História A excêntrica vida de Letícia Pouner - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Depressão, Morte, Romance
Exibições 13
Palavras 3.650
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Linguagem Imprópria, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 1 - Primeiro amor


Fanfic / Fanfiction A excêntrica vida de Letícia Pouner - Capítulo 1 - Primeiro amor

        Meu nome é Letícia Pouner, logo que eu nasci os médicos acharam um tumor no meu cérebro, eles conseguiram retirar o tumor só que eu cresci meia retardada.

       Quando eu fiz 12 anos lançaram uma tecnologia nova, no começo eu não entendia muito, mas agora acho essa tecnologia particularmente foda. Ela faz uma recontrução da parte danificaca do órgão/corpo, eles conseguiram reconstruir a parte danificada do meu cérebro e agora eu era uma pessoa "normal".

       Meu pai, Fernando Pouner, me ajudou a desenvolver a fala e me ensinou a andar. Minha mãe, Mia Pouner, me ensinou tudo que eu precisava saber para mim entrar no ensino fundamental.
     
       O governo me colocou ne uma escola e apesar de eu ter sido retardada pela minha infância inteira, eu era uma pré adolescente comum. 
  
       Na escola eu nao era muito popular, eu não entendia quase nada do mundo, era praticamente um bebê de 13 anos de idade, mas, dês do dia 01 de fevereiro, o dia em que começou as aulas eu vi que nao ia me dar muito bem com menina. 
  
       Eu fiz 3 amigos no segundo dia, os 3 eram funqueiros, isso é um estilo musical que só fala de como o homem vai comer a mulher de um jeito gostoso e exitante, um deles era meio falso, o Renan, o outro era bem zueiro e vivia no mundo da lua, o Nicolas e o outro sempre me subornava com as coisas que eu contava pra ele, o Eduardo.
 
        Apesar de tudo, eu achava eles incríveis, e eu era inocente, eles me ensinavam a viver.
  
         Com o passar do tempo eu fui aprendendo a conversar, fazer amigos e várias outras coisas... Meu amigo, o Nick, começou a gostar de uma menina bem meiguinha, me lembro como se fosse hoje, o dia em que eu descobri quem ela era:
  
         Estava muito sol, só que estava suportável porque estava de manhã, nós não estudávamos juntos, então eu sempre ficava solitária nas aulas, acho que é por isso que eu sempre tirava notas boas, estava no meio do ano, faltando apenas uma semana para as férias de verão e era um dia chato de segunda-feira. Eu tinha acabado de chegar na escola e passou um garoto fofo do meu lado, eu, como de custumi segui os olhos dele e olhei pra baixo, o Nick viu e logo falou:

- Olha só, Letícia Pouner, encarando a bunda daquele másculo jovem!

Dei um sorriso besta e começamos a conversar, os assuntos sempre eram os mesmos, festa, bebida, ficantes, celulares... O Nick gostava bastante dessas coisas então eu fingia que gostava também, eu meio que o imitava, porque as pessoas gostavam dele e eu queria que elas gostassem de mim.                                                               O Renan chegou, e logo passou uma menina que o Nick olhou, então eu falei:

- É impressão minha ou você está encarando a bunda daquela menina. "Oh my good", o mundo da voltas!

Ele também deu um sorriso besta. O resto do dia não foi tão interessante, eu não ficava junto a eles no recreio, ficava com uma colega da minha sala, mas na hora da saída peguei o Nick flertando com aquela mesma menina então eu logo falei:

- Ual, arranjou namoradinha nova?

- Ele acha ela bonita faz tempo, o nome dela é Olivia! - Apareceu o Renan do nada acrescentando isso.

- Mas se você gosta dela, por que não chama ela pra dançar?- falei isso com uma pitada de ironia pra eles rirem, mas logo venho o Renan dizendo.

- Derk! Derk! Eu sou a Letícia e to tentando fazer piada ( falou isso batendo na cara e me imitando)

-Deixa de ser troxa! - afirmei dando um sorriso besta, como sempre - Em, mas por que ?

- Porque eu sou tímido demais para isso e além disso tem a possibilidade deu levar um fora. - Falou o Nick.

Já era hora da saída então eu sai com o Eduardo, eu tava falando de um menino que eu conheci no natal, foi quando vi a garota do Nick e novamente ele olhou pra ela, ele estava logo atrás de mim.

