História A fã - Capítulo 26


Escrita por: ~

Postado
Categorias Emilia Clarke, Ian Somerhalder, Michael Jackson
Tags Fanfic Michael Jackson
Visualizações 102
Palavras 3.179
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


OMG! Eu nem acredito que demorei tanto assim para postar o cap. Gente me perdoem e nunca desistam de mim e da fanfic.
Como eu disse para uma leitora, aconteceu que eu estava sem tempo para escrever e o tempo que eu tinha, eu escrevia e apagava e se repetiu várias vezes.
Eu não coloquei mais coisa nesse cap se não ele ficaria gigantesco e como terça feira é feriado onde eu moro e meu serviço emendou a segunda, devo postar o próximo cap em breve.
Enfim....
Espero que vocês gostem do cap e boa leitura. <3

Capítulo 26 - Baladeiros


Fanfic / Fanfiction A fã - Capítulo 26 - Baladeiros

- Olá. – Disse ele com o semblante que parecia estar mais surpreso que o meu.

- O que está fazendo aqui? – Perguntei entre risos. Fiquei muito surpresa por ve-lo ali, afinal, ele sabia que eu iria estar naquele restaurante e não comentou nada.

- Eu? Hum... Fiquei com uma certa fome e decidir vir comer em um bom restaurante, trouxe até Agnes para me acompanhar. – Disse ele estranhamente, franzi o cenho não acreditando muito.

- Oh sim. – Balancei a cabeça positivamente. – Porque vocês não se juntam a mim e Ian? – Perguntei enquanto mexia em meus dedos.

- Não, não queremos atrapalhar seu encontro. Tem total privacidade com o Ian – Disse ele com o tom irônico na voz.

- Vocês dois não atrapalham nada, Michael. E o que você quis dizer com ‘’Total privacidade’’? – Me incomodei com o jeito que ele disse.

- Nada, mas mesmo não incomodando, vou recusar o convite, obrigado. – Ele arqueou suas sobrancelhas. Michael não tinha apenas o tom da voz irônico, toda sua feição e gestos transmitia sua ironia.

- Porque você está agindo assim?

- Assim como? Eu estou agindo normalmente, Maitê. Só acho estranho você está indo jantar com um estranho.

- Ian não é estranho, ele é seu amigo. 

- Ele é estranho para você. 

- Tá bom, Michael. Tenha uma boa noite! – Falei com um tom de voz levemente ríspido, passei por Michael e fui caminhando na direção do banheiro, adentrei e vi uma senhora de cabelos ruivos parada em frente o grande espelho retocando seu batom. O banheiro era tão luxuoso e limpo que alguém poderia comer em seu chão, o cheiro de ervas exalava por cada canto. Aproximei do espelho me posicionando ao lado da senhora.

- Não precise arrumar nada, você está linda. – Disse ela sem tirar o olhar de seu reflexo.

- Obrigada. – Dei um sorriso tímido.

- Quantos anos tem, minha pequena pombinha?

- 24.

- Ah eu com 24 anos... Tinha qualquer homem aos meus pés, hoje já estou velha, tem jovens a minha procura, mas nós sabemos o motivo. – Disse ela agora pegando um lápis marrom em sua bolsinha preta e contornando sua fina sobrancelhas. Com toda certeza ela era rica, se referiu a homens procurando ela por dinheiro. Eu não sabia o que dizer no momento, então apenas sorri, mesmo sabendo que ela não prestava atenção em mim. Olhei para meu reflexo e a senhora tinha razão, não havia nada de errado com o meu rosto ou roupa, as pessoas lá fora que eram loucas.

- Se eu fosse você, eu deixaria os jovens virem até mim, faria com eles o que quisesse e depois os deixariam sem nada. – Falei enquanto olhava ela acabar de contornar sua sobrancelha, a senhora finalmente olhou para mim e parecia sem palavras, sorri para ela e sai do banheiro.

Caminhei pelo corredor e quando sai dele, avistei Ian sentado junto a Michael na mesa que ele estava. Eu ainda me sentia mal pelo jeito que Michael havia falado comigo, mas eu não podia ignorar Agnes e Ian que agora acenava disfarçadamente para mim.

- Olha quem está aqui, Maitê. – Disse Ian alegremente olhando para mim ao me aproximar da mesa.

