História A espera. - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amor, Descobertas, Drama, Luta, Perfect, Revelaçao, Romance, Superação
Visualizações 10
Palavras 1.534
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Festa, Ficção, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Visual Novel
Avisos: Adultério, Álcool, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 2 - Austin


Fanfic / Fanfiction A espera. - Capítulo 2 - Austin

Fiquei horrizado ao vê-la naquele estado.fiz quase um interrogatório, porém ela não respondeu nada ou ao menos olhava em meus olhos.Eu podia ver as suas lágrimas. 

Era apenas uma garota e vê-la chorando ela era uma facada no peito. ela parecia tão frágil, mas ao mesmo tempo tão forte.A inocência em seu rosto era evidente. 

Eu não sei o que essa garota tem, mas de alguma forma eu não queria deixa-la sozinha e queria protegê-la.

 -eu sou o Austin-sorrio.

 Ela me olha com seus olhos azuis cheios de lágrimas e abre um doce sorriso. 

-eu me chamo Flora. 

Flora parece um bicho fofo assustado.Ela é bonita pra caramba.geralmente garotas de 18 anos não me chamam atenção, mas Flora de uma certa forma me faz olha-la e admira a sua beleza. Ela tem longos cabelos ruivos com caichos que a deixa sexy e ao mesmo tempo meiga.Tem um lindo sorriso e lábios rosados. A sua pele sem dúvida é macia, eu sentir ao tocar em seu braço.Ela tem curvas da quais não notei muito. Estou me esforçando para afastar esse meu extinto de homem das cavernas. Ela está com calças justas, blusa sem mangas e botas.Uma clássica garota do Alabama se vesti assim. Tento manter meus olhos longe dos seus seios que estão chamando atenção em sua blusa. Antes que eu me esqueça ela tem…merda! as suas pernas são incríveis com esse jeans...imagina sem ele... Merda, preciso tentar não ser babaca com a pobre garota. 

Talvez todo o álcool que eu bebi não me ajude, mas juro que estou tentando ajudá-la. Me sentiria um babaca por levá-la para cama.Eu apenas quero ter certeza que Flora está segura.

 -agora seja sincera comigo.você realmente tem algum lugar para ir? 

-não-ela dar de ombro-na verdade talvez.

Como assim?

Ela não tem noção o quanto é perigoso ficar vagando sozinha!

 -pode me contar o que aconteceu?

 Ela balança a cabeça negativamente.

 -eu posso te levar pra minha casa, e você descansa e amanhã nos resolvemos onde você fica. 

-não precisa se preocupar…eu meio que tenho um lugar.

 -eu insisto.não vou te machucar e para você se sentir mais segura eu moro com meu pai, um irmão e a família dele. 

Ela hesita por um momento e então aceita, mas antes me surpreende com um carinhoso abraço.isso me faz sorri porque geralmente mulheres não me abraçam ou fazem gestos carinhosas, elas querem apenas meu corpo e eu os delas.

 -você não é nenhum serial killer…né?-ela pergunta baixinho por enquanto que caminhamos até minhá moto. 

Eu olho para Flora para me certificar se ela está brincando, porém ela realmente está me perguntando isso com a sua santa inocência.

 Dou risada.

 -por que está rindo? -pergunta confusa. 

Ela é tão fofa me olhando confusa. 

-você acha que se eu fosse um serial Killer ia te contar ? 

-acho que não-ela dar de ombro e Morde os lábios-me desculpa.

 -não precisa se desculpar-dou uma piscadela. 

Ao nos aproximamos da minha moto coloco o capacete.Ao subir na minha moto giro a chave a ligando e aguardo Flora subir. Ouço a sua respiração pesada.Ela lentamente coloca as pequenas mãos em meu ombro e se apoia passando uma perna por cima da moto e se senta com cautela.Desliza as mãos até a minha cintura e se ajeita deixando o seu corpo bem colado ao meu, mas seu medo é evidente. 

-você está bem? 

-hurum.Eu nunca andei de moto.

 -tem uma primeira vez pra tudo.você vai gostar-sorrio. 

Ela deita a cabeça em minhas costas e me segura forte. As suas pernas estão bem encaixadas no meu quadril e é quase impossível não olhar ou ficar duro.Ela me soltou um pouco quando percebeu que eu estava olhando para as suas pernas.

 Cerca de vinte minutos me aproximo da minha casa e respiro aliviado, pois ficar com a perna da Flora encaixada em meu quadril foi quase impossível me conter.

 -chegamos-falo em um tom calmo e me ajuda a descer da moto. 

-obrigado-mordi os lábios disfarçando a dor que está  sentindo por causo dos hematomas. 

-você está bem? 

Ela acena com a cabeça e coloca os cabelos atrás da orelha por enquanto que observa a minha casa. Ao descer da moto desamarro a minha mochila que estava na parte de trás da garruba. Caminho em direção a entrada da minha casa e pego as Chaves.Esse horário o meu pai devi estar dormindo ou na cozinha tomando café.

 Ao abrir a porta deixo que Flora entre primeiro  e ao deixar fecho a porta atrás de mim. Ela fica em pé olhando a sala da minha casa

-Você tem uma bela casa. 

