História A Filha de Dean Winchester - Capítulo 22


Escrita por: ~

Postado
Categorias Supernatural
Exibições 14
Palavras 2.789
Terminada Não
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 22 - 22


Antes...

Eu sempre estarei com vc minha bravinha.

Agora...

Castiel p.o.v on

Após a discussão entre mim e a katy eu decidi pedir pro Zacharias, um tempo afastado para refletir sobre tudo que estava acontecendo.

Eu estou comesando a passar tempo demais com os humanos.

Se eu passar tempo demais vou começar a agir como eles ou seja eu posso cometer pecados.

Agora eu vou descansar e não voltar para terra por algum tempo.

Pois toda vez que eu vou a terra eu escuto as palavras de katy na minha cabeça, e nem tive como me defender pois ela estava certa.

Eu estava errado o tempo todo virando as costas para aqueles que mais precisam de mim.

Eu vou procurar alguém para me substituir, mas enquanto não acho ninguém eu não vou responder a nenhum chamado da terra.

Crowley p.o.v on

Mais cedo eu estava no inferno cuidando de vários pactos e conversando com meus demônios incompetentes .

Ate que sinto a presença de um arcanjo, mas não era o Lucifer , parecia ser o Raphael.

Interessante oq um arcanjo está fazendo no meu reino acho que devo descobrir.

Crowley- vamos adiar a reunião, nos temos um visitante e preciso conversar com ele.

Eu disse e todos os demônios concordaram e se retiraram da minha sala.

Raphael - olá Crowley

Crowley- oq faz aqui Raphael?

Raphael - nos precisamos conversar.

Crowley- já estamos conversando.

Raphael- vá para esse endereço-disse e me entregou um papel.

Raphael- nos encontramos lá em cinco minutos.

Crowley- e oq te faz pensar que eu vou ?

Raphael - eu não pensei,eu só fiz.-disse e desapareceu-

Crowley- okay ja estou indo mamãe.

Eu verifiquei o endereço é me teletransportei para lá.

Quando cheguei o local parecia um galpão.

Entrei no local e havia uma mesa e duas cadeiras.

Em uma das cadeiras estava o Raphael e a outra estava vazia.

Crowley- se queria conversar em particular era só me avisar que eu arranjava um local melhor- eu disse me sentando na cadeira-

Raphael- eu tenho uma proposta pra lhe fazer e vc não tem como recusar.

Crowley- quer fazer um pacto? Se juntar ao inferno por acaso?

Raphael- não, muito melhor

Crowley- estou escutando.

Raphael- eu quero que vc converse com sam e Dean Winchester sobre o apocalipse.

Crowley- e oq vc quer que eu fale pra eles?

Raphael- eu quero que vc os faça aceitar Miguel e Lúcifer.

Crowley- se vc acha que eu vou fazer isso tá muito enganado, Lucifer irá me prejudicar então acho melhor não, tem algo para acrescentar ou já posso ir.

Raphael- como eu já disse antes não tem como vc recusar-ele disse olhando pra cima-

Merda tinha uma armadilha do diabo, me prendendo na cadeira.

Crowley- e oq vc vai fazer me prendendo aqui? Me torturar ate eu fz oq vc quer?

Raphael- exatamente, acho que podemos começar agora.

E assim se começou a minha seção de tortura.

Dean Winchester p.o.v on

Eu ainda estava debaixo da árvore bebendo e chorando,eu perdi a coisa mais preciosa da minha vida.

Todos nós temos demonios que estão dentro de nós , todos temos segredos todos temos mentiras ou algo a esconder.

Todos nos já cometemos pecados, mas pq ela , pq a katy , pq a minha filha.

Eu não sei mais no que acreditar eu não sei mais como continuar lutando com tudo isso acontecendo.

A única coisa que eu queria era que as pessoas a nossa volta não morressem , mas isso sempre acontece e não tem como evitar, então a unica coisa que nos temos que fazer é seguir os nossos caminhos construindo nossos próprios destinos não importa oq aconteça.

Eu não sei como eu vou contar isso pro Bobby e pro sam que a katy morreu, isso é muito difícil pra mim, e eu ainda não aceitei que ela morreu,mas tenho que cumprir a minha promeça que eu fiz.

Eu vou cumprir com a minha palavra custe oq custar.