- É... Eu havia me encontrado com ele quando estava indo ao banheiro.

- Oi amiga. – Agnes acenou com uma de suas mãos.

- Oi, amiga. – Sorri com os lábios fechados.

- Porque não ficamos em uma só mesa? – Pergunto Ian alternando o olhar entre nós três.

- É... Porque não ficamos, Michael? – Falei com um tom de ironia, Michael arqueou as sobrancelhas para mim.

- Eu acho melhor irmos para um lugar onde possamos nos divertir, esse restaurante parece mais um velório. – Disse Agnes encostando mais as costas na cadeira, nesse momento, já éramos o centro da atenção do restaurante.

- Você tem algum lugar em mente? – Perguntou Ian curiosamente.

- Sim. Aquela boate que fomos, lembra Maitê? Ela é legal.

- O que acha Maitê? – Ian perguntou para mim.

- Acho bom, mas deixando claro que não vou ficar bêbada.

- Espero que vocês se divirtam, eu vou voltar para casa. – Disse Michael levantando da cadeira.

- Não Michael, vamos conosco? – Convidou Ian, todos olharam para ele esperando alguma resposta. Eu queria e não queria que Michael fosse. Queria porque eu sempre amei sua companhia e seria legal ele fazer algo diferente, algo que o fizesse se sentir ‘’normal’’. Não queria porque ainda me sentia furiosa pelo jeito que ele havia falado comigo, como se minha saída com Ian tivesse segundas intenções de ambas partes.

- Vamos Mike, vai ser legal você fazer algo diferente. Já é noite e lá é escuro, ninguém vai te reconhecer, você só coloca os óculos. – Disse Agnes entusiasmada.

- Está bem. – Disse ele sorrindo, Ian levantou da cadeira se posicionando ao lado de Michael que tinha suas mãos para trás.

- Vou lá conversar com o garçom. – Disse Ian saindo de nossa presença.

- Eu vou ao banheiro. – Disse Agnes saindo logo atrás de Ian deixando Michael e eu sós. Um silêncio insuportável pairou sobre nós, aquela foi a primeira vez que Michael e eu ficávamos juntos sem conversarmos iguais duas maritacas, algo tão incomodo. Ambos pareciam estar chateados um com o outro, mas eu tinha motivos e ele? Quais eram os dele? Tentei não olhar para ele, fiquei observando Ian, quando caminhava em nossa direção junto ao garçom, me senti aliviada.

- Gostaria de fechar sua mesa, Senhor Jackson.

- Sim. – Michael tirou do bolso de sua calça preta uma quantia em dinheiro. – Isso pagará o vinho e a sua gorjeta. – Disse ele entregando quatro notas ao garçom que as contou em suas mãos.

- Muito obrigado, Senhor Jackson. – O garçom reverenciou e virou de costas para nós voltando ao seus fazeres, Agnes já vinha caminhando em nossa direção.

- Vamos? – Ela aproximou enquanto passava as mãos em seu cabelo.

- Vamos. – Falei de modo desalento.

- Michael, você pode dispensar seu motorista. Eu levarei vocês em casa. – Disse Ian ao sairmos do restaurante.

- Ok. – Michael assentiu com a cabeça indo até o seu carro parado próximo ao restaurante. Ian abriu a porta da frente para mim e a de trás para Agnes, entramos juntas. A ida a boate poderia ser legal e eu poderia saber o motivo pelo qual Michael me tratará tão mal. Ian entrou no carro e instante depois Michael entrou sentando ao lado de Agnes.

- Então, para onde sigo? – Perguntou Ian girando a chave na ignição e ligando o carro.

- Siga para o centro de Los Angeles, de lá eu te guio. – Disse Agnes apoiando entre os dois bancos da frente.

- Ok. – Ian engatou a primeira marcha e saiu com o carro.

Agnes veio contanto sobre minha tragédia de bebedeira o caminho todo, Ian só fazia perguntas e perguntas fazendo o assunto render mais do que o necessário, Michael veio calado praticamente o percurso todo.

Não demorou muito para chegarmos, Ian demorou um pouco para achar uma vaga próximo a boate, foi encontrar uma só na rua de trás. Michael colocou os óculos e prendeu seu cabelo em um rabo-de-cavalo baixo.

