História A Fazenda - Emison - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias Pretty Little Liars
Personagens Alison DiLaurentis, Aria Montgomery, Caleb Rivers, Emily Fields, Ezra Fitzgerald, Hanna Marin, Jessica DiLaurentis, Lucas Gottesman, Mona Vardewaal, Paige McCullers, Spencer Hastings, Sydney Driscoll, Toby Cavanaugh, Wayne Fields
Tags Alison Dilaurentis, Emily Fields, Emison, Intersexualidade (g!p), Pll
Visualizações 406
Palavras 2.191
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hey, como vão? Vocês devem estar se perguntando, mas não era só no fds?!
Então, estou postando antecipadamente pois sex/sáb vou ter oficinas do curso e vou passar o dia em palestras.
(gente palestras são muito cansativas, estou me preparando psicologicamente para isto). Haha
Quero agradecer aos fav's e aos comentários dos capítulos anteriores, vocês são demais. s2
Não respondi, mas li todos. E a ~bemfics por ter feito a capa para a história. ;D
Então, bora de capítulo?

Capítulo 17 - Eu te amo e Sinto muito


P.O.V Emily

A casa estava escura quando finalmente consegui entrar na garagem. Ficou resolvido que Lucas ficaria hospedado no quarto de Henry, e o velho parecia uma galinha cuidando exageradamente de seu pintinho, se é que eu já tinha visto algo assim. Talvez apenas encontrei uma maneira de conseguir que Henry se aposentasse um pouco mais rápido, colocando-o no comando de recuperação de Lucas.

Fechei a porta e caminhei para a cozinha. Era mais de meia-noite já, e a casa estava em silêncio. Olhando para as manchas de terra e grama em minha calça, sabia que precisava de caminhar direto para o meu quarto, tomar um banho, em seguida dormir, mas meus pés me levaram até a porta do quarto da Alison. Apesar da condição de Lucas, eu tinha pensado nela sem parar desde que a vi cuidando do jardim. O que eu tinha que dizer não podia esperar, mesmo que tivesse que acordá-la para isso. Fiquei sentada na sala de espera do hospital por horas pensando, lembrei-me de uma coisa que meu pai tinha me dito a anos. “ Há algumas coisas que você não espera para dizer a alguém, ‘eu te amo e sinto muito’", eram duas dessas coisas. " Porque se você esperar muito tempo, não haverá nenhuma garantia de que você vá conseguir ter outra chance. ” Alison poderia fazer as malas e sair daqui amanhã, e talvez eu nunca mais fosse vê-la novamente. Se isso acontecesse, eu ficaria com nada além de memórias e arrependimento.

Não era um risco que queria correr.

Bati na porta suavemente e esperei alguns minutos, odiei sentir a necessidade de bater e não poder entrar, levantei a mão para bater novamente e antes que meus dedos pudessem se conectar com a madeira a porta abriu. Alison estava ali, vestindo o mesmo maldito short Daisy Duke e camisa que estava usando mais cedo.

– Não consegue dormir? – Perguntei.

Ela deu de ombros. – Como está Lucas? Como está a perna dele?

– Quebrada, apesar da confusão do caralho. Felizmente, eles foram capazes de voltar no lugar e engessar, então não precisou de cirurgia, caso contrário eu teria que passar a noite com ele no hospital.

Saltando um longo suspiro, ela inclinou-se contra o batente da porta.

– Graças a Deus. Estava tão preocupada. Lucas pode ser muito arrogante as vezes, mas é tão cativante que é impossível não gostar dele. – O ciúme inflamou dentro de mim, e isso era ridículo. Ela estava falando sobre Lucas, que tinha acabado de quebrar a perna. Eu ainda estava colocando minha reação sob controle quando ela acrescentou calmamente. – Não consegui dormir pensando nisso. Estava muito preocupada pensando várias coisas horríveis, que poderia ter acontecido. É uma loucura como algo tão simples como uma perna quebrada, faz-me lembrar sobre quão rápido perdi meu pai. Lembro-me de vê-lo em uma manhã de quarta-feira, dei nele um abraço não percebendo que seria a última vez que o veria. – Seus olhos se encheram com lágrimas por um segundo, mas ela piscou se livrando delas rapidamente. – Eu nunca sei quais ações que vão trazer essa lembrança. Isso me faz voltar atrás e perceber o que é importante. – Ela tomou uma respiração profunda, e eu podia ver como realmente estava perturbada. Era apenas mais uma coisa que gostava nela. – De qualquer forma, isso é que tudo o que você queria me contar? – Ela afastou-se da porta e cruzou os braços.

Dei um passo à frente, invadindo o seu espaço. Ela deixou cair os braços, dando um passo para trás, mas continuei em frente até que estávamos dentro do quarto e fechei a porta atrás de nós.

– Te devo um pedido de desculpas. Eu disse algumas coisas que não devia ter dito. Eu não tinha o direito de falar nada sobre sua mãe. Eu... realmente, estou arrependida, sinto muito, Alison.

