História A Esposa do Kazekage - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Kankuro, Mirai Sarutobi, Neji Hyuuga, Personagens Originais, Rock Lee, Sakura Haruno, Shikadai Nara, Shikamaru Nara, Temari, TenTen Mitsashi
Visualizações 90
Palavras 1.598
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ecchi, Famí­lia, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Yo, minna ♥
Então, mais uma vez demorei pacas para trazer essa capítulo. De novo: DESCULPA POR ISSO. Mesmo escrevendo algumas vezes esse capítulo os resultados não me agradaram nada, mas aí ouvi um CD do Link Park inteiro e me veio a inspiração e consegui escrever algo que me agradou bastante até.
Sinto muito mesmo pelo tempo, contudo, é aquilo que disse: Pode ser que eu demore um pouco, mas desistir dessa fanfic é algo fora de cogitação. Vocês são tão fofos comigo, me sinto no dever de dar um final a essa história. E QUERO MUITO SEGUIR EM FRENTE, ATÉ EU ESTOU ANSIOSO PARA O QUE VAI ACONTECER.
É, isso.
Espero, sinceramente, que gostem desse capítulo tanto quanto eu gostei de escrever u,u
Boa leitura a todos!!!!

Capítulo 7 - Jantar


Escritório do Kazekage

20:11

Kankuro observava seu irmão de canto dos olhos. Notou que o ruivo estava um pouco desatento, algo que é incomum, pois o mesmo vez ou outra parava de atenção aos papéis e ficava inerte em seus próprios pensamentos.

— Gaara, está tudo bem? — por fim criou coragem e resolveu questionar.

O mais novo deixou os documentos de lado e ergueu o rosto, dando, em fim, atenção para o outro.

— Hm? — Kazekage franziu o cenho minimamente.

Já acostumado com as respostas monossilábicas do irmão, Kankuro deu continuidade no assunto.

— Parece distante, confuso. — explicou, sentando-se na cadeira que ficava de frente para a do Sabaku. — Aconteceu algo para te deixar assim? Durante sua viagem, talvez? Não me diga que aconteceu alguma coisa com a Temari e você está me escondendo.

 Gaara suspirou pesadamente, massageando as têmporas levemente logo depois.

— Não tem nada de errado com nossa irmã, fique tranquilo em relação a isso. — garantiu, acalmando o moreno imediatamente. — É outra coisa...

— Que outra coisa? — o Manipulador das marionetes fez uma careta confusa. — Por acaso é sobre escolher sua esposa?

— Nada disso. — suspirou, relaxando os ombros. — Esqueça, não é algo de muita importância, afinal.

Kankuro até pensou em deixar quieto o assunto, contudo, a curiosidade era muito maior naquele momento.

— Ei, se abra comigo. — pediu, encostando o antebraço direito na mesa. — Somos irmãos, divida seus problemas.

O ruivo ponderou por alguns segundos, decidindo então contar o que vem lhe perturbando. Há muito tempo vem tentando ser mais sociável com os outros, principalmente com os irmãos.

— Durante a volta para a Vila... — desviou o olhar, um pouco desconfortado com a situação. — Eu acabei dormindo com a Mitsashi.

O silêncio duradouro do moreno fez com ele volta-se a encara-lo. Viu Kankuro piscar os olhos uma, duas, três e quatro vezes, parecia perplexo com a revelação.

— VOCÊ O QUÊ? — berrou, após processar as palavras ditas pelo mais novo. — Como assim?

— Dormi com a Mitsashi. — repetiu, de forma indiferente. — Na pousada.

— E me diz isso com tamanha simplicidade? — indagou, inconformado. — E saiu tudo bem, ao menos?

— Acho que sim.

— Como foi sua performance? — o homem da face maquiada fez uma careta maliciosa.

— Performance? — Gaara virou o pescoço para o lado, confuso com a maneira que seu irmão lhe fitou. — Não entendi o que quis dizer me olhando desse jeito.

Kankuro quase caiu da cadeira. "O Kazekage é tão inocente assim?" Pensou, consigo mesmo.

— Explique melhor o "dormi com a Mitsashi", por favor. — Fez aspas com as mãos.

— Não tem como explicar melhor. — disse, fleumático. — Ela me chamou, eu me deitei na cama e dormimos, simples assim.

