História A festa é uma mentira - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Ailee, Infinite, Lovelyz, SHINee
Personagens Ailee, Dongwoo, Hoya, Jin, KiBum "Key" Kim, Myungsoo (L), Sunggyu, Sungjong, Sungyeol, Taemin Lee, Woohyun
Tags Ação, Ailee, Armadilha, Astro, Aventura, Comedia, Dongya, Gyu, Hoya, Infinite, Jong, Key, Myungjong, Myungyeol, Revelaçoes, Romance, Shinee, Sistar, Suspense, Taemin, Woo, Woogyu, Yeol
Exibições 8
Palavras 2.404
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Festa, Ficção, Lemon, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Survival, Yaoi
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Os meninos se encontram, mas não estão nem longe do final de seus problemas... ou do final da festa!

Espero que gostem do novo capítulo =D

Essa fic terá mais ou menos uns cinco capítulos, mas pode ser mais comprida, haha! Serão postados aproximadamente duas vezes por semana, então fiquem ligados!

Se você não curte homossexualismo, fics de survival, xingamentos e situações tão socialmente trágicas que chegam a ser cômicas, acho que essa fic não é para você – mas está tudo bem =D O Spirit é um lugar lindo cheio de pessoas mega talentosas, então é só procurar outra para ler <3 E, claro, sempre lembrando que essa história é ficção de fã, então não necessariamente reflete a realidade dos personagens aqui descritos.

Capítulo 3 - Show de horrores


Fanfic / Fanfiction A festa é uma mentira - Capítulo 3 - Show de horrores

L admitia que estava bem difícil acompanhar o passo de Yeol. Energético e café na mesma dose para ele, nunca mais. Os dois corriam pela mansão há quase dez minutos, procurando os outros garotos e outros amigos que pudessem estar lá também. Até agora, não tiveram nenhum sucesso e o visual estava ficando seriamente preocupado.

“Soo, já passamos por aqui?!” Perguntou Yeol, sem parar de correr. L riu apesar de tudo, ultrapassando o namorado com alguma dificuldade e o forçando a parar. Yeol o olhou com um ar selvagem ao sentir sua camisa ser puxada daquele jeito, fazendo L lamentar as câmeras ainda mais. Ele adoraria ver o que esse Yeol alterado poderia fazer na cama.

“Eu acho que sim. Respira, eu preciso pensar.” Murmurou L, segurando Yeol no lugar, pois a possibilidade dele fugir era real.

O outro quase quicava no lugar, segurando L pela cintura de um jeito super íntimo, mas podia ser pior. Eles tinham fotos bem questionáveis juntos já na internet, L não precisava se preocupar com isso. A música que vinha do salão principal, no final do corredor onde estavam, não deixava L se concentrar. Aquilo devia estar tão alto que a mansão inteira podia ouvir.

L olhou na hora para Yeol. “O que acha de fazer um daqueles seus solos femininos na pista de dança?”

“Adoro.” Respondeu Yeol, arrastando L para o local. O visual sorriu, aliviado por ter um plano.

~**~

“Em um minuto, pode escrever, seus olhos de gato serão meus, perigoso dançarino doce.”

Gyu e Woo ouviram a voz de L saindo alto e claro dos alto-falantes do corredor em que estavam, se olhando em alerta na hora. Para qualquer um, a frase poderia soar boba e completamente sem sentido, mas o significado para os sete meninos do Infinite era péssimo. L acabara de anunciar para a festa inteira que estava com problemas e, pelo visto, estava perto da mesa do DJ para ter conseguido se conectar a todos os autofalantes da festa. Gyu tinha tanto orgulho do visual deles e seu talento com tecnologias.

“Espero que os outros tenham ouvido a mensagem de L também.” Confessou Woo enquanto Gyu o puxava para a direção do salão principal da festa naquele labirinto.

Gyu apenas assentiu, respirando fundo e voltando a correr com o namorado a seu lado. Nessas horas, ele gostaria de passar mais tempo na academia.

Precisavam chegar a tempo ou Gyu nunca se perdoaria.

~**~

“Em um minuto, pode escrever, seus olhos de gato serão meus, perigoso dançarino doce.”

