História A Estrangeira - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias Emma, Once Upon a Time
Personagens Capitão Killian "Gancho" Jones, Cora (Mills), David Nolan (Príncipe Encantado), Elsa, Emma Swan, Henry Mills, Mary Margaret Blanchard (Branca de Neve), Regina Mills (Rainha Malvada), Robin Hood, Ruby (Chapeuzinho Vermelho), Sr. Gold (Rumplestiltskin), Vovó (Granny), Zelena (Bruxa Má do Oeste)
Tags Swanqueen
Visualizações 414
Palavras 4.701
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


DEMOREEEEI? MAS VOLTEI,

Um cap GG gigante para vocês! Com a ajuda maravilhosa da @BarbOswin
Gente, já viram a fic dela? Eu choro! Amo demais!

Capítulo 17 - Capítulo dezessete


Fanfic / Fanfiction A Estrangeira - Capítulo 17 - Capítulo dezessete

Bom dia, meu amor.
RM

Bom dia, minha rainha
ES

Amor, passo para te pegar às 10:00am, pode ser?
RM

Eu sei chegar lá, se quiser a gente se encontra por lá mesmo
ES

Eu te busco. Temos uma festa hoje, então leve roupa é da minha sobrinha. Avise à Ruby.
RM


Emma visualizou a mensagem e bloqueou o celular deixando-o sobre o criado mudo. Levantou-se e foi para o banheiro fazer sua higiene matinal, como iria para praia, colocou seu biquíni vermelho de babadinhos na parte de  cima, vestiu-se com a blusa de alça soltinha no corpo, um short curto e rasteirinha bege. Colocou dentro da bolsa o necessário. Passou no quarto da amiga e a acordou avisando que era para ela estar na casa das Mills às 7:00pm, foi para a cozinha tomar seu café da manhã, sentou-se na bancada e comeu um pedaço de torta de limão da vovó com suco de laranja,Granny insistiu que ela comesse algo salgado, resolveu comer algumas torradas com patê de peito de peru. Era 9:55am quando Regina buzinava na porta da loira. Emma colocou o prato e o copo na pia, despediu-se da vovó e foi em direção ao carro, desceu as escadas que dava acesso ao portãozinho da casa, e entrou no carro.


- Lily essa é Emma, amiga da Tia. - Diz Regina.


- Oi! Eu sou Lilith!


- Oi! Eu sou Emma!


- Tia Regina, porque a tia Zelena não veio com a gente?


- Ela ficou para montar sua festa, anjinho.


- Ah... Poxa, tia Zelena é divertida! - Lily disse cabisbaixa


- Ei! Eu também sou! E olha, a Emma está aqui.


- Você não brinca comigo, Emma você quer brincar comigo? - Lilith diz pendurando-se no banco do carro.


- Quero sim, a gente vai fazer a Tia Regina brincar Também.


- Eu sou divertida sim! – Regina disse quase que gritando.


- Aham tá - disseram em uníssono.


Seguiram viagem conversando aleatoriamente, vez ou outra Emma e Regina trocavam olhares e acariciavam a mão uma da outra.
Ao chegarem na praia, Lilith correu para a beira da água enquanto Emma e Regina sentaram-se na areia. Uns beijos aqui, algumas carícias ali, trocaram olhares, o sentimento era mútuo não precisava de palavras para expressar tamanha paixão. Quando se aproximaram para um beijo, Lilith as interromperam.


- Tia Regina, Emma! Vamos brincar na água comigo? - Disse saltitante.


- Vem passar protetor solar primeiro. - Regina disse pegando o frasco da bolsa.


- Ah não, eu vou ficar toda melequenta! - Lilith fazia biquinho.


- Ei kid, sabia que esse protetor é mágico? Ele te protege de princesas bobonas e fresca.


- Mas eu não quero passar! – disse Lily cruzando os bracinhos.


- Se você passar eu te dou uma balinha. – disse Emma.


