História A filha de Nyx - Imagine Jungkook - Capítulo 6


Escrita por: ~

Visualizações 33
Palavras 2.003
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Fantasia, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Survival, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


I'M BACK.
AMEEEEEM
OUFHVURFBHUERB
PERDOEM MEUS ERROS E NÃO DESISTAM DE MIM.
BOA LEITURA.

Capítulo 6 - My New House


Devíamos estar na costa norte de Long Island, porque daquele lado da enfermaria o vale seguia até a água, que cintilava a cerca de um quilômetro de distância. Da enfermaria até lá, eu simplesmente não consegui processar tudo o que estava vendo. A paisagem era pontilhada de construções que lembravam a arquitetura grega antiga – Um pavilhão a céu aberto, um anfiteatro, uma arena circular –, só que pareciam novos em folha, as colunas mármore branco reluzindo ao Sol. Em uma quadra de areia próxima, uma dúzia de crianças e pessoas metade bode e metade humanos em idade escolar jogando voleibol. Canoas deslizavam por um enorme lago. Homens e mulheres corriam em volta de um agrupamento de chalés no meio do bosque. Algumas praticavam arco e flecha em alvos. Outras montavam cavalos em uma trilha arborizada e, a não ser que eu estivesse tendo alucinações, alguns cavalos tinham asas.

Além de estar cercada por lugares encantadores e ainda desconhecidos, estar cercada de tanta gente linda de morrer me deu vontade de me arrastar para debaixo de um banco, apesar de muitos deles cumprimentarem Jungkook e depois sorrirem e dizerem oi para mim, também. Enquanto respondia com hesitação aos comprimentos, eu olhava furtivamente para garotos e garotas que passavam por nós. Tambem reparei que os adultos e os jovens tinham uma coisa em comum – seus olhos se voltavam, cheios de curiosidade, para minha Marca. Que ótimo. Então eu estava começando minha nova vida com uma anomalia, o que era um saco.

Senti minhas bochechas corarem com todos os olhares sobre mim, aquilo era tão desconfortável quando cair em publico. Abaixei a cabeça desconfortavelmente ao ver sorrisos maliciosos de um grupo de garotos que sussurrava algo como: “Carne nova no pedaço” “Olhem aquele corpo”. Suspirei talvez um pouco mais alto do que o necessário, no mesmo instante sinto uma mão em meu braço .

-Esta tudo bem? –Jungkook perguntou dando um sorriso acolhedor.

Levei meu olhar até o grupo que continuava e mexer comigo, ignorei o fato e assenti com a cabeça.

Jungkook sem nem pestanejar olhou para os garotos com uma evidente raiva em seus olhos.

-Não deviam estar limpando o coliseu em vez de ficar dando em cima de uma garota que nunca haviam se quer visto? –Em uma fração de segundos ele se aproximou dos garotos, fechou os olhos e em seguida os abriu encarando os três. Seus corpos pareceram congelar, nenhum deles se mexia, nem se quer piscavam. Após alguns segundos naquele estado, os três caíram no chão enquanto se contorciam de dor. O olhar de Jungkook era tenebroso, eu conseguia sua aura e aquilo era assustador.

-Jeon... –Me aproximei dele e toquei seu braço, ele estremeceu. Mas não adiantou em nada, ele não parou e agonia dos garotos apenas aumentou.

-Jungkook! –Minha voz saiu mais alto do que o desejado e ele finalmente parou de fazer seja la o que estava fazendo e olhou os três deitados no chão

-Nunca mais abram a boca para falar com ela, ou sobre ela. –O tom usado por ele foi forte, os meninos estremeceram na hora, assentindo com a cabeça repedidas vezes.

Jeon se virou para mim e segurou minha mão me puxando para longe dos três e em direção aos chalés.

-O que estava fazendo com eles? –Finalmente tive coragem de perguntar, mesmo não querendo ouvir a resposta.

-Congelei uma parte do apêndice deles, é um órgão inútil, não iria fazer diferença... Desculpe se te assustei, mas você acabou de passar por uma difícil situação e aqueles babacas dizendo todas aquelas merdas... Eu simplesmente não consegui me segurar. –Não consegui conter o sorriso ao ouvir aquelas simples palavras que em mim tinham um enorme significado. Assenti.

Parei de andar quando o mesmo parou e fiquei ao seu lado olhando o enorme chalé N° 13 a nossa frente.

