. Rolei de um lado para o outro e nada de conseguir pegar no sono novamente. No momento que eu pensei em me dar por vencida e levantar para fazer alguma coisa útil, o celular voltou a vibrar. Olhei a tela e vi que havia recebido uma mensagem de Harry. Eu estava tão magoada que realmente pensei em não ler, porém a curiosidade foi maior do que qualquer outra coisa.

Isso nunca vai ser suficiente pra você, eu sei. Você merece mais.

Me desculpe pelo que aconteceu nessa noite.

Espero que isso não te faça desistir de mim...

E só pra constar, eu não me esqueci do nosso dia. Feliz primeiro beijo.

Eu te adoro, minha pequena.

Não pude conter o meu sorriso ao terminar de ler o que ele havia mandado. Eu vi que Harry estava acordado, pois ao lado do nome dele o visualizador marcava online. A possibilidade de ele estar sem sono por minha causa deixou o meu coração um pouquinho mais brando. Subitamente cocei os olhos, me sentindo cansada. O sono estava voltando novamente. Apoiei o celular no chão, ao meu lado, e me enrolei no edredom.

     Ele se lembrou...

A mensagem não foi o suficiente para me fazer querer falar com Harry naquele momento. Nem ao menos foi uma explicação razoável para tudo que vinha acontecendo entre nós. No entanto, saber da preocupação dele em não me perder foi o bastante para me fazer voltar a dormir. Um pouco mais tranquila, eu fechei os olhos e adormeci. 


Notas Finais


Assim, eu odeio ver a Ginny tão tristinha assim, logo de cara. Dói meu coração.
Espero que o Harry se justifique depois, porque ninguém merece essa tensão.

E vocês? Me digam o que vocês acharam aqui nos comentários. eu estou doida pra ler a opinião de vocês.

Beijos, e até o próximo capítulo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...