História A eterna espera por ele... - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Visualizações 5
Palavras 1.050
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Luta, Romance e Novela, Saga, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Bem, mais um capítulo, que não vai ser muito longo. Boa leitura!

Capítulo 16 - Woow, woow, woow... Calma aí!!


Acordei devagar e sem vontade nenhuma de viver. Me espreguicei e levantei. O Suga já havia acordado e não estava no quarto. Tomei banho, escovei os dentes e me arrumei para ir tomar café. Cheguei na cozinha e o Yoongi comia cereais observando o Nam mandar mensagens para alguém na sala. Me sentei com ele e me servi de cereais. Deixei o pote em cima da mesa e fui passar um pouco de café. 

Quando sentei para comer, o Namjoon foi para seu quarto e se trancou lá. Nós tomamos café da manhã e fomos para o quarto. O Yoongi estava cansado e acabou dormindo. 

Eu decidi não sair de casa, nem pensar nisso na verdade. O Namjoon saiu do quarto e bateu na nossa porta. O Suga não acordou então eu fui atender.

"-Hey.. May, estamos sem leite, pode ir comprar pra nós? Eu vou ter que sair, então não posso ir. Aqui está o dinheiro." Ele me deu dez reais e foi pegar umas coisas e saiu. Aceitei e entrei de volta no quarto. 

Balancei um pouco o Suga, mas ele parecia mole e fraco. Coloquei a mão em sua testa e ele estava fervendo. O avisei de minha saída, já que a padaria é literalmente aqui do lado. Ele mandou eu não baixar a guarda e levar o celular, ele me esperaria.

Peguei o celular e um canivete. Saí e fui na padaria. Quando estava indo, me senti observada então apressei o passo. Um homem puxou meu ombro, mas ele só disse que meu celular havia caído. Agradeci, peguei de volta e fui até a padaria. Comprei leite com o dinheiro do Nam e umas balinhas com meu dinheiro. 

Na volta eu estava distraída pensando e acabei baixando a guarda, foi nessa hora que uma garota chegou em mim e me abraçou de lado, com um braço, mas ela tinha uma seringa com alguma coisa. Me senti tonta e perdendo os sentidos. Não conseguia me mexer. Telefonei para o Suga com o resto de movimento que eu tinha, mas ele estava mal, acho que estava domindo. 

Fui jogada num carro e amarrada lá. Desmaiei com dor de cabeça e tonta.

*quebra de tempo*

Acordei com uma dor horrível em todo corpo e principalmente no braço. Eu estava num lugar.. Uma casa? Um apartamento? Só sei que era completamente abandonado e sujo. Tentei me levantar, mas estava presa na cadeira. Eu estava num quarto, a janela estava coberta com um pano preto e o chão estava todo coberto, o que iam fazer comigo!?

Me balancei e tentei me soltar, mas não conseguia, a corda era muito firme. Ouvi um barulho no corredor e na mesma hora lembrei que tinha um canivete comigo, com muita dificuldade peguei o canivete. O barulho se aproximava e estava quase na porta. Arranhava a corda com o canivete cada vez mais rápido, cortando um pouco meu braço. Consegui soltar das mãos e para ir mais rápido eu desamarrei dos pés. 

Tirei o pano da janela e vi a altura, não era nada agradável, era alto de tirar o fôlego. A porta estava sendo destrancada, então decidi me pendurar na janela. Fechei-a e tentei descer de andar, algumas pessoas me observavam pensando ser uma tentativa de suicídio, mas ignorei e tentei ao máximo.

Acabei sendo percebida. Me estiquei e tentei me soltar para cair no próximo andar de baixo, na sorte. Mas alguém segurou minha mão e me puxou de volta. Caí no chão com um impacto horrívelmente doloroso. Levantei e tentei correr, mas fui puxada. Não tinha tempo de ver quer era para morrer. Corri pela minha vida, e não deu certo. 

Fui agarrada e tentaram colocar algo na minha boca e meu nariz, mas me recusei a respirar. Fingi estar adormecendo e perdendo forças. Me soltaram e arrastaram até a sala. 

Senti a pessoa puxar minha blusa, mas não fazia isso agressivamente. Me senti invadida e reagi inconscientemente. Furei a mão dele com o canivete e só ouvi os gritos de dor e ódio. Virei rápido e...

"NAMJOON? NÃO ENCOSTA EM MIM!"

"-VADIA PORQUE FUROU MINHA MÃO!?"

"VOCÊ TAVA TENTANDO ME ESTUPRAR SEU MERDA"

"- Eu já fiz isso antes mesmo" Ele sorri malicioso me jogando na parede com a mão sangrando. 

Ele me prendeu na parede e eu tentei lutar, mas eu era fraca em comparação a ele. O mesmo pegou uma arma e apontou para minha barriga, em direção ao meu estômago. Pensei que era o fim. O Yoongi estava morrendo em casa e...

"O YOONGI... O QUE VOCÊ FEZ COM ELE?"

"- Envenenei ele, mas não se preocupe. Sem ser tratado ele morrerá em breve." Falou me emprensando mais ainda na parede e sorrindo maliciosamente. 

Não podia fazer nada, ou eu morria... Tentei pegar a arma mas ele ameaçou atirar. Era o fim... Eu iria morrer alí sem ao menos ver o Taehyung, sem ao menos me despedir do Yoongi, sem ao menos dizer que amo eles. Sem ao menos saber se meu pai está vivo afinal... Vou encontrar minha mãe finalmente.

O Namjoon apertava meu pescoço cada vez mais e eu perdia possibilidade de respirar. Estava ficando inconsciente e...

O vidro quebra drasticamente e o Namjoon cai no chão ensanguentado. 

Eu caí no chão sem ar e respirando desesperada por oxigênio. Não entendi o que estava acontecendo, mas me senti bem. Olhei ao redor e não vi nada... Julgando de onde tinha vindo o tiro...

Um franco-atirador...

Arregalei os olhos e me afastei da janela me arrastando pelo chão. Em outro prédio, no topo, vejo alguém com uma arma enorme. Vestindo uma blusa branca de manga longa e uma calça jeans com um cachecol preto balançando ao vento agitado. 

Levantei meio tonta e fui até a janela. Olhei para aquela cena e..  Lembrei até de um filme. Não conseguia enxergar direito pois estava nublado e frio. O ar estava borrado. Mas tenho quase certeza de que... 

De que vi o Taehyung ali... 

Ele saiu andando e desceu do prédio... 

YOONGI...

Fui correndo para casa meio perdida de onde estava. Fui mancando e arfando. Cheguei lá e o Yoongi estava pálido, mais pálido do que já é. Estava suando frio e com uma aparencia péssima, com a boca entreaberta e os olhos fechados... O coloquei em minhas costas e o carreguei até um hospital.

Desenrolei um inglês nervoso e esperei ele ser atendido... 

Onde eu fui parar...



Notas Finais


Bem, capítulo muito muito curto. Posto quando conseguir. Até anjos
tchau


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...