-Esse é o seu. –Ele segurou minha mão e abriu a grande porta incrustrada com pedras que pareciam ser ônix e algumas ametistas.

Dentro era ainda mais bonito do que fora. As paredes eram todas pretas com alguns detalhes em azul e branco, prateleiras repletas de livros e grimórios antigos, juntamente com pergaminhos e alguns amuletos. O teto era uma cúpula e pelo que disse Jungkook o teto foi encantado pela própria Deusa para que dentro do chalé fosse sempre noite, dava pra ver claramente as estrelas e a lua. Bem no centro do quarto tinha uma cama de casal com travesseiros e almofadas de todos os tons de azuis com distintas formas, a colcha era um preto azulado e as cortinas em volta de cama davam um toque totalmente diferente ao local. Mais para o canto uma escrivaninha com tudo o que era necessário, na parede a frente ao móvel tinha varias paginas envelhecidas que pareciam ser feitiços. Próximo a escrivaninha havia um armário sem portas que ia do chão até o teto, mais da metade do armário era composta por potes de vidro cheios de ervas secas, o restante do armário tinha estatuas, livros e um “caldeirão”. Nos dois cantos do quarto tinha uma porta, a do lado esquerdo era um closet totalmente preenchido com roupas maravilhosas. A porta da direita era um banheiro, também preto (novidade?), a parte maior continha uma banheira e uma janela gigante por toda a parede, dava pra ver perfeitamente a lua, o bosque e o lago. No canto da outra parede um pequeno armário cheio de sais de banho, essências e outros. Do outro lado um box de vidro enorme e no canto menor um vaso sanitário enfeitado com os símbolos de Nyx perfeitamente esculpidos.

-Estou sem palavras... –Digo admirada olhando em volta e em seguida para Jungkook.

-Aqui é lindo não é? O meu é totalmente diferente... Ele é branco, totalmente branco. –Ele disse rindo. Revirei os olhos bocejando.

-Que horas são? –Ele olhou o relógio em seu pulso e arregalou os olhos. –Já são 02:56... Não me surpreende estar com sono. Eu já vou indo... –O mesmo diz já caminhando até a porta.

-Jungkook... Hãn... Será... Sei lá, só se você quiser... P-poderia dormir comigo de novo? Eu não sei se vou conseguir dormir sozinha, mas só se você quiser. E-eu... –Acabei por corar violentamente e me sentar na cama abaixando a cabeça. Ouvi uma risada e logo senti uma mão em meu joelho e outra em meu queixo me forçando a olhar para cima.

-Não será problema para mim... Só tenho que avisar a Crystal e pegar um pijama, okay? Não irei demorar. –Ele beijou o topo de minha cabeça e saiu.

 

P.O.V JUNGKOOK

 

Afastei-me cada vez mais do chalé N°13 e me aproximo do N°14. Por alguma ironia do destino mm

Adentrei minha casa e avistei Crystal sentada dentro da piscina de gelo que tinha em nosso quarto, ri revirando os olhos enquanto caminhava até meu armário ao lado da escrivaninha perfeitamente moldada de gelo.

-Porque está pegando roupas? Não vai dormir aqui? –Ela disse com um sorriso malicioso nos lábios.

-Vai me deixar falar? –Depositei as roupas em uma pequena sacola preta com o símbolo do acampamento. Vi a mesma assentir e continuei- ______ me pediu, eu por um lado entendo ela, passou por muita coisa. Eu também não conseguiria passar minha primeira noite em um lugar desconhecido sozinho.

-Vou fingir que acredito nessa sua estorinha. Usem camisinha, okay? Não quero ser tia tão cedo. –Não consegui evitar em rir.-

-Você é uma idiota, sabia?

-Mas você me ama mesmo assim. –Ela fez um coração de gelo e o assoprou, o mesmo bateu em meu rosto e se desfez.

-Adoro quando faz isso. –Rio fraco e sento na borda da piscina, toco sua agua e congelo a mesma, deixando minha irmã presa da cintura pra baixo- Até depois, maninha.

Coloquei a bolsa em meu ombro e sai pela porta de cristal enquanto ouvia minha irmã gritar loucamente comigo, a ignorei e dei poucos passos até chegar novamente ao chalé N° 13.