- Balinha? Tia Regina, ela acha que pode me comprar com balinha! Eu não sou fácil! – disse Lily emburrando-se.


Regina gargalhou e Emma arqueou uma sobrancelha.


- Deixa eu passar em você, vai ficar toda melecada, mas eu te pagarei um sorvete. – disse Regina.


Emma fez uma negativa com a cabeça.


- Tá vendo, prende com a tia Regina! – disse Lily a Emma.


- Mas foi eu que dei a ideia do sorvete. – disse Emma.


- Você está mentindo para mim, eu não vi você falar nada! – disse Lily fazendo bico.


- Eu disse na hora que você não estava olhando! – mentiu.


- Eu não gosto de você, é uma mentirosa igual ao Pinóquio! – disse Lily arrancando gargalhadas de Emma e Regina.


- Meu nariz não está crescendo, então como posso estar mentindo? – Emma diz fazendo Lily ficar pensativa.


- Não sei! Só sei que eu quero sorvete de chocolate. – Lily fala revezando o olhar entre as duas.


Com muito custo, conseguiram passar o protetor em Lily que ficou reclamando por estar melecada. Como prometido, Regina comprou sorvete de chocolate com calda de leite condensado para a menina que se deliciou. Lily queria entrar na água, mas Regina a impediu por achar que seria perigoso demais, mas foi repreendida por Emma. Kistiliano Beach era um local movimentado e seguro, havia duas cabines de salva vidas sem contar os que rondavam o perímetro. Emma disse que ela poderia entrar se ela ficasse na beira, a menina não gostou muito, mas vendo que era melhor do que nada, assentiu. O mar era calmo e as ondas não puxavam muito, o lugar perfeito para levar crianças, areia fina e branca, local muito bem limpo ao redor antes de pisar na areia é cercado por um gramado baixo em verde vivo. Alguns troncos deitados no chão, lando a lembrança do central park, um central park na praia.
Quando Lily foi para a beira do mar, Emma e Regina ficaram trocando carícias e beijos apaixonados.


- É tão bom estar com você. - Regina diz entre beijos.


- Melhor ainda é estar desse jeitinho com você. - Emma a puxou pela cintura, colocando-a mais próxima de si.


Os beijos estavam ficando mais quentes e Regina sentia sua excitação, interrompeu os beijos enquanto tentava recuperar fôlego. Levantando-se do colo da loira, Regina estendeu a mão para Emma se levantar também.


- Vem, vamos dar um mergulho. - Disse Regina sorrindo.


Emma se levanta com a ajuda da morena, aproveitando a oportunidade aperta sua bunda alegando ter desequilibrado, fazendo Regina gargalhar. Emma retira sua blusa e percebe que Regina a examina de cima  a baixo com lascívia, a loira  ri da situação e decide provocar, desabotoando lentamente o short vendo a morena entreabrir a boca, não satisfeita desce sensualmente o short fazendo a morena  morder os lábios enquanto  aperta sua perna uma na outra.


- Tudo bem aí, amor? - Pergunta se fazendo de desentendida.


- Tô... To ótima! - Diz Regina passando a mão na cabeça.


Emma ri da cara da morena enquanto se aproxima, distribui vários beijos pelo rosto da morena, dando algumas leves mordidas fazendo a morena suspirar.
Regina a empurra Emma levemente e começa a se despir. Desamarra sua saída de praia dando a visão maravilhosa de seus seios cobertos pelo biquíni preto que os apertava, descendo lentamente a saída deixando-a deslizar pelo seu corpo parando na cintura, ela segura por uma mão e chama a loira com o dedo indicador.


- Quer terminar de tirar? - Diz com um sorriso malicioso nos lábios.


- Se eu fosse você não me provocaria, estou à dois passos de te comer aqui mesmo fazendo todos verem você gemer meu nome enquanto goza em minha boca. - Disse mordendo os lábios fazendo a morena se arrepiar com tantas palavras indecentes.


