História A escolhida - Capítulo 20


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fallen, Lendas Urbanas
Visualizações 19
Palavras 1.382
Terminada Não
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Espero que gostem ❤ boa leitura 📖🐰

Capítulo 20 - De volta a casa


Fanfic / Fanfiction A escolhida - Capítulo 20 - De volta a casa

Podia ver aquele brilho... 


[...] 


Meu pai se virou para Ethan e com um movimento extremamente rápido sacou uma arma presa no equipamento de polícia e atirou. 


     ~~~~Continua~~~~

Ethan não teve problema em se esquivar da bala. Após a mesma continuar o percurso e acertar a parede, Ethan avançou alguns passos ficando mais próximo de meu pai. 

_O que é você, Ethan? - O pai diz mantendo a calma ao ver ele ficar cada vez mais perto. 

_Sou um anjo, Miguel. - Ele está com os olhos fixos em seu alvo. Sinto meu corpo arrepiar ao temer seu próximo passo. _Estou aqui para cumprir meu objetivo apenas. E você não achou que uma bala iria me atingir, achou? Ou uma bíblia? Uma cruz, sério? 

_Desculpa lhe decepcionar, mas meu alvo não era você. - Ele olha para trás, vendo Mirian, e retorna o olhar. _Já quanto à bala... Era para ter certeza de que não faria mal a minha família. 

Ethan abre um leve sorriso e para dois passos afastado de Miguel. 

_Você é esperto, Miguel. Gosto disso em você. 

_Onde quer chegar? - Meu pai pergunta com relutância. 

_Usou uma bala dourada. - O sorriso forçado no rosto de Ethan se desfaz e deixa lugar para seriedade. _Onde conseguiu? 

_Não foi fácil achá-las. - Miguel exibe um sorriso de canto. _Espero que tenha ficado ao menos com medo. 

Ethan ri com orgulho, desviando o olhar. 

O silêncio, após as risadas ensaiadas, é quebrado pelo toque do meu celular. Ethan, Miguel e minha mãe, que até então estava paralisada com o acontecimento tão repentino, me olharam curiosos.

_..... - Abri a boca mas não consegui encontrar argumentos para me defender dos olhares. 

Ethan caminha em minha direção e para na minha frente. Sinto o calafrio percorrer pelo meu corpo. Ele esconde a mão no bolso da minha blusa e retira o  celular que tocava cada vez mais alto. Vi a foto de Mariana, sorridente, acima de onde atende a chamada. Esse cancela a ligação do mesmo e devolve ao meu bolso. 

Continuo seguindo-o com o olhar e vendo ele desviar a atenção de sua mão e se concentrar em meus olhos. Os olhos de Ethan me fizeram corar. Senti o arrepio novamente. 

Ethan ergue a mão que estava em meu bolso, após alguns longos segundos, e repousa em meu rosto, cauteloso. 

_Ethan... - Meus olhos se enchem de lágrimas. _Não os machuque. 

_Não irei. - Ele encosta seu rosto no meu hesitando em escoltar os lábios. Sentia sua respiração quente correr em meu rosto chegando no pescoço e nuca. _Não tem necessidade de temer à mim, Christa. Não vou te machucar e nem à ninguém que ama, nunca. 

Eu levanto minhas mãos e as coloco em seu rosto. Mais lágrimas. Meu coração estava saltitante como nunca estivera. Não conseguia sentir o seu, mas sabia que estava acelerado. Seus lábios encostaram suavemente e depositaram um beijo doce que me fez estremecer. 

Repentinamente, com minhas mãos ainda em seu rosto, sinto um impacto vindo por trás de Ethan que o fez se inclinar até mim e cuspir algumas gostas de sangue próximas aos seus pés. 

Após Ethan se curvar, olho para a sombra que permanece atrás dele, de pé. Meus olhos tentam se acostumar com a visão. Vejo um homem parado. Um homem com a mão estendida a sua frente e apontada para Ethan; havia uma sombra de algum objeto nela.

 Voltei os olhos ao seu rosto e percebi seus cabelos loiros. Os fios escorriam pela testa. Os olhos caramelos que me fizera apaixonar por ele à algum tempo. Sua aparência de 20 anos jovem e responsável. Era ele ali parado na minha frente. O garoto que conheci à alguns anos atrás. Trabalhava na Cafeteria'Express... 

_E-Evan?? _Indaguei gaguejando e saltando para mais perto de Evan, mas fui impedida por uma mão que se fechou em meu pulso e me puxou de volta. 