Olhei pro nada enquanto andava e fui pensando de onde eu conhecia, logo venho, eu era da mesma creche que ela na infância de retardadices, mas ela era muito metida e sempre andava com meninas metidas, por isso não falava com ela, agora entendia o medo que ele tinha. Bem, isso não importava muito, então eu fui da escola até a minha casa falando do menino que eu tinha conhecido no natal.

Quando cheguei em casa eu peguei meu celular e fui conversar com o Nick, a gente conversava por meio de um aplicativo chamado wilsthap, de começo é bem difícil de falar, mas é só repitir wilsthap várias vezes que o nome fica na cabeça.

A gente conversava o dia todo e o engraçado é que a gente sempre tinha assunto, nós estávamos falando dela, mas não me aprofundei muito na conversa.

No dia seguinte, um monte de menina já estava sabendo que ele gostava dela e claro que todo mundo tentava juntar os dois. Já que esse era o assunto da escola eu fui no embalo, comecei a conversar com ela e tentava tirar minhas conclusões se ela iria aceitar ou não namorar com ele. Foi mo rolo, eu e as meninas vinhamos pra lá e pra cá como se fosse carteiro, mandando a mensagem de um para o outro.

E bir, aconteceu, eles estavam namorando, mas eles só conversavam por wilsthap, o tenso mesmo foi que ele não falava mais comigo como falava antes, sei lá, meio que esse namoro separou a gente, só que nem um dos dois percebeu isso.

Já havia passado uns cinco dias que nós não estávamos nos falando como antes, então ele me chamou:

- Oi, tá bem ? - perguntou ele.

- To zuzu, e tu? - respondi, mas na verdade estava com um pouco de saudade, só não quis comentar.

-Também - Respondeu ele. De alguma forma impossível, eu não tinha mais assunto com ele, aquilo foi bem estranho.

- Então, a dança tá dando certo ? - Perguntei a ele, só que ele não me respondeu, fiquei bem triste, pensei, só porque aquele filho da puta tá namorando ele me deixa de lado, mas não fiz questão de nada, apenas segui minha vida.

Nos outros dias eu conversei bastante com a Olivia, e de vez enquanto eu falava dele e ela falava que eles não se falavam muito, mas quando se falavam era legal.

Foi horrível ouvi aquilo, poxa, se ele não tá perdendo tempo nem com ela e nem comigo, é com quem então? Infelizmente não resolvi esse mistério.

Eu, o Eduardo e o Renan estávamos combinando de ir pro cinema, então apareceu o Nick, e perguntou:

- Nossa agora estão me excluindo até do cinema, é isso mesmo?

- Você que nunca está com a gente pra gente te chama ! - Falei pra ele - Mas se querer ir pode ir.

O resto do dia foi bem foda, só ficamos falando na escola de como vai ser legal a gente no shopping sozinhos. Mas, quando falei pra minha mãe, ela não gostou muito da ideia, difícil mesmo não foi fazer ela deixar, foi fazer ela liberar o dinheiro, eu não trabalhava, então quem tinha que pagar era ela, tive que passar pano na casa toda e lavar a louça pela semana inteira pra ela liberar 50 reais, mas valeu a pena, no começo das férias de manhãzinha só deu a gente zuando no onibûs, quando a gente chegou no shopping o Renan e o Eduardo foram comprar lanche e eu e o Nick fomos comprar as entradas pro cinema, só que ele ficou bem frio comigo, estava estranho e quieto, eu peguei e fui colocar a mão ao redor das costas dele e era pra ele segurar a minha mão como ele fazia antes, só que ele não segurou a minha mão, ele simplesmente começou a andar mais rápido, e eu fiquei bem triste, começou a passar milhões de coisas na minha cabeça, eu não sabia o que fazer. Compramos a entrada, eu não me lembro do filme, só me lembro que não conseguia parar de pensar no que ele fez. Minha cabeça estava mandando diversas possibilidades, claro, que ele estava namorando, mas quando ele começou a namorar ele ainda estava falando comigo, e ainda fazia coisas retardadas, só não conversamos por wiltshap, por que isso agora ?

Parei de pensar nessas coisas, não havia percebido, mas já estava bem perto de casa, estava com sono, então eu fui durmi, sem manda mensagens, sem ligar pra algum deles, apenas descansei.

