História A filha do meu empresário. - Capítulo 41


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Justin Bieber, Personagens Originais
Tags Amor, Clichê, Drama, Família, Justin Bieber
Visualizações 253
Palavras 2.437
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Famí­lia, Festa, Ficção, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Adultério, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hello meus bolinhos!

Olha eu aqui tarde da noite postando para vocês...

Espero que gostem!

Boa leitura!

Capítulo 41 - Grandes garotas não devem chorar.


POV ISABELLE

 

Uma semana depois.

 

O dia estava perfeito para ficar em baixo de um confortável edredom depois de uma noite desagradável como a que eu tive. Durante toda a noite os trovões me assombraram assim como os raios  e a forte ventania.

Aconcheguei-me na cama para poder voltar a dormi, mas não foi isso que aconteceu, pois no momento em que fiz isso senti falta do Justin ao meu lado, principalmente ao sentir o seu cheiro que estava no meu edredom assim como em sua camisa que eu usava.

Eu estou há uma semana sem vê ele ou trocar qualquer mensagem, ele parece ter resolvido me dá o tempo em que eu pedi, pois ele não mandou mensagem nem de bom dia ou de Boa noite. E durante essa semanas eu me segurei para não ir até a sua casa e me jogar em seus braços,  mas não fiz isso, pois eu realmente precisava daquele tempo para tentar refazer as barreiras em meu coração que estavam destruídas.

Além disso, ele foi um completo idiota. Tudo o que eu pensei que ele não faria ele fez; meu mundo meio que paralisou quando entrei naquela cozinha e vi-o aos beijos com a Sofia.

Aquilo que aconteceu me machucou muito, pois ele a defendeu e ainda a beijou, e depois ela ainda veio jogar na minha cara que não pediu ele para beija-la ou para abraça-la, o Justin fez aquilo de livre e espontânea vontade. Eu não queria acreditar nela, mas… ele não negou para mim, quando entrou em meu quarto ele não disse que foi iniciativa dela ou que… Ele não negou e isso foi o que mais doeu em mim.

Respirei fundo para não começar a chorar naquele momento, mas estava doendo ficar longe dele, estava doendo saber que ele beijo outra e ainda mais saber que essa outra era a Sofia,  estava doendo saber que por mais que eu tente ser alguém forte, no final eu sempre acabo sendo a garotinha frágil que corre para os braços do pai depois que rala o joelho brincando no escorregador,  mas no meu caso não havia um pai para quem eu pudesse correr, pois o meu está se importando mais com a sua filha adotiva do que comigo, mesmo que pareça que ele está próximo a mim.

Isso me machucava, pois a Sofia estava tirando ao poucos os dois homens mais importantes da minha vida de mim, me mostrando como é ruim não tê-los tão perto como antes. Ela estava mostrando para mim que não seria tão fácil tira dela aquilo que sempre a pertenceu.

O meu pai sempre foi presente na vida dela, já na minha ele somente aparecia quando dava. Ele participou de todos os aniversários dela desde que começou a namorar com Madison, já nos meus ele não estava.

O Scooter e eu alcançamos um patamar em nossa relação de pai e filha que eu jamais pensei ser possível, pois vivíamos a quilômetros de distância um do outro, esse é um dos motivos para eu achar que não teria importância ele está próximo a mim ou não durante um ano, mas me enganei por completo. Depois que passamos a conviver sob o mesmo teto, depois que eu passei a ter uma figura paterna acompanhado cada  um os meus passos, eu meio que fiquei dependente da presença dele cada vez mais em minha vida. E isso aconteceu, mas de uma hora para a outra tudo mudou.

Essa mudança repentina aconteceu duas semanas antes do casamento, justamente no dia em que a Sofia beijou o Justin na frente de todos durante o desfile da Victoria’ Secrets. Não sei o que levou a ele ter se afastado, mas que isso estava me machucando estava.

Ele era o meu pai, poxa!

Ele tinha que se importa comigo e não com ela.

Ele tinha que se importa com os meus problemas e com o que eu sinto, com as coisas que eu faço, mas ele não fazia mais isso, tudo o que importava para ele era o que acontecia com ele.

O Justin também mudou comigo depois que ele beijou a Sofia. Ele continuou sendo um fofo comigo, mesmo estando sem nos falar, mas daquele dia para frente ele passou a defender a Sofia a caçar justificavas para as coisas que ela fazia.  Como se ela fosse uma das melhores pessoas do mundo que mudou devido às circunstâncias.

Poupe-me! Eu nunca vou acreditar que ela mudou ou coisa do tipo, pois em minha opinião, cobra não muda, apenas troca de pela.

Respirei fundo.

Fechei os olhos, e decidi me levantar.

Levantei-me da cama mesmo sendo contra a minha vontade, fui para o banheiro e tomei um longo banho.  Durante o qual tentei relaxar, tentei deixar todos os meus pensamentos ruins de lado, mas isso não aconteceu.

