História A filha do pastor - Capítulo 47


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Drama, Homossexualidade, Preconceito, Romance
Exibições 53
Palavras 1.389
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela, Yuri
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Só posso dizer que é tenso...
Leiam e se acabem.

Capítulo 47 - Desespero


Anteriormente em A filha do pastor

_ O que é que ta acontecendo?  - pergunto e Erick aponta por cima do meu ombro e quando eu viro, fico simplesmente espantada.

_Olá Jennifer

_ Maya?

Agora

Jennifer Pov

O silêncio reinava e eu me perguntava mentalmente qual era o pior pecado que eu tinha cometido,e por qual deles estava pagando... Será que eu já magoei alguma mulher? Tem a Mandy, mais ela é doida... Mais se eu tivesse pagando por isso?... 

_AIIIII - grito depois de levar um beliscão no braço

_ Mulher, você vai ficar parada ai olhando pro nada, ou vai colocar essa traíra pra correr? -  pergunta Erick visivelmente chateado.

 _ O que você ta fazendo aqui? -  pergunto desconfiada

_ Eu vim por que eu queria conversar com você, queria te desejar parabéns como sempre faziamos. -  ela diz e Erick e eu abrimos nossas bocas em discrença.

_ Você me beija, deixa que as pessoas pensem que foi ao contrário, me humilha e me manda cair fora da sua vida, me fala que tudo que fizemos foi um erro, e ainda tem a porra da cara de pau de vim na porta da minha casa e me dizer que quer conversar? Ah faça mil favor Maya.

_Eu estou tão arrependida Jennifer, estou mesmo!

_Pega esse arrependimento e enfia no...-  sou um interrompida por uma mão suave em minha boca, e soube que aquele poderia ser o meu fim, era a mão dela.

_ O que ta acontecendo aqui, jennifer? -  ela pergunta brava 

_ Nada, vamos entrar Lana, ela ja fez o que queria fazer - eu digo e quando vou me virando sinto uma mão puxar meu braço.

_ Por Favor Jennifer, vamos conversar - ela diz olhando diretamente para os meus olhos, e eu sinto neles uma tristeza.

_ Eu não quero... 

_ Vai Jennifer, converse com ela, mesmo que eu ache que nada de bom vá sair da boca dessa garota. - Lana diz e sai puxando Erick em direção a casa de novo.

Eles entram e eu olho para Maya, e aponto em direção ao grande banco de madeira que tinha na varanda, e ela caminha comigo até o mesmo. 

Foco meu olhar no horizonte, e uso toda a frieza existente em meu corpo, e abuso dela em minha voz.

_ O que quer conversar

_ Jennifer eu sei que eu errei, eu cometi diversos erros contigo e me arrependo desses erros - ela fala e eu continuo calada esperando que ela termine de falar. _ Eu sei que você me odeia e... - ela fala e logo começa a chorar, e eu como uma grande idiota de coração mole, a abraço e ela me olha surpresa.

_Eu não tenho raiva de você, pelo menos não tenho mais. Eu só me sinto magoada, me sinto usada e traída por você. - digo e ela funga outra vez chorando ainda mais forte. _ Eu praticamente acabei a minha vida por você, eu perdi meus pais e no processo fui perdendo a mim mesma, e eu não conseguia mais enxergar motivos para continuar vivendo, por que tudo parecia desmoronar, Maya. E e te culpei por isso, e no fundo sei que ainda te culpo. - começo a derramar algumas lágrimas. _ Mas eu sei que não foi só sua culpa, foi minha, dos meus pais e de todas as outras  pessoas que não souberam aceitar o que eu sentia, e só souberam me julgar. Eu sei que a droga da culpa não é só sua, mais você deveria estar lá quando meu mundo caiu, quando eu me senti só, tendo varias pessoas ao meu lado. Quando eu desejei que a vida fosse tomada de mim, Maya a dor era tão forte, se antes tudo o que e via em você, era uma garota pela qual eu tinha desejo,  hoje eu só consigo enxergar uma covarde, que me largou ao relento para morrer.  - termino de dizer e ela soluça, e eu sinto minha garganta fechar e se apertar com o nó que tinha se formado nela, abaixei a cabeça e deixei as lágrimas rolarem livres.

_ Eu sei que eu errei, mais se você perdeu os seus pais o que aconteceria comigo? Eu amo a minha mãe, eu não podia aguentar ela me olhando torto, ou me tratando mal, ou me abandonando como a sua fez - ela falou e a raiva subiu a minha cabeça.