Dean- Deus ou qualquer outra pessoa superior,pq só me reponde pq ela, pq não me levou?

Eu olhei pro céu chorando.

Dean- eu só quero uma resposta, será que é pedir demais?!

Dean- eu sei que não sou santo, mas eu tô obedecendo as ordens que eu céu me deu e estou tentando fazer as coisas certas, mas eu quero saber oq eu fiz de errado pra sofrer tanto assim é pra perde-la como eu perdi sem poder fazer nada.

Eu só queria que ela pudesse viver de verdade, ter meus netos e ver ela ser feliz, mas eu a perdi e eu nunca vou poder ver isso.

[...]

Se passaram várias horas, eu fiquei de baixo daquela arvore bebendo e chorando.

Pq ninguém, me atendeu, pq ninguém veio ate mim.

Pq o castiel não apareceu quando eu mais precisei.

Pq o sam não atendeu o telefone, ele sempre atende.

Pq o Crowley não veio, eu sei que ele tava sendo amigo da katy e precisava dela, então pq ele não veio.

Pq quando a katy mais precisou, ninguém além de mim estava lá.

Ela teria morrido sozinha se eu não estivesse lá?

Eu não sei, mas eu estava lá por algum motivo, qualquer um poderia estar lá,mas eu estava e eu não vou perdoar qualquer um que tenha feito isso com a minha filha

Mas que droga o pior disso tudo vai ser contar pra todo mundo que ela se foi e não vai mais voltar.

[...]

Após algumas horas a bebida estava acabando.

A chuva não passava, o Sam ainda não chegou e já deve estar amanhecendo.

Até agora eu não sai de baixo daquela árvore.

Os meus olhos estão pesando,mas eu não quero dormir.

Mas sono com wiski a noite toda, são uma combinação muito forte e acabei sendo forçado a fechar os olhos e dormir.

Sam Winchester p.o.v on

Após a mensagem da Ruby que eu recebi , eu tinha que sair , mas eles já estão desconfiando das minhas atitudes.

Eu arranjei uma desculpa qualquer, mas a katy quis ir comigo,eu consegui convencer ela a ficar em casa ,mas não sei se posso fazer isso pela segunda vez.

Sai com um carro qualquer do Bobby e fui atrás da Ruby.

Ela me enviou a sua localização e a foto do local que ela estava.

Eu cheguei e ela disse pra mim esperar dentro do carro.

[...]

Depois de duas horas esperando, a porta do carro foi aberta e a Ruby entrou dentro do carro toda molhada de chuva.

Sam- eu fiquei te esperando por mais de duas horas.

Ruby- qual o problema Sammy tá nervosinho.

Sam- o pessoal já tá percebendo as minhas saidas a noite e o meu novo comportamento.

Ruby- eu não posso fazer nada Sam, nos temos que continuar seguindo o plano.

Sam-eu sei , mas nós poderíamos acelerar o processo para aumentar os meus poderes.

Ruby- então vc quer mais, sangue de demônio.

Sam- sim eu preciso de mais sangue.

Ruby- ok então eu irei te dar mais sam, mas vc precisa me responder mais vezes ok?

Sam- farei o possível.

Então ela pegou uma adaga e cortou seu braço.

Ruby- pode beber sam.

E eu começei a beber o sangue de demônio e já sentia os meus poderes aumentado

Ruby- isso bebe tudo sam.

[...]

Eu não sei por quanto tempo eu bebi o sangue dela, mas eu acabei dormindo no carro do Bobby.

Merda, ferrou, o Dean vai me matar, ele deve tá me procurando que nem louco.

Liguei o carro do Bobby e tentei pegar o meu celular.

Parece que eu tinha três ligações perdidas do Dean.

Vou tentar ligar pra ele.

Ligação on

D- aqui é o Dean Winchester no momento não posso atender o telefone, mas se precisar de ajuda pode ligar no número do meu irmão o número é xxx-xxx ele vai te ajudar.

Ligação off

Merda o Dean não atende o telefone.

Eu vou ter que arranjar uma desculpa muito boa pra não ter atendido o telefone, e o pior é que tá chovendo muito forte.

[...]

Após uma hora eu cheguei na casa do Bobby.

Fui correndo até a porta para não pegar chuva.

Quando vi a porta estava um pouco aberta e tinha gotas de sangue na porta.

