História A fada guardiã do herdeiro perdido - Capítulo 40


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Exibições 12
Palavras 1.319
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Harem, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oiii espero que estejam animados.. Kaiymi 😢😢😭😭. jdjdjf.

Capítulo 40 - Martírios.


Fanfic / Fanfiction A fada guardiã do herdeiro perdido - Capítulo 40 - Martírios.

   - NÃO. YOONGI! – gritei e senti meus olhos transbordarem lagrimas, não pode ter sido eu. Isso tudo é uma alucinação, eu nunca machucaria ele desse jeito, nunca o machucaria, nunca o deixaria cair e não fazer. – Yoongi. – choraminguei, eu não poderia tê-lo matado.

   Não sei quanto tempo fiquei ali, meus olhos estavam úmidos e doíam de tanto que eu chorei, suspirei cansada, até por que isso não traria o Su... Yoongi de volta, suspirei novamente, nada o traria de volta. Meus braços estavam doloridos de tanto que sustentavam o meu peso, e minhas pernas pareciam que iriam cair do meu corpo, eu mereço está aqui sentido toda essa dor, ela ainda é pouco em comparação ao que eu fiz com ele, isso não tem perdão, como os meninos devem está agora? Odiando-me, eu tenho certeza.
   A empresa, seus familiares e amigos? Sem contar com as fãs? O que devem ter falado? Como ficará as coisas a partir disso, eles nunca deixaram de me odiar e culpar, e eu mereço, é mais que justo, pois eu o matei com minhas próprias mãos e tenho que viver com isso. Não, não irei viver, mas irei vagar e sofrer internamente até meu corpo desfalecer totalmente com saudades dele e seus sorrisos, doces e perfeitos sorrisos.
   - Ficar se lamentando não fará você voltar. – uma voz áspera soou na escuridão da masmorra, não dei importância, não ligo seja quem for. – Tem que fazer algo se quiser volta. – Não importa, vá embora, quero ficar só.
   - Acho que você não entende, mas irei te falar. Você tem que volta, não pode ficar aqui presa para sempre, tem que volta. – Eu não quero, prefiro ficar aqui a ver tudo de ruim que causei a eles, isso seria de mais para mim. Seria pior do que tê-la deixo sozinha.
   - Não mais iremos ficar sozinhas, pois temos uma à outra. Eu serei sua irmã mais nova, em mim terá carinho, compreensão e força e você será minha fortaleza, não é? – Claro, irei te proteger de tudo e cuidarei de você.
   A sua doce voz encheu aquela masmorra escura e fria, eu ainda podia ouvia na minha mente, sinto seu sorriso e cada vez que a vi feliz, me coração apertou e balancei meu corpo preso pelas correntes, sentir as dores aumentarem gradativamente, e gritei, não me importando se ninguém pudesse ouvir.
   - NÃO. Saia da minha mente, eu não quero lembrar, me deixei morre solitária, me deixei em paz, eu não quero me lembra dela. – chorei muito mais, as lagrimas pareciam sair dos meus olhos como a chuva cair das nuvens, meu rosto estava molhado e não conseguia enxergar nada, somente a escuridão, nada, além disso, enquanto dentro do meu peito o meu coração, ou pelo menos, o que restou da metade dele em mim. – Não, saia e me deixe morrer. – minha voz estava muito rouca e baixa, quase inaudível.
   - Você não é forte como deveria ser guardiã. – ela soou ao meu ouvido, baixa e acida, mas eu não me importei, eu não tinha forças para mais nada. – você não merecia o que ele tinha para lhe dá, não merece ser o que é, pois é fraca demais, não tem determinação para continuar depois de cair.
   Sentir uma sombra de alguém ao meu lado, frio, era tudo o que vinha do ser, seja quem for ou o que for, eu não conseguia fazer nada, além de ficar parada e ouvi o que tinha a me dizer. – E por isso que está aqui, presa nessa masmorra imunda e nunca mais o verá outra vez, ele a esquecerá, não se lembrará de mais que a conheceu e em breve uma mulher irá tomar o coração dele para si, sem aviso. E que saber o pior disso e ela não vai fazê-lo feliz, ela partirá seu coração em todos os pedaços possíveis.