– Emily...

– Deixe-me esclarecer isto, está bem?

– Está bem.

– A semana em que nossos pais foram viajar, significou muito para mim. Não esperava que acontecesse. Não esperava me apaixonar por você. Mas aconteceu. Você é um pacote completo, é tudo que uma pessoa deseja. Muito sexy na cama e incrível fora dela. Você me deu um gostinho, e depois me tirou tudo, isso me destruiu. Eu não soube como lidar com isso, exceto atacar. Eu disse coisas que não queria dizer.

– Emily...

– Se você não me perdoar, e me dizer que não dá a mínima para o rótulo de meia-irmã, então vou continuar a pedir desculpas até que me perdoe. Eu tive muito tempo para pensar sobre isso nos últimos dias, e não vou deixar você ir, não há nenhuma maneira que me faça esquecer isso.

Ela deu um passo à frente e pressionou as palmas da mão contra meu peito.

– Emily. Cale-se.

Parei de falar.

– Se você pensa que é a única que esteve infeliz por esses dias você está errada. Não importa quantas vezes eu já disse a mim mesma que isso não ia funcionar; não consigo esquecer. Porque você é o pacote completo também. Como você disse? Muito sexy na cama e incrível fora dela? Tenho certeza que você me fez perder o interesse por qualquer outra pessoa.

Envolvi meus braços em volta dela puxando-a contra o meu peito. – Graças à Deus. – Inalei o perfume do seu cabelo. – Porque não consigo imaginar não poder sentir você contra meu corpo. – Passei meus lábios ao longo de sua mandíbula. – Não poder provar de sua pele novamente. – Contra os lábios, sussurrei. – Não te beijar novamente.

Alison abriu a boca e nossas línguas se entrelaçaram. E porra, minha garota sabia beijar muito bem. Dois dias sem isto parecia uma vida inteira. Sua ansiedade brilhou em cada movimento, dos dedos agarrando meus músculos dos ombros, até os gemidos escapando de seus lábios. Afastei-me um pouco, deslizando minha mão do cabelo para seus quadris até entre suas pernas, e rosnei.

– Não conseguia imaginar, não poder estar dentro de você novamente.

Ela gemeu, pressionando-se contra meu corpo. – Não podia imaginar isso também. Mesmo quando disse que não queria isto, não imaginava...

– Emily, por favor. Eu preciso...

Abaixei, peguei-a por trás de seus joelhos e ombros e a ergui em meus braços.

– Isso é tudo que tem que dizer, querida. Se lembra a sua palavra de segurança?

– Rosa. – Ela disse, e eu sorri.

– Incrivelmente linda, querida. Muito bonita.

Caminhei com ela até a porta e seus olhos se arregalaram. – O que você...

– Eu estou coberta de sujeira e grama, e te sujei também. Hora de tirar a roupa e limpar.

Seus olhos caíram para a mancha cinza na sua camisa, e quando voltou a me olhar, eles brilharam – Você sabe o quanto gostei de transar no chuveiro, da última vez, certo?

Era essa centelha ardente, esse brilho interior, que me atraiu para ela desde o começo, e isso simplesmente continuou a queimar. Alison girou a maçaneta da porta, empurrando-a aberta. Começamos a caminhar pelo corredor, e eu esperava que ficasse apreensiva, olhando de um lado para o outro, procurando por alguém que pudesse nos ver, assim que meus pés tocaram o piso de madeira. Mas ela não fez, seus olhos estavam fixos aos meus. Meu coração inchou um pouco. Foi como a ensinei, eu estava no controle de tudo; tudo o que ela tinha que fazer era se soltar.

A convicção refletida em seus olhos apressou meus passos em direção ao banheiro. Porra, eu precisava dela nua e molhada, com meu pau enterrando dentro dessa buceta doce.

Alison apertou o interruptor da luz, tão logo que empurrei a porta do banheiro fechada, mas não a coloquei no chão, até que estávamos na frente do chuveiro. Deixei ela deslizar por meu corpo, despreocupada com a sujeira que estava grudada em sua roupa. Eu a deixaria limpa e então ficaria suja novamente com tudo o que eu ia fazer com ela. A sensação de suas curvas pressionando contra meu corpo deixou minha ereção indomável dentro da minha calça.

– Você precisa estar nua em cinco segundo, ou vou ter que tirar essas roupas de você toda encharcada.

Pressionei meus lábios contra o dela. Em vez de segui as minhas ordens, os dedos de Alison emaranharam na bainha da minha camisa arrastando-a para cima, e afastei-me para deixá-la passar por minha cabeça.

– Com pressa?

– Não te vejo nua há muito tempo. Então, sim, você poderia dizer que estou com pressa. Só para constar, seu corpo é uma loucura.

Não pude evitar o sorriso que irradiou da ponta de meus pés para meus lábios. – Como o seu também, querida. Meu pau dói só de pensar em você.

Empurrei a porta de vidro, alcançando dentro da ducha. Minha risada ecoou quando virei a torneira de água quente. Fiquei olhando para ela enquanto o vapor tomou conta flutuando para fora da porta aberta.