Deve ter acontecido alguma coisa enquanto eu estava fora.

Peguei minha arma no cós da calça, e abri a porta devagar.

Entrei e do lado de dentro havia mais sangue.

Parece que alguém se arrastou da porta até a sala.

E todos os vidros da cabana estavam quebrados e espatifados no chão.

Tinha uma trilha de sangue subindo as escadas esse sangue pode ser do Dean ou da katy eu tenho que ser rápido.

Sam- Dean! Katy!

Segui o rastro de gotas de sangue até o quarto da katy.

Abri a porta do quarto devagar e quando entrei eu vi muito sangue no chão e os lençóis todos ensanguentados.

Procurei ou pelo Dean ou pela katy dentro da casa e nem sinal deles.

Eu vou procurar do lado de fora.

Quando fui olhar do lado de trás da casa eu vi o Dean sentado de baixo da árvore todo molhado, dormindo e segurando uma garrafa de wiski.

Mas que merda aconteceu pra ele estar ali.

Fui correndo na chuva até ele.

Sam- Dean

Sam- Dean!

O Dean abriu os olhos e parecia que ele estava chorando.

Sam- oq aconteceu cara, pq tem sangue por metade da casa e cadê a katy?

Sam- Dean vc ta me escutando?cara suas mãos estão sangrando.

Dean- ela se foi Sam

Sam-quem Dean?

Dean- a katy cara, ela...ela se foi.

Sam-como assim ela saio ou foi a algum lugar?

Dean- não , Sam vc não tá entendendo ela tá morta.

Sam- que mas como isso é possível, ela estava bem antes de mim sair.

Dean- eu, tentei Sammy eu tentei.- e o Dean fez algo que eu nunca o vi fazer, ele chorou na minha frente-

Sam- não Dean vc não pode tá falando sério cara me diz que vc não tá falando sério me diz-eu disse já ajoelhado no chão caindo poucas lágrimas.



Narradora p.o.v on

Sam e Dean estavam se sentindo totalmente acabados e estavam sentindo uma dor que já sentiram muitas vezes antes.

Eles estavam revivendo essa dor com a morte de katy.

Mas o Sam era o que se sentia o mais culpado.

Ele estava bebendo sangue de demônio enquanto a sobrinha estava morrendo e agonizando de dor.

A katy e o Dean precisavam de ajuda e o sam não estava lá.

O Sam agora teria que viver com a culpa de não estar na cabana do Bobby quando a sobrinha,mais precisava.

O Sam agora se sente a pior pessoa do mundo.

Se ele tivesse atendido o telefone a morte da sobrinha talvez não tivesse acontecido.

O Sam agora estava com as mãos sujas, mas não sujas de terra ou gracha e sim sujas de sangue.

E sangue de uma pessoa que ele amava mesmo estando afastado dela.

Sam sentiu como se todas as forças que ele tinham haviam se perdido.

Mas ele não sentia culpa somente por ci.

Ele sentia culpa principalmente pelo irmão que teve que passar por tudo isso sem ele.

E quando o Dean mais precisou, o Sam não pode ajudar como sempre fazia.

Eles ainda tinham que contar ao Bobby que a katy morreu e isso não seria nada fácil.

O velho e rabugento Bobby Singer ficou com o coração mole por causa da katy.

Ele se apegou mais a ela do que a sam e Dean.

A morte da katy não está sendo nada fácil para os Winchesters.

Os Winchesters sentem que tem culpa em parte da morte da katy.

O Dean sente que foi o pior pai que alguém poderia ter, o Dean sente que guiou a filha pelo pior caminho que alguém poderia seguir.

Dean levou a katy a ser uma Winchester e uma caçadora.

O Dean a cada segundo que se passava após a morte da katy ele sentia que parte do seu coração era levado e que ele nunca mais poderia ter uma família novamente.

Com a katy o Dean sentiu que poderia ter uma família novamente, e criar uma vida nova.

Mas ele estava errado, os Winchesters podem largar o trabalho mais o trabalho não larga os Winchesters.

Já o Sam se sentia um lixo, um inútil, alguém que se divertia enquanto os outros precisavam da sua ajuda.

Foi o Sam que conheceu a katy primeiro, e eles logo se deram bem de cara.

