História A Escolha é Sua - Capítulo 31


Escrita por: ~

Postado
Categorias Henrique & Juliano
Personagens Henrique, Juliano, Personagens Originais
Tags A Escolha É Sua, Amor, Briga, Cristiano, Edson, Henrique, Juliano, Juliano Tavares, Maiara, Maraisa, Maria, Marília Mendonça, Mohana, Ricelly Henrique, Romance, Sertanejo, Thigo Brava, Zé Neto
Visualizações 246
Palavras 1.222
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Luta, Poesias, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


OOOOi amores, olha eu de volta. Quase que não sai cap hoje, mas eu não consigo deixar vocês, nem a Lara e o Ri. <3
Entããõ, espero que gostem do cap, obrigada pelo retorno maravilhoso que tenho de vocês e me desculpem qualquer erro. Não esqueçam de deixar a opinião de voces <3. Espero que tenham gostado dos povs do Ri, e amanhã tem pov da Lara para voces.

Capítulo 31 - Fiz de você a minha casa, fiquei aqui com você


Fanfic / Fanfiction A Escolha é Sua - Capítulo 31 - Fiz de você a minha casa, fiquei aqui com você

pov Henrique

Acordei com a enfermeira batendo a porta, ela veio até Lara a examinando e eu fiquei em cima dela praticamente o tempo todo.

“Vamos tentar acordar ela?” – Perguntou a enfermeira.

“Por favor.” – Falei agoniado.

“Eu vou tirar a anestesia dela, e é provável que até o final do dia o efeito passe e ela acorde está bem?” – Explicou a enfermeira mexendo nos medicamentos que ficavam ligados a Lara, depois de alguns minutos que pareceram horas ela terminou. – “Agora nós vamos esperar, qualquer movimento ou alteração do quadro dela, aperte esse botão aqui.” – Explicou ela apontando para um botão a cima da maca.

“Esta bem, obrigada.” – Respondi, a enfermeira sorriu e se retirou, me aproximei da maca e peguei a mão de Lara sorrindo. – “Agora você vai acordar morena, e vai ficar boa.” – Falei beijando as costas da suas mãos, os cortes ainda estavam lá juntos com os hematomas que agora já estavam verdes pois estavam em processo de cura, pelo menos eu acho.

“Olá.” – Disse Mari entrando pela porta sem bater, sorri a olhando. – “Como ela está?” – Perguntou Mari.

“Eu to bem Marília, muito obrigada viu?” – Falei brincando com ela.

“Legal palhaço, ta feliz é? Verdade, você ta animado, quer dizer que ela ta bem.” – Falou Mari e eu dei risada balançando a cabeça positivamente.

“Sim, eles tiraram a anestesia e a enfermeira disse que é provável que até o final do dia ela acorde.” – Expliquei para Mari da mesma forma que a enfermeira havia me explicado.

“Ufa.” – Falou Mari colocando a mão no peito. – “Vou te abter por ter me dado esse susto.” – Falou ela para Lara e beijou seu rosto.

“Doi né? Ver ela com todos esses machucados, todos esses...” – Comecei mas Mari me interrompeu.

“Ela ta viva, os machucados saram, uma cicatriz não é nada perto de uma vida Henrique, e ela está viva.” – Falou.

“Você tem toda razão.” – Falei suspirando, ouvimos batidas na porta e Mari foi atender, meus pais passaram pela porta juntamente com Mohana e Juliano.

“E ai, passou bem a noite?” – Perguntou meu irmão, Mohana e minha mãe já estavam em cima da Lara.

“Passei, foi tranquila.” – Respondi.

“Vai comer alguma coisa.” – Falou minha mãe.

“Não, hoje eu não saio daqui nem que me arrastem.” – Falei e Mari riu.

“Por que?” – Perguntou meu pai.

“Quero estar aqui quando ela acordar.” – Falei e minha mãe me olhou sorrindo.

“A enfermeira disse que até o final do dia ela pode acordar.” – Explicou Mari.

“Que notícia boa.” – Falou meu pai.

“Amanhã começa a semana de shows, quem vai ficar com ela?” – Perguntei.

“Eu fico.” – Falou Mohana e balancei a cabeça positivamente.

Passamos o resto do dia conversando, as horas iam passando e passando e eu ia ficando mais agoniado a cada segundo, nem para ir ao banheiro eu tinha saído do lado de Lara, eu queria ver ela quando ela acordasse.

“Calma.” – Falou Marília.

“Não quero ir sem ver ela de olhos abertos.” – Falei suspirando.

“O que acha de cantarmos pra ela?” – Perguntou Mari e eu sorri balançando a cabeça positivamente.

