História A filha do presidente - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Resident Evil
Personagens Ashley Graham, Leon Scott Kennedy
Tags Ashley, Drama, Grannedy, Leon, Leshley, Resident Evil, Romance
Exibições 27
Palavras 1.774
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Insinuação de sexo, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olá! Como vocês sabem, eu amo de montão Resident Evil, e sempre estou escrevendo fanfic sobre a saga. Como amo shippar todo o tipo de casal, resolvi escrever uma fanfic Ashley e Leon ♥ Espero que gostem.

Desculpem qualquer erro que possa ter na fanfic.

Comentários serão bem vindos :D

Boa Leitura!

Capítulo 1 - Capítulo Único - Meu coração é Seu.


 

Deitada em minha cama, minha mente me levava até Leon, o homem contratado por meu para me salvar. Já tinha se passado uma semana desde meu regresso, Leon ainda estava aqui em minha casa por motivos ainda desconhecidos por mim.

Eu não tenho mais nenhum tipo de contato com Leon, não por não querer vê-lo novamente, mas pelo fato de que em meu coração existe um conflito de sentimentos que até uma semana atrás eram desconhecidos para mim.

Desde que o conheci, seu jeito protetor me atraiu. Até ai tudo bem,  afinal, eu não sou a primeira nem a última garota a se encantar com um homem mais velho. Mas o que pensei ser uma mera e passageira paixonite de adolescente, no fim, se tornou algo maior do que eu poderia compreender.

– Leon... – Murmurei seu nome em voz baixa, desenhando no vidro da janela um coração.

Essa situação estava ficando cada vez mais complicada para mim, pois não sou do tipo de garota que consegue esconder ou controlar meus sentimentos por muito tempo. Temo dizer ou fazer alguma besteira e afastá-lo de mim para sempre.

Como deixei as coisas chegarem a esse ponto?” – Me questionei mentalmente, levantando-me da cama, caminhando rumo ao guarda-roupa em seguida. “Se ao menos eu fosse da idade ou como aquela mulher oriental, que parece agradar tanto Leon...” – Tirei minha roupa, jogando-a em um canto qualquer. Peguei uma camisola preta com estampa de rosas vermelhas e a vesti rapidamente.

– Muito sexy... – Murmurei, fitando-me no espelho grudado na porta do guarda-roupa.

Suspirei cansada. Eu me sentia frustrada, pois eu sei que por mais que eu tente parecer ou agir igual aquela mulher, Leon jamais olharia para mim da mesma forma como olha para ela. Talvez seja melhor aceitar o fato de que não existe  nenhum fio de esperança para mim, ela o tem por completo, e eu tenho que me conformar com isso.

Prestes a me deitar para dormir, o som de leves batidas em minha porta ecoa pelo quarto, quebrando o silêncio que havia se instalado durante todo o dia.

– Quem é? – Questionei automaticamente.

– Sou eu,o Leon.  Posso entrar? – Perguntou o agente, seu tom era calmo e amigável.

– Pode. - Falei tranquilamente, sentando-me na cama logo em seguida.

A porta se abriu, revelando a silhueta perfeita e cansada de Leon. Enquanto os seus olhos me fitavam com atenção, seus pés caminharam até mim. – Faz tempo que não te vejo. – Comentou o loiro, sentando-se ao meu lado.

– Eu ando muito ocupada. – Respondi, desviando meus olhos dos seus.

– Entendo. Mas você poderia aparecer nem que seja por alguns minutos para me ver na sala de treinamento, não acha? – Fitou-me sugestivo.

Minhas bochechas esquentaram naquele momento, provavelmente, eu estava vermelha de tanta vergonha. Leon conseguia com facilidade me deixar a sua mercê, mas infelizmente ele não percebia, pois seu mundo girava somente ao redor daquela mulher.

– Não posso, pois estou muito ocupada mesmo. – Desviei de seu convite de forma educada e sem parecer que eu estava fugindo dele, coisa que eu realmente estava fazendo.

Eu não queria que fosse assim, mas eu não poderia me jogar de cabeça nos braços da tristeza, pois eu sabia que o Leon, por mais legal que ele fosse, não aceitaria ter algo comigo por inúmeras razões.

