História A filha da sabedoria - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Mitologia Grega
Exibições 6
Palavras 1.363
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 10 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Ficção

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir culturas, crenças, tradições ou costumes.

Capítulo 7 - 6- Acampamento semideus


 Minha cabeça latejava. A dor era insuportável. Abri os olhos devagar ,estava tudo embaçado, devagar a minha visão foi se focando. 
Eu estava cercada de gente.
   -Você está bem?-perguntou um homem a minha frente.
   -Não,estou toda dolorida. 
   -Ela está bem,agora voltem ao treinamento.-ele gritou.
   Todos saíram.
   -Porque você disse que eu estava bem? Eu não estou. 
   -Foi melhor assim Carolina. Senão eles não sairiam daqui 
    -Está bem. E que eu odeio mentiras. 
    -Justa.-ele disse- Bem,eu me chamo Lafaiete. Sou o "diretor" do acampamento. Me responda uma coisa. Você se lembra de algo de quando você enfrentou os ciclopes a duas semanas atrás?
       QUÊ? DUAS SEMANAS ATRÁS? EU ESTIVE INCONSCIENTE POR DUAS SEMANAS?!
     -Calma duas semanas?. Como você sabe meu nome?
     -Sim não se preocupe Carol. No estado que você chegou, esperávamos que...não aguentasse. Bem e  Emilya me contou sobre você.
      Meu Deus!
     -E então se lembra?
     -Bem, Emilya eu estava em uma festa ,a festa foi atacada, fui arrastada para casa,decubro ser filha de uma deusa, eu Mily e Jonathan somos atacados por ciclopes,sou morta e sou trago de volta,liberto Mily e Jonathan que estavam presos de cabeça para baixo em um árvore, luto com os ciclopes com a espada de Jonathan, venci,desmaiei, e nao me lembro mais de nada até acorda a alguns minutos atrás. E aonde esta Mily e Jonathan? Estão bem? 
    - Eles estão bem sim,estão treinando. Mas você disse que morreu e voltou?
     -E,um homem me trouxe de volta.
    -interessante, você se lembra dele.
    Diga que não. Disse a voz novamente. 
   Eu odiava mentira e odiava mentir, mas desdo começo a voz vem me ajudando.
   -Não essa e a única coisa que eu não me lembro. E por favor não conte a ninguém sobre isso.
    -Claro, descanse, conversamos mais outra hora. Rafaela, traga lhe néctar. Ela sente dores.
   Ele saiu ,e uma loura dos olhos azuis véio com uma bebida.
   -Tome isso irá te ajudar com as dores.-ela disse sorrindo- Sabia que nos pregou um susto! Pensamos que não sobreviveria. Teimamos pelo deus que é seu pai.
    - Calma. deus. Eu ainda não me acostumei com isso-suspirei.
    -Não se acostumou com o que?
   -Em saber que o Deus que eu pensava que existia,não existe.
   -Ah,não ele existe sim. Ele DEUS com D maiúsculo. Até Zeus e inferior,comparado a ele. Os nossos pais são deus com d minúsculo, ele Deus com D maiúsculo .Me entende?
   -Deu pra entender mais ou mesmo. Obrigado.
   -Que isso flor.- Dito isso ela saiu. 
   Eu bebi o néctar. Tinha um cheiro estranho mais era muito,muito gosto. Depois de um tempo voltei a dormir.
   Acordei com uma corneta sendo tocada. 
   -Não precisa se assustar.-era Rafaela-E para informar que está na hora do jantar. Pode ir, você já está melhor.
   -Não estou com fome.
   -Não acredite, ela está mentindo.-era Mily- Mesmo ela não gostando de mentiras.
    -Mily, eu acho melhor não. Eu devo estar imunda.
   -Está. Mas tem tempo de tomar um banho.
   -Lafaiete vai vai fazer discurso?-disse Rafaela.
   -Não .São"algumas" novas instruções .-respondeu Mily 
    -Vai demorar!-comentou Rafaela.
   
   Mily me levou até o seu chalé. Pois como eu não sabia de quem era filha,eu deveria ficar com o meu protetor. No caso ela. 
    O"chalé"-se é que podemos chamar aquilo de chalé. Era quase do tamanho da mansão do meu pai. 
    Fui para o quarto que me era reservado e ,tomei um banho rápido,e lavei o cabelo que estava cheio de sangue.
   Na hora de me vestir, peguei uma reta branca,uma calça jeans escura, e uma sapatilha preta, também peguei uma blusa de moletom lilás,com a parte de dentro do capuz roxo.   
    Mily ,me esperava na entrada. 
    -Que bom que já está pronta. Lafaiete acabou de dar as instruções. E todos foram jantar. Vamos que eu to morrendo de fome -eu ri.

   Antes de chegarmos lá, Mily me para e diz :
   -Uma pequena dica. Não ligue para os olhares. Ok? 
   Assenti,mesmo não sabendo o porque disse isso.
   -Tem mais, você terá que se sentar comigo e com s outros do nosso chalé.-Assenti. 
  