P.O.V VOCÊ

Enquanto Jungkook ia até seu chalé aproveitei e peguei um dos livros grandes de couro que estava na estante. Abri o livro e comecei a lê-lo, o mesmo continha informações vitais para minha sobrevivência como “vampira”. Sim, esse era o termo usado no livro.

CARIMBAGEM

Uma carimbagem entre você e um humano não ocorre cada vez que você se alimenta. Muitos humanos sofrem impressão e outros não, mas apesar de existir vários fatores determinantes, o mesmo como uma ligação emocional, relações entre humanos e vampiros recém transformados, idade, orientação sexual, e a frequência de sangue sugado, não é possível predizer com certeza caso um humano irá possuir a impressão com o vampiro ou não.

SEXUALIDADE E SEDE POR SANGUE

Apesar de que a frequência de necessidade se difere dependendo de sua idade, sexo, e força geral, deve periodicamente se alimentar de sangue humano para continuar saudável e são. E assim é apenas lógico que a evolução, e a nossa amada deusa Nyx, tenham garantido com que o processo de beber sangue seja prazeroso, tanto para você quanto para o doador humano. Quanto mais velho você é, mais endorfina será liberada durante o processo, e mais intensa será a experiência de prazer para os humano e você. A Deusa e seus servos especularam a séculos que o êxtase de beber sangue é a razão principal do porque humanos tem difamado a sua raça. Humanos se sentem ameaçados pela nossa habilidade de trazê-los um prazer tão intenso durante um ato que eles consideram perigoso e abominável, então eles nos rotularam de predadores. É claro, que a verdade é que você pode controlar a sua sede de sangue, então existe pouco perigo físico para doadores humanos. O perigo se apresenta na impressão que normalmente ocorre durante o ritual de beber sangue. Esse ato é tão prazeroso para ambos os lados que os dois podem ter orgasmos sem ao menos se tocarem ou algo a mais acontecer.

Fechei o livro quando ouvi batidas na porta, meu rosto estava totalmente corado, eu sabia disso pois estava sentindo minhas bochechas esquentarem, fui até a porta e abri a mesma vendo Jeon parado com uma pequena bolsa no ombro. Dei espaço para que ele entrasse e foi exatamente o que o mesmo fez, deixou a bolsa na cama e se virou para mim.

-Porque esta vermelha? –Jungkook perguntou olhando minhas maçãs do rosto.

-E-eu? É-é que... –Respirei fundo e me voltei ao garoto- Eu estava lendo um livro e algumas coisas me deixaram... Como posso dizer... Envergonhada...

-O que estava escrito? –A curiosidade era evidente em seus olhos.

-É...Basicamente se eu morder alguém ou beber do sangue dessa pessoa, eu e ela sentiremos um prazer imenso e poderemos ter um orgasmo. –Eu disse corando ainda mais.

-A-ata... Isso estava em um livro? –Sua pele era tão branca que eu conseguia ver suas bochechas coradas. Era fofo.

Assenti com a cabeça logo me sentando ao seu lado na cama.

-Se incomoda se formos dormir agora? Estou tão cansada... –Abro a boca bocejando e o vejo fazer a mesma coisa.

-Não ligo não... Estou cansado também...

Jungkook se levantou, foi em direção ao banheiro e fechou a porta aparentemente se trocando. Fiz o mesmo, tirei a camiseta suja que fiquei o dia inteiro e vesti uma regata cinza que tinha uma lua bordada no peito esquerdo, tirei o shorts jeans e vesti um azul que combinava com a regata. Por algum motivo acertaram em cheio meu numero.

Depois de alguns minutos, Jungkook saiu do banheiro usando apenas uma calça azul, estava sem camisa. Observei seus músculos definidos e por um segundo achiei que estivesse babando. Jungkook caminhou até minha cama e deitou na mesma enquanto me media de cima a baixo.

Corei violentamente com seu olhar sobre minhas pernas, literalmente corri até a cama e deitei logo me cobrindo e virando para encara-lo.

-Boa noite, pequena. –Jungkook depositou um beijo em minha testa e deitou deixando nossos rostos próximos. Fechei os olhos sorrindo e respondi:

-Boa noite, Kookie...

Não disse mais nada, no minuto seguinte eu já estava dormindo.


Notas Finais


GENTE, DESCULPEM O CAPITULO MEIO "BLÉ".
ESTOU TRABALHANDO NO PROXIMO.
SAIREMOS EM MISSÃO. JA? SIM, JA.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...