- Não é te desanimando, mas você costuma aparecer assim em público. – Falei olhando para Michael ao sairmos do carro

- Ah o quê que tem? O máximo que pode acontecer é ter alguns fãs dentro da boate e pedirem autógrafos, mas acho que ninguém vai reconhece-lo. – Disse Agnes, Michael não comentou nada.

- Parece estar animado lá dentro. – Comentou Ian que se posicionou ao meu lado, já dava para escutar a música tocada.

- Lá é bem animado mesmo. – Agnes disse, então, começamos a andar na direção da entrada da boate.

Tinham poucas pessoas na fila. Esperamos e instante depois já andávamos no meio das pessoas lá dentro, para nossa sorte, ninguém tinha reconhecido Michael a não ser o segurança da boate que o reconheceu quando entramos. A música work it out tocava alto, pessoas dançando ela desajeitadamente no meio da pista.

- Vou pegar uma bebida, o que vocês vão querer? – Perguntou Agnes entusiasmada ao pararmos no canto da boate, todos inclinamos um dos ouvidos em sua direção para podermos escutarmos melhor.

- Pode me trazer duas doses de vokca. – Disse Ian, Agnes inclinou o ouvido na direção de Ian e fez o mesmo com todos.

- Uma dose de vinho, por favor, apenas uma. – Disse Michael.

- Eu quero uma caipifruta de morango sem álcool. – Falei, Agnes revirou os olhos e saiu de nossa presença. Michael observava as pessoas em volta enquanto mexia os pés no ritmo da música, não dava para ver sua verdadeira expressão por causa dos óculos, mas eu achava que ele estaria se divertindo vendo como as pessoas se comportavam. Ian começou a mover os pés junto a Michael.

- Acho que ela só se solta bêbada. – Comentou Ian com Michael, ele me olhou e sorriu, parecia um sorriso verdadeiro.

- Se este for o caso, jamais me verá solta. – Falei olhando para ele.

- Ela se solta em outras ocasiões. – Michael disse com o tom irônico, isso me fez rir.

- Voltei. – Disse Agnes com as mãos cheias de pequenos copos, não avistei minha caipifruta.

- Onde está minha bebida? – Perguntei observando ela entregar cada bebida.

- Aqui. – Ela me entregou um pequeno copo de Vodka.

- Eu não irei beber isso, sabe que sou fraca para bebidas. – Disse olhando para Agnes que já derramava o liquido em sua boca, Michael e Ian estavam nos olhando.

- Para de ser chata e beba. – Ela me olhou, balancei a cabeça negativamente, olhei para o liquido dentro do pequeno copo e o levei a minha boca entornando todo dentro da mesma. A bebida desceu queimando sobre minha garganta, sentir aquele gosto novamente não foi nada bom. 

- Olha a careta dela. – Disse Agnes, e foi o que fiz, uma careta horrível, todos riram.

- Vamos dançar. – Agnes puxou Michael pelo braço e o levou até a pista de dança.

- Vamos né. – Disse Ian. – Pode dançar comigo? – Ele estendeu a mão para mim.

- Claro. – Segurei sua mão e fomos para pista de dança. Agnes estava divertindo Michael, ele ria enquanto dançava com ela. A música que passava era Blue Sued Shoes. Ian me rodava animadamente e aquilo era engraçado. Quando a música foi trocada e eu voltei minha atenção para Michael, Agnes não estava mais com ele e sim uma mulher loira, ela parecia não reconhecer ele, tenho que admitir que fiquei com ciúmes ao ve-lo se divertindo com outra.

- Mais uma. – Agnes chegou próximo de nós e estendeu o copo para mim, revirei meus olhos, peguei o copo de sua mão e tomei de uma vez. Aquilo se repetiu várias vezes e como da primeira vez, depois do sétimo gole eu já não me sentia normal.

 

Michael on:

Eu já havia perdido as contas de copos de Vodka que Maitê e Agnes haviam bebidos, as duas já estavam totalmente alteradas. Elas dançavam com algumas pessoas, Ian também dançava, mas estava sóbrio. No momento, eu me encontrava do canto da boate olhando as pessoas em volta. Ninguém havia me reconhecido, as pessoas estavam se divertindo o bastante para  repararem em mim, e como Agnes havia dito, a boate era escura, iluminada apenas pelas luzes coloridas.

