História A Fanfic Que Virou Best Seller - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO, Got7
Personagens Baekhyun, BamBam, Chanyeol, Chen, D.O, Jackson, JB, J-hope, Jimin, Jin, Jinyoung, Jungkook, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Mark, Personagens Originais, Rap Monster, Sehun, Suga, Suho, Tao, V, Xiumin, Youngjae, Yugyeom
Visualizações 180
Palavras 2.193
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Fluffy, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Self Inserction, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


OLÁ!
Muito obrigada pelos comentários e favoritos. Fiquei muito feliz de ver algumas leitoras antigas por aqui. ♥
Através desse capítulo, vocês já conseguem ver que a história não será exatamente a mesma da fanfic original, apesar de guardar alguns traços. :)

Capítulo 2 - Prólogo.


Fanfic / Fanfiction A Fanfic Que Virou Best Seller - Capítulo 2 - Prólogo.

A história sempre começa assim: GOT7, grupo de kpop internacionalmente famoso. Um integrante (a sua escolha) conhece uma garota (você) que é totalmente anônima. Os dois se apaixonam.

No meu caso, eu conseguia escrever uma fanfic com qualquer um dos membros de qualquer grupo de kpop que eu fazia parte do fandom. Era a minha especialidade, o que não é uma especialidade muito comum para uma garota que acabou de passar dos vinte e cinco anos.

Se me perguntassem: "No que você é realmente boa?", eu responderia: "Bom, eu sou uma fangirl profissional", e isso, com certeza, faria a pessoa do outro lado da conversa entortar o nariz para mim. Mas, escrever fanfics levava muito tempo. Eu assistia muitas horas de videos no YouTube ou DVDs, lendo tudo e qualquer coisa que me fizesse entender um pouco a mais da personalidade da celebridade escolhida como personagem principal. Depois, eu passava o dobro do tempo elaborando a história, escrevendo capítulos que iam de drama a terror. E quando eu não estava escrevendo? Eu voltava a assistir algo que me desse inspiração para escrever mais depois.

Resumindo, eu não tinha vida social nenhuma.

Eu era apenas uma garota escondida atrás do computador, sonhando com uma vida melhor transformada num romance com comédia. Uma mulher que se recusava a crescer. Meu maior vício era escrever fanfics, até que um dia eu escrevi uma realmente boa. Tão boa que os comentários começaram a crescer na minha página.

Foi neste momento que eu recebi uma ligação de uma editora que me ofereceu um contrato para adaptar minha fanfic de GOT7 para um livro. Os personagens teriam outros nomes, a história seria toda alterada para não ter ligação com o grupo. Eu sabia como isso funcionava, pois já havia lido sobre Cinquenta Tons de Cinza: Uma fanfic de Crepúsculo que virou livro e depois best seller.

 A minha história foi bem parecida. A editora apostou na minha fanfic e a transformou em livro em questão de meses. Com a ajuda da internet, meu livro ficou famoso com facilidade. Afinal, outras fãs ficaram curiosas, mesmo que os nomes dos personagens tivessem sido alterados.

A estratégia da editora, em seguida, foi traduzir meu livro para o inglês e apostar na venda na Inglaterra e nos Estados Unidos. E, por fim, chegou o dia em que eles me avisaram que o livro seria traduzido para o coreano. Àquela altura, eu já era bem mais conhecida mundialmente tanto pelo meu livro quanto pelo meu blog que criei logo depois do lançamento do livro, a fim de continuar meu processo criativo. 

Segundo a editora, traduzir o livro para o idioma coreano iria garantir um aumento enorme nas vendas, afinal as fãs de lá já estavam procurando o livro em inglês e fazendo traduções mal feitas pela internet. 

Foi assim que em janeiro de 2018, quando estávamos no auge do verão no Brasil, eu fui obrigada a me mudar para a Coréia do Sul congelante, com dias constantes de frio e neve. Eu estava sozinha num país completamente diferente do outro lado do mundo.

Para começar, eu tinha uma entrevista em um programa de televisão. Eu não fazia ideia de que programa era, mas logo constatei que era um programa relativamente popular. O apresentador aparentava ter uns quarenta anos e era muito engraçado. Pelo menos, foi isso que Max afirmou: "Fique bem à vontade, o apresentador é hilário". Max era meu melhor amigo. Totalmente gay da cabeça aos pés. E, ainda por cima, era meu agente muito pontual em me conseguir os melhores contratos, eu tinha que admitir.

Dizem que quando você conhece o amor da sua vida, sinos irão tocar. Isso me lembrava vagamente de Jungkook dizendo que ouviria sinos quando a garota da sua vida passasse diante dele. Espere, Jungkook era de outro grupo, falarei dele em outro capítulo.

Voltando: Dizem que você ouve sinos, mas eu não ouvi. Pelo contrário, ouvi a voz grossa, meio rouca, me criticando em coreano. Aquele idioma dificílimo que eu demorei mais de seis meses para entender o básico. Sinos? Eu não ouvi nenhum.