Mas que porra!

Depois do banho, sair do banheiro e procurei uma roupa confortável com a qual pudesse ficar em casa o dia todinho sem ir a lugar nenhum, assim como eu fiz durante toda a semana. O único lugar no qual eu fui foi na casa da minha mãe, porém eu não contei para ela ou para qualquer uma das minhas amigas que algo havia acontecido, mesmo elas sabendo que eu mentia quando afirmava que tudo estava bem. Hoje eu pretendia a não ir a lugar nenhum mesmo que o lugar fosse o holl de entrada da minha casa.

Por fim, vestir um vestidinho simples e curto então eu amarrei o meu cabelo em um rabo de cavalo e desci para a cozinha, nem a Lucy estaria em casa hoje… O destino quer mesmo me mostrar como é ruim ser solitária. 

Durante essa semana eu ficava conversando com a Lucy até altas horas da noite, mas ontem e hoje ela precisou sair, ou seja, eu estava com aquela casa enorme apenas para mim.

Já na cozinha, procurei algo para comer então depois que tomei um cafezinho, peguei um pote e sorvete de chocolate, fiz uma pipoca e voltei para a sala. Sentei-me no chão, e fui assistir a um filme.  Passava nos canais aleatoriamente quando vi uma entrevista com o Justin, e era ao vivo. Coloquei o controle de lado e foi prestar atenção no que ele dizia e ele me parecia triste… bem triste para dizer a verdade, mas tentava não demostrar isso.

Claro que ele está triste sua idiota, ele não está falando com você. – meu subconsciente falou.

- Mas ele não pode está triste quando quem começou tudo foi ele.  – rebati em voz alta.

Serio isso, Isabelle? – ele perguntou de forma irônica.

- Sim, muito serio. – falei.

Ele pode sim, não só pode como ficou. – meu subconsciente gritou impaciente.

Eu não estou nem aí, a culpa disso e toda dele. – falei indiferente.

Não está nem aí, mas seu corpo quer o dele, seu coração está apertado por vê ele assim e tudo mais então deixa de ser boba Isabelle e vá dizer para ele o quando...

Não deixei que ele terminasse, a final ele estava me dando conselhos errados. Sim, eu estava a fim de ignorar o Justin por muito tempo, e eu penso que estou conseguindo. Pois é muito difícil você conseguir ignorar alguém pelo qual se coração chama toda hora.

Não querendo mais vê a entrevista do Justin, mudei para um canal qualquer no qual estava passando um filme asiático. Bom, pela sinopse posso dizer que ele era muito chato, mas acho que o meu julgamento foi precipitado, ou melhor, só falei que ele era chato por que contava a historia de dois casais de namorados cujo relacionamento ia muito bem até que ela resolve deixa-lo para ficar com o irmão dele, porém o garoto a amava muito então jurou reconquistar o seu amor... O final eu não posso dizer, pois parei de assistir.

Após ficar mais de cinco horas na bad terrível, resolvi que eu não podia mais ficar em casa me fundindo com as paredes então peguei o meu celular e liguei para a Cait e a chamei para sair, no inicio ela estranhou, mas aceitou.

Talvez estejam se perguntando o porquê de eu ter chamado ela e não a maia, bem simples, a minha amiga está gravida e logo não poderia beber ou fazer altas loucuras e naquela noite eu queria deixar meus problemas de lado.

 

 

(...)

 

Era oito da noite quando comecei a me arrumar. Escolhi um mini vestido preto de alcinha com um decote maravilhoso e muito chamativo e nos pés calcei um lindo salto quinze preto.

Arrumei o meu cabelo em cachos e passei uma maquiagem incrível, dando destaque para o meu batom.

Olhava-me no espelho, e encarando o meu reflexo, decidi que daquele dia em diante a Isabella frágil, que chorar por todos os problemas, estava sendo destruída, e uma nova eu nascia. Meus pensamentos estavam em tudo que aconteceu comigo desde o dia me que eu vi morar com meu pai...

Porém sou traga de volta a realidade quando ouvi a campainha tocar.  No inicio pensei que era a Cait, mas me enganei. Quando abrir a porta me deparei com um cara uniformizado segurando um urso enorme.

- Senhorita Isabelle Braun, futura senhora Bieber? – um dos moços perguntou, apenas confirmei balançando a cabeça, pois à minha voz sumiu em meio a tanta surpresa.  – entrega do senhor Bieber para a senhorita. – ele disse rindo da minha cara de espanto.

Assenti então assinei em uma folha, peguei o urso e uma carta e me despedi dele então entrei novamente para dentro. Coloquei o enorme urso sobre o sofá, e fiquei o encarando por um bom tempo, eu sabia exatamente quem havia mandado.

Eu estava incrédula ainda com tanta coisa, como ele teve a coragem da fazer isso? Era um urso quase que de meu tamanho. E eu sempre quis um daquele.

Abrir o envelope então eu me sentei ao lado do urso, e comecei a ler.

