História A Estrangeira - Capítulo 18


Escrita por: ~

Postado
Categorias Emma, Once Upon a Time
Personagens Capitão Killian "Gancho" Jones, Cora (Mills), David Nolan (Príncipe Encantado), Elsa, Emma Swan, Henry Mills, Mary Margaret Blanchard (Branca de Neve), Regina Mills (Rainha Malvada), Robin Hood, Ruby (Chapeuzinho Vermelho), Sr. Gold (Rumplestiltskin), Vovó (Granny), Zelena (Bruxa Má do Oeste)
Tags Swanqueen
Visualizações 992
Palavras 3.675
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Estou eu aqui, trazendo mais um cap maravilhoso para vocês.

Tenho mania de suspeitar quando tudo está tudo bem...

Capítulo 18 - Capítulo dezoito


Fanfic / Fanfiction A Estrangeira - Capítulo 18 - Capítulo dezoito

Emma acorda com feixes de luz em seus olhos e pega o celular que está do seu lado na cama, olha as horas e vê que já passavam das 09:00AM. Subitamente se levanta e corre para o banheiro, esquecendo sua toalha, começa a se despir enquanto deixa a agua do chuveiro ligada para aquecer. Seus pensamentos logo vão para sua morena de olhos castanhos tão profundos quanto o oceano, sorri ao perceber a irônica referência afinal, o mar é azul. Emma queria programar uma bela surpresa romântica para Regina, elas não tinham muitos momentos assim juntas, não era do habitual das duas sem contar que, ultimamente elas estão extremamente ocupadas. Emma com a faculdade, ainda mais agora que não se sentiu satisfeita com sua nota, e Regina com o processo de um ex funcionário de uma empresa.

 

Saiu do banho procurando sua toalha e logo percebe que não a pegou.

 

 

“Droga, e agora? ” – Pensou.

 

 

- RUUUBY – Gritou.

 

 

Ruby estava dormindo no quarto ao lado, porém estava no seu mais profundo sonho.

 

RUUUBY, PORRA! – Grita mais alto.

 

 

Granny estava na cozinha usando luvas antitérmicas pois estava retirando o bolo de coco do forno, ouviu os gritos de Emma e correu até a mais nova pensando ser algo sério.

 

 

— O que está acontecendo? Se machucou? Você está bem? Está sangrando? – Granny diz entrando no banheiro.

 

 

— Não vovó, eu apenas esqueci minha toalha no quarto... – Disse tentando não rir da expressão de Granny.

 

 

Granny saiu resmungando e foi em direção ao quarto de Emma pegar a toalha e se depara com a cama bagunçada, livros jogados pelo chão, uma calcinha em cima do notbook que ficava na escrivaninha de frente para a cama, um prato com meio pedaço de pizza. O moletom que de branco foi para encardido, as portas do guarda roupa aberto com roupas jogadas.

 

 

“Mas que caralhos aconteceu aqui? ” – Granny pensou.

 

 

Foi para o banheiro e entregou a toalha na mão de Emma que estava ruborizada por estar nua na frente de Granny.

 

 

— A única coisa diferente da minha neta que você tem, é a altura. Fora isso, nada fora do normal. – Diz rindo da loira.

 

 

— Vovó! – Emma a repreende.

 

 

— Você tinha que ter vergonha era daquele quarto, que bagunça é aquela? Quando você sair do banho, você vai arrumar aquele quarto imediatamente! E depile essas pernas, não precisa ter pelo nelas para provar que é sapatão. – Granny segura a risada fingindo estar séria.

 

 

Emma fica boquiaberta e ainda mais envergonhada por saber que a vovó reparou nela de forma minuciosa. Espera Granny sair do banheiro para se secar e enrolar na toalha. Olha para os dois lados do corredor, para ver se ela ainda não estava por lá e correu para o seu quarto. Acendeu a luz, pois o mesmo estava escuro, iluminado apenas pelo feixe que a acordou. Reparou o quarto e com uma cara de espanto percebeu que a senhora estava certa, aquele quarto estava assustadoramente bagunçado.