“Eu cantei ontem, é uma boa ideia.” – Me levantei e fui até Lara pegando sua mão, Mari ficou do outro lado. – “Vamos cantar nim?” – Perguntei e Juliano veio ficando do meu lado colocando a mão em meu ombro. – “Eu me apaixonei por um alguém que nunca quis amar ninguém, eu mesmo me fiz seu refém, me prendi. Eu, que era livre para voar cortei as minhas próprias asas, fiz de você a minha casa, fiquei aqui, com você.” – Começamos eu e nim juntos. – “Eu fui sentindo o frio chegando e o seu perfume acabando, eu me refiz pra não ter que ver você me deixando. Não sei se mudou a estação, sei que não é mais verão, estou deixando o nosso ninho decidi voar sozinho. Vou em busca de outro amor, não tem mais doce a nossa flor, eu preciso de carinho nem que seja um pouquinho.” – Nim beijou minha bochecha e sorri passando a mão no rosto de Lara.

“Com você eu fui sentindo o frio chegando e o seu perfume acabando, eu me refiz pra não ter que ver você me deixando.” – Cantou Mari.

“Espera!” – Gritou Moh. – “Ela mexeu a mão.” – Falou ela sorrindo com os olhos cheios de lágrimas.

“Tem certeza?” – Perguntei.

“Tenho.” – Respondeu ela. – “Mais que isso, olha... Ela ta acordando.” – Quando virei meu roso novamente em direção a Lara ela tinha seus olhos abertos, apertei o botão para chamar o médico e sorri beijando a testa de Lara, ela soltou um gemido de dor e me afastei. – “Finalmente.” – Lara me olhava confusa e olhava tudo ao redor, abriu a boca para falar mas não conseguiu e fechou.

“Ela acordou?” – perguntou o médico entrando no quarto e indo até Lara a examinando. – “Você está no hospital, se lembra que sofreu um acidente?” – Questionou o médico, Lara balançou a cabeça negativamente. – “Qual a última coisa que se lembra?” – Questionou o médico.

“Eu...” – Falou Lara e ele a incentivou. – “Brigando com Henrique.” – Completou ela e o médico me olhou.

“É verdade, foi logo antes do acidente.” – Expliquei envergonhado e ele assentiu.

“Você quebrou a perna, fez um cirurgia de emergência, e estava em coma por dois dias. Não faça força esta bem? Vou te dar água.” – Explicou ele e Lara assentiu, ele pegou um copo dando água na boca de Lara, minha mãe a essa altura chorava descontroladamente.

“Eu to com dor aqui.” – Falou ela tentando mostrar com a mão.

“É completamente normal, você vai sentir dor por um tempo.” – Explicou o médico. – “Vou trocar seu soro e vamos deixar que converse com seus familiares, mas lembrem-se que apenas uma pessoa pode ficar.” – Falou o médico saindo, a enfermeira trocou o soro colocando outros medicamentos nele e saiu.

“Desculpa, devo ter estragado a festa.” – Falou Lara, minha mãe se aproximou dela chorando.

“Não sabe o medo que sentimos minha menina.” – Mari chorava junto com Moh.

“Venham aqui.” – Falou Lara baixinho com a voz fraca.

“Não faz mais isso com a gente.” – Falou Moh e a abraçou, Lara soltou um gemido de dor.

“Mohana, não.” – Falei e ela se afastou se desculpando.

“Ele ficou o tempo todo aqui com você, não saiu para fazer xixi ou comer.” – Falou Mari brincando.

“Obrigada cantor, obrigada a todos vocês, eu provavelmente estaria aqui sozinha.” – Falou ela e mexeu a mão a abrindo, me aproximei pegando sua mão. – “Eu ouvi você cantar, bem no fundo, como se fosse um sonho bom.” – Falou ela me fazendo chorar. – “Mas eu ainda estou magoada com você.” – Completou, Lara falava com dificuldade e parecia que ia quebrar.

“Me perdoa.” – Lara balançou a cabeça negativamente.

“Não é momento para isso.” – Falou ela e fez sinal para que eu me aproximasse e beijou minha bochecha. – “Eu gosto de você, mas nem sempre isso supera tudo.” – Falou ela e eu balancei a cabeça positivamente concordando. – “E vocês dois...” – Falou ela para nim e meu pai. – “Não vão me abraçar também?” – Perguntou sorrindo.

“Não queríamos te machucar.” – Falou nim se aproximando e beijando a testa de Lara. – “To feliz que tenha acordado cunhadinha, ficamos agoniado.” – Falou ele e meu pai pegou na mão de Lara.

“Oh menina, você só sofre em?” – Falou meu pai rindo e Lara sorriu fraco. – “Mas estamos muito felizes que você está bem.” – Lara sorriu.

“Eu to feliz de ter acordado.” – Respondeu.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...