Quando acordei, fui olhar o meu celular, e bem, lá estava, o Nick mandando "Bom dia" pelo wilsthap, cara, quando eu vi aquilo abri um sorriso imenso, mas eu não respondi, sei lá, não achei importante, e ele fez aquilo tudo comigo, ele ia aguentar um vácuo de 4 ou 5 horas.

Bem decidi responder, estava muito curiosa, de um jeito que nunca tinha ficado antes, logo venho ele:

- Desculpa por ter te tratado daquele jeito, okay ?

- Que jeito? - eu dei uma de sonsa fingindo que não sabia do que ele estava falando.

- Ah, aquele jeito no cinema, eu fui meio grosso, só porque estou triste, descontei em você. Esqueci de pedi, mas, termina com a Olivia pra mim ?

Cara, nesse momento eu fiquei tipo O-Q-U-E ? sério, era impressionante, porque aquilo era quase impossível, ele tinha a menina mais meiga, legal e linda com ele e ele não quer mais ? Algumas coisas tinham de ser respondidas. 

- Por que, não quer mais ? E triste ? Eu to tipo como assim cara ? - Falei para ele na intenção de fazer tipo um daqueles interrogatórios polícias.

Então ele começou a me contar uma história :

-Eu conheci uma menina - dizia ele - ela é um pouco gordinha, tem olhos castanhos, cabelos longos iguais ao seu, e cara ela tem um sutaque lindo do sul, você sabe como eu amo o sutaque do sul ?

- Continue - escrevi curiosa.

- Bem, sabe o Felipe, o meu primo, então ele também começou a gostar dela e bem, faltava 1 dia pra ela ir embora só que o Felipe foi lá e falou coisas absurdas pra ela ! - já dava pra vê que a encrenca era esse Felipe.

-zZzZzz - enviei para ele porque ele havia parado de digitar.

- Bem, ele falou que sabe... Eu me masturbei pensando nela, só que não é verdade! Non que ela não seja gostosa nem nada, só não é verdade. Quando fui tentar explica, ela foi embora e só me falou em um tom um pouco arrocante " sai daqui seu pervertido ". - cara só dava pra pensar ne como o Felipe tinha dado uma mancada gigante com ele - :c - enviou ele.

Sinceramente, eu não sabia o que falar, eu só fiquei pensando no por que ele não ter me contado antes, cara isso foi mancada, não a do Felipe, a dele, se eu cagasse no meio do mato porque não consegui segurar eu iria contar pra ele... Mas como sempre não me irritei, apenas bebi um copo de leite e fui durmir, estava de tarde, mas eu estava de férias, eu merecia.

Bem já deu pra vê que a minha vida era insuportável, não acontecia nada, eu durmia, desenhava e comia, tirando as necessidades básicas. Bem, eu passei as 2 primeiras semanas das minhas férias assim, só que num dia fatídico de sábado o Nick me chamou, sim, ele me chamou e ele insistia na ideia de terminar com a Olivia, e eu, eu achava loucura, se eu fosse homem ou bissexual eu iria querer ficar com ela, as vezes achava ele completamente louco e foi o pedido dele que me comprovou isso:

- Oi Lê - Falou ele empolgado por ter me encontrado no super mercado - tá bem?

- Oi - Falei isso com a cara, de nossa 2 semanas chatas realmente parece 1 ano - sim, e tu ?

- Mano, eu nem te falei né, eu perdi meu wiltshap, to com um código novo e tenho um negócio pra te pedir!... - afirmou ele tirando uma caneta do bolso para anotar o código - tem papel ae ?

- Anota na minha mão mesmo - falei as préças tentando ir embora se não minha mãe iria brigar.

- Beleza entao - enquanto ia anotando ele falava - você me chama tá ?

- okay, tchau! - afirmei já saindo do super mercado então senti uma mão me puxar e ouvi ele dizer " e o meu beijo de tchau? " dei um beijo em seu rosto e sai, aliás minha mãe estava contando os segundos pra mim chegar em casa.