Desde que o loiro encontrou a Ada pela primeira vez em meu resgate, eu percebi o quão encantadoele ficou, e em certas ocasiões em que ela corria perigo, ele a ajudava sem pensar nas conseqüências de seus atos.

O mais velho deu um suspiro derrotado, entrelaçando suas mãos nas minhas. – Eu não posso te obrigar a fazer o que não quer, mas pode me prometer ao menos que pensará na possibilidade de me visitar nos meus treinos? – Seu olhar era suplicante e urgente.

Aquele olhar de súplica me surpreendeu muito, pois Leon nunca olhou para ninguém daquela forma, nem mesmo para aquela mulher que ele tanto gostava. Esse gesto acendeu uma faísca de curiosidade em meu interior, deixando-me inquieta.

– Minha presença é importante para você? – Questionei por impulso.

Leon deu um pequeno sorriso, sua mão que antes estava sobre a minha, foi de encontro ao meu rosto. – Sim, sua presença é muito importante para mim. – Afirmou carinhosamente, acariciando-o  com ternura.

Eu fiquei surpresa com a afirmação dele, pois nunca pensei que o agente pudesse dizer tais coisas para mim.

– Posso saber o motivo? - Voltei a questionar,  sentindo que o meu coração sairia pela boca.

Inesperadamente, Leon pousou sua cabeça em meu ombro, começando a se explicar. – Sabe, Ashley, quando seu pai me deu a missão de te encontrar, eu encarei aquilo como mais um trabalho fácil a ser cumprido. No entanto, quando cheguei naquele lugar e finalmente  te encontrei, nós passamos por diversas coisas juntos, e isso me fez nutrir um carinho por você, afinal,  a senhorita estava tão indefesa e amedrontada que resolvi não vê-la como apenas um mero trabalho, mas como alguém importante para mim, tipo uma irmãzinha...

Parei de ouvi-lo  depois que ele disse a palavra 'irmãzinha'. Eu não sabia o socava ou chorava. Não que eu estivesse esperando uma declaração de amor, mas ele poderia ser menos idiota e dizer algo que não me machucasse tanto.

Senti que lágrimas queriam escapar de meus olhos, mas rapidamente as sequei com o peito de minha mão. – Chega. Leon! – exclamei. – Por favor, vá embora. – Pedi em um tom choroso.

O agente desencostou sua cabeça de meu ombro, fitando-me surpreso logo em seguida. – O que aconteceu? Eu disse algo errado? – Perguntou aflito.

Levantei da cama caminhando até a janela. – Você sempre está errando comigo, Leon. – Murmurei calma.

O agente permaneceu sentado em minha cama, apenas escutando minhas palavras angustiadas. – Onde errei com você, Ashley? Quando foi que eu quebrei o laço de amizade que tínhamos? – Questionou em um tom frustrado.

– Você não entenderia... – Murmurei, desenhando no vidro úmido da janela. – Você nunca percebeu, não é agora que irá perceber. – Dei de ombros, permitindo que algumas lágrimas escorressem de meus olhos.

Leon se levantou da cama, caminhando em minha direção um pouco cambaleante. – O que eu devo saber sobre? - Suas mãos pousaram sobre meus ombros, o calor de de seu toque me deixava inebriada.

Não fiz questão de virar para encará-lo, apenas esvaziei toda dor do meu coração em  forma de palavras. – Você é tão distraído que nem ao menos se tocou de que esta me magoando. – Suspirei irritada. – Eu odeio ver você pensando nela, pois eu... eu... te amo, seu idiota! E por mais que me doa, eu sei que jamais você iria gostar de mim, pois seu coração já tem dona; aquela mulher. -  Irritada e enciumada, me referi à mulher  com certo desprezo na voz

Uma gargalhada ecoou pelo quarto, obrigando-me virar para trás, dando-me de cara com um Leon que não se aguentava em pé de tanto rir. Meu sofrimento para ele era uma piada? Não, eu não vou aceitar essa humilhação que esse cretino está me fazendo passar.

