História A Força Desse Amor - Capítulo 46


Escrita por: ~

Postado
Categorias Turma da Mônica Jovem
Personagens Agnes, Aninha, Carmem, Cascão, Cascuda, Cebola, Denise, Do Contra, Dorinha, Irene, Magali, Maria Cebolinha, Marina, Mônica, Nimbus, Penha, Quim, Sofia, Titi, Toni, Xaveco
Tags Cascao, Casgali, Cebola, Cebonica, Magali, Monica, Tmj
Exibições 110
Palavras 3.223
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Científica, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olaaa!! Como vão? Quero muitíssimo agradecer a TODOS os que favoritaram e comentaram recentemente... 😍❤❤❤ Fiquei tão feliz e isso me deu ainda mais inspiração pra continuar!
Muito obrigada!!! *-*

Capítulo 46 - Plano De Fuga


Fanfic / Fanfiction A Força Desse Amor - Capítulo 46 - Plano De Fuga

Havia gritaria e destruição por todos os lados realizando o caos.
Os robôs começaram a se espalhar por algumas ruas do grande bairro, destruindo os prédios, pontos comerciais e casas por onde passavam.

A turma não havia esboçado nenhuma reação até o momento, a não ser a de indignação e medo, mas quando viram que aquilo tudo realmente estava ficando muito sério, decidiram entrar de volta na casa da Mônica pra verem juntos o que fariam.

- Gente, o que vamos fazer?  - Disse Marina demonstrando seu medo.

- Ta acontecendo!! Era isso que eu sentia. A gente tem que fazer alguma coisa!! - Magali chorava ao ver tudo aquilo ser destruído e o desespero das pessoas.

- Galera!!  Cheguei! - Franja entra ofegante e fecha a porta e Marina corre pra abraçá-lo

- Ai que bom que você ta bem meu amor!!  - Marina o abraça forte

- Eu sei pra onde podemos ir pra nos protegermos! Lá no meu laboratório tem um lugar seguro!

- Mas será que não podemos ficar aqui trancados até tudo isso passar? - Disse Isa que estava também com muito medo e não queria enfrentar o mundo la fora.

- É a Penha cara!  Ela não vai descansar enquanto não acabar com tudo isso aqui!  - Disse Cascão abraçado com Magali tentando consolá-la.

- Exatamente! E Daqui a pouco nem a casa da Mônica vai nos proteger mais. Aqueles robôs de 2 metros já estão destruindo tudo, não vai demorar muito para chegarem nas casas!! - Disse Cebola que estava altamente preocupado.

- E vocês viram, ela não quer dominar só o Limoeiro, esse é só o começo galera!! - Disse Denise.

- Gente, olhem ... Estão transmitindo em todos os canais!! - Xaveco que havia ligado a TV e passado por todos os canais, decidiu ouvir um dos noticiários junto da turma.

(TV)
Vamos direto para nosso comandante que sobrevoa o local... Estamos ao vivo comandante!!
É impressionante Olivia, Helicópteros de toda a imprensa já sobrevoam pelo local, há tiros por todos os lados, vimos pessoas se escondendo na ponte do rio Limoeiro... O bairro acabou de ser tomado por um grupo de terrorista desconhecidos, não se sabe a causa dessa guerra ainda mas as autoridades prometem tomar medidas para pausar o grupo, já que eles pretendem dominar cada canto do planeta. Policiais tentam controlar a situação mas o exército parece ser muito resistente e possuem uma tecnologia avançada demais para as autoridades brasileiras lidarem.
Sobre o exército, supostamente a maior parte  deles é composto por robôs e sua líder é uma mulher, uma garota de apenas 17 anos, acompanhada do grande criminoso que todos já conhecem, Capitão Feio...............Chxhxhchhxchch Ah grandes explosões, lasers lançados Chxhxhchhxchch para atrapalhar nossa visão e Chxhxhchhxchchch pessoas Chxhxhchhxchc hchxhxhchhxchchchxhxhchhxchchchxhxhchhxchch
Comandante!! Comandante!! Responda Comandante!! Perdão acabamos de perder o contato com nosso comandante, esperamos que em breve ele possa retornar...

ZIIIIIIIU CLIC- De repente tudo se apaga, a energia se vai.

- Ai era só o que me faltava!! Na guerra e no escuro - Disse Maria Mello abraçando Denise de medo.

- Devem ter atingido o poste de luz da rua... - Cebola tentava ligar pressionando o interruptor

- Ainda bem que daqui a pouco amanhece - Magali nos braços de Cascão já se encontrava mais calma,  afinal ela precisava se concentrar pra enfrentar tudo aquilo, não podia ficar chorando.