- Mas que devassa! - A morena deixando cair por completo a saída se aproximando de Emma para que possam dar as mãos.


Ambas seguem de mãos dadas até a beira do mar onde está Lily, ao se aproximar pegam a menina por trás dando-lhe um belo susto. A menina que se sentia retraída com Emma acabou se acostumando com a loira e já brincavam mais a vontade. Emma a pegava no colo e jogava para Regina e a morena fazia o mesmo, como se estivessem jogando vôlei humano.

                  *********


Zelena caminhava pelo salão de festas aflita, as coisas ainda não estavam completamente em seus devidos lugares e já marcavam 3:00pm, pediu ajuda de Ruby pois Kristin e Cora foram para o salão, Henry estava cuidando de Heitor que já estava melhor. Não teve febre durando o dia, porém, ainda estava um pouco choroso devido ao incômodo do nascimento dos dentinhos, o que apertava o coração do avô que mesmo sabendo que era normal, não deixava de sofrer com aquilo. Cantava algumas cantigas de ninar para o neto se acalmar, enquanto coçava a gengiva com a bananinha de brinquedo.


- Ruby, o que acha de colocar o Koringa do lado do batman e a mulher gato do lado do pinguim? - Disse enquanto segurava a enorme estátua de isopor do Koringa.


- Claro que não! O Koringa vai ficar do lado da Arlequina e da Mulher gato, porque ele pega geral! - Disse alisando o corpo da Arlequina.


- Perdoa nem o isopor. - Zelena diz fingindo estar espantada.


- Tem boca? To beijando. - Disse dando uma piscadela.


- Pena que não serve para todos, ou todas... - Disse encarando-a.


Ruby se aproxima de Zelena podendo sentir seu hálito quente, tão perto dos lábios carnudos e bem desenhados da ruiva. Olhando-a nos olhos a morena pressiona os lábios, fecha os olhos dá um suspiro longo, torna a abrir dizendo.


- Certas coisas a gente aprecia antes. - Disse mantendo os olhos fixos nos da ruiva.


- Fale por você, eu já apreciei demais.


Zelena a segura pela nuca puxando-a mais para si, uma de suas mãos vão para a cintura da morena fazendo com que ela pouse as duas mãos na cintura da ruiva, o beijo era intenso entre mordidas e apertões, Ruby solta um gemido contido na boca da ruiva que sorri puxando levemente o lábio inferior da morena, que como consequência aperta sua cintura. Os beijos são cessados quando o ar se fez necessário. Com a testa colada uma na outra, ambas dão um sorriso vitorioso.


- É melhor voltarmos aos preparativos...- Diz Zelena.


- É... é melhor. - Ruby diz se afastando.


Ambas voltaram a montagem do cenário que finalmente estava ganhando vida, da forma que elas queriam. Koringa ficou entre Arlequina e Mulher gato, pinguim ficou em uma jaula cenográfica feita também de isopor pintado na cor cinza. Ao lado esquerdo do salão, havia uma enorme mesa onde seria colocado o buffet, havia mesas espalhadas cobertas por toalhas roxas pretas e pratas pelo salão enorme, enquanto havia balões roxos e pretos no teto, a pista de dança tinha um tapete neon e em cima uma bola de discoteca. Do lado direito do salão havia outra mesa, onde ficaria o bolo da aniversariante. Na entrada, havia a imagem da Malévola à direita, enquanto à esquerda uma imagem da Cruella D'evil.


- Como uma criança de sete anos pode gostar dessas coisas? - Perguntou Ruby


- Eu com oito anos tinha fotos da Nathalie Portman espalhada pelo meu quarto. - Disse dando de ombros.


- Sapatão desde o jardim. - Disse gargalhando.


- Sapatão não, apenas aprecio um pouco demais a anatomia feminina. - Zelena diz fazendo biquinho.