   Chegando lá entendi o "Não ligue para os olhares". Todos olhavam para mim. E diziam algo como: "Ela pode ser nossa irmã,uma filha de Afrodite. Ela e muito linda. Nessa nossa mãe caprichou até de mais" , "Ela deve ser uma filha de um dos grandes, pois ninguém derruba dois ciclopes sozinho" , "Ela pode ser filha de Ares, o deus da guerra, para ser tão forte" , teve um que disse: "Já pensou se ela for filha de Atenas, ela será a única." Essa pessoa recebeu a seguinte resposta-claro que não de mim,nem mesmo mentalmente: "Você e burro ou o quê? Claro que ela não e filha de Atenas. Esqueceu que a mesma prometeu ficar virgem para não deixar as batalhas." , "Mas se ela fosse...?".
   Eu e Mily fomos pegar as nossas comidas, ela me explica, que eu devo dar parte da munha comida para o deus quê é meu pai.
  Eu fui lá joguei e disse em pensamento:"Aceite essa comida mãe. Bem pelo menos isso eu sei sobre você. Que você e mulher."
   A história de Atenas ser a minha mãe não me saia da minha cabeça. Então resolvi perguntar a Mily. Cochichei em seu ouvido:
    -Mily?
    -Oi,Cah?!
    - Aonde eu me sentaria se fosse filha de Atena?
   Ela que comia parou. 
    -Por que a pergunta?
    -Eu não sei! Só ouvi alguém comentar ,e fiquei curiosa! 
    -Bem... Se fosse o caso de você ser a filha de Atena... e por ela ser a deus da justiça,deusa-sabedoria. "Filha"ou a própria Prudência digerida, mas também guerreira alta e terrivel com a lança. E por ser a Filha preferida de Zeus. Você ficaria com os filhos dos três poderosos do Olímpo.
   -Calma, no caso, filhos de Zeus,Hades e Poseidon?
   -Eles mesmos.
    -Mas eu nem os conheço!
    -Pelo menos um já.
    -Quem? 
    -Jonathan, oras! Quem poderia ser? 
    -Jonathan?! Você deve de estar brincando né?- ela nega com cabeça-Mas...então ele e filho de quem? 
    -De Zeus!-perdi a fome.
    -Licença, a todos.-disse me levantando. 
    -O que foi Cah? Tudo bem?-diz Mily segurando o meu braço quando levanto.
    -Sim. Está tudo bem-disse olhando para fora do refeitório.
    Puxei o meu braço,andei para fora do refeitório. Caminhei até um chalé que estava apagado. Eu andava de um lado para o outro tentando pensar, raciocinar melhor. Mas nada vinha. Quando desisti cai de joelhos na frente do chalé.
    -Me ajuda mãe. Mostre que você se importa comigo.-comecei a chorar. 
    Toda a minha vida era uma mentira, a minha mãe morta está viva,  meu pai que disse que nunca mentiria para mim mentiu. A minha melhor amiga... pelo menos isso era verdade Mily ainda era minha melhor amiga,mas mentiu para mim.
    -Está tudo bem-disse uma voz masculina colocando a mão no meu ombro.
   Simplesmente,eu só assinto.
    -Não e o que parece. 
    - A vida sempre faz às coisas parecerem o que não são.
    -Já ouvi isso.
    Me levantei limpando os joelhos. 
    -Eu estou bem.-disse ainda de costas para quem quer que seja.
    -Tem certeza?
    -Tenho -disse me virando.
    Meeeeu Deus, ele era super bonito. 
    -Prazer Henrique.- ele disse me estendendo a mão.
   -Prazer Henrique,eu sou...
   -Carol, está tudo bem? 
   -Era Jonathan com um outro rapaz. 
    -Sim,claro porque não estaria?
    -O que você está fazendo aqui Henrique? -pergunta Jonathan .
    -Eu estava indo para o meu chalé quando vi ela aqui chorando, e quis saber se estava tudo bem! 
    -Licença- eu disse caminhando saindo de lá. Mas eles me seguiam. -O que vocês querem eu posso saber? -disse um pouco brava. 
    -Aonde você conseguiu esse anel.-pergunta Henrique.
    -Anel?- olho pros meus dedos da mão direta, e lá se encontrava um anel, virei a Palma da mão para cima, e tirei o anel. Estava escrito  "um presente, do nosso agradável encontro. Hades" . Coloquei o anel de volta ao meu dedo - Não sei. Mas acabei de saber quem me deu- e quem havia me trago de volta a vida. Como eu não havia percebido.-Obrigado- sussurrei. 
    -O que?-perguntou o que eu ainda não sabia o nome.
   -Nada não.- menti.
    -Você já desconfia de quem pode ser sua mãe?-pergunta Henrique.
    -Não.
    - Com certeza deve de ser outra filha de Afrodite.
     -Calem a boca Henrique.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...