 

Foi para a frente do guarda roupa procurar algo limpo para vestir, colocou uma calcinha boxe preta com detalhes brancos estampados e o sutiã de bojo na mesma cor para acompanhar. Ficou brincando com os seios que estavam apertados no sutiã enquanto ria sozinha, era bem de seu feitio fazer essas brincadeiras quando estava só.

 

 

“ Quem nunca? ” – Pensou.

 

 

Voltou sua atenção para o guarda roupa e procurou uma peça confortável para usar dentro de casa. Vestiu um short moletom da Nike e uma blusa regata fina. Arrumou seu quarto, e colocou a roupa suja no cesto do banheiro, e foi para a cozinha tomar café da manhã e viu que Ruby ainda não havia acordado e já eram 11:30AM. Decidiu ir no quarto da amiga. Ao ver a amiga dormir, não hesita em tirar algumas fotos para usar contra ela. Pega o celular, e coloca no último volume perto do ouvido de Ruby, seleciona a música I Feel good e aperta play.

 

 

I FEEL GOOD

PANANANANAN...

 

 

A morena salta da cama desesperada com o barulho da música, com o coração acelerado olha para Emma que estava sentada sobre o puff vermelho da amiga dando gargalhadas.

 

— Filha da puta (desculpa tia), eu vou arrastar a tua cara no asfalto, sua galinha! – Sai correndo atrás de Emma que agora corre da amiga pelo corredor, ainda gargalhando.

 

 

— Minha mãe não é puta não, ela deu depois do casamento – Emma diz entre risos.

 

 

Ruby vê o vaso de planta sobre um criado perto do quarto da avó e faz menção de pegar quando a mesma a interrompe.

 

 

— Minha samambaia não! – Ganny diz pegando a planta.

 

 

— Cacete! – Ruby resmunga ainda correndo atrás da amiga que estava na sala.

 

 

Emma estava em cima do pequeno sofá marrom, quando Ruby aparece com a vassoura. A loira pulava do sofá à esquerda para o outro enquanto a morena tentava acertá-la com a vassoura. Quando se vê sem saída pois agora, ao seu lado tinha apenas o painel com a televisão e embaixo dela havia um pequeno raque de cor cinza mesclada com preto onde ficava o aparelho da sky e um vaso de enfeite.

 

 

— Amor da minha vida, abaixa isso, eu te amo. – Emma diz segurando a risada.

 

 

— Amor de cu é rola, e é isso que eu vou te dar. – Ruby vai para cima de Emma e as duas caem.

 

 

— Calma, totó! – Emma ri.

 

 

— Vou fazer Emma assada para o almoço e entregar para a Regina. – Ruby não aguenta e acaba rindo também.

 

 

Depois de toda a confusão, elas acabam indo para a cozinha tomar café. Sentam na bancada da cozinha, se servem com um pedaço de bolo de coco acompanhado do suco de laranja.

 

 

— Ems, eu vou ao cinema com a Zel hoje, se quiser ir conosco. Você eu Zel e Regina. – Diz levando um pedaço do bolo à boca.

 

 

— Tenho outros planos, sabe aquela cantora? Toni Braxton? Ela vai fazer um acústico hoje no The Roof at Black and Blue, quero leva-la lá. – Diz com um sorriso no canto do rosto.

 

 

— Que fofas! Amei, é aquele lá da Alberni St?

 

 

— Sim! Esse mesmo. Você e Zelena... Estão bem próximas hein. – Disse com um sorriso maléfico

 

 

— Não enche! Somos apenas amigas. – Em partes era verdade.

 

 

— Vem cá, mudando de assunto e continuando no mesmo... você já falou com seus pais? – Disse tentando desviar o foco da conversa.

 

 

Os pais de Emma não sabiam da opção sexual da filha, esse era um dos motivos que ela ainda ficava com Killian, os pais gostavam do rapaz e ele era um bom amigo. Ao ouvir o que Ruby falou, a loira congelou por uns instantes. Seu pai, com certeza não viria a lhe causar problemas, ele sempre quis ver a filha feliz, já não se pode dizer o mesmo de Mary, não gostava muito de ver Emma com Elsa e Ariel pelo mesmo fato.

