História A filha do Mestre Pokemon - Capítulo 22


Escrita por: ~

Postado
Categorias Pokémon
Personagens Ash Ketchum, Brock, Dawn Hikari, Delia Ketchum, Gary Carvalho, Grace (mãe de Serena), James, Jessie, Max, May, Meowth, Misty, Personagens Originais, Professor Carvalho, Serena
Tags Ash, Filha, Kanto, Misty, Pokémon, Serena
Exibições 55
Palavras 1.943
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Crossover, Famí­lia, Fantasia, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Mais um capítulo com batalha de ginásio.

Também vai mostrar o conteúdo da carta que o Ash mandou para Mariene através do Gary.

Boa leitura.

Capítulo 22 - Ginásio de Celadon e a carta de Ash


Mariene acordou renovada após a batalha contra o Gary. Ter uma batalha completa contra o atual campeão e conseguir vencer 4 dos pokémons dele deu uma motivação a mais para ela juntar as insígnias e participar da liga.

Ela foi fazer a higiene matinal e depois foi direto ao refeitório do Centro Pokémon, onde encontrou todos já terminando de comer.

[Mariene] – Muito amigos vocês hein?! Nem me esperam para comer...

[Klauss] – Mas se a gente esperasse, não ia ter nada para a gente comer... Você ia acabar com tudo.

Mariene que ainda não havia se sentado, caminha até Klauss e dá um tapa na nuca dele.

[Klauss] – AAAiiiiiii.... Pra que essa violência?

[Mariene] – Por falar que como demais, humf...

[Klauss] – Mas vo... – Ele para de falar ao ver o olhar mortal da Mariene, engole seco e continua – você nem come tanto assim, foi só brincadeirinha – Disse com um sorriso falso

[Mariene] – Dessa vez eu te perdoo, mas só por que estou morrendo de fome.

Bonnie, Lana e Mathew caem de costas ao ouvir isso, e logo começam a dar muita risada, e Klauss não consegue evitar e ri também.

[Mariene] – Tá bom... Tá bom... Eu como um pouquinho demais... Mas vamos mudar de assunto?

[Mathew] – Tudo bem. Qual Pokémon tinha na Pokébola que seu pai mandou?

[Mariene] – Ainda não vi. Tenho que mandar algum Pokémon meu de volta para o professor Carvalho antes, minha equipe já tem os 6 pokémon e ele seria o sétimo. Só vou fazer isso depois de batalhar no ginásio.

[Lana] – E a carta, o que dizia?

[Mariene] – Também não sei, meu pai pediu para ler somente depois de batalhar no ginásio.

[Bonnie] – Que estranho, o Ash não costuma ser misterioso assim.

[Mariene] – Também estranhei, mas tudo bem. Prefiro ler a noite sem ter que me preocupar com nada.

[Bonnie] – Então vamos ao ginásio.

Ao dizer isso, Mariene, Klauss e Bonnie se levantaramem um piscar de olhos. Aqueles três não podiam ouvir falar em ginásio que já começavam a andar.

[Mathew] – Eu não vou.

[Lana] – Nem eu

[Mariene] – O que aconteceu? Por que não vão?

[Mathew] – Tenho que treinar meu Combusken, e pedi para a Lana me ajudar. O Blaziken dela pode ensinar muita coisa.

[Bonnie] – Ou talvez queira passar mais tempo com ela.

[Mathew] – Bonnie, é para treinar.

[Mariene] – Uhum... Boa sorte no treino, vamos Klauss.

Ao dizer isso, ela decide se agarrar no braço de Klauss, só para ver se a Lana iria ter outro de seus ataques de ciúmes. Klauss fica surpreso com a Mariene, mas não tenta se soltar. Lana olha para os dois e vira o rosto em seguida. Até sair do centro Pokémon, Mariene anda agarrada no braço do Klauss.

[P.O.V. BONNIE]

[Bonnie] – Hahaha, que fofos, parecem namoradinhos.

Acho que ela só percebeu a forma que estava “agarrada” em Klauss pelo que falei. Nunca vi ela agir tão rápido, em um piscar de olhos já tinha se soltado do Klauss e estava mais vermelha que pimenta. Isso me lembra um pouco da Serena, embora ela nunca tenha feito algo tão ousado assim.

[Mariene] – Ahn... Me desculpe Klauss... Só queria ver qual seria a reação da Lana.

[Klauss] – Não tem problema. E já que ela não pirou, pode fazer isso quando quiser.

O que? Desde quando o Klauss tem essa confiança toda? Eu já percebi que ele gosta dela, mas ele nunca agiu assim.

[Bonnie] – Love is in the air.

[Klauss/Mariene] – Bonnie!!!

[Bonnie] - Não falei nada demais.

[Klauss] - Vamos para o ginásio logo.