Ambas dão gargalhadas enquanto continuavam a montar o salão. Decidiram colocar próximo ao banheiro a mesa onde ficaria a maquiadora fantasia das crianças. Do lado de fora do salão, mandaram montar o pula-pula pois ficaria melhor ao ar livre. Foram contratados dez garçons, um mágico, um maquiador três seguranças, e dois animadores de festa. Tudo estava pronto e já marcavam 6:00pm correram para o banho, cada uma em um cômodo. Henry foi para o quarto do neto para lhe dar banho.

Emma arrumava as coisas para irem embora, enquanto Regina penteava os cabelos da sobrinha. Haviam perdido a noção do horário, Lily estava ansiosa para ver como havia ficado a decoração de sua festa. Todas riam enquanto arrumavam as coisas quando um rapaz alto loiro se aproxima.


- Regina! Que bom te ver novamente. - Diz o rapaz.


- Daniel, que surpresa! - Diz cumprimentando-o com a mão.


O rapaz dá um sorriso puxando-a para um abraço deixando a morena bem envergonhada com a situação, Emma não estava gostando nem um pouco e com isso coçou a garganta.


- Vamos? Acho que estamos todas prontas. - Disse séria.


- Bom... vamos! Emma, estes é Daniel um amigo. Daniel esta é Emma, minha...- Emma a interrompe.


- Namorada, como vai? Espero que bem, agora vamos Regina? - Disse fitando-a.


- Titia, você namora a Emma? - Lily diz boquiaberta.


Após perceberem que haviam se revelado na frente da menina, ficam estáticas sem saber o que responder. Depois de alguns minutos, Regina se pronuncia.


- Sim minha pequena, Emma é minha namorada. - Diz abaixando para ficar na mesma altura que a menina.


- E não é errado? Meu papai falou que homem não pode namorar homem, e mulher não pode namorar mulher. - Lily questiona.


- Você acha que a Titia Zelena está errada? - Regina pergunta.


- Não. - Lily responde.


- Então por quê acha que Emma e eu estamos? - Regina diz enquanto ajeita a mecha do cabelo de Lily.


- Por que você tem filho e a Emma não. - Disse num tom baixo.


Regina ficou extremamente desconfortável com aquele assunto, procurou respostas para o que Lilith havia dito, mas não encontrou. Foi quando Emma interveio.


- Há pessoas nesse mundo que se amam muito, esse amor transborda trazendo um fruto e esse fruto é um bebezinho, igual ao da titia Regina. E tem pessoas que não sabem o que é amor, e não cuidam desse fruto, foi o que também aconteceu com a Titia Regina. Mas tem pessoas como eu, que amam pessoas como a titia Regina, mas que não tem sementinha pra fazer nascer um fruto lindo igual ao seu priminho Heitor, então nós vamos em um lugar, onde tem um monte de frutinhas que estão à espera de alguém que os ame de verdade e adotamos. - Emma termina de dizer passando a mão sobre a cabeça de Lily.


- Então eu também posso ser igual a titia e você? - Pergunta animada.


- Ou pode ser como alguém normal e namorar um homem. - Daniel se intromete.


Emma o fuzila com os olhos, o que não passa desapercebido por Daniel que sorri sarcasticamente, fazendo com que a loira fique com mais raiva ainda.


- Querida, você não deixa de ser normal por namorar outra menina, não ouça o que esse moço fala, está bem? Sua Titia Zelena é normal, ela só ama alguém alguém igual à ela. - Regina diz para a menina, mas tentando convencer a si mesmo.


- Eu não gostei de você, você disse que minhas titias não são normais! Você é um bobão. - Lily diz e dá um chute na canela de Daniel que geme de dor.


As três saem de lá gargalhando do que Lily havia feito. Sabiam que deveriam ter repreendido a menina, mas gostaram da situação. Caminharam para o carro, antes de entrarem tiraram a areia dos pés e forraram a toalha no banco de trás para Lily não molhar o assento, fizeram o mesmo no banco da frente e assim seguiram viagem.