   “Ele não encontrará a felicidade, será um homem vazio, e a culpa é toda sua, pois o deixou sozinho. Ele viver, você não o matou, apenas o machucou, mas não foi intencional, foi o seu poder de centenária tomando conta do seu corpo, agora se soltar dessas correntes imprestáveis e volte para ele, volte para todos eles, os setes garotos precisam de você.”
   As palavras ditas me deixaram paralisada, estou tentando digeri tudo o que ouvir, é muitas informações. Eu não o matei? Ele está vivo, isso é verdade? A dor que eu sentia pelo corpo não estava sentindo mais, parecia que tinha tomado algum tipo de analgésico, não dei importância, levantei meu rosto pra cima e fiquei encarando a escuridão, puxei meus braços para frente forçando as correntes, a minha pele ao redor da algema estava totalmente destruída, sentir uma ardência, mas continuei puxando até ouvi-las quebrando.
   Meu corpo caiu para frente e para amortecer a queda e não machucar meu rosto coloquei minhas mãos na frente e me apoiei nelas, estava no chão, porém meus tornozelos estavam presos, puxei o direito e seguidamente o esquerdo, quando me vi liberta e deitada no chão molhado.
   Senti minha visão falhar, e sem forças nenhum no corpo permaneci caída, talvez depois de tanto tempo amarrada e presa nessa masmorra miserável eu tenha perdido energia demais, não sinto nem sequer minhas pernas, a cada segundo uma dor começar a consumir meu corpo, eu não conseguia me mexer sequer um centímetro e tudo que minha mente capitava era a dor, parecia que algo me rasgava de dentro para fora, gritei o quanto minha garganta permitia e o silencio da masmorra foi incumbido pelos meus gritos de dor e angustia.
   Minha pele rasgou com que algo fazia dentro do meu corpo, em cada parte: Pernas, coxas, braços, ombros, barriga, seios, pescoço e rosto. Eu sentir eles me rasgando, quando enfim se libertaram o cheiro de ferrugem emanando de cada buraco feito pelos espinhos, olhei eles no meu braço, tinham cerca de uns 5 centímetros e ao vê pareciam ser muito afiados, estavam cobertos pelo meu sangue e eu estou me perguntando se por acaso irei virar algo monstruoso, talvez meu corpo irá sofre algum mutação ou sei lá.
  Tentei mostra que nada disso me dava medo, mas tenho certeza que a minha expressão deveria mostrar o quanto meu pensamento estava errado. Não encontrei minha voz para falar nada, gritar em desespero ou berra palavras desconexas, e para minha frustração a voz tinha visto tudo, seja o que ela for.
   - Parece que será mais difícil do pensei. – suspirou.
            #Suga pov#
   Quando abri meus olhos senti algo estranho, um aperto no peito, algo estava errado, será que era com ela? Espero que nada tenha acontecido, eu não me imagino sem ela aqui, mesmo que só observando, seu olhar me dá forças, mostrar o melhor de mim e me empenha mais e mais em cada coisa ao meu redor, olhei o quarto e percebi uma presença a mais no quarto em que dormia, Namjoon se encontrava deitado em uma poltrona, dormindo.
   Ele deveria está cansado, tentei me sentar, mas uma forte dor no peito atingiu-me em cheio, grunhir e deitei devidamente de volta conformado, suspirei sentindo ainda uma leve pontada no peito que ignorei e olhei para o lado novamente e percebi que ele estava acordando.
   Seu corpo se mexeu vagamente e aos poucos seus olhos se abriram, ele ficou encarando o nada por alguns segundos, vasculhou o quarto quando pareceu mais desperto e ao percebe que eu o encarava tomou um susto e pulou da poltrona em veio até a cama, perguntou preocupado:
   - Como se sentir Yoongi? – Eu estou melhor, mas o meu peito doe bastante, eu nem sequer consegui sentar quando tentei. – reclamei, ele sorriu e disse. – Não se preocupe com isso, mas tarde o  Elim vem aqui te vê e talvez ele ajude amenizar suas dores.
...


Notas Finais


Tadinha. 😭
Força kaiymi ☺☺😗


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...