-graças ao meu pai.Ele é um decorador de mão cheia -coloco a chave na estante e caminho até o sofá.

 -ele trabalha com isso? 

-oh, não.Ele é delegado-aponto para o porta-retrato onde tem uma foto do meu pai em frente a delegacia onde ele trabalha. 

Ela se aproxima e ver a foto em silêncio.

 -Austin, você chegou ?-meu pai grita de algum cômodo da casa.

 -não-grito de volta. 

-eu estava preocupado, seu idiota-ele resmunga descendo as escadas.

 -Oi pai-sorrio quando ele se aproxima para me abraçar. 

Meu pai então me dar um forte abraço demorado até que me solta.

-como foi a missão? 

-um rifle foi apontado para o meu crânio.você sabe como é...coisas normais para um fuzileiro naval-Rio.

-seu idiota, para de brincar com isso.

 Meu pai olha para Flora que parece um pouco assustada.

 -pai, essa é a Flora e ela vai dormir na cama que era do Ryan.

 -o…oi-ela diz sem jeito. 

-tem lençóis limpos no armário e coberto também.Antes... vocês vão me explicar isso. 

Olho para Flora e então ela concordo deixando que eu conte.

 -ela é do Alabama e acabou meio que se perdendo no Arizona por algumas coisas…a encontrei hoje fugindo de dois cretinos que mais um pouco ia violenta-la.Flora não tem onde ficar.já que temos a cama do Ryan pensei em lhe ajudar.

 -tudo bem.sinto muito pelo que aconteceu, Flora-meu pai sorri-eu vou preparar um lanche pra vocês.

 -obrigado pai-sorrio e dou um beijo na cabeça dele antes de levar Flora para o meu quarto.

 Ao subir com ela para o quarto deixei a minha mochila no quarto que meu pai usa como escritório e me certifique se todo o resto estavam dormindo. 

-quem é Ryan?-ela pergunta ao entramos no quarto.

 -meu irmão.na verdade essa casa é composta por homens-sorrio.

 -quantos irmãos você tem ? 

-três-caminho até a minha escrivaninha e pego uma foto para entregar a ela-Pether é o mais velho, aliás ele mora aqui com a sua família.Matt mora na casa ao lado e Ryan mora uns quarenta minutos daqui. 

-eles são bonitos-ela cora olhando a foto. 

-eu sou mais-brinco-São tudo casados.na verdade Ryan é noivo. 

-Ryan Lewis? 

 Concordo com a cabeça quando aponto para as fotos na parede onde fica a escrivaninha e tem fotos com ele em campeonatos.

 -caramba, nem acredito-ela sorri. 

Flora caminha até a minha cama e se senta em silêncio. 

-essa é a sua mulher e sua filha?-ela aponta para a foto que tem a Bella e a Stacy sorrindo. 

-oh, não.só a minha filha-aponto para Stacy. 

-ela é tão linda. 

-é sim.não imagino a minha vida sem ela. 

Flora sorri e encara os próprios pé até que solta a mochila.

 -o que acha de tomar um banho, vestir uma roupa limpa e se deitar. 

-eu acho ótimo.obrigado. 

 Pego uma toalha limpa e uma camiseta para ela vestir quando sair do banho. Ao levar Flora até o banheiro ela entrar e vai tomar banho. Por enquanto aproveito para descer e pegar algo para alimentar-la. Quando desço o meu pai está na cozinha conversando com alguém no telefone.deve ser um dos netos, já que é um avô coruja, mas quando ouço ele falar "querida" e rir feito um adolescente.

 -acho que tem alguém namorando aqui-digo ao passar por ele e pegar o prato com o lanche que meu pai preparou. 

Ele me ignora e continua conversando.Pego algo para beber na geladeira e aproveito para beber água e comer algo doce assim corta o efeito do álcool. 

 -o que é aquilo?-meu pai pergunta assim que desliga o celular.

 -aquilo o que ? 

-aqueles hematomas na garota?

 -é o que eu to tentando descobrir. 

-alguém fez aquilo com ela.reconheço hematomas como aqueles de longe. 

-eu também pai.obrigado pelo lanche-pego as coisas e saio da cozinha.

 Volto para o quarto e encontro Flora sentada na cama de calcinha e sutiã com uma toalha na cabeça. 

-me desculpa-fecho os olhos.

 -eu que devo me desculpar-vesti a camiseta rapidamente envergonhada. 

Dou um sorriso nervoso até que entrego o lanche para ela se alimentar. 

Ficamos sentados na cama apenas comendo em silêncio até que decidir deixa-la deitar e ir tomar um longo banho.

 Ao sair do banho já relaxado volto para o quarto encontro Flora dormindo.Ela está encolhida sem cobertor por enquanto que seus longos cabelos estão espalhados pelo travesseiro.Flora dormi profundamente e sinceramente parece um anjo dormindo. A cubro com cuidado para que ela não passe frio durante a madrugada. Me sento na ponta da cama e a observa dormir. 

Quero protege-la.

 -Austin?-ela sussurra se aconchegando. 

-sim. 

Ela fica em silêncio e até mesmo me faz pensar que dormiu novamente.

 -por favor, não me deixe sozinha.          



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...