" Definitivamente Gaara é a pessoa mais inocente que conheço " quase riu com o próprio pensamento.

— E como você se sentiu em relação a isso? — sondou a face do ruivo, vendo-a apática.

— Foi diferente. — confessou, firmando os cotovelos na madeira. — Eu nunca estive tão próximo de uma mulher antes, você sabe. Ela me transmitia um calor agradável. Seu cheiro era doce, mas nada exagerado. Murmurou algumas vezes e se mexeu um pouco na cama, porém foram movimentos sutis, delicados. Todavia, em um determinado momento, ela se virou e me abraçou, a respiração quente dela em meu pescoço fez com que um arrepio estranho percorresse pelo meu corpo. Até pensei em dizer algo, só que Mitsashi ainda dormia profundamente e preferi não acorda-la.

O moreno ouviu tudo atentamente, não sabendo ao certo o que dizer.

— Entendi. — acenou positivamente. Sorriu abertamente e preferiu mudar de assunto. — Está ficando tarde, que tal encerrarmos por hoje?

— Pode ser. — concordou, levantando-se vagarosamente. — Vamos para casa então.

— Então, eu não vou para casa agora. — informou Kankuro, corando de leve. — Tenho um encontro.

Gaara pensou em dizer alguma coisa a respeito daquilo, mas optou por manter-se quieto. Ficou feliz pelo irmão, só não soube demostrar.

— Boa sorte. — desejou, sincero como sempre.

— Obrigado, irmão. — se colocou de pé animadamente. — É hoje que a peço em namoro.

Sem dizer mais nada ambos saíram do escritório e cada um tomou seu próprio caminho.

 

G&T

Casa do Sabaku

Tenten terminava de arrumar a mesa quando ouviu o barulho da porta sendo aberta. Os passos eram lentos e quase inaudíveis.

Um cheiro gostoso invadiu as narinas do Kazekage, assim que o mesmo chegou. Surpreendeu-se quando adentrou na cozinha e encontrou a mesa perfeitamente arrumada e uma Tenten parada ao lado.

— Eu fiz o jantar. — a mulher avisou o óbvio. — Espero que não se importe.

Ele piscou os olhos azuis verde pálido algumas vezes.

— Sem problemas. — manuseou  a cabeça de leve. — Fique a vontade, sinta-se em casa.

Tinha que admitir: Estava faminto, não comera nada desde que chegou da viagem e o cheiro da comida lhe deu água na boca.

Quando pretendia sentar-se na cadeira, a Mitsashi chamou sua atenção.

— O que vai fazer? — questionou, elevando a sobrancelha direita.

— Me sentar. — falou, olhando-a nos olhos.

— Nada disso. — Cruzou os braços e prosseguiu. — Tome um banho quente antes, assim relaxara um pouco. É bom que troca de roupa e fica mais cheiroso do que já está... — Gaara inclinou o pescoço para o lado, igual um cachorrinho, quando ouviu aquilo. Percebendo o que havia dito, Tenten corou um pouco. — Quer dizer... Ah, você entendeu. A comida não irá esfriar, garanto. Apenas vá, sim?

Kazekage preferiu não contrariar e rumou, em silêncio, para o banheiro. Um banho faria bem, no fim das contas.

 Voltou alguns minutos depois. Vestia uma calça vermelha e uma camiseta preta. Seu cabelo estava um pouco arrepiado e úmido.

Tenten o aguardava pacientemente, sentada em uma das cadeiras. Não demorou muito para ele fazer o mesmo, sentando-se de frente para a Kunoichi.

— Fiz arroz, carne grelhada, salada e suco de laranja. — notificou, calmamente. — Foi o que deu para fazer, na verdade. A dispensa não me deu muitas opções.

— Já é o suficiente. — comentou, sincero. — Amanhã mandarei alguém te acompanhar até o mercado e a feira, assim você compra o que for de seu agrado.

— Tudo bem. 

A morena sabia, mesmo em tão pouco tempo de conviveu, que não adiantaria insistir com Gaara sobre aquilo, pois o mesmo iria convence-la a aceitar.

— O cheiro está ótimo, aliás. — ele informou, fechando os olhos brevemente.

 — Deixe-me servi-lo. — Mitsashi se colocou de pé e pegou o prato que estava posto na frente do homem.

