História A Filha de Dracula - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Clã, Humanos, Romance, Vampiro
Exibições 31
Palavras 965
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Fantasia, Romance e Novela, Sobrenatural
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Hello meus anjos, tudo bem com vocês?

Desculpa por demorar a publicar o próximo capítulo, estava com um bloqueio de criatividade terrível, sabia como seria o próximo capítulo (que é esse aqui) mais não sabia muito bem como escrever-lo do jeito que eu queria.
Enfim, algumas pessoas estão achando que eu sou um garoto (risos), talvez por causa do "ANJO" mecânico...então, vou fazer uma pequena ficha sobre mim nas notas finais, ok!

Boa leitura!

Capítulo 16 - Alcatéia


-Acorda Luna, você tem que acordar. -Diz Ian nervoso e sacudido meu corpo. Cadê aquele sorriso que tanto me encanta, ele parece estar nervoso com algo, mais o que?.  - Luna! -Grita ele.

   Eu dou um pulo de susto e acordo, Deus o que foi isso, nunca sonhei com algo assim. Olho ao meu redor e percebo que não estou no meu apartamento, estou acorrentada pelos pés e mãos  em uma espécie de quarto, as paredes e o piso são de concreto e existe infiltrações, tem apenas uma lâmpada para iluminar o recinto, um lugar perfeito para interrogatórios...e acho que é isso esse local, um quarto de interrogatórios, só está faltando as armas de tortura.
   Gostaria de saber muito a quando tempo estou aqui, pelo pequeno buraco que tem na parede parece que estou a algumas horas, pois já estar claro lá fora. Tenho que dá um jeito de fugir daqui, como eu fui pegar por um grupo de lobisomens? Grande lutadora você é em Luna! Dracula ficaria furioso por saber disso, treinei minha vida toda  e em uma simples caçada sou capturada por lobisomens...mais que droga...bem... eu estava em menor número, por causa dos rosnados parecia que tinha 9 lobos contra 1 vampiro que não tinha arma alguma, juro por mim mesma após eu sair daqui só vou sair para os lugares armada, mesmo que seja apenas com uma adaga.        Depois de algumas horas eu acho escuto um barulho de passos no lado de fora, a porta se abre e entra um rapaz com uma bandeja no quarto, ele é alto, forte, moreno, cabelos castanho claro com um corte meio militar, ele tem olhos castanhos escuros e um rosto sério com alguns traços de quem estar deixando a idade infantil, talvez ele esteja sério porque está na presença se uma vampira, não deve ter experiência com os da minha espécie.
-Milk shake (não sei escrever esse negócio rsrs) de chocolate com castanha e um misto quente. -Noto eu pelo cheiro sorrindo amigavelmente, por algum motivo não quero que ele tenha medo de mim. Ele dá um sorriso tímido.
-Já está na hora do almoço, e resolvir trazer algo para você comer, não sei direito o que vampiros comem além de sangue. -Responde ele  com uma voz rouca olhando para baixo.
-Não precisa ter medo de mim, não vou fazer nada ruim com você. -Digo eu em um tom sincero. - E na verdade eu não sou uma vampira, sou uma híbrida. -Completo eu sorriso, ele me olha surpreso e se aproxima de mim para colocar a bandeja na minha frente, ele tem cheiro de madeira e ameixa.
-Híbrida? -Diz ele surpreso e se senta no chão mesmo na minha frente.
-Sim, minha mãe ainda era humana quando me  concebeu, e a propósito não vai dá para mim comer. -Respondo eu mostrando as correntes nas minha mãos, ele tira uma chave do bolso da calça e abre as algemas da corrente que estar nas minha mãos. Pego o misto e como com uma certa urgência, fazia tempo que eu não comia nada.