Sem pensar duas vezes, acertei o rosto de Leon em cheio com minha mão. - Acha que meu sofrimento é engraçado? – Questionei com lágrimas no olhar.

O agente pousou a mão em seu rosto, que estava vermelho por causa do tabefe que eu havia lhe dado. – Eu não vejo graça em sua dor, mas sim por você pensar que eu e a Ada temos algo. – Comentou ele, seus olhos me fitavam com sinceridade. – Confesso que quando conheci Ada Wong, eu me interessei por ela, mas assim que nossos caminhos se cruzaram, me vi preso em um conflito de sentimentos. – Sua mão foi de encontro com minha face, acariciando-a. – Eu gosto de você, Ashley. Seja lá o que eu sentia pela Ada, acabou, minha pequena.  Agora, tudo o que eu quero, é viver uma vida plena ao seu lado. – Após declarar-se, Leon me envolve em seus braços. –  Eu quero te ter para sempre ao meu lado. – Sussurrou no pé do meu ouvido.

Rendida as emoções de felicidade e satisfação que Leon acabara de me proporcionar, eu me permiti declarar-me uma segunda vez para ele. – Eu também te amo, na verdade, acho que te amei desde o momento em que nossos olhos se encontraram pela primeira vez. – Sorri envergonhada. – Me desculpe pelo tabefe que  te dei, eu pensei que você estava aqui para pisar em meus sentimentos ainda mais. – Avancei um passo em sua direção. – Espero que com isso melhore. – Beijei seu rosto avermelhado. – Eu te amo.

– Eu também te amo, mas acho que vou melhorar com outra coisa. – Seu sorriso era malicioso.

Entendo o que ele queria dizer. Leon queria uma noite de sexo, pois assim eu estaria dando uma prova do quanto eu o amava. O medo e o receio bateram em minha porta, pois eu não sabia como agradá-lo. Eu ainda era uma garota virgem.

– Tudo bem, eu aceito. – minhas mãos trêmulas foram até as alças de minha camisola, prontas para tirá-la. – Faço tudo por você. – Quando eu ia tirar minha camisola, Leon segurou minhas mãos, impedindo-me de concluir o ato.

– O que está fazendo? – Perguntou incrédulo.

– Estou disposta a passar a noite com você, pois esse é o maior ato de amor que uma garota pode fazer para um homem. – Expliquei envergonhada.

Leon me beijou inesperadamente. Nossos lábios se encontraram, dando inicio a um beijo calmo e cheio de paixão. Nossas línguas pareciam dançar ao som de uma valsa. Ambos explorávamos a boca um do outro de forma urgente e desesperada. Leon me apertava mais e mais contra seu corpo. Aquilo era tão excitante.

– Eu não preciso que você se entregue à mim para que prove o quanto me ama. Eu te amo Ashley, e isso não mudará. – Seus olhos me fitavam com tanto amor e carinho. – Eu só preciso saber que você me ama e mais nada.

– Eu te amo muito, Leon. – Sussurrei em felicidade, abraçando-o logo em seguida.

– Eu esperarei o seu tempo, não quero somente sexo com vocês, e sim uma companheira para toda a vida. – Após dizer isso, Leon novamente me beijou com todo o seu amor.

“Obrigada, Leon.” – Agradeci mentalmente, rendendo-me ao beijo tão esperado por mim.

Muitas vezes desistimos do que julgamos impossível sem nem ao menos lutar pelo o que desejamos, mas se realmente desejamos obter aquilo o que queremos, nós não deveríamos cruzar os braços e dar a batalha vencida. Se nós queremos algo devemos lutar até conseguir conquistar o que queremos, pois não existe nada pior do que desistir sem tentar e se arrepender no futuro.

Com Leon aprendi que se quero algo, eu devo correr atrás para alcançar o que quero.

E o que eu queria, eu já conquistei: O amor de Leon S Kennedy.


Notas Finais


E então, gostaram? Mereço comentários?Bom, é vocês que decidem, apenas ficarei no aguardo. :) Espero que tenham gostado dessa fic tanto quando amei escrevê-la. Até outra história. Beijinhos!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...