História A Filha do Presidente - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Alexandra Daddario, Justin Bieber, Tom Cruise
Personagens Alexandra Daddario, Justin Bieber, Tom Cruise
Tags Alexandra, Drama, Justin, Mentiras, Romance, Segurança
Exibições 8
Palavras 1.493
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oiii, estamos com mais um capítulo pra vocês, o.k que eu tinha começado a escrever esse capítulo hoje de tarde eu não terminei, mais eu vou terminar ele tirando algumas partes da minha cabeça. Espero que o capítulo esteja ao alcance de ganhar um comentário de vocês. Então se gostaram do capítulo Favorite e Comente.
>O título eu coloquei desse jeito por que além do Justin se apresentar, a Hailee apresentou o Carlos, então deixa a palavra colégio de lado.
A garota da capa, vocês já devem ter noção que ela é a Emma Leung, o nome dela verdadeiro é Hayley Kiyoko.
-Boa Leitura

Capítulo 3 - 03 - Dia de Apresentações no Colégio


Fanfic / Fanfiction A Filha do Presidente - Capítulo 3 - 03 - Dia de Apresentações no Colégio

Acordar cedo nunca é legal, mais quando você está, super ansiosa, só para fazer o 2° Ano, o.k, eu tenho certeza que alguns vão até discordar do que eu estou falando, mais essa vai ser minha primeira vez num colégio, desço as escadas e vou em direção da cozinha, a primeira coisa que eu vejo quando entrei na cozinha, foi uma mesa lotada de comida. O.k, eu sou só uma, não vou da conta de comer isso tudo.

Olho para todos os lados, a procura de Merida, era pra ela está aqui neste momento, conversando comigo, enquanto eu me aproveitava dessa comida que deve está uma delícia.

-Você já tomou café, Carlos? -Pergunto, assim que sai de dentro de casa.

-Só tomei um copo de café, mais depois que eu te levar para o colégio, eu vou comprar algo pra mim comer. -Ele responde desligando a mangueira, que ele estava utilizando para terminar de lavar o carro.

Aí, você se pergunta "Como assim terminando de lavar o carro? Você não tem que ir para o colégio?", aí eu te respondo, sim ele terminou de lavar o carro, minha justificativa é, quando eu acordei o Carlos já tinha começado a lavar o carro, depois eu falei tomar banho e me arrumar, e nesse meio tempo, já foi um bom motivo, e quando eu for para o colégio o carro já vai está sequinho.

-Você aceita tomar o café da manhã comigo? Olha que eu não vou aceitar um não como resposta. -Falo para ele que estava me olhando se entender nada. -Eu estou te chamando pra tomar café comigo, por que a mesa da cozinha está lotada de comida. -Explico para ele entender melhor.

-Olha, eu até aceito. -Ele fala. -Tive uma ideia, como só tem eu, você, os seguranças e as meninas da limpeza, por que nos dois, não oferecemos café para eles? E o resto que sobrar, a gente leva para as pessoas que estão na rua.

-Você está falando dos moradores de rua? -Pergunto pra ele.

-Isso, aí a gente aproveita esse horário que você não vai ter aula pra gente ir entregar as comidas. -Ele fala se referindo ao horário, que ainda são 09:10 da manhã. -Pode ser?

-Claro, essa ideia é ótima. -Respondo a pergunta.

Carlos pode até ser um senhor de 56 anos, mais ele tem uma inteligência, de uma pessoa que ainda está no colegial, tem várias ideias que são verdadeiramente incríveis. É aquela pessoa, que quando você precisa para conversar, vai está ali pra te ouvir.

Depois que eu te respondi a pergunta dele, eu praticamente puxei ele para dentro de casa pelo braço, enquanto o Carlos procurava copos eu fui em direção da geladeira procurar algo, na porta da geladeira tinha um bilhete.

"Oi menina, não preciso nem escrever o meu nome pra você saber quem é, mais o motivo desse bilhete é, eu não vou poder ficar pra te acompanhar no seu café por que, eu vou ter que ir ao supermercado entre essas coisa de compras, seu pai foi para um reunião, só que essa reunião vai ser realizada no San Diego, então isso significa que a Karina foi junto e eles só voltam daqui a duas semanas, então não estranhe o porque da Karina não ter ido acordar você. Espero que você se divirta conversando com o Carlos, e não faça coisas que posam quebrar a casa.

Beijos da sua cozinheira favorita!!

Ass; Merida."

-Hoje é que dia? -Pergunto chamando a atenção do Carlos.

-Terça-Feira. -Ele responde.

-Meu pai vai passar duas semanas no San Diego, de Los Angeles para o San Diego deve ter sei lá 179,64 Km de distância e de Rota de ter 193,85 Km.

-Deixa de besteria menina, daqui a pouco ele está aí, e você nem vai perceber quando as duas semanas passar. -O Carlos fala.

Depois que ele falou, a gente pegou as comida e levamos para os seguranças que falaram quando a Merida chegar, ele iriam matar a mulher de tanto agradecimento por que a comida dela é perfeita. As meninas da limpeza comeram e falaram que a Merida seria uma ótima chefe de cozinha.