 

 

— Desviando o foco? Pesado... Mas não, vou deixar para contar quando a gente estiver lá. – falou tentando não parecer tão preocupada.

 

 

Emma terminou de tomar seu café, levantou-se e colocou o prato e o copo sujo dentro da pia, deu um beijo em sua amiga e foi para o quarto estudar. Pegou seu notbook em cima da escrivaninha e sua apostila, abrindo na página seis onde o tema abordado era Argumentação jurídica. Teria uma palestra na segunda feira e ela poderia ser chamada para a simulação de um debate, onde teria de saber argumentar e advogar sua causa.

“...A teoria da argumentação jurídica e o controle social são termos deveras divergentes, entretanto, em que pese à complexidade de nossa atual sociedade, ambos podem, e de acordo com o que tentarei abordar no presente estudo, devem caminhar juntos na busca pela concretização dos princípios democráticos. O objetivo de tal trabalho científico não é exaurir estas questões tão emblemáticas e complexas, mesmo porque faltaria fôlego, mas, entretanto, o que será proposto no presente estudo é bem mais singelo. No início se fará uma breve apresentação sobre os termos argumentação jurídica e controle social, que, no decorrer do trabalho, serão utilizados para, por meio de uma pesquisa teórica, verificar a possibilidade da teoria da argumentação jurídica servir de empréstimo ao controle realizado pela sociedade nas arenas públicas de debates...”

 

Emma passou o final da manhã e a metade da tarde estudando, quando viu que já era hora de avisar Regina sobre a noite delas.

 

Deve estar bem ocupada para sequer ter ligado para mim, hein...

ES

 

Regina estava na casa de seus pais com Heitor quando seu celular vibrou avisando que havia chegado mensagem, deu um leve sorriso ao ver que era Emma.

 

 

Devo dizer o mesmo, não é Miss Swan? Afinal se notou minha falta e só agora resolveu se pronunciar.

RM

 

 

Mas eu estava estudando, e você?

ES

 

 

Eu estou na casa de meus pais, com o meu filho.

RM

 

 

 

Protesto!

ES

 

 

Protesto negado.

RM

 

 

Não pode negar meu protesto, sem ao menos me dar a chance de me defender primeiro.

ES

 

 

Tanto posso que fiz, afinal. Você apresentou sua defesa alegando estar estudando.

RM

 

 

Isso não vale! Odeio você

 

ES

 

Vale sim, e você me ama.

RM

 

 

É verdade.

ES

 

Advoguei.

RM

 

Foco. Amor, vamos no The Roof at Black and Blue, tenho uma surpresa para você.

ES

 

Só vou aceitar porque hoje é dia do Heitor passar com os avós. Mas o que é?

RM

 

Você saberá quando estiver pronta às 8:00PM. Eu te chamei domingo, justamente porque sei que ele fica com os avós.

ES

 

 

Regina responde à mensagem com “ok”, olha as horas e vê que ainda eram 5:00PM. Sua mãe se aproxima para pegar Heitor no colo, que logo estende os bracinhos para a avó.

 

 

— Era Emma? – Cora diz enquanto faz cócegas em Heitor.

 

 

— Sim, como sabe?

 

 

— Qual outro motivo você estaria sorrindo feito uma boba apaixonada enquanto olha para o celular? – Cora diz com um sorriso vitorioso.

 

 

— Você e Zelena apareceram na minha vida para me infernizar, só pode. – Diz revirando os olhos.

 

 

— Tecnicamente, você apareceu. Afinal, eu sou sua progenitora e Zelena sua irmã mais velha. – Ri novamente.

 

 

— Calada. Mamãe, vou para casa me arrumar. Emma quer me levar no The Roof at Black and Blue.

 

 

— Hoje tem! — Cora gargnhou.

 

 

Regina revira os olhos, pega Heitor no colo e o aninha despedindo-se com um beijo em sua testa. Entrega-o de volta para Cora e o menino ameaça a chorar, mas a avó o aninha.

 

 

— Mama... – Diz choramingando.