- Isso ta ficando assustador demais já... - Disse Dorinha.

- É melhor irmos logo pro esconderijo do Franja - Disse Marina abraçada com seu namorado.

- Nem pensar monamu eu vou pra casa, meus pais estão lá!!  - Disse Denise

- E eu tenho que buscar a Maria, ela deve estar muito assustada!! Vamos fazer o seguinte, se separem para buscar suas famílias e quem faltar da turma. Peguem algumas roupas e comida, e não deixem que vejam vocês!! Nos encontraremos atrás do clubinho, lá geralmente não passa muita gente não deve ter robôs por lá ainda! E de lá vamos pro esconderijo do Franja certo?

Todos da turma saem separadamente para suas casas buscando todos que conheciam.
Enquanto isso Penha assistia todo o desespero das pessoas junto de Poeira Negra.


- Ah HAHAHAHAHAHA QUE MARAVILHA!! - Penha gritava com os braços abertos.

- Eu adoro causar o caos!!  Só acho que deveriamos começar com outro lugar mais badalado, Limoeiro já estou cansado de atacar. Com todo esse equipamento merecíamos coisa melhor não acha??

- E você ta cansado porque nunca venceu meu bem!! E nunca venceu por causa daquela dentuça, mas hoje graças a mim estamos triunfando! Sem ela nada pode nos atrapalhar! Nenhum lugar seria melhor do que esse pra começar!  Faz parte da minha vingança contra aquelazinha, quando ela souber que tudo o que ela mais ama não existe mais hahaha ela vai surtar!!!!
A única coisa que me incomoda é ter perdido aquele Cebolacio e os amiguinhos dele de vista...- Penha procurava ainda do alto do tanque de guerra - Ele estava bem na minha mira mas essas pessoas são tão desesperadas que acabei os perdendo, não vi pra onde eles foram! Mas não tem problema, mandarei agora mesmo que os peguem!! - Penha faz um sinal para um grupo de robôs que estavam por perto -
Procurem os pestes! Comecem a entrar nas casas vejam em tudo! E tragam a mim! - Os robôs que já programados sabiam muito bem quem eram os pestes, e rapidamente obedeceram a ordem.

 

-----------------

Assim que Cebola chegou em casa começou a chamar por sua irmã, subindo as escadas direto pro quarto dela.

Maria estava em seu quarto se escondendo debaixo das cobertas.

- Maria... Maria!! Ta tudo bem? Você ta bem? - Cebola tira o cobertor de cima da irmã.

- Cê o que ta acontecendo?? - Maria parecia bem assustada, e o abraça com os olhos lacrimejados

- A gente tem que ir pro laboratório do Franja, lá é um lugar seguro,  mas temos que correr! Pegue suas coisas. - Cebola rapidamente pega uma mochila pra ela e vai para o seu quarto que ficava ao lado.

- Mas e o papai e a mamãe?  E se eles voltarem?

- Não se preocupe, eles vão voltar só daqui alguns dias, isso tudo já vai ter acabado, pelo menos eu espero... Não dá tempo de explicar, a gente tem que correr! Rápido pegue suas coisas que temos que sair daqui.

Maria rapidamente obedece e começa a pegar algumas roupas e colocar na mochila sem dobrar.

POV MARIA

Quando acordei com aquele barulho, gritaria e explosões sabia que algo estava acontecendo mas jamais pensei que fosse algo tão sério assim, e se não voltarmos mais pra casa? Deixar tudo pra trás assim? E meus pais? Sei que eles estão nos EUA mas quando voltarem e não acharem mais a gente? Espero que quando eles voltarem isso tudo tenha mesmo acabado!

- E ai já pegou tudo que precisa?

- Ah falta isso! - Disse ela pegando um quadro da família. E carregando uma mala cheia com seu notebook, patins, coisas tecnológicas, e sua mochila nas costas.

- Maria, a gente não pode levar tudo isso!  É só a mochila, não podemos carregar muita coisa. - Cebola pega a mala e deixa em cima da cama dela. - Não se preocupa ta? A gente vai voltar, vai ficar tudo bem - Ele sorri pra tranquiliza-la.

- Tá mas a foto eu vou levar sim!

- É uma ótima ideia... Vamos?

- Espera! E os outros?

- Todo mundo já tá indo pro clubinho, vamos todos nos encontrar lá e juntos iremos pro laboratório.