- Tia, coloca música! - Pediu Lily


Regina ajusta a rádio do carro e deixa tocar Speding my time - Roxete.

- AH NÃO, TIRA ISSO, TIA REGINAA. - Lily reclama da música por ser antiga.


- Que horrível Regina, vou colocar uma que ela vai adorar.


Emma pega o celular e coloca " Rabetão - MC Lan"


- Emma, ela não entende. - Disse revirando os olhos.


- Não tem nada pra entender, é só curtir a batida, amor! - Disse se remexendo no banco, arrancando gargalhadas das duas.


Maria! Maria!
Ow, Maria!
Estoy enamorado por ti, Maria!
Ê Maria, hein, ê Maria
Ê Maria, hein, ê Maria

Ô tu tá tão, tão
Linda com esse rabetão
Tô xonadão, dão, dão
Dão nesse bundão

Vai rabetão, tão
Tão, tão, tão no chão
Vai rabetão, tão, tão
Tão, tão, tão no chão

🎶


- Zelena me chama de rabetão, agora sei de onde. - Balança a cabeça negativamente enquanto se acaba de rir.


- Mas você tem uma raba que olha...- Emma diz ainda dançando e agora acompanhada por Lily.


As três chegam em frente à casa de Regina. A morena desligou o carro e preparando-se para sair, foi impedida por Emma.


- Lily querida, você quer ir subindo na frente? Queria conversar com sua tia Regina. - Emma olha para a menina.


- Vocês vão se beijar? - Diz tapando a boca sorrindo.


- Mas que menina sapeca! Quem te ensinou isso? - Emma diz tentando pegá-la, mas a menina se encolhe no banco.


- Sou muito esperta! - Diz fazendo bico.


- Ok garota esperta, agora deixa eu falar com a sua titia. - Disse piscando para Lily.


Assim que Lilith saiu do carro, Regina abaixou a cabeça ficando em silêncio por longos minutos, quando Emma quebra o silêncio.


- Ficou triste pelo que Daniel disse? Amor você não deixa de ser normal por isso. - Emma diz passando a mão nas costas de Regina.


- Emma... eu tenho um filho. - Disse levantando-se ainda sem olhar para a loira.


- E? Eu não sou uma boa pessoa para ele?


- Sim, mas...- Emma a interrompe.


- Então qual o problema, Regina? O que tem de tão complicado?


- Emma, você quer mesmo isso pra você? Assumir um filho que não é seu? - Disse já com a voz embargada.


- Eu assumo tudo que vem de você. Eu assumo, seu filho, suas dívidas, seus problemas, suas alegrias, sonhos, assumo suas lágrimas, assumo... Eu assumo você, Regina. Eu assumo porque eu te quero sempre ao meu lado... Assumo porque... Porque amo você. - Diz Emma com os olhos marejados.


Regina não conteve as lágrimas e elas rolaram naquele instante, adorava a sensação de ser amada, ser querida por alguém, amava mais ainda saber que Emma amava seu filho sem ser sua obrigação. A verdade, é que aquela loira havia bagunçado sua vida, mas bagunçou para arrumar, jogou fora as coisas velhas que estavam guardadas dando espaço para as novas.


- Eu amo você, Emma Swan! - Disse aproximando-se de Emma.


Selaram um beijo calmo, ali demonstravam tudo o que sentiam uma pela outra, estavam no mundo delas um cantinho só delas onde podiam ser o que quisesse. Sem medo de sonhar, com ousadia para querer realizar. Deram espaço para o fôlego que se fez necessário, mas o olhar terno que elas tinham uma para a outra, não acabou ali, enquanto se beijavam e trocavam carícias ternas.

Hoje era o aniversário de Lily, e ambas estavam ansiosas para chegar na festinha, que começa às sete da noite, e já eram quase seis e meia.


— Em-ma… — Regina a chamou, entre o beijo.