Coloquei toda a minha atenção em Maitê, que dançava provocantemente com um homem desconhecido. Como ela era sexy quando queria ser e neste momento, não era só eu que reparava isso, Ian também não tirava os olhos dela. Como eu estava me divertindo e olhando os dois de perto, meu ciúme sumiu. Agora eu só pensava na possibilidade de Ian aproveitar a situação e tentar algo com Maitê. Ian foi chegando mais perto de Maitê, ela o olhou e começou a dançar com ele, a música que tocava era Girls Just Want To Have Fun de Cyndi Lauper, uma grande amiga. Ian entrelaçou as mãos na cintura de Maitê e ela em seu pescoço, suas testas tocando uma na outra e se movimentavam no ritmo da música. Era uma cena desprezível de ver. Aproveitei que a música já estava quase no fim e comecei a caminhar na direção deles.

- Michael, onde você se meteu? – Agnes veio até mim, suas palavras saiam emboladas, era engraçado ve-la assim.

- Eu fui descansar um pouco, mas já estou pronto para dançar mais. – Olhei para Maitê e Ian um pouco a nossa frente, Agnes olhou na mesma direção.

- Isso, chame Maitê para dançar ou vai perder ela para Ian. – Disse ela entre risadas e voltou a dançar com um rapaz que dançava antes. Voltei a andar na direção de Ian e Maitê.

- Oi, será que posso ter a honra de dançar com você a próxima música? – Me posicionei ao lado deles, Maitê olhou para mim assim como Ian.

- Você quer dançar comigo? Algumas horas atrás estava me tratando mau. – Disse ela da mesma forma que Agnes, embolado.

- Me desculpe, mas quero dançar com você.

- Tudo bem, Mike. – Ian se afastou de Maitê.

- Obrigado. – Segurei a mão de Maitê e posicionei em sua frente. Mesmo bêbada e altera, ela continuava linda. A música Total Eclipse Of The Heart começou a tocar, uma música bastante melancólica, mas linda. Coloquei minhas mãos sobre a cintura dela e ela em volta do meu pescoço, Maitê me olhava em meus olhos, ela tinha seus olhos caídos.

- Você está se sentindo bem? – Perguntei dançando lentamente no ritmo da música.

- Não, eu odiei a forma que você me tratou. – Disse ela tristemente.

- Me desculpa, Maitê, é que eu não gostei da ideia de ver você e Ian juntos.

- Nós só fomos jantar, só isso. – Ela disse, seus olhos agora estavam cheio de lágrimas, eu nunca havia visto ela tão triste. – Você havia pensado o pior de mim, não é?

- Me desculpa?

- Tudo bem, eu te perdoou. – Maitê deitou sua cabeça sobre meu peito, levei uma de minhas mãos atrás de sua cabeça. Finalmente tudo estava bem, quer dizer, tirando ela estar totalmente bêbada, percebi que meu ciúme era inútil. O modo como me olhava, parecia que tinha algum sentimento por mim, mas como eu poderia descobrir? E se eu perguntar? Seria tão fácil. Afastei o rosto de Maitê do meu peito e a olhei. 

- Maitê?

- Hum? – Disse ela me olhando.

- Você... Hum... – As palavras pareciam fugir dos meus lábios, respirei fundo e juntei coragem e quando eu ia acabar de fazer a pergunta, Maitê  me empurrou repentinamente, agachou e vomitou quase em cima do meu pé. Algumas pessoas em volta ficaram olhando.

- Maitê? Maitê você está bem? – Ian correu até ela segurando um de seus braços, ela não respondeu, estava ocupada de mais vomitando. 

- Maitê? – A chamei, ela não estava bem. Ian agora segurava seu cabelo para ela não o sujar, porque ele está cuidando dela? Quem tem que cuidar é eu. Cheguei mais perto e segurei o outro braço dela levantando seu corpo.

- Vamos embora, Maitê. – Falei, ela passou as costas de sua mão em sua boca. 

- Não, eu levo ela para Neverland, você está sem carro. – Disse Ian segurando o outro braço dela, Maitê tinha sua cabeça baixa.  

- Não, pedi para Brian vir para cá e esperar sairmos.