Jong parou tão de correr tão repentinamente que Hoya quase o atropelou, fazendo os dois caírem no chão e quase rolar uma escada. As pessoas pensariam que o dançarino principal do Infinite teria mais graça e elegância fora dos palcos. Jong nem se abalou, apontando o autofalante, discreto.

“Você ouviu isso?! Era o L!” Ele sussurrou, urgente, esperando Hoya se levantar para receber ajuda do namorado.

“Ouvi. De onde você acha que veio?”

O maknae pensou um pouco estalou os dedos, determinado. “Tem só um lugar com fácil acesso a um sistema de som que L poderia hack- er, usar.”

Hoya sorriu para ele, entendendo sua lógica. “Hora de correr de volta para o salão principal e torcer para os outros terem ouvido essa mensagem também.”

Jong assentiu e os dois voltaram a correr, procurando a direção do salão principal. O dançarino finalmente sentiu um pouco de esperança; talvez não tivesse dado tempo de denegrir a imagem de ninguém.

~**~

“Em um minuto, pode escrever, seus olhos de gato serão meus, perigoso dançarino doce.”

A frase arrepiou Dong pelo corpo inteiro. Fazia muito tempo que os meninos do Infinite não tinham necessidade de usá-la e ela só trazia mau agouro, na opinião de Dong. Ele e Ailee corriam pelo jardim quando tudo aconteceu e ele parou, chocado. A moça segurava sua mão, então voou para trás, o atingindo nas costas. Dong conseguiu segurá-la e não cair, mas foi por pouco.

“Dong, o que foi isso?! O que houve?” Ela perguntou, assustada, se equilibrando de novo naquele salto enorme. Sério, como isso era possível?

“Desculpe, espero que não tenha torcido o pé ou algo assim. Esse no autofalante era o L.” Esclareci, esperando ela se estabilizar antes de continuar. “Ele está nos convocando para o salão principal.”

“Como você sabe disso só com uma frase sem noção?” Quis saber ela, em voz baixa, segurando sua saia e voltando a correr com Dong na direção do salão.

“Longa história, mas essa frase sem noção nunca é boa coisa. E COMO VOCÊ ESTÁ CORRENDO TANTO EM CIMA DESSES SALTOS?!” O rapper não aguentou mais a curiosidade, fazendo a idol rir.

“Dong, se você pode dançar com essas belezinhas, você faz qualquer coisa. Agora concentra e corre!”

Não pela primeira vez, Dong só obedeceu Ailee e correu.

~**~

Yeol se sentia maravilhoso. Ele não entendia por que Soo estava surtando tanto com tudo e chamando os outros, mas não estava em condições de argumentar. Seu cérebro estava uma confusão de energia falsa, então ele não conseguia ficar parado. Soo o deixara no centro da pista e o mandou fazer uma das coisas que sabia melhor: dançar.

O idol não teve dúvida: mal começou a outra música – uma das preferidas internacionais de Jong, de uma cantora chamada Britney Spears – e Yeol entrou em ação. Começou a dançar a coreografia que ele o maknae tinham criado para a música com base na original, bem mais parada. Logo, as pessoas começaram a lhe dar espaço e o observar dançando. Será que era isso que Soo queria?

Dando de ombros e inserindo o movimento em um passo de dança, se concentrou em liberar sua energia na música que conhecia bem. Pouco depois do primeiro refrão, Soo apareceu ao seu lado e se juntou a Yeol na dança, sincronizando seus movimentos. Isso é que era namorado, pensou Yeol. Não é todo dia que seu boy aprende a dançar músicas femininas por você e seu melhor amigo que também é melhor amigo dele.

Soo mantinha aquela expressão de paisagem que ele reservava para duas ocasiões: extrema preocupação ou extremo sono. Nesse caso, Yeol sabia que a primeira opção era a correta. Mesmo assim, os dois seguiram dançando até o último refrão, em que Jong e Hoya magicamente se juntaram a eles. No momento em que eles se sincronizaram, as pessoas ao redor começaram a aplaudir e encorajá-los. Jong não precisou de mais do que isso para começar a cantar junto:

“Make it a freakshow, freak, freakshow

We can give 'em a pe-peepshow, peep, pe-peepshow, peepshow

Don't stop it, let it flow, let your inhibitions go

It's a crazy night let's make a, make a freakshow

Make it a... Make it a...”