 

— Mamãe já volta, filho. – Regina diz se afastando.

 

 

Se despede com um beijo no ar para a mãe e sai, indo em direção ao carro. Ao entrar, liga para Zelena querendo saber se ela está em casa e a mesma afirma já estar de saída. Regina gira a chave do carro dando partida. O caminho para casa não era muito longe, moravam apenas dois quarteirões da casa de seus pais, o que facilitava muito quando precisava deixar Heitor com eles para ir trabalhar. Quando chega em casa, vai direto para o banheiro despindo-se enquanto enche a banheira. Perde a noção da hora ao ver que já estava com a pele um pouco enrugada sinalizando que ela havia ficado muito tempo na água. Ao sair da banheira, se seca vestindo seu robe branco com sua inicial bordada em dourado, caminha para o quarto secando seu cabelo que estava enrolado na toalha. Abre o closet e dele tira uma blusa preta de manga longa e a calça na mesma cor, uma lingerie vermelho e sapatilha preta. Definitivamente preto era sua cor. Depois de usar a toalha para tirar o excesso, seca os cabelos com o secador e veste-se passa seu inseparável batom vermelho e uma leve maquiagem. Olha no relógio e já marcavam 7:30PM, resolveu perturbar Zelena.

 

 

Espero que tenha levado a camisinha de dedo.

RM

 

 

Zelena já estava na fila do cinema com Ruby quando viu a mensagem de Regina.

 

 

Eu diria o mesmo pra você, mas lembrei que dedo não engravida.

ZM

 

 

Hahaha, como estão as coisas aí?

RM

 

 

Regina não é um encontro, estamos saindo como amigas.

ZM

 

 

Regina estava digitando quando o porteiro ligou para o seu apartamento avisando que Emma havia chegado. Pegou sua bolsa e caminhou para o elevador, estava tão nervosa quanto uma menina de 13 anos no seu primeiro encontro, Emma a deixava assim como se tudo fosse uma primeira vez o que em partes era. Quando sai do elevador e caminha para a portaria, vê sua loira encostada na Sportage com os braços cruzados, seus olhos brilham e acaba esboçando um pequeno sorriso tímido. Emma estava linda, vestindo uma blusa social branca de mangas longas, com uma gravata borboleta feminina, calça social preta e sapatênis combinando com a calça, um brilho labial rosa bem fraquinho e um lápis de olho para destacar.

 

 

— Boa noite, Miss Swan. — Regina diz se aproximando.

 

 

— Boa noite, querida rainha. — Emma que ainda apoiada no carro, a puxa pela cintura, dando um beijo calmo em sua morena. Sua língua logo pede passagem, mas a morena cessa o beijo.

 

 

— Vai borrar meu batom. — Diz tirando a mancha que estava ao redor da boca.

 

— Ninguém mandoi ser tão linda, estar tão linda! Vamos, antes que eu mude de ideia e te carregue para o quarto.

 

 

— Não seria uma má ideia...— Regina diz mordendo os lábios.

 

 

— Mulher... Não mexe com fogo.

 

Regina passa os dedos levemente sobre o braco de Emma com um sorriso malicioso e diz. 

 

— Como é que você disse mesmo? Hum... ah sim! "Deixa queimar, deixa arder, não nasci pra apagar fogo e sim pra acender." — Diz e passa sua perna no sexo de Emma sentindo-a contrair.

 

 

— Vamos para o carro! Ôh mulher, estou tentando ser romântica. — Diz abrindo a porta para Regina que está gargalhando.

 

 

O caminho para o local foi tranquilo, ambas trocando olhares enquanto conversavam aleatoriamente. Regina estava curiosa para saber o que a loira havia aprontado, sabia que iria gostar, afinal era sua amada que estava fazendo, tudo que viesse de Emma, era perfeito. Amava a forma como era tratada por ela, os poucos momentos, as brincadeiras, as piadas que mesmo sem nexo tiravam gargalhadas dela, o toque, o beijo, o olhar terno e quente.

 

 

"É Regina Mills...você foi lançada por Emma Swan" – Sorriu ao pensar.