Continuamos andando por cerca de 30 minutos, até que finalmente chegamos no ginásio. Quando entramos, fomos recebidos pela líder Érika, que nos apresentou o local.

[P.O.V. NARRADOR]

[Érika] – Esse é o Ginásio de Planta. Como podem ver, o campo de batalha fica dentro de uma estufa e é aqui que batalharemos. Quem é meu desafiante?

[Mariene/Klauss] – Eu.

[Érika] – Os dois?

[Mariene] – Sim. Nós dois queremos ir para a Liga Indigo.

[Érika] – Normalmente as batalhas aqui são com 3 pokémons, mas já que os dois vieram juntos, dessa vez será 1 contra 1, assim os dois podem batalhar hoje, o que me dizem?

[Klauss] – Por mim está ótimo.

[Mariene] – Por mim também.

[Érika] – Quem será o primeiro?

[Mariene/Klauss] – Pode ir.

[Mariene/Klauss] – Não, vai você.

[Érika] – O casalzinho pode se decidir?

[Bonnie] – Primeiro Mariene, depois Klauss. Se largar esses dois ficam o dia inteiro decidindo isso.

[Érika] – Ótimo. Batalha 1 contra 1, o treinador que tiver o Pokémon fora de batalha perde. Não tem limite de tempo.

[Mariene] – Tudo bem. Charmander, eu escolho você.

[Bonnie] – Está agindo igual seu pai.

[Mariene] – Saber que ele chamava os Pokémon dele assim dá uma inspiração a mais na batalha.

[Érika] – Minha vez. Gloom, vai.

[Mariene] – Charmander, use Scratch.

[Érika] – Gloom, use o Acid.

Enquanto Charmander avançava em direção ao Gloom para tentar arranhar, Gloom lançou um jato de ácido que atingiu o Charmander, impedindo ele de continuar o ataque

[Érika] – Agora, Petal Dance.

[Mariene] – Nada disso, use Ember para queimar as pétalas.

Gloom ataca com o Petal Dance, lançando várias pétalas em direção ao Charmander, mas ele usa o Ember e consegue queimar todas antes de ser atingido.

[Mariene] – Ember de novo, vamos usar a vantagem para vencer.

[Érika] – Evasiva e Acid

Chamander usa o Ember de novo, mas Gloom consegue desviar e novamente atinge o Charmander com o Acid.

[Mariene] – Scratch

[Érika] – Petal Dance

[Mariene] – Mudança de planos. Use Ember, força total.

[Érika] – Evasiva.

Charmander interrompe o Scratch e se prepara para lançar o Ember. Gloom já havia iniciado e o Petal Dance e não conseguiria parar a tempo de fazer a evasiva. Chamander se concentrou o máximo que podia para lançar o Ember mais poderoso que conseguisse. Assim que liberou o ataque, surpreendeu a todos. Ele não lançou um Ember, mas sim um Flamethrower poderosíssimo. Gloom não teve chances de escapar e foi atingido em cheio. Mas Charmander não parou. Ele manteve o Flamethrower por bastante tempo, até que...

[Mariene] – Charmander, pode parar.

[Érika] – Parou por que?

[Mariene] – Se meu Charmander continuasse com o Flamethrower poderia machucar seu Gloom. Por mais que eu goste de batalhar, não quero machucar seriamente o Pokémon de ninguém.

[Érika] – Tem razão. E se continuasse, era só questão de tempo até o Gloom perder. Ele não conseguiria sair daquele Flamethrower. Aqui, a Insígnia Arco-íris. Você mereceu.

[Mariene] – Obrigada. E obrigada Charmander, esse seu flamethrower foi incrível.

[Quebra de tempo]

[P.O.V. MARIENE]

Eu, Bonnie e Klauss passamos o dia inteiro fora, e Klauss venceu o Tangela da Érika com facilidade usando seu Magmar.

Já deve ser umas 19:00 ou 20:00 e estamos chegando no centro Pokémon, mas somos interrompidos por um trio que já conhecemos muito bem.

[Mariene] – Equipe Rocket... Não vão roubar minha Espeon e nenhum Pokémon nosso.

[James] – Não viemos para isso.

[Klauss] – Não?

[Jessie] – Não. Viemos propor uma trégua.

[Bonnie] – E por qual motivo teríamos uma trégua?

[Meowth] – Sabemos da Equipe Shadow. Bonnie, deve se lembrar que ajudamos como pudemos contra a Equipe Flare. Não fizemos muita coisa, mas cumprimos nossa parte e honramos a trégua que tivemos lá.

[Bonnie] – E por que iriam contra a Equipe Shadow?

[Jessie] – Simples, eles querem dominar o mundo, e eliminar qualquer concorrência. Eles atacaram um dos quartéis generais da Equipe Rocket.

