História A Filha Do Sol & Da Lua - Capítulo 26


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Lua, Romance, Sol, Yaoi
Exibições 26
Palavras 783
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Ficção, Ficção Científica, Hentai, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Primeiramete mil desculpas por nao ter postado nenhum cap.Eu tive uma semana pessima e meus pais ressolveram me dar um pc novo eeeeeeeh. entao desculpem pelos erros ortograficos e a falta de acentos e tals.
Mas uma coisa ja estamos na segunda temporada!!! Eeeeeh.
entao sem enrolaçes e boa leitura!

Capítulo 26 - Acampamento Meio-Sangue ai vou eu!


Fanfic / Fanfiction A Filha Do Sol & Da Lua - Capítulo 26 - Acampamento Meio-Sangue ai vou eu!

[Noelani On]

Quando vi Apollo morto e se transformar em apenas pó, eu fiquei sem chão. Não sabia oque fazer. A única solução seria voltar para a acasa de Young, ou ao menos tentar.

Eu estava com as pernas ensanguentadas, por causa do tombo que levamos, andei um pouco mas estava sem forças para continuar. 

A frase de Apollo em minha manete não saia, era como se ainda nos comunicarmos, mas por telepatia. Uma parte de mim gostou de ter parado nessa floresta, se o Ônibus nao tivesse caido, eu e Apollo não teriamos nos conhecido, e eu nem sequer descobriria que sou filha de Zeus.

Eu havia desmaiado com esses pensamentos, pois acordei em uma ala hospitalar. Young estava sentado em um sofá perto da minha maca.

''Que bom que acordou.'' Young disse com a língua de sinais.

''Quanto tempo eu dormi?'' perguntei na língua de sinais.

''Nove messes, ah, e parabéns pelos seus dezoito anos.'' Young respondeu.

''Que dia é hoje?'' perguntei.

''Um dia após seus aniversário, vinte e tres de novembro, para ser mais especifico.'' Young falou se levantando.

''Vejo que ela acordou, voce irá apenas tomar alguns medicamento mocinha e se recuperar-ra logo.'' Uma medica disse quando entrou no quarto e conversou com Young entregando alguns papeis.

Depois de uma hora, nós podemos sair do hospital, ganhei alguns pontos em meus joelhos, por isso estava de cadeira de rodas. Entramos no carro de Young e o silencio pairou no ar, deixando com uma tensão no ambiente.

Quando chegamos em casa, senti bastante falta daquele local. Era uma casinha simples e pequena, com um cheiro de mofo e com uma decoração mais rústica. Young falou que iria colocar minhas coisas em meu quarto, mas segurei seu braço.

''Me conte a verdade...'' eu disse na língua de sinais.

''Que verdade?'' Young respondeu.

Revirei os olhos, até quando Young vai ficar com esse teatrinho? ''Quero saber quem é meu verdadeiro pai, a minha mãe e porque voces nao tocam no assunto...'' eu disse com um olhar triste.

''Tudo bem...'' Young disse, sua voz era rouca. Ele não era mudo. Mais uma mentira. ''Seus pais se amavam muito quando se conheceram, mas voce veio ao mundo, e quebrou o maior acordo de todos os tempos. O acordo de os tres grandes Deuses não poderem ter filhos, então quando voce completou quatorze anos, sua mãe quase morreu por causa de um monstro. voce semi-deuses atrem muitos monstros. Então Zeus, que é seu pai resolveu te levar para longe e inventar várias coisas. Eu sabia que esse dia chegaria, então, esta ai a verdade.'' Young disse.

Me levantei devagar da cadeira e subi para meu quarto, peguei uma velha bolsa e algumas roupas, andava inquieta para um lado e para o outro, ate que reparei que um pedaço do meu piso estava solto. Me agachei e consegui o abrir, la estava duas blusas de um acampamento. Acampamento meio-sangue. Com várias fotos, reconheci algumas pessoas da foto, Diogo, Cris e Thalia. Oque aconteceu comigo naquela floresta não foi um sonho e sim uma lembrança.

Eu era feliz, feliz daquele jeito, feliz com Young, mas feliz do mesmo jeito? Não sabia oque eu deveria fazer, ou para onde ir. Coloquei meus jeans apertados, a blusa do acampamento e uma blusa de frio por cima. Peguei as minhas economias, e enfiei tudo na bolsa.

Young entrou no quarto sem bater, me dando um susto.

''Oque voce quer?'' eu disse ainda assustada.

''Não posso deixar voce fazer isso!'' Young disse se aproximando.

''Se afaste...'' eu disse.

Young não me escutou. Quando Young estava perto o bastante, estende a mão com os olhos fechados. ''Eu falei para se afastar!'' eu disse.

Um raio caiu do céu bem encima de Young. como eu havia feito aquilo? Minhas pernas se bombearam e cai para trás. Olhei minhas mãos e quando uni o dedão com o indicador apareceu um tornado, pequeno, bem pequeno nos meus dedos. Eu tinha feito aquele raio cair em Young, o único homem que eu pude chamar de pai.

Me aproximei dele, mas peguei minha bolsa e sai pela porta. Ele iria ficar bem.

Sem mim, mas bem.

''Aonde voce pensa que vai mocinha?'' ouvi uma voz masculina em minha cabeça.

Hélio.

''Voce não é o meu pai, não mais...' eu disse com as mãos no ouvido.

''Noelani eu sei que voce esta magoada mas...'' Hélio começou, mas o cortei.

''Sai da minha cabeça AGORA!''

Não ouvi mais Hélio falar.

Fui para a cidade grande, bem não tão grande, afinal morava em Middleburg na Virgínia.

Chamei um taxi.

''Voce pode me deixar no aeroporto mais perto da cidade?'' Perguntei e o taxista assentiu.

Acampamento meio sangue, lá vou eu.

 


Notas Finais


Foi isso gente!!!! Espero q voces tenham gostado desse capitulo. E mais uma vez me desculpem pelos erros hortograficos.
Kissusss da tia Mah <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...