 

 

— Lindo sorriso. – Swan diz dando uma rápida olhada para a morena.

 

 

Regina ruborizou, não havia notado que Emma a observava. Era tão engraçado que mesmo depois de um mês ainda se sentia tímida adorava sentir as famosas borboletas no estômago toda vez que a via, nunca se cansaria, nunca deixaria de ser como a primeira vez.

 

 

Chegaram ao local que já estava um pouco movimentado, estacionaram o carro um pouco à frente do estabelecimento. A entrada do local havia um cercadinho onde ficavam algumas mesas, perfeitamente ilumidadas. Adentraram o local deparando-se com um maravilhoso bar, mas não era qualquer bar era um local onde acontecia vários shows acústicos, à direita havia mesas grandes para aqueles que queriam aproveitar não só a música, mas também desfrutar da maravilhosa gastronomia. No centro, havia um pequeno palco com cortinas pretas, um banco e microfone. De frente para o mesmo, haviam poltronas espalhadas e e um enorme sofá branco que formava uma meia lua. Regina estava maravilhada com o local, os lustres brancos de luz eram no formato de estrelas, outros apenas bolas e alguns de cristais à direita havia um barzinho sofisticado. Regina passou o olho observando cada detalhe do local quando seus olhos pararam no cartaz.

 

 

"Toni Braxton com o sucesso de Un-Break my Heart"

 

 

Os olhos da morena brilhou ao ver que sua cantora favorita faria um acústico e ela estaria lá para ver. Regina amava músicas antigas, e Toni Braxton era sua cantora favorita.

 

 

— Espero que tenha gostado. — Emma diz colocando-se atrás de Mills.

 

 

— E-eu amei, Emma! – Mills se vira para abraçá-la ficando com os pés dobrados no ar. — Como sabia? Como soube que eu gosto dela? – Diz desvencilhando-se do abraço.

 

 

— Como eu sei? Como eu sei que você ama músicas antigas, ou como também sei que quando está tímida você pressiona os lábios? Acha que não noto quando você troca de roupa só para ouvir um elogio meu? Que fica estranha se não faço? Eu sei disso tudo e digo mais, você não sabe que eu noto o seu sorriso, sei exatamente onde te tocar para te fazer arrepiar. – Nesse momento, Swan deposita um beijo na nuca da morena que arrepia. — Eu percebo certas coisas que nem você se liga eu noto, só não sou de falar. Sabe por quê? Porque eu te amo. Me desculpa se eu não demonstro interesse, mas saiba que o melhor o meu coração tem registrado detalhes da mulher perfeita que você é para mim.

 

 

Regina está com os olhos marejados, emocionada com tudo que Emma havia lhe confessado. Ela esboça um sorriso aprazível não sabendo o que dizer, se é que havia algo que pudesse ser dito.

 

 

— Eu... Amor, eu te amo tanto! Obrigada, obrigada por essa surpresa, obrigada por me amar, obrigada por tudo. Eu não sei o que dizer. – Regina diz com os olhos banhados pelas lágrimas que teimavam em rolar.

 

 

— Shiiiu. Não chora, não agora. – Emma coloca o dedo indicador sobre seus lábios.

 

 

A morena beija o dedo de Swan e a abraça novamente distribuindo beijos por seu rosto, finalizando com um selinho demorado. Encostam a testa uma na outra com um sorriso no rosto, Emma entrelaça seus dedos aos dela caminhando-a para a mesa à direita que dava plena visão do palco e de melhor acesso para serem servidas. Sentaram-se e pediram o menu, o garçom se aproximou com um pequeno tablet, onde elas poderiam solicitar o pedido.

 

 

— Vou pedir Krab Queen e uma porção de potato's poutine para nós, pode ser? – Emma diz já selecionando o pedido.

 

 

— Só besteira? Amor, vamos comer algo saudável.

 

 

— Relaxa e curta! — Emma diz e beija as costas da mão de sua morena. — Dispensamos a sobremesa, mas pode trazer um Caesar de morango para ela e para mim, vou querer de limão.

 

 

— Entendi, e qual bebida vão querer para agora? — O rapaz pergunta.