- O que está acontecendo? – Agnes chegou atrás de Maitê.

- Eu vomitei no Michael – Disse Maitê entre risos. – Me desculpa Mike. – Ela olhou para mim. Me cortava o coração ve-la naquele estado. 

- Sim, agora vamos embora. – Puxei Maitê para mais perto de mim livrando o outro braço dela das mãos de Ian. Todos saímos com uma certa dificuldade da boate, Maitê apoiada em meus ombros.

Procurei o meu carro entre os que estavam estacionados próximo a boate e o encontrei perto da porta de saída. Caminhamos até lá e abri a porta para Maitê que entrou junta a Agnes, que também não estava nada bem. 

- Será Maitê vai ficar bem? – Perguntou Ian quando fechei a porta do carro.

- Vai sim, irei cuidar dela, é só efeitos colaterais da bebedeira.

- Está bem, eu me divertir bastante, queria dizer isso para ela e Agnes.

- Eu digo a elas. – Arqueei uma de minhas sobrancelhas.

- Ok, até mais Mike. – Ian estendeu a mão para mim que a apertei. Entrei no carro e logo Brian saiu com o mesmo dali.

Maitê e Agnes apagaram dentro do carro, já estávamos dentro de Neverland e Brian estacionou próximo a minha mansão e a casa dos funcionários.

- Brian, você pega a Agnes e eu a Maitê, ok? – Falei enquanto ainda estávamos dentro do carro, Brian assentiu com a cabeça, saiu do carro e eu também. Por mais que tenha sido uma noite conturbada, eu tinha me divertido e estava vivendo algo que nunca havia vivido. Será que é assim que as coisas são? As pessoas vão para boate, se divertem e quem não bebe paga o pato. Também eu tinha visto o quanto Maitê era uma garota correta, visto que eu fui um babada por achar que ela iria ficar com Ian. 

Abri a porta de trás do carro, entrelacei os braços de Maitê sobre meu pescoço e puxei ela para mais perto de mim, coloquei um de meus braços por baixo de suas pernas e o outro braço coloquei em suas costas tirando ela de dentro do carro em meu colo, Brian fez o mesmo com Agnes. Equilibrei o peso dela em meu colo e comecei a caminhar com Brian ao meu lado. 

- Como eu não sei qual são os quartos delas, vamos para minha casa. Lá tem quarto para as duas. – Falei enquanto caminhava com Maitê em meu colo, Brian assentiu com a cabeça. Maitê abriu os olhos e me olhou, seus olhos estavam sujos com o lápis preto. Ela escondeu o rosto em meu peito e apertou mais seus braços em meu pescoço.

Entramos na mansão, subimos os degraus da escada, tenho que admitir que essa foi a pior parte, eu já estava cansado e subir com ela no meu colo não foi fácil, com muito custo, cheguei no corredor dos quartos. 

- Pode colocar Agnes naquele quarto. – Indiquei com a cabeça um quarto ao lado do que eu iria colocar Maitê. Abri a porta do quarto com dificuldade por minhas mãos estarem ocupadas com o corpo dela e entrei no mesmo. Coloquei ela na cama o mais delicado possível e sentei ao seu lado.

- Senhor, eu vou dormir. O Senhor precisa de mim para mais alguma coisa? – Perguntou Brian olhei para a porta do quarto que era onde ele estava.

- Não, muito obrigado Brian, pode ir descansar. – Sorri com os lábios fechados.

- Boa noite, Senhor. – Brian saiu. Fiquei um tempo olhando Maitê deitada, acho que ela bebeu mais do que a primeira vez. Pensei na hora. Inclinei meu corpo para mais perto dela e depositei um beijo em sua testa.

- Boa noite, Maitê. – Sussurrei mesmo sabendo que ela não ouvia. Levantei da cama e sai do quarto. 


Notas Finais


Então gente, o que acharam do cap? Maitê ficou mal pra caramba.KKKKK Mike tão fofo cuidando dela.
Não esquecem de deixar o comentário de vocês ai, eu me alegro muito lendo a opinião de vocês e o que estão achando da história. Mais uma vez, desculpem pelo atraso, mas espero que vocês me compreendam.
Beijos e até o próximo cap que sairá em breve.
(Me desculpem se tiver algum erro, irei revisar o capitulo ainda hoje)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...