— Ah, isso vai ser um saco. Não quero conhecê-la. — Eu ouvi a voz tão conhecida resmungar. Conhecida até demais, porque ouvia aquela voz todo dia nos meus fones de ouvido. Im Jaebum, meu ultimate.

Eu estava apenas passando pelo corredor daquele enorme lugar onde eu deveria dar a tal entrevista. Ninguém me avisou que Jaebum estaria ali, muito menos que os outros membros do grupo GOT7 também estariam ali. Mas, ao me perder na tentativa de achar meu camarim, eu logo passei pela porta deles e parei como qualquer ahgase faria. Não é todo dia que se ouve a voz de Im Jaebum.

Eu parei ao lado da porta e tentei prender a respiração para entender que eles estavam falando de mim:

— A garota escreveu um livro inteiro de pornô sobre você. Pare de reclamar. — Yugyeom ria audivelmente. 

— Exatamente por isso que eu não quero encontrá-la. Esquisito. — Jaebum resmungava e eu mordi o lábio, nervosa.

Eu sabia que não causaria uma boa impressão com os meninos caso eu publicasse justo aquela fanfic que continha tantas cenas picantes sobre o líder. Mas, quer saber? Eu nunca pensei que a minha história chegaria até a Coréia, muito menos até os ouvidos (no caso olhos, porque se lê a história) do próprio Jaebum.

— Na verdade, é um bom livro. — Eu ouvi Jinyoung e levei um susto. Definitivamente, todos estavam ali dentro. — Você deveria ler, Jaebum.

— Você leu? — Yugyeom perguntou, ainda risonho.

— E o que é que o Hyung não lê? — Youngjae respondeu, me fazendo sorrir. Eu adorava Youngjae. — Óbvio que ia ser mais um livro para a prateleira dele.

— Eu sou o melhor amigo da principal nessa história, segundo li na internet. — Jinyoung falou com um tom cheio de si. — Foi um bom papel, mas eu poderia ter sido o principal. Ela poderia me colocar como principal se soubesse do quanto você reclamaria tanto disso. Eu não me sentiria mal que nem você pelo menos. — Ele atacou e Jaebum logo rebateu, ácido, como tinha que ser:

— Sonho da minha vida: Uma garota estranha escrevendo pornografia sobre mim para adolescentes. — Eu bufei, irritada, mas tentei permanecer muda. Afinal, eu não queria que eles soubessem que eu estava ali.

— Eu li também. — Eu ouvi a voz e minhas pernas falharam. Mark Tuan, meu bias. — Estava na prateleira do Jinyoung e eu peguei para ler já que não tinha nada para fazer.

— Em vez de comprar uma cópia sua para ajudar a garota... — Jinyoung censurou o amigo, me fazendo sorrir involuntariamente.

— Eu comprei uma cópia e li. — Jackson Wang admitiu. Jackson Wang tinha lido meu livro. Jackson Wang. Está repetitivo, eu sei, mas era difícil de acreditar. — Mas, o fato de comprar uma cópia nem deve influenciar tanto. Soube que a garota é famosa em todos os cantos do mundo por conta dessa história e de um blog de meninas.

— Um blog bem legal que não é só para meninas. — Jinyoung o corrigiu, me deixando mais empolgada.

— Ah, ela tem um blog. — Jaebum falou com a boca cheia, logo constatei. — Genial. Quantos anos essa garota tem?

— Vinte e seis pela idade ocidental. — Jinyoung respondeu como se fosse minha enciclopédia ambulante.

— Deprimente. — Jaebum constatou, rindo, mas aquilo me magoou.

— Você tem experiência para julgar o que é deprimente, Hyung. — Jackson falou enquanto ria. — Você cria gatos como se fossem seus filhos.

— Isso não é a mesma coisa! — Jaebum revidou com os dentes cerrados e Jackson começou a gritar e rir, o que me fez imaginar que JB, provavelmente, estava pegando em sua nuca com força para chamar sua atenção.

— Não faça isso. — Jinyoung o censurou. — Literatura é muito importante e essa não é a única história dela. Alice escreve com paixão, entende? E ela ajuda muitos adolescentes em seu blog.

— Esses dias, eu mesmo usei um conselho que li no blog dela. — Jackson admitiu sem muito orgulho. — Eu senti que a minha masculinidade tinha ido embora pela janela, mas o conselho ajudou. 

— Ela é uma gata. — Foi a voz de Bambam que ouvi e quase dei um pulo de agradecimento. — Tem uma foto dela aqui na capa, olhem. Isso sim é uma noona de respeito.

— Onde? Quero ver! — Yugyeom foi o primeiro a falar, me fazendo segurar a risada.

— Larguem! Você está amassando meu livro! — Jinyoung deu um tapa em alguém, eu consegui ouvir o barulho da pele estalando. — Eu vou pedir para ela autografar.

— Temos um fã? — Yugyeom perguntou para provocar Jinyoung e os meninos começaram algum rebuliço na sala.