Quando cheguei em casa, tinha esquecido de chamar, então fui comer macarrão, o macarrão da minha mãe era incrível, sabe quando você termina de comer e depois lambe o prato de tão bom que estava, então o macarrão dela era assim. Quando terminei de comer eu ouvi meu celular apitar, vi na tela de bloqueio o código que o Nick avia me passado, nesse momento eu sabia que era ele, então logo me apressei:

- Oi, nem me chamou né - enviou ele.

- Esqueci, estava comendo macarrão, sabe como é né, macarrão é macarrão! - mandei para ele.

Digitando... Ficou assim durante um minuto e eu um pouco curiosa pra saber o que é, só que a energia havia acabado, cara, justo quando as coisas estão ficando boa a porra da energia acaba.

Nas férias o Eduardo se mudou pro lado da minha casa, éramos vizinhos, só que ele sempre estava na rua ou no campo jogando bola, por isso quase nunca ia lá, só que hoje ele estava.

Então fui lá, meu dia já estava um tédio mesmo.

- Oi Du - falei eu.

- Oi madalena, heheh - ele falou assim porque era o nome da minha vó então minha mãe me chamava assim e ele viu...

- Heheh, besta, fez o que de bom hoje ? - perguntei na intenção de puxar assunto.

- Tomei banho ! - falou ele - e você ?

- Pelo menos vejo que não é só eu que estou ne um tédio nessas féria - nós dois rimos - eu fui no super mercado e vi o Nick, ai ele falou que ia me pedir um negócio, será que é pra terminar com a Olivia, ele é tímido pra caralho...

- Sim, mas acho que é outra coisa! - afirmou ele com um ar de mistério.

- O que Du ? - perguntei muito curiosa.

- Sei lá, ele sempre falou que - Biiiii - interrompeu o barulho dos aparelhos ligando quando a energia chegou - que se ele não desse certo com a Olivia iria te pedir em namoro!

- Sério ? - perguntei mal acreditando no que ele falou.

- Se eu to falando né ! - afirmou ele.

Bem, ao invés de ir correndo pra ir vê se ele enviou algo mais, eu fui brincar de esconde esconde, eu não estava fazendo praticamente nada nas férias, então eu ia aproveitar, eu e o Du chamamos alguns vizinhos e ficamos brincando na rua, lá era morro, então não tinha muito carro.

Já estava de noite quando fui pra casa, então fui vê meu celular:

- Sabia que eu terminei com a Olivia ? - enviou ele há 2 horas atrás.

- Não, e você tá bem? - perguntei eu preocupada.

- Sim, mas mudando de assunto, vamos fazer um jogo? - perguntou ele.

- Beleza, como é ? - perguntei eu intrigada para começar.

- É pedra, papel e tesoura, um de nós conta até três e enviamos o emoji de qual você escolheu, caso eu ganhar, tenho direito a um beijo ou um pedido, caso você ganhar, tem direito a me dar um tapa ! - Falou ele e começou a contar - 1 2 3 já.

Eu ganhei as duas primeiras vezes e na última ele ganhou. Já era 1 hora da manhã, então ele enviou o pedido:

- Então a gente é amigo a um tempo e tals, você sabe tudo sobre mim e eu aei tudo sobre você e eu meio que confio bastante em tu sabe... É difícil de explicar, mas então, quer namorar comigo ?

- Vou pensar, te falo depois! - Falei pra ele tentando me fazer de difícil.

Faltava duas semanas pras férias acabar, então eu fui pra casa da minha tia, eu até poderia levar meu celular, porém, pelo fato dela ter se mudado recentemente pra lá, não havia wifi, então não vi a necessidade de levar.

Lá foi bem legal, apesar deu não ter saído da rotina, mas, a gente ia bastante pro cinema já que ela morava perto então, era bem melhor do que a minha casa.

No último dia fui pra casa de um tio meu que morava lá perto então, minha prima fez um banquete enorme, e eu era bem fominha, em questão de comida aquele dia foi magnífico. Porém não ficamos só comendo, também brincamos de mímica, parece que sempre que a família se reúne tem que ter uma brincadeira como essa.

Quando eu voltei pra casa eu abri meu wiltshap, e não havia tantos "oi" como eu esperava, o Nick tinha me chamado, só que eu acho que não me chamou tanto porque mostrava quanto tempo eu havia ficado sem mexer no aplicativo, então não respondi nada, faltava apenas dois dias pra voltar as aulas então já que ele esperou tanto tempo, daria pra aguentar mais um pouquinho.