— Hum? — Continuou distribuindo beijos no rosto da morena.


— Precisamos nos arrumar para a festa de Lily. — Disse, tentando conter Swan.


— Agora? — Lamentou, se afastando.


— Sim. — Afirmou no mesmo tom de lamento.


Emma assentiu com a cabeça, se ajeitando no banco do carro. Regina deu partida no veículo, indo para a casa da loira para deixá-la em casa.


Ao chegar em casa, Regina sobe para o quarto correndo deixando sua roupa separada em cima da cama. Vai para o banheiro tomar banho. Antes de se vestir, passa uma maquiagem leve, porém belíssima, alguns retoques finais e ela está pronta, linda como sempre.
Assim que Regina terminou de se arrumar, alegre, foi encontrar Swan. A morena estava com um belo vestido de alça preto estampado com flores e seu inseparável batom vermelho sangue calçando seu scarpin preto. Mal podia esperar para ver como Emma estava. Enquanto seguia seu caminho, imaginava as roupas que a estudante poderia vestir e ria, sozinha.


Emma esperava Regina um tanto nervosa, queria muito rever Lily e, claro, a mulher que povoava seus pensamentos. Deu um suspiro, tentando tranquilizar-se. Vestia um belíssimo vestido vermelho aberto desde os ombros finalizando com um decote generoso em V combinando com o salto scarpin vermelho, seu cabelo trançado formando um arquinho dando um leve toque angelical na loira.


Assim que escutou a buzina de um carro, seu coração quase saiu pela boca, já imaginando quem seria. Escondendo sua ansiedade, caminhou para a porta, saindo logo em seguida da casa.


Viu o carro de Regina parado, com o vidro da janela do passageiro abaixado. Sorriu, se aproximando. Entrou no veículo e deu um selinho em Mills, a olhando dos pés à cabeça.


— Nossa! Como está linda.  — Emma elogiou, envergonhada.


— Obrigada, senhorita Swan. Você também está linda. — Sorriu abertamente.


Já estavam muito atrasadas. A comemoração havia começado às sete e já eram às oito.


Assim que entraram no local da festa, ficaram encantadas. Zelena e Ruby tinham feito um belo trabalho ali.


— Tia Regina! — Lily correu para os braços da morena, dando um abraço forte nela. A garota estava tão fofa com sua blusa roxa da hora da aventura onde tinha estampada a imagem de Marceline, sua personagem favorita, usava calça jeans preta em algumas partes rasgadas e all star preto, uma verdadeira roqueirinha.


— Você é a mais linda de todas daqui. — Emma falou à Lily, que a abraçou também.


— Mais do que ela? — Apontou com o olhar para Mills.


— Quem é Regina na fila do pão quando se tem você? — Brincou e a garotinha ficou vermelha, mas adorou o elogio.


— Vem brincar comigo! — Sem esperar uma resposta, Lily puxou Emma pelo braço, indo em direção a um pula-pula.


Regina apenas encolheu os ombros, rindo da expressão da loira. Olhou ao redor até encontrar Cora e Zelena, junto com Kristin. Resolveu ir até elas.


— Regina, querida. — Cora lhe abraçou.


— Fala aí, gata. — Zelena também a deu um abraço, mas levou suas mãos até a bunda da irmã e a apertou.


Regina bufou, se afastando rapidamente e a repreendendo com o olhar. Zelena sorriu maliciosa.


— Olá, Regina. — Kristin a cumprimentou.


— Como vai? — Regina meneou a cabeça, mas a verdade era que ela não queria saber.


Enquanto isso, Emma e Lily estavam na frente do pula-pula. As duas estavam se dando tão bem que pareciam se conhecer há tempos.


— Vamos entrar! — Lily ainda a puxava.


— Eu não tenho certeza que isso me aguente. — Brincou.


— Vem! — Insistiu.


