História A Estranha e O Popular. - Capítulo 34


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fairy Tail
Tags Comedia, Drama, Gajevy, Gruvia, Jerza, Nalu, Romance
Visualizações 212
Palavras 1.564
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Esporte, Famí­lia, Festa, Ficção, Fluffy, Hentai, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


FINALMENTE EU CONSEGUI FINALIZAR ESSA MERDA GRAÇAS A DEUS EU CONSEGUI QUE FELICIDADE.

Mas antes de tudo eu quero esclarecer o porque que eu simplesmente sumi, entao eu digo que e porque as coisas na escola estao ruins e trabalho apos trabalho, e vc pode até saber que com isso minha criatividade evaporou totalmente _ Entao ne genti, eu digo que por causa disso, o capítulo pode estar um lixo total entao já peço desculpa ;-;

E também, eu tenho que falar para as pessoas que pensavam que abandonei a fanfic, EU NAO A ABANDONEI EU SÓ SUMI POR UM TEMPO --Na verdade um tempao -, mas, pode se passar um mes, cinco meses ou até dez meses, MAS EU NUNCA IREI ABANDONAR A FANFIC, isso porque eu gosto de voces, voces sao tipo amigos para mim, que eu nao conseguiria abandonar :3

Ah e nas notas do autor eu irei falar uma pequena coisinha ok, mas espero que leiam.

Bom, boa leitura :3

Capítulo 34 - Desafio: provocações.


*Natsu

Considerava-se que praticamente hoje eu estava com bastante tédio. Isso mesmo, pode ser férias, mas agora praticamente meu dia é: acorda tarde, comer, assistir TV e praticamente o tédio. Mesmo eu tendo várias ficantes e garotas aleatórias nenhuma delas, está em casa e sim viajando para lugares legais, mesmo que sejam casa de tios chatos! 

Neste momento eu estava na terceira coisa do dia: assistindo coisas aleatórias na TV. Naquela hora estava passando uns anúncios qualquer, até que começou a passar um trailer, que praticamente era de comédia romântica, era sobre um garoto bem popular e uma menina estranha que nunca teve amigos e os dois acabam se conhecendo por acaso. 

Era até engraçado, mesmo sendo um trailer, mas aquilo me lembrava eu e a Lucy, bem não nos conhecermos por acaso, e sim por eu sempre ter importunado a vida dela e por causa de um trabalho e de minha linda curiosidade nos conhecermos –mais ou menos. 

É isso. Pensei, estalando os dedos, sabe eu tenho uma vizinha gostosa, onde ela e a estranha da escola, e onde eu tenho que conhecê-la para consegui afinidade com ela para poder ganhar uma certa aposta. Mas por que a maioria das vezes penso que não estou fazendo só por causa da aposta? Pensei novamente, mas ignorei dando de ombros. 

Me levantei do sofá em um pulo e peguei o controle da TV, logo a desligando, peguei a pequena chave do apartamento e calcei meus chinelos indo logo após a porta, abri a porta e sai a fechando em seguida. 

Andei alguns passos para o lado, já na frete de sua porta, bati na porta três vezes, esperando um tipo de resposta, decidi bate novamente só que mais forte e dessa fez obtive resposta, na verdade um grito: 

--NÃO TENHO AÇÚCAR, CASO A PESSOA QUE ESTIVE AÍ QUISER –Ouvi sua voz abafada por causa da porta e dei uma pequena risada baixa. 

Mas meu objetivo é importuna ela, então bati mais vezes na porta. Felizmente não demorou tanto para ouvir um estalo de porta abrindo e logo a porta foi abrindo. Lucy assim que olhou para mim e cruzou os braços bufando, falando logo após: 

--Está bem o que você quer agora? -Disse raivosa. 

--Nada, só... –Ela me interrompeu. 

--Então já que não e nada, tchau, Natsu –Disse descruzando os braços e quando ela iria adentrar dentro de seu apartamento e fechar a porta em minha cara, bati a mão da porta, impedindo a mesma que me olhou confusa e logo perguntou –O que foi? 

--Você não me deixou terminar, eu só estou aqui por causa que estou com bastante tédio -Digo e ela arqueou a sobrancelha. 