— Não é necessário. — ergueu o rosto, encarando-a mais uma vez. — Não te convidei para minha casa na intenção que me sirva como uma emprega o algo do gênero.

— Em momento algum pensei algo desse tipo, Gaara. — sorriu graciosamente. — Apenas quero retribuir tudo que está fazendo por mim. Permita-me que faça isso, pelo menos hoje, por favor.

O Sabaku pareceu pensar por alguns segundos.

— Como queira. — deu-se por vencido.

A morena colocou primeiro o arroz, em seguida os pedaços de carne, e, por fim, a salada ao lado. Entregou o prato para o Kazekage. Gaara esperou a mulher se servir, despejar a bebida nos copos e se ajeitar na cadeira, para, só então, dar a primeira garfada.

Mais uma vez se surpreendeu naquela mesma noite. O arroz estava ótimo, soltinho, sem muito exagero no sal, exatamente como ele gosta.

— Está maravilhoso. — elogiou, verdadeiramente. — Atrevo-me a dizer que está no mesmo nível que Temari.

— Agradecida. — ficou um pouco sem jeito. — Ainda mais conhecendo a fama que sua irmã tem na cozinha, sorte do Shikamaru.

O riso que ela deu foi afável aos ouvidos dele.

Por algum tempo  o silêncio predominou entre os dois, apenas o baixo barulho dos talheres tocando os pratos, vez ou outra, era ouvido.

— Como foi seu dia? — Tenten decidiu indagar, incomodada com a situação até então. Levou mais uma colherada a boca.

— Cansativo. — Foi curto, mas sem soar de uma maneira rude. Bebeu um gole do suco e deu continuidade — E o seu?

— Conheci a casa, tomei banho e fiz a janta. — sorriu para o ex-Jinchuriki de Shukaku.

— O que achou do quarto?

— Lindo. — Gaara viu um brilho nos olhos castanhos da mulher. — Muito lindo, diga-se de passagem. É um comodo grande demais, para ser sincera. E você já viu como a cama é fofa? Deveria experimentar qualquer dias desses.... Ham... — desviou o olhar, notando que havia se expressado mal, mais uma uma vez. — Quando eu não estiver aqui, lógico.

— Fico satisfeito em saber que tenha gostado. — pela primeira vez um sorriso apareceu no rosto do ruivo, mesmo que de canto. — Quem sabe um dia eu acabe experimentando mesmo.

— Recomendo que faça isso. — voltou a fita-lo.

— Ansiosa para conhecer seus alunos? 

Nem mesmo Gaara sabia por que havia feito tal pergunta. Normalmente a outra pessoa quem puxa assunto, não o contrário. Mas, diferente do normal, conversar com Tenten é agradável.

— Muito. — a Kunoichi animou-se no mesmo instante.  — Não vejo a hora disso.

— Tenho certeza que se sairá bem.

— Obrigado, de novo.

Quando terminaram de comer arrumaram junto a cozinha. Gaara varreu o chão, já Tenten limpou a mesa. Depois a mulher lavou, enquanto ele secava e guardava tudo.

A Mitsashi chegou a conclusão de que o jantar foi melhor do que esperava, levando em conta que interagiu bastante com o ruivo. Para o Kazekage a companhia dela não era nada incômoda.

Subiram as escadas e se separaram no fim do corredor. As portas dos quartos ficavam um de frente para o outro.

 — Boa noite, Tenten. — Desejou, prestes a entrar em seu quarto.

— Boa noite, Gaara. — Retribuiu o gesto, docemente. — Durma bem.

Ele a olhou uma última vez por cima do ombro.

— Você também. 

Viu a Kunoichi esbanjar mais um sorriso antes de, finalmente, girar a maçaneta devagar e adentar o comodo. Assim que a porta dele se fechou, a morena também fez a mesma coisa.

 

 


Notas Finais


E então... o que acharam?
Kankuro é um ótimo irmão, né? rsrsrs
Sai muito da personalidade deles nesse jantar?
Mereço algum comentário, favoritamento? [Leitores fantasmas apareçam, please! Participem ainda mais da fanfic ♥]
Poxa, se você leu até aqui, não custa nada deixar sua opinião, né? Me deixaria feliz :p
NÃO DESISTAM DE MIM KKKKKJJ


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...