O moço que estava lá para dar segurança às crianças, abriu a rede para que as duas pudessem entrar. Por sorte, estava vazio, já que haviam muitos brinquedos espalhados pelo local e as crianças iam de um lado para o outro, alegres.


As duas começaram a pular, segurando as mãos. Riam, se divertindo.


As horas passava rápido, enquanto Emma brincava com Lily e Regina, agora sentada, conversando com Cora e Kristin. Zelena havia saído tão sorrateiramente que a morena nem a viu no ato.


— Você parece tão feliz. — Disse Cora, entrando em um novo assunto.


— E estou! — Confessou. — Emma me faz tão bem. — Confessou, dando um suspiro apaixonado, olhando para a loira no castelinho inflável com Lily. Kristin fechou a cara, e isso não passou despercebido pelas Mills.


— Então, é sério? — Perguntou.


— Hum… Ainda não sabemos, mas estamos felizes assim, namorando. — Afirmou.


— Você está feliz com essa Emma? — Kristin perguntou, desacreditada. — Feliz com a estrangeira?  — Fez cara de desgosto.


— Sim! — Disse seca, encarando Kristin, que pareceu dar de ombros, mas na verdade estava com raiva daquilo.


Alguns longos minutos se passaram e Mills dizia o quanto estava bem com Emma, acarretando ciúmes em Kristin. Há um tempo atrás, a mesma quis tentar algo com Regina, que a rejeitou. Aquilo a deixou triste e vê-la falar assim de Emma lhe causava raiva.


— Você é tão fraca! — Disse Lily, se aproximando das três junto com Emma.


— Ei! Eu não sou fraca, apenas estou cansada. — Tentou se defender.

— Fraca! — Insistiu,  indo para o colo da mãe.

Emma sorriu para Regina, que logo tratou de retribuir. A loira olhou para as duas mulheres. Cora parecia analisá-la, mas Kristin parecia a fuzilar com o olhar.


— Amor, venha vou te apresentar à família. Dona Cora você já conhece.— Regina se levantou, apresentando-as. A mais velha e Swan trocaram sorrisos. — E essa é a Kristin, mãe da Lily. — A mulher não esboçava nenhuma reação, mesmo com Emma tentando ser simpática.


Swan se sentou ao lado de Regina e começaram a conversar. Kristin se levantou e saiu, junto com Lily, mas nenhuma, realmente, ligou. Zelena apareceu do nada e se sentou ao lado de Cora, juntando-se a conversa.


— Emma, me acompanha buscar algumas bebidas? — Cora perguntou. Swan olhou para Regina e depois voltou seu olhar para a mulher e assentiu, se levantando.


Cora saiu na frente e Emma apenas a seguiu. Estava nervosa, sabia que a mulher não queria bebida, na realidade, já que estavam indo para o lado oposto da mesa de comida. Foram para um lugar mais calmo e escondido entre duas paredes. Swan suava frio.


— Então, Emma… — Cora estava séria.


— Sim? — E a loira aflita.


— Vejo que você conseguiu animar Regina, depois de tanto tempo. — Afirmou, sorrindo. Swan ficou aliviada.


— Fico muito contente por isso, eu gosto muito da sua filha. — Confessou, com um sorriso bobo.


— Eu sei que sim. O namoro de vocês duas reacendeu uma chama dentro de Regina que foi apagada por Robin. Ele a fez sofrer tanto quando a abandonou para ficar com Marian. Eu o odeio tanto por isso. Você é a luz que ilumina os passos da minha filha, pois além de tudo, são amigas. Claramente, vocês confiam uma na outra e isso é lindo. — Cora segurou as mãos de Emma, lhe passando segurança. — Eu só quero que Regina seja feliz. O resto não importa. — Sorriu. Emma estava tão emocionada.


— Prometo que farei o possível e tentarei o impossível para fazer sua filha a mulher mais feliz desse mundo. Eu sou tão grata por ter alguém como ela na minha vida. — Suas emoções estavam à flor da pele, podia sentir as lágrimas se aglomerarem.