— Alice Rodriguez? — Eu dei um pulo, assustada, e olhei para trás. Um oriental de bigode com o crachá da equipe estava me abordando. — Já encontrou seu camarim? — Ele me olhava com censura, obviamente, porque sabia o que eu estava fazendo.

— Eu me perdi. — Eu admiti, sem jeito, e ele respirou fundo. Sem dizer uma palavra, ele me guiou de forma mal humorada até onde eu deveria ficar e eu tive que abandonar meu esconderijo.

— Onde você estava? — Emma foi a primeira a falar quando cheguei ao meu camarim. Uma loira magra que eu chamava de melhor amiga. Nós dividíamos o apartamento com Lucy, uma morena baixinha e bem americana.

Nós três ficamos famosas da mesma maneira: Escrevendo fanfics. Emma escreveu uma fanfic sobre Jungkook do BTS, porque ele era seu ultimate. A fanfic era clichê e romântica, ganhando tantas visualizações que ela era uma das escritoras de romance mais requisitadas do momento. Lucy escreveu uma fanfic de GOT7, assim como eu, mas seu ultimate era Jackson. Ela também estava no camarim, por sinal, ambas sendo maquiadas, porque estariam na entrevista junto comigo.

— Jaebum me odeia. — Eu vomitei as palavras e me joguei no sofá do camarim. 

— Vocês são casados. Ele não pode te odiar. — Lucy me provocou e eu revirei os olhos.

— Não, o Jaebum real. De carne e osso. Eu acabei de ouvi-lo dizer isso aos outros meninos. — Eu me lamentei e Lucy abriu a boca, surpresa, enquanto Emma era muito glamorosa para perder a classe com aquilo.

— Você viu os meninos? — Lucy perguntou, apressada.

— Eu os ouvi no camarim. — Eu dei de ombros, porque ninguém prestava atenção no meu drama. Meu ultimate me odiava e me achava deprimente. E, sinceramente, eu achava ele um pouco babaca depois de ouvir isso.

— Oh, Cece, não fique assim. — Emma me consolou, usando meu apelido tão conhecido dos leitores.

Cece era um apelido não muito comum para o nome Alice no Brasil. Era esse o meu nome na internet para manter o anonimato para escrever minhas fanfics. Só que com o tempo, as leitoras passaram a me conhecer por Cece, o nome pegou e eu não o abandonei quando lancei o livro.

— É normal desses garotos. — Ela continuou. — Todos preconceituosos, mas você é brilhante e vai encará-lo de cima.

— Não sei nem se vou encará-lo. — Eu admiti, me sentando na cadeira que era de Emma para ser maquiada também. Por mais que não fosse o fim do mundo, eu sentia que como se fosse.  

~*~

— TRÊS MESES DEPOIS. —

— Estão dizendo por aí que alguém do EXO está saindo com uma das fanfic writers. — Jaebum sussurrou, me puxando pelo braço para perto. Eu engoli em seco, encarando-o de perto. O cabelo preto e liso, os olhos pequenos e sérios. Será que ele nunca me deixaria em paz? Será que ele nunca me deixaria seguir em frente sem ele?

— E...? — Eu perguntei, irônica, sustentando seu olhar.

— Diga-me que a fanfic writer não é você. — Ele pediu, irritado.

— Acho que com quem eu saio ou deixo de sair não te diz respeito, Jaebum. — Eu falei de maneira firme, mas por dentro, eu não me sentia assim. Eu desmoronava toda vez que o via. Ele sempre teria alguma influência sobre mim mesmo agora que tínhamos terminado há um tempo. 

— Eu soube que o Junmyeon reservou o salão principal ontem à noite. — Jaebum me encurralou e eu desviei o olhar. — Eu quero tentar entender porque ele está te ensinando a dançar se você é do time do BTS. 

— Junmyeon é um amigo. — Eu voltei a encarar Jaebum, tomando coragem. — Ele se ofereceu para me ensinar alguns truques já que eu tenho tido problemas para aprender as coreografias. Jungkook não podia me ensinar na noite passada. É só isso.

— Isso é uma competição, Alice. — Jaebum insistiu, soltando meu braço finalmente. — Junmyeon não ia ajudar uma garota de outro grupo de graça. Você devia ficar longe dele.

— Ficar longe dele por quê? — Eu perguntei, irônica, e cruzei os braços. — Só porque você é paranoico e implica com a própria sombra?

— Você sabe que os EXO não tem uma boa fama com garotas. Eles gostam da conquista e do jogo, só querem se divertir. — Eu engoli em seco, porque Jaebum não sabia, mas Junmyeon tinha me beijado na noite passada durante nosso ensaio de dança particular.

Eu sabia que os EXO tinham essa má fama de se meter em problemas e contarem garotas como números. Mas, Junmyeon parecia ser diferente comigo. Eu confiava nele.

— Bom, sorte a minha que sou só amiga do Junmyeon. — Eu menti, forçando um sorriso, e tentei sair dali antes que ele me interrogasse mais.


Notas Finais


Seria Junmyeon o Zayn dessa história? cof cof
https://curiouscat.me/writerissues


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...