– Agora a sua camisa. Tenho certeza que sabe que estou tão animada quanto você, para vê-la nua, querida.

Os dedos dela caíram para a bainha de sua camisa e puxou-a para cima, expondo centímetro após centímetro da pele perfeita e macia. Minha risada diminuiu para um gemido quando deslizou sobre as ondas de seus peitos.

Porra, eu quase perdi isso. Cobri suas mãos com as minhas e puxei a camisa por cima de sua cabeça.

– Parece que você está excitada.

– Você não tem ideia.

Peguei um preservativo do bolso antes de colocar as minhas mãos no botão da minha calça jeans. Nossas roupas restantes sumiram em segundos, e então estávamos nuas, olhando uma a outra.

– Você é a mulher mais bonita que já vi. – Disse, minha voz baixa e rouca.

– E você tem que saber que você supera qualquer fantasia que uma mulher poderia ter, certo?

Eu balancei minha cabeça. – Não ligo para nenhuma mulher além de você. Agora entre no chuveiro, querida. Temos tempo perdido para compensar.

Amei o tremor que percorreu por ela, e meu pau saltou assim que virou-se para me mostrar aquela bunda linda quando pisou dentro do box. Porra, essa bunda. Ideias começaram a surgir quando a segui para dentro do box.

Alison já estava sob o spray, virou-se para o lado, a água escorrendo de seu cabelo por seu corpo. Ela se virou e a necessidade selvagem rasgou através de mim. Como uma Dommes, me orgulhei de ter controle, mas agora, eu só queria minha mulher.

Rápido, quente e duro, contra a parede do chuveiro.

Rasguei o pacote de preservativo com os dentes e deslizei em meu pau enquanto ela se virou para me encarar. Em dois passos, mandei ela contra a parede, suas pernas em volta da minha cintura. Era como se tudo o que tinha ficado entre nós, os rótulos, as palavras duras, tudo fosse lavado.

Minha boca encontrou a dela e me deliciei, reconhecendo todos os cantos de sua boca com a minha língua e todas as curvas do seu corpo com minha mão, assim como ia reconhecer, cada centímetro de sua buceta com meu pau. Quando levantei minha cabeça, Alison estava se contorcendo contra meu corpo, e a umidade em meu abdômen não tinha nada a ver com a água caindo ao nosso redor.

– Por favor. Eu preciso...

– Você vai conseguir tudo o que você quiser, querida. Isto vai ser duro e rápido. Você tem sua palavra de segurança se precisar.

As unhas de Alison cravaram nos músculos dos meus ombros. – Não, eu não preciso da palavra de segurança. Quero forte e rápido. Agora. Não se segure, Emily, me dê tudo o que tenho direito.

Eu apertei sua bunda e deslizei minhas mãos para cima e para baixo em suas pernas. – Essa buceta apertada está mesmo pronta para mim, querida? – Eu tinha minhas dúvidas, me lembrei da primeira vez que estivemos juntas na banheira. Ela mal aguentou meu pau inteiro, agora que ficamos vários dias sem transar eu tinha que esticá-la... enchê-la.

Suas coxas apertaram minha cintura. – Sim. – Ela disse, assentindo.

Me afastei, liberando seu quadril para que pudesse segurar meu pau e posicionar na sua entrada. Nem o calor do chuveiro tinha nada a ver com o calor do seu corpo. Eu não me incomodei de segurar meu gemido. – Porra querida. Vai me queimar viva.

– Não me provoque, Emily.

Eu a encarei. – Você esqueceu quem dá as ordens aqui?

Alison me desafiou com o olhar – Fode-me depois me bata, mas por favor, não me faça esperar.

A mulher sabia como me irritar, e sabia muito bem que estaria bem satisfeita no final.

– Sua bunda estará vermelha mais tarde, mas por agora, vou dar a nós duas o que precisamos. – Eu disse, e então me empurrei para dentro do calor de seu corpo.

Casa. Eu estava em casa.

Alison estava sussurrando e gemendo, esses eram os sons que eu queria ter no meu chuveiro para o resto da minha vida. Eu empurrei mais e mais, até que o prazer nos deixou irracionais. Mudei a minha mão para cobrir seu clitóris com meu polegar, pressionando levemente até que seus gemidos ficaram mais altos. Ela enterrou seu rosto no meu pescoço, para abafar o grito.

O aperto deu seus músculos internos em meu pau me levou ao limite, e deixei a minha porra rolar para fora.

A única coisa que sabia era que nunca ia deixar Alison ir embora.

 


Notas Finais


tenho dois avisos para vocês:
o 1º : está fic não será longa.
o 2º : tenho um segundo projeto em andamento com uma amiga e pretendo postar aqui para vocês.
posso adiantar que os capítulos serão menores, descontraídos, no cenário de pll (onde Emison vai ser o casal principal) e postados com uma frequência maior. ;D
era isso, até o próximo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...