— Bem-vinda à família Mills. — Cora deu uma risada, puxando a loira para um abraço. Emma nunca se sentiu tão acolhida como estava sendo agora. — Vamos voltar, Regina deve estar sentindo nossa demora e Lily já irá cortar o bolo. — Afirmou, se separando.


— Obrigada, Cora. — Foi sincera.


Elas voltaram para o movimento, empolgadas pela pequena conversa que tiveram. Cora sabia que Emma era uma boa pessoa para Regina, e Emma sabia que Cora era uma excelente mãe, já que estava apoiando aquela “loucura”.


A festa rolou até às onze da noite, quando Lily já dormia no colo de Regina que acariciava seus cabelos, Emma estava exausta de tanto brincar com a pequena. Assim que todos os convidados vão embora, os empregados entram para arrumar o local.


— Amor, vou com Ruby está bem? Amei passar o dia com vocês. — Swan se aproxima para dar um beijo em sua amada.


— Não quer dormir comigo? – Mills faz cara biquinho.


— Bem que eu queria, mas tenho certeza de que não vamos dormir e amanhã eu preciso estudar. – Diz mostrando também estar lamentando.


— Deixe Ruby voltar no seu carro, e eu levo você, podemos namorar um pouquinho...– Mills faz cara de inocência porém mordendo os lábios.


Emma também queria passar aquele tempo com Regina, havia preparado uma surpresa para sua morena no dia seguinte. Um pouco de cansaço não faria mal.


— Vamos sua pidona! – Disse sorrindo.


Regina se levantou e foi até Kristin entregar Lily que dormia profundamente. Ao voltar, pega na mão de Swan e vão em direção ao carro. O caminho é silencioso, porém um silêncio confortável. Enquanto Mills dirigia, Emma fazia carinho em sua perna, ora apertava, ora massageava queria provocar Regina, adorava vê-la desconsertada. Chegaram na porta da casa de Emma e estranharam Ruby ainda não ter chegado, afinal, ela foi se despedir de Zelena que a levou até o carro.


— Está na hora de dar tchau...– Emma diz imitando o locutor de Teletubbies.


— Ah não, não não...– Regina a acompanha cruzando os braços.


Ambas gargalharam da cena cômica que interpretaram. Emma a puxa para um selinho demorado que logo se aprofunda quando a língua de Regina pede passagem e a loira cede enquanto aperta sua coxa fazdndo a morena gemer baixo em sua boca. Regina sobe no colo de Emma que agora explora todo o céu de sua boca, enquanto passava a mão pelo corpo da morena parando em seus seios já rijos e começa a massageá-los.


— Ah Em...–  interrompe o beijo arqueando as costas enquanto gemia.


Já completamente excitadas, Regina começa a rebolar no colo da loira fazendo-a gemer. Os beijos ficam ainda mais intensos quando Swan cessa mordendo o lábio inferior da morena.


— Amor... Casa. – Diz com a respiração descompassada.
Regina sai do colo de Emma resmungando, fazendo com que a mesma dê risadas.


— Prometo que amanhã vai valer a pena. Te amo. – Diz finalizando com um selinho.


Emma sai do carro e fica escorada no portãozinho da casa, esperando Regina virar a esquina. Feito isso, a loira entra para casa correndo e vai para o seu quarto pegar seu pijama e tomar banho.
A agua quente relaxava seus músculos fazendo-a viajar no mais profundo de seu interior. Ao sair do banho, veste sua blusa de pijama, calcinha e vai para o quarto. Percebe Ruby chegar, mas estava cansada demais para perturbar a amiga. Deita em sua cama pegando o celular para enviar mensagem para sua morena.


Boa noite, meu amor.
ES

Minutos depois...


Boa Noite, amor. Eu também te amo, muito.
RM


Notas Finais


Gostaram?? Comentem pls :3

Amanhã posto o 18


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...