--E o que eu tenho haver com isso? -Perguntou Lucy. 

--Que você e minha amiga e mora do meu lado? -Falei em forma de pergunta. 

--Primeiro: sou sua amiga por causa de um favor, que sei nem se e inexistente. Segundo: VOCÊ tem suas "ficantes", para conversar ou até mesmo fazer sexo. –Ela disse dando o ênfase no você. 

--Primeiro: esse favor e existente. Segundo: elas viajaram –Digo e ela revira os olhos. 

--Ok, mas por que logo aqui? Já que eu estava apenas assistindo TV. 

--Porque e mais próximo -Digo e ela bufa mais uma fez –Agora me convida para entrar. 

--Quê?! Não Natsu –Ela disse, na verdade quase gritou. 

--Então eu mesmo me convido, licença -Digo e enquanto a mesma iria falar algo eu adentrei em seu apartamento. 

Lucy resmungou algo assim que entrei sem mais nem menos, o que me fez dar uma pequena risada, fui até sua sala, chegando na sala apenas sentei no canto do sofá que abreviava um 'L'. Não demorou muito e Lucy apareceu sentando no sofá, mas bem longe de mim. 

Passou-se alguns minutos, e na casa da Lucy estava do mesmo jeito que quando eu estava em meu apartamento: um tédio. Decidi do nada olhar para Lucy, percebendo que a mesma estava sexy, usando um short não curto, uma blusa que destacava seus seios enormes, a mesma estava com suas pernas cruzadas e a mão no braço do sofá com um dedo tocando em seus lábios rosados. 

Confesso que pensei besteira, mas só foi eu beijando o pescoço dela e ela gemendo baixo meu nome, mas sei que isso nunca irá acontecer, ou será que pode? Um sorriso maldoso brotou em meus lábios, olhei novamente para Lucy (Au: Quem ficou bugado, o Natsu avia parado de olhar para Lucy agora esta olhando novamente, pera acho que deixei isso mais confuso, FODA-SE), e falei: 

--Luce –A chamei com a voz rouca e sexy, a mesma olhou para mim confusa. 

--Que é? -Perguntou fria. 

--Vamos fazer um desafio. 

--Que desafio? -Perguntou Lucy curiosa. 

--Sim um desafio de provocações -Disse sorrindo maliciosamente. 

--Natsu, você está doido, eu não irei aceitar esse desafio, só quando for 31 de fevereiro, ou seja, nunca –Disse recusando. 

--Ah que pena –Digo fingindo estar triste –Acho que quando voltarmos para escola, terei que contar a todos que além de estranha e arregona! 

--O QUE?! -Berrou –Natsu, eu não sou arregona! 

--Então aceite meu desafio –Digo sorrindo maldosamente. 

--Está bem eu aceito! -Falou determinada. 

--Ótimo, venha para perto de mim, que a explicarei o desafio –Digo dando tapinhas do meu lado, enquanto a Lucy chegava perto, mas de porquinho em porquinho –Vem logo Luce eu não mordo. 

--Talvez sim –Disse ironica. 

--Me chamou de cachorro? –Digo a perguntando. 

--Talvez –Disse já do meu lado. 

--Que seja –Digo ignorando –Bom vamos ao que interessa, esse desafio e assim: quem fizer a outra pessoa gemer em três minutos primeiro, vence. E as regras são: quem gemer o nome ou até mesmo arfa, a pessoa já vence. Não e simples? 

--E fácil você falar né -Disse revirando seus olhos –Mas aceito do mesmo jeito. 

--Ótimo, mas esqueci de mencionar, quem perder irá fazer tudo o que o vencedor pedi até o fim das férias -Digo e ela apenas assentiu –Beleza, irei deixar você começar, por causa que é seu primeiro desafio pervertido –Ela assentiu novamente –Se estiver com seu celular, coloca o cronometro. 

--Está bem -Disse tirando o aparelho do bolso e dando algumas mexidas –Pronto. 

--Pode começar -Digo e a mesma apenas coloca seu celular no sofá ligando o cronocramento em seguida. 