_Não chegue perto dele. - Ethan diz friamente, como se já estivesse bem  de novo. Ele me puxa para mais perto, me envolvendo em seus braços. 

Eu o olho confusa e em seguida para Evan. Esse parecia não gostar de ver Ethan me garrar daquela maneira. Ele morde os lábios e aperta os punhos antes de jogar o objeto contra o chão e caminhar até onde estávamos. 

_Evan, o que está fazendo aqui? O que fez com Ethan? - Pergunto tentando me afastar um pouco dos braços que me confortam. 

_Sabia que estava em perigo. - Evan para em minha frente e segura suavemente em meu queixo, me fazendo erguer a cabeça e abrir levemente a boca. Ele sorri. _Você é tão doce e pura. O que faz com um ser tão desprezível? 

Ethan se põe em frente a Evan e os dois se encaram por alguns segundos, até eu me intervir entre eles colocando cada mão no abdômen dos rapazes e alternando a cabeça de um lado para o outro. 

_Ei... Parem com isso. - Tentei manter a voz o mais confiante que pude. _Não quero ainda mais brigas. 

Evan notou que minha mão repousada em seu abdômen sangrava com o corte da faca. Ele pega delicadamente minha mão e junta ao rosto dele, cheirando. 

_Seu cheiro é tão bom, Christa. Não deixe que ele te suje como sujou vários dos anjos. 

_Do que você está falando? - Pergunto com receio. 

Evan olha para Ethan, o desafiando para uma leve brincadeira que acabaria não muito bem. 

_Você tem o direito de saber sobre o meu passado, Christa. - Ethan diz um pouco hesitante. _Mas não pela boca de um mísero anjo seguidor de regras. 

Evan abre um grande sorriso. Ele pega meu pulso e me junta ao seu corpo, fazendo Ethan se descontrolar. 

Ethan pega impulso e se lança contra Evan que me joga para o lado e se defende. Eu caio perto do balcão onde percebo o corpo do meu pai desacordado. Olho adiante e vejo minha mãe do outro lado, também desacordada. O corpo de Mirian já não estava mais lá. 

Corro os olhos por toda a cozinha à procura de Mirian. Nada. Ethan e Evan se descontam jogando um o outro em cima das coisas e destruindo o cômodo. 

Ethan deposita o soco no adversário que é lançado contra a parede mas logo se solta e volta a lutar. Esse bate em Ethan e o joga próximo a onde eu estava abaixada. 

_Saia, Christa. Agora! - Ele se levanta rapidamente ao ver Evan chegando mais perto. 

Eu me levanto apoiando no balcão  e corro, sem olhar para trás, para a porta principal. 

Quando passava correndo absurdos pelo medo no corredor, sinto algo se segurar em meu tornozelo. Algo frio. Uma mão! 

_Christa. - A voz arrastada me fez arrepiar e quase sair correndo. Mas paralisei ao ver que era Mirian caída na porta de um dos quartos. _Você precisa ir até a casa que você tinha entrado. A casa velha. 

_Não! Tenho que chamar a polícia. - Gritei e me virei para a porta. 

_A Mariana já ligou. Por que acha que ainda não chegaram? Eles não se importam. -Ela se levanta cautelosa ficando em minha frente, me observando. _Esperei tanto por isso. Não faz ideia o tanto que esperei para ver Ethan morrer e eu roubar o que ele mais ama, Você! - Mirian avança um passo, me fazendo afastar. _Como ele roubou de mim. O céu era um presente de Deus. Um abrigo. Ethan fez todos nós perdermos isso. 

Vou dando alguns passos para trás e quando vejo o momento exato em que Mirian desvia os olhos para olhar os meninos brigarem, eu giro a maçaneta, abro a porta e corro até o local mais próximo. 

A chuva já estava intensa. O vento batia muito forte, evitando que eu corresse o meu máximo. 

Batia nas casas mas ninguém atendia. Era como se eu estivesse em outro mundo. Fui de casa em casa, sempre conferindo se havia alguém me seguindo pelas ruas escuras. 

Cheguei até a casa "abandonada" e fiquei um tempo debaixo de chuva criando coragem para entrar pelo portão que rangia com o vento. 

Respirei fundo. Fechei os olhos por alguns segundos e retornei a abri-los. A cada passo que dava ficava mais diante do portão e meus pelos se arrepiavam ainda mais, temendo o pior. 

        ~~~~Continua~~~~



Notas Finais


Até o próximo Cap 💞 Bye


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...