Depois disso, nos dois colocamos todas as comidas dentro do carro, e dirigimos pelas Ruas de Las Angeles entregando para todas as pessoas que a gente via que estava precisando mesmo. Depois que entregamos todas as comidas, o Carlos me levou para o Colégio.

-Até o fim de semana Carlos. -Falo abraçando e dando um beijo na bochecha dele.

-Até menina, se divirta. -O Carlos fala. -Espero que se divirta só não apronta demais hein. -Ele termina de falar piscando o olho.

-Pode deixar. -Falo entendendo o motivo pelo qual ele piscou o olho.

Volto a andar, e dentro do colégio e fora estava cheio de pessoas, o.k essa escola é grande mais tem aluno pra caramba. E olha que pra cada quarto tem só duas pessoas. Entro no meu quarto e a outra cama estava com duas malas em cima.

Eu já estava começando a rezar, pra que a pessoa não me reconhece como a filha do presidente, sento na minha cama, minutos depois entra uma garota com o cabelo curto moreno com mexas loiros, morena, os olhos eu não vi por que eu não vi direito. O estilo dela parecia daqueles "Sou daquelas que apronta pra caramba, e que se dane o mundo.", essa deve ser Emma Leung, minha colega de quarto. A garota estava tão vidrada nas mala dela que nem percebeu que eu estava no quarto.

-Oi, prazer meu nome é...-Antes que eu terminasse de falar a garota já vai falando.

-Hailee Miller, a filha do presidente. -Ela fala num modo sarcástico. -Olha você pode ser filha de quem quiser mais dentro desse colégio você não exige nada. -Ela fala.

-O.k, eu nem estava pensando nisso, mais eu gostaria que as pessoas soubessem, que não é porque eu sou filha do presidente que eles tem que cair aos meus pés. Eles deveriam saber que eu sou gente como a gente. -Falo tudo sem respirar o que me deu uma crise de tosse.

-Opa! Vai com calma, pega. -Ela fala jogando uma garrafa pra mim, que quase derramaria no chão seu eu não tivesse pegado. -Isso que você falou me convenceu, podemos ser amigas, mais se alguma pessoa vim te paparicando eu vou te da um murro e na cara da pessoa também.

-Ui, ela é agressiva. -Falo fazendo gracinha.

-Vamos andar, ficar dentro do quarto não é tão legal. -Ela fala me puxando pelo braço.

-Claro. -Falo já sendo completamente sendo arrastada pela Emma.

Emma andava na frente, e eu atrás por ser arrastada, quando passávamos por todo canto da escola, as pessoas logo olhavam, eu não sei se era por está sendo arrastada ou por se a Filha do Presidente. Eu acho que essa garota não se importa por eu ser a Filha do Presidente, por que diferente dos meus outros amigos, ela não fica perguntando o tamanho da minha casa, entre outras coisas relacionado com a eleição do meu pai. Os olhares das pessoas estava me deixando envergonhada, mais do que aqueles Paparazzi que ficam na porta da minha casa.

-Calma Emma, a escola não vai fugir. -Digo fazendo com que ela parasse.

-Desculpa, e que eu quero ir na lanchonete. Eu estou com fome. -A Emma fala.

-O.k, vamos lá. -Falo, só que agora eu estou caminhando ao lado dela.

Enquanto a gente andava, tentando achar o caminho da lanchonete, eu olhava para todos os lado admirando o estilo da escola, eu tenho que admitir a escola e perfeita, sim quando eu tinha vindo com a Karina, eu não reparei tanto nela. Mais agora está dando pra reparar, e as cores são um pouco chamativas mais são bonitas. Neste meio observatório pela escola, eu não estava olhando pra frente, quando eu esbarro em algo, nesse caso esse algo era um alguém, e se esse alguém não tivesse me segurado eu estaria beijando o chão neste exato momento.

A pessoa que me segurou, vamos dizer que me ajudou a ficar em pé, por que eu estava completamente deitada nos braços dele.

-Toma cuidado a próxima vez, talvez não tenha alguém da próxima vez, pra amortecer a sua queda. -O.k a pessoa que falou isso tem uma voz muito suave e perfeita.

-O-O.k. -Fiquei com uma vontade de me matar agora, só por te gaguejado.

-O.k gente, é falta de educação não se apresentar. -A Emma fala chamando minha atenção e a do cara que eu até agora não sei o nome. -Prazer, meu nome é Emma. -Ela fala estendendo a mão para o garoto que apertou, e depois ela estendeu a mão pra mim, que olhei sem entender. -Vamos ser formais.

-Eu sou a Hailee. -Falo estendendo a mão para o garoto que apertou, e depois para a Emma.

-E eu sou o Justin. -Ele se apresenta e depois sai sem falar mais nada.     


Notas Finais


Então, gente foi isso, espero mesmo que tenham gostado, espero que vocês tenham gostado, se sim favoritem e comentem. Por que seu comentário vai se importante pra Fanfic.
-Tchau.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...