História A Felicidade Existe? - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Drama, Ficção Adolescente, Romance
Visualizações 2
Palavras 922
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Mutilação
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 8 - 8 - A Volta É Sempre Igual


Já havia se passado uma semana desde que Miguel e eu limpamos nosso esconderijo, estávamos ficando amigos, ele era legal, gostava de passar o tempo com ele, me divertia, mas ele não vai ganhar a aposta e eu não sou idiota, sei muito bem que ele vai cansar uma hora ou outra de mim, não posso me iludir, não quero me iludir e, por isso, me lembro deste fato e recuo às suas tentativas de se aproximar.

Ele pode estar me dando momentos divertidos e alegres, porém, não sou feliz ainda e os problemas continuam a me arrodear, não que eu deseje ser alguém sem problema algum, não é isso que quero dizer, apenas quero ter problemas mais normais e leves, como uma briga com a melhor amiga ou um namorado idiota, não um pai bêbado e uma redoma destruidora que me envolve e acaba com tudo que se aproxima de mim.

Fazia uma semana também, que meu pai tinha viajado a trabalho, eu não sabia quando ele iria voltar e com qual humor chegaria. Hoje era sábado e já estava de noite, eu estava deitada na minha cama, quando chegou uma mensagem de Miguel:

"Tenho ingressos pro parque que chegou na cidade, topa irmos amanhã?

- Idiota ;P"

Sorri e digitei para ele:

"Se você também pagar a comida ;P"

Ele me mandou um emoji 'joinha' e guardei meu celular, indo comer. Na cozinha, procurei pelo pão (Não vai me dizer que acabou?! :O), fui ao quarto da minha mãe e a achei deitada em sua cama...

Luara:_ Cadê o pão?

Mãe:_ Não comprei

Luara:_ E o quê eu vou comer? Sabe que a maior parte do que como é com pão, pão é minha vida!

Mãe:_ Tem o de ontem na geladeira, Menina!

Suspirei e fui buscar, coloquei meu sanduíche na panela e fui procurar os fósforos (Tudo tá acabando nessa casa, é?!), achei um isqueiro e fui ligar o fogo com ele (Adivinha? Você provavelmente acertou!), o isqueiro tinha acabado, não ligava mais. Voltei até o quarto da minha mãe...

Luara:_ Não tem fósforo e o isqueiro não liga

Mãe_ Homi, eu não sei não, Luara, vai se virar, não me deixa em paz!

Luara:_ Mas e como eu vou fazer minha comida?

Mãe:_ Eu não sei não - Ela já 'tava' estressada e me irritando - Vai no mercado

Luara:_ Já deve 'tá' fechado!

Mãe:_ Não, o Carlos fica lá quando 'tá' fechado - Carlos era o dono do mercado

Bufei irritada

Luara:_ Deixa que eu me ajeito! - Saí irritada e peguei um casaco, descendo e saindo de casa, fui até o mercado e encontrei meu pai na porta, conversando com o Carlos - Oi - Falei e entrei, meu pai 'tava' sorrindo conversando com o Carlos, peguei os fósforos, anotei no caixa e fiquei na dúvida se pegava algo mais, entretanto, deixei para lá e voltei para casa, subi e fui fazer meu sanduíche

Percebi que não tinha leite para fazer leite com nescau (achocolatado caseiro :P), fiquei com preguiça de descer e gritei de lá da varanda pro meu pai pegar o leite, ele parecia irritado e gritando com o Carlos. Minha mãe tinha entrado na cozinha, me perguntando com quem eu 'tava' gritando...

Luara:_ Não tinha leite também, pedi pro painho pegar

Mãe:_ Pro seu pai? Seu pai chegou?!

Assenti

Luara:_ Ele 'tava' lá embaixo, conversando com o Carlos

Mãe:_ E você só me avisa agora? Eu não fiz a janta! - Ela correu para preparar algo

Luara:_ Eu só vi ele agorinha

Então meu pai entrou, deixou o leite no balcão e já estava gritando que já tinha dito que a conta no mercado era pra 'tá' fechada e já 'tava' alto o valor e um monte de coisas do tipo, até que ele saiu da cozinha

Mãe:_ Senhor, como a pessoa pode chegar em casa já assim?

Luara:_ Eu acho que a culpa é meio minha... Eu desci pro mercado e vi ele conversando com o Carlos, ele 'tava' até sorrindo, e eu sou meio desligada, a Senhora sabe, não percebi que ele tinha acabado de voltar de viagem e acabei o tratando normalmente, como se ele estivesse aqui essa semana toda, então depois que voltei pra casa, vi ele gritando com o Carlos e ele chegou assim.

Minha mãe assentiu calada e sabia que ela concordava que a culpa era minha, suspirei e terminei de fazer minha comida, levando-a para o meu quarto. Mabelle estava em sua cama e a perguntei se sabia que o painho tinha chegado, ela assentiu e falou...

Mabelle:_ Eu ouvi os gritos dele, brigando pela conta no mercado - Contou 'tão' normalmente aquilo, que me fez perceber o quanto escroto era aquilo. As pessoas dessa casa já agem como se aquela situação fosse normal, como se fosse o que devesse acontecer na casa de todas as famílias

Comi calada e depois não aguentei, fui a cozinha e contei a minha mãe sobre aquilo, ela só assentiu e, por isso, percebi ainda mais o quanto eu estava certa! Bufei frustrada e voltei pro meu quarto, peguei meu celular e mandei uma mensagem:

"Tá muito ocupado?"

Não demorou muito para receber uma resposta:

"Não, porque?

- Idiota ;P"

Suspirei e mandei um recado encerrando a conversa:

"Me encontra em 10 minutos no parque!"

Bloqueei o celular e o joguei na cama.

"Você me faz mal

Você faz mal a toda a casa

Mas já é tão normal

Que já não faz falta

Um sorriso grande

Por sua chegada"

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...