História A Escondidas. - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Drama, Romance Gay
Exibições 72
Palavras 1.114
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Eu simplismo não consigo parar de pensar nessa historia.
Ela tera apenas cinco capitulos.
Baseado em fatos que aconteceram...

Capítulo 1 - Ghosts.


Minha mãe não cansa de dizer que eu pareço com o  meu pai, eu posso ate ter algumas semelhanças com aquele velho, mas parecer já e de mas. Ela diz que e por causa dos meus olhos azuis, mas os olhos dele já não tem nada haver com os meus, os deles já estão vermelhos de tanta maconha, bom, vai ser assim que os meus olhos vão ficar se eu não parar de fumar também. Mas uns tragos aqui, e outros ali de vez em quando não mata ninguém. 

Cara você e muito ruim nesse jogo –dizia Guille, estávamos jogando um jogo de futebol. 

Oque vai fazer sábado? -perguntava enquanto perdia na pelada. 

O Javi não te contou? - ele dizia- Vamos há uma boate que o primo dele arranjou. 

The Biils? Essa boa. -eu dizia. 

E adivinha quem vai estar lá? -Guiile perguntava pulando em meu sofá pois estava ganhando. 

-Quem? 

-E uma garota... 

-Quem? 

-Você conhece... 

Vai falar quem e? -dizia já irritado.  

Marta! -ele dizia por fim. 

Ah, ela –respondia sem animação alguma. 

Vocês vão ficar ne? -Guille perguntava. 

Ah... talvez... -respondia sem graça.  

Eu e Guille somos amigos a muito tempo, mas mesmo assim eu me sinto desconfortável em dizer que não ligava para Marta. Ele iria começar com as perguntas, e eu não queria aquela conversa. No dia seguinte nos atrasamos para a escola pois passamos na casa dele para jogar Video-Game e fumar um baseado. 

Olha quem chegou –dizia Javi quando avistou a gente. 

Conta pra eles Rafa –Guiile começava a dizer todo animado- detonei ele no jogo ontem, e hoje de manha.  

Cara você e muito ruim -começou a zoar Said e os grupo que estava com a gente.  

Notei que no outro pátio Marta estava com sua amigas, e não parava de olhar para gente, como sempre Said percebeu os olhares que Marta laçava em mim, e não perdeu a oportunidade.  

Se você não trançar com ela amanha, eu vou –dizia Javi, chamando a atenção dos outros meninos que estavam com a gente.  

Ah... que... sabe... -como sempre, eu não tinha nada dizer, e isso já estava ficando chato- para cara de ficar falando isso –disse com raiva. 

Woou... parece que alguém ficou bravinho aqui –dizia ele rindo e enrolando uma baseado de maconha –ela me pediu seu numero. 

Quando? E você passou? -perguntava esperando ele dizer que não. 

No caminho pra casa voltei com Guille, ele era muito divertido, e também bonito, não sei porque ele não para com mulher alguma. 

Parece que elas só andam fugindo –dizia a ele casando minhas chaves em minha mochila. 

Como você da Marta! -ele arrebatou- porque sempre que falamos dela você fica com raiva?  

E que... eu... não... eu não sei beijar –dizia, ou mentia, de qualquer jeito isso era verdade. 

Esta com medo de fazer feio? Fácil. Treina no espelho –ele dizia aliviado, eu acho. 

Espelho? -achava aquela ideia ridícula. 

Sim. Espelho –ele dizia rindo, parecia sé diverti com a minha desgraça.  

E foi justamente oque eu fiz a noite em casa. Depois de tomar meu banho, para esquecer tudo aquilo, treinei no banheiro, mas não para a Marta, estava pouco me fodendo para ela, só queria treinar. 

O janta esta pronta! -gritava minha mãe da cozinha. 

Mas quando estava levantado Marta me manda uma mensagem perguntando se eu iria na boate amanha, respondi que sim, ela ainda escreveu que com saudades minha, isso e muito ridículo até para mim.  

Rafa, por favor... -dizia minha mãe na porta do meu quarto. 

Eu já vou, você me enche mãe -descontava nela, mas depois pedi desculpas, ou não sei lá nem lembro. 

Ah boate estava realmente cheia, parecia que era a única que tinha na cidade, pode não ser a única, mas essa boate e a melhor, Guiile, Javi e os outros estavam bebendo e dançando, e cansando umas meninas, eu também estavam, dançando e bebendo. Avistei a Marta, pensei em fingir que eu não tinha ah visto, mas Said foi mas rápido, e depois Guille, e por fim, todos já estavam gritando para mim ir falar com ela.  

Olha cara, ela esta linda. Ninguém, ela veio especialmente para você, hoje e o dia de você trançar com ela –ele dizia me empurrando para ela. Literalmente.  

Andei até ela, com vontade de parar, olhei para trás e os meninos estavam gritando coisas do tipo "come ela", "beija ela" , "hoje e o seu dia"  umas coisas mas ridículas que as outras. 

Oi –dizia a ela, não sabia onde enfiar a cara, estava morrendo de vergonha, não por ela, e sim por causa daquela situação. 

Oi –ela respondeu com a voz de quem tá afim de ir para a cama logo- a boate esta cheia ne?  

Sim... -respondi vergonhosamente.  

Não aguenta mas aquilo, a noite para mim já tinha acabo mesmo. Abaixei a cabeça e dei um beijo de três ou quatro segundos nela. Não demorou para os meninos irem a loucura achando que eu e ela iriamos transar. 

Vou ao banheiro –disse para ela. 

Aquilo me deixou sem animo algum para a noite. Lavei o rosto no banheiro, e pelo espelho com rachaduras no canto direito, percebi que entrou um garoto de mas ou menos da minha idade, um pouco mas alto, eu podia jurar que ele era marroquino, ele era lindo, não consegui evitar de olhar, acho que ele percebeu, pois seu olhar também corria em mim quando ele urinava no sanitário na parede.  

Ibrá! Ibrá! Tem um grupo de garotos batendo no Said –disse dois garotos ao marroquino que agora eu sabia o nome. 

Antes de sair para salvar seu amigo, ele ainda olhou para mim, e não puder evitar, eu também olhei para ele, eu sabia que aquela não seria a ultima vez que iriamos nos ver. Claro, depois que o efeito marroquino passou eu percebi, que o grupo poderia ser o grupo de Javi, sair do banheiro e corri para a pista de dança, justo e certo, Javi e os outros estavam brigando com alguns garotos, deu a maior confusão. Eu por outro lado tentei separar, mas alguém me puxou minha camisa por trás, para me bater, um garoto levantou a mão para  mim, achando que eu estava na briga, mas ele parou, quando percebeu que era o garoto do banheiro. Ibriá parou e ficou me encarando, momento certo para Javi, ele deu um soco creio que bem forte no Ibriá. Empurrei Javi, mas Ainda Ibriá levou s pior, alguns seguranças veio e levaram Ibriá e os amigos dele, creio que e porque eles são marroquinos.  

A onde você vai? -perguntava Guille. 

Para a casa, vocês acabaram coma minha noite –dizia me distanciando dos meninos. 


Notas Finais


Espero mesmo que tenham gostado, até os proximos 4 capitulos.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...