_E EU PODIA? VOCÊ NÃO PODIA PERDER A SUA MÃE, O SEU PAI, A PORRA DA SUA FAMILIA, MAIS -EU PODIA? - Grito finalmente soluçando. _ FAZ IDEIA DO QUANTO DÓI ESTAR NO SEU PRÓPRIO ANIVERSÁRIO E NÃO TER A SUA FAMILIA POR PERTO? VOCÊ SABE O QUANTO DÓI SER DEIXADA PELOS DOIS EM PEQUENOS INTERVALOS DE TEMPO? VOCÊ SABE O QUANTO DÓI, OUVIR A SUA MÃE TE CHAMAR DE ABOMINAÇÃO? VOCÊ NÃO SABE, MAYA. POR QUE VOCÊ É A PORRA DE UMA COVARDE, UMA MALDITA COVARDE, ENTÃO NÃO VENHA DAR UMA DE VITIMA, POR QUE DE NÓS DUAS, A QUE ESTÁ SOFRENDO MAIS SOU EU, E NEM POR ISSO VOCÊ VÊ EU ME LAMENTANDO PELOS CANTOS. - Continuo gritando até que sinto uma fraqueza em minhas pernas e caio de joelhos, sentindo a vista embaçar e o peito doer em proporções desconhecidas por mim.

_ Me perdoa, Jennifer por favor me perdoa - Maya continua a chorar e eu sinto meus ouvidos se fecharem, tornando suas súplicas por perdão abafadas, e eu me desesperei.

_LANAAAAA!!!  - E depois disso, conheci a escuridão.

Lana Pov

_ Vocês não acham que elas estão demorando demais? - Pergunto enciumada

_ Laninha minha querida, se eu não tivesse a certeza que a Jennifer te ama, eu nunca teria dado essas camisetas a vocês duas. -  Dona Ashley fala e depois gargalha.

_ É relaxa Lana, a Raio de Sol te ama -  Erick Fala e depois estanca com uma visivel feição de preocupação

_ O que foi Erick? - pergunto preocupada

_Mãe, você lembra o que aconteceu com a Jennifer no ano passado?

_ O que? - Dona Ashley pergunta

_ Quando ela teve aquela briga horrivel com o pai dela...

_ OH MEU DEUS! ERICK VÁ BUSCA-LA AGORA -  Dona Ashley grita em pavor, e eu me desespero.

_ Vocês tem que me dizer o que está acontecendo!

_ No ano passado a Jennifer teve uma briga com o pai, e ela teve uma queda de pressão muito forte, ela quase morre. E o médico desde então proibiu ela de estressar, e ela já passou por tanta coisa, nesses últimos meses, no dia em que vocês brigaram eu cheguei em casa e a encontrei desmaiada ao lado da cama, e eu senti tanto medo que ela tivesse tido outra crise, que eu comecei a chorar. - Erick termina de falar e eu soluço

_ Ela teve uma recaida por minha causa? OH senhor! - digo e afundo as mãos em meu rosto, o escondendo.

_LANAAAAA! - Ouço um grito desesperado da varanda, e corri feito uma louca, e encontrei Jennifer desmaiada no chão e senti meu coração quebrar, e o desespero tomar conta de mim.

_ HEY, HEY, volta pra mim meu amor, não me deixa por favor -  as lágrimas corriam livres e a dor da mesma forma em meu coração.

_ Eu vou chamar uma ambulância -  Erick diz e sai correndo entrando dentro de casa novamente.

_ Ela vai ficar bem? - ouço a voz de Maya, e sinto a raiva dominar meu corpo.

_ Vai embora, e nunca mais a procure, ela estava se divertindo, mesmo que estivesse triste pelos pais, elas estava começando a se divertir, mais você fez a questão de vir e estragar tudo, se ela morrer a culpa vai ser sua. -  digo e a garota sai correndo chorando.

Erick Volta correndo.

_ E-eu já liguei para a ambulância e eles já estão vindo.- ele diz chorando.

Após uma espera dolorosa pela ambulância, ouvimos as sirenes da mesma e nos afastamos dela assim que eles desçem correndo com a maca.

Eles colocam ela na maca, e a prendem na mesma e a levam

_ Olá, meu nome é Tim, Timotty, mais me chamem de Tim -  o paramédico fala e aperta nossas mãos. _ Quem vai com ela na ambulância?

_Eu! - Erick e eu respondemos ao mesmo tempo.

_ Vai você Lana, eu vou pegar o carro e acompanho vocês, para qual hospital Tim? - Erick pergunta ao paramédico.

_ St General

Entro na ambulância, e seguro a mão de Jennifer 

_ Nem ouse me deixar, meu amor...

Continua...


Notas Finais


Daqui em diante é ladeira a baixo...

Comentem !!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...