Freakshow – Britney Spears

Yeol não gostava de cantar – se cansara de ouvir todo mundo dizendo que ele cantava mal – mas percebeu que estava acompanhando Jong na melodia. Puxa, ele tinha que beber energético e café mais vezes. De repente, até cantar ele sabia! E, pelo jeito com que Soo sorriu para ele ao seu lado, Yeol fez um ótimo trabalho.

A música acabou e os quatro a terminaram tão sérios que pareciam que estavam em um show. Yeol gostou disso e olhou para Hoya assim que a próxima começou. O dançarino assentiu e assumiu a liderança no posicionamento deles, sinalizando que ele e Jong sabiam a dança. Yeol e Soo foram para as pontas e seguiram os dois, logo entendendo a coreografia e se sincronizando ao outro casal. Os idols em volta deles estavam indo à loucura. A letra da música não era muito difícil, ainda mais com Jong a cantando ali do lado:

“Take me down into your paradise

Don't be scared, 'cause I'm your body type

Just something that we wanna try

'Cause you and I, you and I

We're cool for the summer”

Cool for the Summer – Demi Lovato

Yeol nem percebeu Dong e Ailee se juntando ao grupo durante a música e não podia ter se importado menos quando acabou. Ele já tinha alcançado um nível de adrenalina tão alto que nem se um avião despencasse no meio da pista de dança ele teria se surpreendido. Soo pareceu perceber o problema, pois enquanto eles eram aplaudidos, abraçou Yeol e gritou em seu ouvido:

“Yeol, você ainda está entre nós?!”

O garoto riu, dando um beijo bem melequento no rosto do namorado, o fazendo o soltar na hora e limpar a cara. Soo era uma gracinha.

“Lógico! Ainda estamos no mesmo lugar, não?!”

A próxima música começou a tocar e Jong e Ailee deram um gritinho de animação. Yeol olhou para a moça pela primeira vez – espera, essa não era a amiga colorida do Dong no SISTAR? O que ela fazia aqui com o Dong? Quando o Dong chegou?

Soo interrompeu seus poucos pensamentos lineares e o puxou para a formação. Hoya mais uma vez ficou na frente, pois fora ele quem ensinara os passos dessa coreografia para Jong. Logo, o grupo estava mais uma vez dançando e improvisando até entrarem em sintonia. Yeol caprichou nos rebolados, se lembrando vagamente de ouvir Jong cantarolando a melodia aqui e ali:

“I want your loving and I want your revenge

You and me could write a bad romance

I want your love and all your lovers' revenge

You and me could write a bad romance”

Bad Romance – Lady GaGa

Dessa vez, Yeol viu Gyu e Woo entrando correndo no salão e discretamente se juntando à dança. A informação não mudou nada na bagunça em que estava seu cérebro, mas ele percebeu Soo se soltando mais na dança. Ele era tão lindo, Yeol poderia passar o resto de sua vida só beijando aquele homem.

Pelo visto, ele chegou muito perto, pois Soo puxou sua camisa para perto e depois o afastou, improvisando um passo de dança no final da música entre os dois. Ele só riu e deixou Soo fazer o que ele queria. Geralmente, apenas Soo sabia o que estava fazendo no relacionamento deles, então era mais simples só seguir seu exemplo.

A música terminou e Gyu soltou um assobio alto para os meninos, sinalizando com as mãos o treino de palco em forma de círculo. Se a mente de Yeol não estivesse embaralhada demais, isso significava que eles tinham que se separar e se encontrar mais ou menos na porta da saída até o final da música. Talvez.

Soo segurou sua mão e começou a dançar com ele a última música, sussurrando em seu ouvido que eles tinham três minutos até chegarem na porta. Yeol começou a balançar no ritmo da música, já meio tonto, mas Soo o guiou em uma dança mais ou menos em dupla até que os outros idols perderam o interesse em todos os integrantes do Infinite. A partir dali, eles começaram a discretamente dançar na direção da saída, como os outros.