[Mariene] – E por que confiaríamos em vocês?

[James] – Por que foi o pirralho que propôs a trégua.

[Bonnie] – O Ash?

[Meowth] – Sim, ele mesmo.

[Klauss] – E o que querem em troca?

[Meowth] – Se alguma das bases da Equipe Rocket aqui em Kanto, especialmente o ginásio de Viridian forem atacados, vocês lutaram para defende-los. Em troca, nenhum membro da Equipe Rocket poderá tocar em vocês nem em seus Pokémons.

[Mariene] – Não. Não iremos defender nenhuma base da Equipe Rocket. E se quiserem tentar roubar nossos Pokémon, basta a gente explodir vocês, como meu pai sempre fez.

[James] – Tudo bem. Tome, se mudar de ideia nos encontrará aqui.

James me entregou um papel com um endereço. Depois dessa conversa bizarra, o trio vai embora e nos deixa, sem nem tentar roubar nossos Pokémon. Percebi que Bonnie estava pensativa, e preocupada com o que a Equipe Rocket falou.

Voltamos para o Centro Pokémon e fui direto para o quarto. Como de costume, eu, Klauss e Bonnie dividimos o mesmo quarto, e Lana dividiu o outro quarto com o Mathew.

Quando peguei para ler a carta, assim que abri o envelope, notei duas pedras diferentes, e logo no início da carta tinha um aviso do meu pai que era para somente eu e o Klauss sabermos o que dizia a carta, mais ninguém, nem mesmo a Bonnie. Não entendi o por que disso, mas tudo bem. Chamei o Klauss para vir ao meu lado e ler a carta comigo, e expliquei para Bonnie que era um pedido do meu pai. Então começamos a ler a carta.

Olá minha filha. Olá Klauss.

Se fizeram o que pedi e estão lendo após a batalha no ginásio da Érika, então devem ter se encontrado já com Jessie, James e Meowth. Sei que parece loucura agora, mas vocês deveriam aceitar a trégua. Descobri algumas coisas sobre a Equipe Shadow, e consegui um acordo com Giovanni, o líder da Equipe Rocket. Vocês não serão mais atacados pelos três patetas, mas principalmente, terão um exército de Pokémon para escolher caso uma guerra se inicie. Bastará ir a qualquer base da Equipe Rocket e escolher. Caso recusem, tudo continua como está. Não deixem a Bonnie saber que eu conheço o líder da Equipe Rocket. Quando isso tudo acabar, vou explicar para todos.

Outra coisa, Klauss, a reação da Mariene com você depois de ter sido derrotada por aquele treinador se deve ao fato dela ser Guardiã da Aura mas ainda não conseguir controlar completamente. Ela estava angustiada e com raiva, e a parte maligna da Aura começou a se manifestar. E se está se perguntando como ela sentiu sua Aura naquele dia, é simples. Quando estamos aprendendo a controlar a Aura, as primeiras Auras que sentimos são dos Pokémon e pessoas com quem temos mais afinidade e confiança. Quando expliquei para ela sobre a Aura, eu já tinha dito que ela iria sentir primeiro a Espeon, depois o Pikachu e por último você. Não que você seja menos importante, mas a Aura humana é muito menor que as do Pokémon, já que os Pokémon são muito mais puros que nós.

Mariene, o Pokémon que te enviei não irei revelar quem é. Você só conseguirá liberar ele da Pokebola caso consiga se comunicar com ele através da Aura. É assim que entendo o que os Pokémon dizem. Não deve demorar muito, já que você já conseguiu sentir a Aura de uma pessoa, o que é mais difícil que sentir a Aura de qualquer Pokémon. E já aviso que não é um Riolu ou Lucario, mas é um bom Pokémon. Aliás, tem duas pedras no envelope, chamadas Mega Stone e Key Stone. Elas servem para Mega Evoluir um Pokémon, e são do Pokémon que te enviei. Quando conseguir liberar ele da Pokébola, pergunte para a Bonnie sobre a mega evolução.

Klauss, cuide da minha filha, estou contando com você e com a Bonnie para isso.

Mariene, tome cuidado, e lembre-se do que falei no primeiro dia da sua jornada.

Nossa próxima conversa será pessoalmente.

Até mais.

Ash Ketchum.”

Mariene e Klauss ficaram se encarando, como se quisessem falar algo. Parecia que conseguiam entender o que o outro queria dizer, já que sem falar nada, decidiram ir até o campo de batalha do Centro Pokémon. Assim que chegaram lá, quebraram o silêncio e começaram a conversar sobre a carta e principalmente sobre a possibilidade de aceitar a trégua da Equipe Rocket.


Notas Finais


O que acharam?

Em breve teremos mais capítulos xD


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...