Eu pensei que esses dias iriam passar bem rápido, só que bem, os dias passaram, as madrugadas é que foram longas.

Eu não sei se as pessoas entendem, mas sabe quando você fica imaginando uma vida toda com a pessoa, então isso é mo besteira, mas eu imaginava e eu não conseguia parar, acho que é a ansiedade que fazem momentos incríveis ou coisa do tipo serem tão horríveis, então a ansiedade é a pior emoção que o ser humano pode ter.

Os dias passaram, então as minhas aulas voltaram, quando voltaram, eu fiquei bastante amiga da Olivia, já estava considerando-a. Eu não falei com o Nick nesse dia, acho que ele tinha faltado, mas foi bom, acho que se ele estivesse vindo eu não teria ficado sozinha e assim não teria falado um a com a Olivia.

Quando cheguei em casa, eu mandei mensagem pra ele:

- Oi - disse eu achando que estava incomodando ele.

- Finalmente :p - afirmou ele com um ar de saudade - então já sabe a reposta ?

- Tá pode ser, mas tenta não contar pra ninguém ! - falei eu com medo de minha prima saber e contar pra minha mãe.

Então começamos a conversar, ele tinha um irmão pequeno que era bem fofo, e eu ficava pedindo ele em casamento, porque cara, ele era muito fofinho e ele sempre falava " tá bom gatinha " e eu e o Nick riamos. 

Nesse mesmo dia, a Olivia ficou sabendo do nosso namoro, então ela me envia pelo wiltshap:

- Nossa, você podia pelo menos abrir meus olhos, que bela amiga você é em ! - eu decidi não responder, aliás eles haviam terminado, porém fiquei triste, pois de alguma forma eu adorava o jeito dela de ser.

Eu fui pra casa do Eduardo contar a grande notícia e cara eu estava feliz, sabe, quando você analisa tudo e vê que era pra realmente ser aquilo, então o Eduardo aparece do lado de fora pela porta dos fundos e ficamos conversando a noite toda na calçada da casa dele.

No outro dia, eu fui pra escola normalmente, ninguém estava comentando do nosso namoro, então eu fiquei feliz.

Estava na época de trabalho escolar, então pra ficar mais fácil de administrar e todo mundo conseguir formar o grupo a professora juntou as duas salas, decidimos fazer eu, o Renan, o Nick, o Du e o Fernando, um menino da sala deles que era bem preguiçoso e adorava seu ps4.

Essa decisão foi bem importante em minha vida, porque foi justo na casa desse menino, o Fernando, que dei meu primeiro beijo.

Foi no primeiro dia que fui na casa dele. Nós estávamos brincando de esconde esconde, como sempre.

O pai dele era Dj, então, lá avia tipo uma arquibancada do lado de fora para festas da família ou coisa do tipo.

Eu e o Nick ficamos escondido atrás dessa arquibancada e foi lá que nos beijamos.

Depois desse dia, eu não ia pra lá pra fazer trabalho, eu ia lá pra ficar com ele, e foi assim durante 1 semana.

Era incrível, parece que quando a gente começa, não conseguimos parar.

Lógico que isso ia dar o que falar, e nessa 1 semana, todo mundo ficou sabendo do nosso namoro e não só do namoro, também das multi vezes que nós ficamos na casa do Fernando.

Ao invés de todo mundo ir cuidar da vida deles, eles cuidam da nossa. O ruim nem é isso, o ruim é que esse namoro não durou tanto tempo quanto eu estava esperando.

Na segunda semana de namoro, uma menina, chamada Yasmin, ficava fazendo carinho na orelha dele, e cara como eu odiava aquilo.

Outra, começou a gostar dele e quando eu perguntava pra ela se ela realmente gostava, ela falava "não Letícia, você que é louca, acha que todo mundo tá gostando dele só porque você gosta".

Bem foi ne um dia de quarta que tudo começou a dar errado, eu ficava com bastante ciúmes da Yasmin e da outra, então comecei a fazer novos amigos e quando eu ia abraça-los dava um abraço bem forte e gostoso, pra tentar fazer ciumes pra ele, só que bem, não deu muito certo, ao invés disso fiquei com uma fama ruim de puta, e eles não só falavam, eles aumentavam também.

Eu e o Nick terminavamos e voltavamos



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...