 

 

— Vinho tinto Cabernet Sauvignon.

 

 

O rapaz se retira deixando-as a sós. Regina reclama com Emma por ela escolher Caesar como encerramento, ela ainda iria dirigir e não poderia estar bebendo, ficou preocupada, mas logo suas objeções foram cessadas com a presença da morena linda dos cabelos cacheados usando um vestido branco brilhante e um salto preto. Era Toni Braxton, preparando-se para cantar. Cumprimentou à todos com um boa noite, ajeitou-se no banco do palco para cantar. Deu início ao seu acústico com a famosa e tradicional música:

 

How Could an Angel Break my Heart.

 

 

A comida havia chegado e elas já estavam envolvidas pela maravilhosa melodia, tudo estava muito lindo. Eram trocas de carícias apaixonadas, olhares misteriosos porém afetivos, Regina aproximou-se de Emma e a puxou para um beijo casto mostrando todo o seu amor, carinho e agradecimento à loira que também retribuiu, entreolhavam-se com um sorriso leve e apaixonado. Ao terminarem de comer, o garçom se aproximou com as bebidas, morango para Regina e Limão para Emma. Agora apenas curtindo a companhia uma da outra e a bela melodia que acabara de se iniciar.

 

Un-break my heart

 

 

— Dance comigo, srta. Mills? — Emma diz colocando-se de pé e estendendo a mão para a morena.

 

 

— Estou honrada, Miss Swan. — Regina colocando sua mão sobre a de Emma, se levanta.

 

 

A dança era lenta, romântica e bem calma. Aquele momento era só elas, não existia mais ninguém ali, se não elas.

 

 

[...] ��

Don't leave me in all this pain

(Não me deixe com toda essa dor)

 

leave me out in the rain

(Não me deixe aqui fora na chuva)

 

back and bring back my smile

(Volte e traga de volta o meu sorriso)

 

and take these tears away

(Venha e jogue essas lágrimas bem longe)

 

need your arms to hold me now

(Eu preciso dos seus braços para me abraçar agora)

 

nights are so unkind

(As noites são tão cruéis)

 

those nights

(Traga de volta noites)

 

I held you beside me

(Quando eu tinha você aqui ao meu lado)

 

Un-break my heart

(Conserte meu coração)

[...] ��

 

Quando a música termina, Regina está com os olhos banhados em lágrimas, estava feliz por ter Emma Swan, por tudo que ela fez o amor entre as duas, era nítido, quase que palpável.

 

 

— Eu amo você, Regina Mills.

 

 

— Eu amo você, Emma Swan.

 

 

Era tudo a ser dito naquele momento que falava pelas duas.

 

Assim que o acústico terminou, elas foram para casa depois de passarem literalmente meia hora decidindo quem pagaria, Emma por fim a venceu dizendo que seria totalmente fora do programa que ela fez, a morena bufou, mas aceitou.

Ao entrarem no carro, vão para casa de Regina, à pedido da morena, Emma dormiria lá. Como no dia seguinte seria palestra, não teri de se preocupar com material. Regina não havia contato para a amada que seria ela uma das palestrantes e também a beneficente da vaga de estágio. O caminho foi silencioso, Regina estava exausta e quase cochilando no carro. Quando chegam,sobem para o quarto e Regina empresta a Emma uma de suas peças, a morena não consegue desgrudas os olhos do corpo de Swan que está adorando ser comida com os olhos pela morena.

 

 

— Se continuar me comendo com os olhos, vou ter um orgasmo. — Disse com um sorriso malicioso nos lábios

 

 

— Vou fazer isso, mas não com os olhos. — A morena a responde audaciosamente.

 

 

Ambas deitaram-se na cama entre beijos e abraços, carícias um tanto apimentadas, estavam totalmente entregues uma a outra naquele momento, Emma acomodando-se atrás da morena ainda com os dedos entrelaçados nos dela, dormiram de conchinha. 


Notas Finais


BOA NOITEEEEEE C:


Gostaram? Comentem :3

Afrontei o viADAM no Twitter e o Michael Coleman curtiu 😂 asdorooon.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...