O Sam não queria se culpar, mas não tinha como, a cada segundo se passava em sua cabeça que se estive com a sobrinha nada teria acontecido.

Todos esses pensamentos pairavam nas cabeças dos irmãos , eles não conseguirão superar está morte tão cedo.

[...]
A chuva já havia parado.

A tarde se passou muito devagar e poucas palavras foram ditas da bocas dos irmãos.

Sam queria saber como tudo aconteceu, mas não queria forçar o irmão a falar.

O clima tava muito pesado entre os irmãos e nenhum deles queria falar.

[...]

Dean foi fazer curativos nas mãos, e tomar um banho.

Enquanto isso o Sam limpava o sangue e os lençóis manchados da casa.

Quando ambos terminaram, Sam decidiu perguntar para o irmão oq aconteceu.

Dean um pouco hesitante contou a história do início ao fim.

Dean somente ocutou as partes de espionar o Sam mas tirando isso tudo foi dito.

Algumas lágrimas queriam sair dos olhos do Dean, mas ele se recusava a deixar elas a caírem, mas o Dean estava sendo forte por muito tempo então algumas escaparam.

Ele e o Sam terminaram de arrumar tudo.

E estavam tentando arranjar um jeito de contar ao Bobby o acontecido.

E decidiram que o Dean iria contar a ele.

Para todos a morte da katy era difícil, mesmo se eles estivesem brigados ela concerteza faria falta.

[...]

A noite caio e o Bobby chegou da caçada a um ninho de vampiros.

Bobby - Oi gente, mas que caras sérias são essas.

Sam- é melhor vc se sentar Bobby.

Bobby- meu deus parem de mistério e me contem logo oq aconteceu.

Dean- o Sam tem razão é melhor vc se sentar, aí depois que vc se sentar eu vou te explicar.

O Bobby sentou na cadeira hesitante, mas percebeu que o assunto era bem sério.

Bobby- deixem de mistério e me digam oq aconteceu.

Dean- Bobby eu não sei como te dizer isso.

Bobby - diga com a boca seu idiota anda logo e deixa de mistério.

Sam- o assunto é sério Bobby deixa ele terminar.

Dean- Bobby a katy ela...ela mo..rreu.

Bobby- oq!?

Dean- a katy morreu Bobby.



O velho Singer tirou o chapéu e abraçou cada um dos rapazes e perguntou como tudo aconteceu.

O Dean explicou a história rapidamente, para o Singer e como tudo aconteceu.

O Bobby ficou extremamente chocado,e parte de si não aceitava a morte de katy , que era quase como uma filha pra ele.

Todos decidirão, descansar um pouco.

Todos tiveram o dia cheio e com fortes emoções,

Mas cada um deles tinham que continuar.

Mesmo que o aperto no peito batece, eles tinham responsabilidades e não as podiam deixar de lado.

O sentimento que cada um sentia por ela era muito profundo, era algo que não se podia explicar.

A katy trazia alegria e muitas confusoes ela era realmente uma winchester.

Ela virou membro da família, ela aderio o negócio da família e fazia com que todos se animacem e se senticem bem com sigo mesmos.

A katy fazia tudo isso e ainda tinha que lidar com vários problemas.

E eles só tinham duas perguntas em sua mente, pq ela morreu e como ela conseguiu ser tão forte e suportar vários fardos do seu passado.

Mas tudo continua e eles tinham que continuar sem a winchester.

[...] Uma semana depois...

O castiel ainda estava sumido pra os winchesters.

Crowley ainda estava sendo torturado pelo Raphael, mas tb estava tentando fujir.

Bobby decidiu ir atrás de um caso para esfriar a cabeça.

E somente os winchesters ficaram na cabana pesquisando mais sobre o apocalipse.

Sam e Dean ainda se perguntavam onde o Crowley e o castiel estavam.

Sam estava ficando cada vez mais frio por causa do sangue de demônio que corria em suas veias.

E Dean estava preoculpado com o irmão, Dean estava tentando achar um jeito de cumprir a sua promeça da melhor forma possível.

Mas tb estava se sentindo muito desgastado.

A morte da katy ainda mexia com ele de certa forma mesmo ele tentando esquecer.

Mas tudo continua e os winchesters sempre ficaram lutando.

Fim...

Ou apenaz o começo de algo maior...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...