-Obrigada. -Agradeço eu ainda comendo, estava muito bom. -Como você se chama? 
-Guilherme e você? -Pergunta ele sorrindo.
-Prazer em conhece-lo Gui me chamo Luna, posso te chamar de Gui né. -Respondo eu sorrindo e deixando a comida um pouco de lado.
-Claro. -Responde ele olhando pra baixo com um sorriso tímido.
-Você tem um sorriso lindo. -Digo eu, muito lindo mais nada se compara com o sorriso de Ian, que saudade dele...droga me esquece que hoje é sexta, não fui para a aula e o Ian vai ficar preocupado. -Quanto anos você tem? -Completo eu saindo dos meus pensamentos, Guilherme não deve ser mais velho do que eu.
-15 e você?
-17. -Respondo eu. -Você nunca falou com uma vampira né?  -Completo eu sorrindo.
-Como você sabe? -Pergunta ele curioso e fazendo uma cara engraçada, e eu começo a rir alto.
-Pelo jeito que você me olha. -Respondo eu ainda rindo.
-É que você é muito linda. -Diz ele com o rosto vermelho e eu fico sem jeito. -Você não é de Nova York..por causa do seu sotaque. -Completa ele olhando pra mim.
-Sou do Canadá, vai fazer uma semana que eu cheguei aqui. -Rospondo eu sincera. Ele ia abre a boca para falar algo mais nós fomos interrompidos, por um cara da minha altura, moreno, forte e com uma cara séria.
-Gui é melhor você sair logo, se não quiser arrumar problema com Tom. -Diz o cara que entrou, ele não para de olhar na minha direção, pela aparência deve ter a idade do Guilherme.
-Tudo bem. -Responde Gui se levantando e pegando a bandeja que estava na minha frente, quando ele estava se virando para ir embora..
-Acho melhor você me correntar de novo, para esse tal de Tom não brigar com você. -Digo eu séria. Ele vem até mim e coloca as algemas onde estava.
-Desculpa por isso.-Sussurra ele depois que as fechou.
-Tudo bem. -Respondo eu com um pequeno sorriso. -E obrigada pela comida. -Completo eu. Ele apenas da um pequeno sorriso e vai embora. Esculto os passos dos dois se estanciando, e o quarto de enche de silêncio novamente. Depois de algumas horas tento dormir um pouco para passar mais rápido o tempo, já de noite esculto passos atrás da porta e vejo um cara alto, branco, forte, seu cabelo é curto, ele tem um sorriso arrogante nos lábios, que me dá vontade de arrancar a força...Pelo jeito que ele estar se com portanto na minha frente deve ser o tal de Tom que o amigo de Gui disse...o Alfa? Acho que não.
-Que otimo que você estar acordada, vamos brincar chupadora de sangue? - Diz ele ele ainda com aquele sorriso irritante nos lábios.


Notas Finais


Obrigada por estar lendo as notas finais (risos).
-Me chamo Luana Cristina, mais podem me chamarem de Luh (assim que os meus amigos me chamam);
-Tenho 17 anos;
-Sou de Limoeiro do Ajuru -PA;
-Adoro ler;
-Gosto muito de HP ❤
-Adoro os seres sobrenaturais, como vampiros, lobisomens, elfo...
-Curto um bom filme de terror (risos);
- E Anjo mecânico é nome de um dos livros que eu gosto muito pertencente a trilogia As Peças Infernais (Anjo Mecânico, Príncipe Mecânico e Princesa Mecânica) de Cassandra Clare, pra quem não sabe os três livros contam a história vivida antes de Os Instrumentos Mortais, pra quem ainda não leu a conselho a ler a trilogia e a saga..são ótimos, é um mundo cheio de nephilim, fadas, demônios, feiticeiros...

Isso é um pouquinho sobre mim, e se quiserem conversar comigo ou fazer alguma pergunta sobre mim ou sobre a fic fiquem a vontade ficarei feliz em responde-los. E ficarei também feliz em saber um pouco sobre os meus leitores.

Beijinhos mecânicos 😘😘😘😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...