‘’ Desculpe-me amor!

Nem sempre as coisas acontecem como queremos e nem sempre falamos o que sentimos. Sei que lhe devo desculpas. E muitas, por ter sido um completo idiota, por ter te magoado daquela forma.

Eu tento ser a melhor pessoa que posso, assumindo meu lado passivo, mas de repente, já estou agindo impulsivamente e o que não era para acontecer, acaba acontecendo.

Vou mudar e tentar não cometer os mesmos erros. Não queria e não quero machucar você, que está sempre ao meu lado e é o lado bom da minha vida. E assim como você é capaz de me entender, eu também serei capaz de melhorar e mudar.

Desculpe-me… você é muito especial para mim e responsável por eu acreditar que a felicidade está perto, e por isso quero oferecer o que tenho meu amor, meu corpo e minha alma, minha amizade, que nos faz bem e é verdadeira. Não queria que tudo acabasse por causa de uma coisa tão fútil e que me arrependi de ter feito.

Desculpa-me por todos os momentos que tornei nossa felicidade perturbada.

Desculpa-me pelas horas tristes e ruins que lhe fiz passar

Desculpa-me se em algum momento o fiz infeliz; porém sem querer.

Desculpa-me se hoje já não lhe faço feliz como no primeiro momento em que veio a mim.

 Desculpa-me se, indiretamente, lhe impeço de alguma coisa.

Desculpa-me, querida, se lhe faço pensar de mim não só sentimentos bons.

Desculpa-me se me preocupo demais contigo, exagero às vezes.

 Desculpa-me sim por alguns momentos duvidar dos seus sentimentos.

Desculpa por tudo de mal e desculpa-me também pelos bens e felicidade que deixei de lhe proporcionar

Desculpa-me...

Apenas lhe amo demais; e amor pode significar medo...

Do fundo do coração...  Eu te amo.

E lhe quero comigo eternamente

Amo-te, para sempre, para sempre. ‘’

Ao terminar de lê meus olhos estavam cheios e lágrimas. Eu não podia acreditar que ele pensou que era o fim do nosso namoro. Mesmo que eu estivesse com raiva dele, não poderia terminar,  até porque eu sei muito bem que não consigo ficar sem ele. É como se ele fosse o meu ar, cada batida do meu coração chama por ele. Porem nenhuma das lagrimas que surgiram em meus olhos desceram, pois não queria borrar a minha maquiagem.

Eu também o amava e muito, mas naquela noite eu não era dele.

Alguns minutos mais tarde,  já estava no carro da Cait com ela insistindo me perguntar o que tinha acontecido. Então resolvi lhe contar tudo.

- Então é basicamente isso... O meu namorado beijo a minha irmã megera. – falei tão naturalmente que eu estava ate me desconhecendo.

- Eu não acredito que ele teve a coragem de fazer isso. – ela falou incrédula.

- Acredite, pois ele fez. – falei então ela me olhou e ficou me encarando. – o que foi?

- Você está levando isso numa boa?

- Eu chorei durante dias, então resolvi deixar aquilo embaixo do meu salto quinze. – digo com seriedade e pude notar a surpresa em seu rosto.

- Não sei como o Justin vai lidar com essa nova Isa, mas devo confessar que eu estou amando. – ela falou animada ao estacionar o carro.

- Fico muito feliz por saber disso.

- Vocês terminaram? – balancei a cabeça em negação. – vai voltar a falar com ele?

- Amanha a noite, pois pela manhã estarei de ressaca.

- Beleza, então sem beijos a alguém ou...

- Eu sou fiel, até mesmo quando não estou falando com ele. E mesmo ele tendo sido um idiota comigo.

Ela riu concordando.

Saímos do carro, então fomos para fila da boate, mas a fila vip, logicamente. Já na boate, a Cait foi até o bar e comprou algumas bebidas para nós, em pouco tempo já estávamos na pista de dança, dançando ritmo sensual da musica.

Mexia meu corpo lentamente enquanto jogava o meu cabelo para os lados. Descia até o chão assim como a Cait, há um tempo atrás certamente não faria isso, mas o passado acabou de morrer.

Dançava quando sentir alguém me abraçar pela cintura, eu me virei imediatamente.

- Achei você muito gata e gostosa sabia? – disse o cara que me segurava, porem me afastei dele imediatamente.

- Eu sei que sou, tenho alguém que me diz isso toda noite. – falei com seriedade mostrando a ele que era comprometida então o mesmo me olhou desdenhoso e se afastou.

- Uau, essa Isa é poderosa! – exclamou a Cait ao me entregar um copo de tequila.

Apenas sorri para ela, virei toda a tequila na boca e voltei a dançar sensualmente, eu não trairia o Justin, mas iria me divertir, pois agora eu resolvi ser mais eu.

 E como eu aprendi: Grandes garotas não podem chorar.

 

 


Notas Finais


Tchau!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...