Lucy, para não perde tempo, subiu em meu colo, já dando um beijo no canto de minha boca, logo foi até minha orelha dando uma leve mordiscada junto de uma lambida em meu lóbulo, confesso que eu quase gemi com isso, mas me segurei. Lucy agora desceu com beijos curtos e molhados até meu pescoço, a mesma aproveitou isso e deu uma rebolada em meu membro fazendo o animar um pouco, eu nessas horas já estava mordendo meu lábio inferior para não deixar escapar gemido algum. A loira parou de beijar meu pescoço e me olhou indo lentamente para meus lábios, selando logo após, aquele beijo que ela me dava e bem molhado, nossas línguas se encaixavam uma na outra, quando a falta de ar fez falta, ela separou lentamente deixando um fio de saliva, Lucy apenas me olhou maliciosamente e deu várias reboladas em meu membro fazendo ele ficar animado e fazendo eu quase gemer, até que .... 

BIP BIP (TENTATIVA MAIS FAIL DE TENTAR FAZER UM SOM SONORO) 

Esse barulho ecoou pela sala, fazendo Lucy suspirar frustrada e eu soltar um suspiro de alivio, peguei o celular da mesma e o cronometrei novamente, liguei o cronocramento e fui até o pé de seu ouvido e falei: 

--Minha vez –Sussurrei com a voz rouca, percebendo os pelos de sua nuca arrepiarem. 

*Lucy 

Assim que Natsu, deu aquele rouco sussurro, os pelos de minha nuca se arrepiarem todo. 
Natsu, não perdeu tanto tempo e roubou logo meus lábios os selando em um beijo de língua cheio de malícia, enquanto eu apenas cedia aquele beijo quente. A falta de ar veio e Natsu nos separou rapidamente e dando leves beijos em meu rosto em direção ao meu pescoço, eu mordia meu lábio forte para não poder geme, já Natsu, parecia aproveitar a situação e levava sua mão boba para meu seio esquerdo o massageando por cima da blusa, o mesmo já encontrava dando beijos em meu pescoço, com isso sem percebe eu fui me soltando, mas ainda não estava gemendo, não até agora. 
Senti Natsu ficar muito tempo em uma parte de meu pescoço e o mesmo havia parado de massagear meu seio, estranhei aquilo, mas logo senti o mesmo dando um chupão ali me fazendo ...: 

--Ah Natsu –Gemi, percebendo logo em seguida arregalei os olhos percebendo a burrada que fiz. 

Natsu apenas me olhou com um sorriso vitorioso e ao mesmo tempo malicioso, então logo falou: 

--Parece que alguém fará tudo que eu quiser o resto das férias -Falou com ironia, eu apenas bufei e sai de seu colo. 

--Aff, agora terei que aguentar uma ameba pelo resto de minhas –Digo cruzando os braços que nem uma criança e Natsu apenas ri. 

--Pois é, que mandou aceita o desafio –Disse se levantando –Bom irei para meu apartamento, venho aqui amanhã, tchau. 

Natsu acenou e foi até a porta e saiu de meu apartamento -Já que eu havia deixado a chave pendurada na fechadura da porta -, eu suspirei pesado e gritei: 

--POR FAVOR NÃO VOLTE TÃO CEDO! -Gritei já imaginando minha tortura pelo resto de minhas férias. 

 

 

 


Notas Finais


LUCY FUDIDA NA VIDA.

Bom, mas, vamos ao que interessa.

Primeiramente eu quero agradecer muito a voceis, pq só falta um único favorito para chegarmos a 300 favoritos, e serio, eu nao sabia que um capítulo nao muito bem produzido iria ser gerar um monte de pessoas, e isso me deixa TAO feliz que eu acho que irei chorar quando chegar a 300 favoritos, serio mesmo, eu to muito feliz e agradeço a todos voces por isso :3

E segundamente, voces querem algum especial de 300 favs? Do tipo capítulo independente? Ou algo coMo aquele negócio de desafios que eu fiz?
Sabe eu to me preocupando agora pq, eu nunca fiz nenhum especial de tipo 100, 200, serio.
Por isso pergunto de novo, faço um especial ou não?

Espero que tenham gostado.

Bom & FUI


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...