Mais uma vez, Yeol se pegou cantarolando com a música mesmo sem a conhecer. Músicas americanas eram todas iguais e chiclete, nossa.

“Turn it up, it's your favorite song

Dance, dance, dance to the distortion

Come on, turn it up, keep it on repeat

Stumbling around like a wasted zombie

Yeah, we think we're free

Drink, this one is on me

We're all chained to the rhythm

To the rhythm

To the rhythm”

Chained to the Rhythm – Katy Perry

Entre tantos giros e movimentos, Yeol começou a se sentir enjoado. Soo mal o conseguiu segurar quando chegaram a porta e ele caiu em cima de Gyu, que o segurou bem na hora. Yeol viu o líder e Soo discutindo alguma coisa, sentiu Jong lhe dando água, mas tudo girava e ele jurava que iria vomitar. Woo pegou um leque com Ailee – ela ainda estava ali, sério? – e começou a abaná-lo enquanto Dong e Hoya ajudavam Gyu a levá-lo discretamente para fora.

A última coisa que viu antes de perder a consciência foi o bico de preocupação de Soo.

~**~

Woo suspirou, ainda abanando Yeol, que estava literalmente desmaiado no canto da sala. Os sete conseguiram levar o amigo para uma sala de música vazia e o deitaram em um sofá. L estava com a cabeça de Yeol em seu colo e Woo o abanava enquanto ambos observavam os outros tentando entender o desmaio.

“Honestamente? Ele bebeu café e energético e costuma dormir às 21h30. São 23h40 e ele não come desde que saímos de casa. Acabou a bateria.” Defendeu Hoya, preocupado. Gyu assentiu, olhando para Woo.

“O que você acha?”

Woo pensou, olhando para L. “Ele bebeu ou comeu algo aqui?”

O visual negou rapidamente. “Não, nada. Eu estive com ele o tempo inteiro e ele só foi ficando mais alterado a cada minuto.”

Jong suspirou e foi dar mais água a Yeol. “Isso foi perigoso, não podemos mais fazer isso com Yeol assim de surpresa. E também devemos desculpas ao Soo, pois ele e Yeol perderam a votação do energético.”

L sorriu, acariciando o cabelo do namorado. Woo achava os dois uma graça juntos, mesmo ainda não entendendo o que L vira em Yeol, romanticamente falando. Gyu achava que os dois se completavam de uma forma bizarra, mas Woo sempre achara L o tipo ideal – bem, ideal depois de Gyu, mas talvez ele fosse suspeito para avaliar.

“Bom, enquanto pensamos no que fazer com Yeol, temos que garantir que não nos comprometemos nessa festa. L, Dong e Jong, preciso que vocês encontrem a sala de controle da câmeras e chequem o corredor norte, entre os quartos 6 e 10.” Instruiu Gyu. L fez uma careta, Jong assentiu e Dong deu pulinhos empolgados.

Ailee pigarreou alto, olhando para Gyu. “Vou ser legal e deixar você decidir se me quer no seu time ou no time deles.”

Woo riu do desconforto evidente de Gyu, que se apressou a pedir que Ailee acompanhasse os meninos em sua missão – nem sempre o charme de Jong era o bastante, ela seria útil – e logo os três saíram. Hoya se apressou a pedir mais água para um garçom que passava no corredor e logo Gyu o ajudava a fazer Yeol beber, para o caso dele estar desidratado.

Yeol parecia estar aos poucos voltando à consciência, o que era ótimo. Woo estava quase acabando sua água quando percebeu que a sala estava meio estranha. Turva. Colorida. Clara demais. Yeol se sentou no sofá, sóbrio e desperto no mesmo em que Woo sentia seus joelhos bambos.

Essa festa definitivamente era um pesadelo.


Notas Finais


Obrigada por terem lido e espero que estejam gostando!

Fiquem ligados, o próximo capítulo pode vir a qualquer momento *--*

Capa liiiinda feita pela minha bff gêmea VirginiaOtaku: https://spiritfanfics.com/perfil/vikapagliarin


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...