- Mas e o Dudu? Vocês se lembraram de pegar ele né?

- Bom...  Ele é primo da Magali,  então tenho certeza de que ela vai se lembrar... Vem, temos que ir logo.

- Eu só vou se ele for!! Olha se ele não estiver lá, eu juro que vou atrás dele mesmo nessa guerra toda e não to nem ai, e aii de você se me impedir hein!!!

- E porque essa preocupação toda com o Dudu hein? - Cebola cruza os braços.

- Ah p-p-porque ele..  Ele é meu... amigo ué, duvido que você deixaria um amigo seu pra trás - Diz ela cheia de pose cruzando os braços.

- Amigo???

- É..  Assim como você e a... e a Mônica...

- Ata... O QUEE? - Cebola entendeu muito bem o que a irmã quis dizer, ela sabia que ele e Mônica não queriam ser apenas amigos. Foram amigos na infância mas depois tudo mudou. E bastou aquilo pro ciúme de irmão despertar.

- Vai, vamo pegar o Floquinho e sair daqui. - Ela diz puxando a mão do irmão.
 

-------------------


 

Xaveco junto de Denise, depois de passarem na casa de Jeremias e Titi, decidiram buscar DC

- Não acredito que você ta ai dormindo com o mundo acabando DC!!!  ACORDA CRIATURA!!! - Denise o sacudia com força.

- ROOOOOOONNC

- DOCONTRAAA!! - Gritaram os 4

- Hum..  Soninho bom, Uuaaaa - DC se espreguiçava e bocejava tranquilamente - E ae boa noite parceiros como vão? A que honra devo a visita? Lol são 5 da manhã!!  Sempre sonhei em que meus amigos me visitassem as 5 da manhã!! Querem um Biscoitinho? - DC todo animado pega um cookies debaixo do travesseiro, morde e guarda de volta.

- Eca que uó - Denise colocava a língua pra fora de nojo.

- Você guarda biscoito de baixo do travesseiro cara? - Perguntou Jeremias

- Qual o seu problema? - Perguntou Titi

- GENTEE SÓ PRA LEMBRAR, A PENHA TA FAZENDO UMA GUERRA LÁ FORA TEMOS QUE SAIR DAQUI!!! - Gritou Xaveco

- Pô maneiro... Mas não vou não, to com sono agora. Vão indo na frente...- DC se preparava pra voltar a dormir.

- ACORDA MISERAVI !!!!!!!! - Denise imediatamente vira o colchão do amigo. - Para de bancar o contrariado, sacode a farofa e levanta desse colchão, nossas famílias inclusive a sua, estão esperando lá em baixo. Só falta você pra irmos!!!

- Okay né é como diz o ditado que ninguém diz... Já to indo ... - DC se levanta lentamente coçando a poupança e a passos curtos caminha até seu guarda-roupa,  pegando uma blusa preta, depois outra, e outra - Ah não essa aqui não é preta, é cinza...

- RÁPIDO!!!! - Os 4 gritam novamente

- Ai ta bom,  já to indo que estresse! Até parece que o mundo ta acabando! Por acaso ta tendo guerra ai fora é? Eu hein, bando de maluco. - Ele se apressa pegando uma mochila.

- Eu vou bater nele!... - Titi já estava perdendo a paciência quando foi segurado por Jeremias.

 

------------------

Cascão e Magali junto de Dorinha e Luca com suas famílias, chegam na casa de Dudu

O casal espera na sala todos se arrumarem para irem.

- O que foi meu amor. - Cascão via que Magali olhava insistentemente para a porta com um olhar de preocupada.

- Eu queria tanto evitar essas coisas... de que adianta ter esse dom de sensitiva se eu não posso prever o que acontece exatamente?  Assim eu poderia ajudar mais as pessoas. Eu sou uma inútil mesmo! Se Mônica tivesse aqui ela daria conta do recado!

- Meu amor não fala isso, você sabe que só ela poderia resolver nesse caso, mas nós temos nossos dons também! E pode acreditar, você é mais poderosa do que pensa. - Cascão sorria enquanto acariciava seu rosto. Ele sabia que Magali poderia ajudar a todos com seus poderes de bruxa, mas também sabia que esses poderes eram arriscados demais pra todo mundo inclusive pra ela, ela nunca conseguia controlá-los facilmente, por isso a tal trava era necessário.


- Porque vocês sempre dizem isso?  Eu nunca vejo nada de poder em mim! Sempre fui a mais fraca de vocês! Mônica sempre foi a força e a coragem do grupo, o Cebola é o inteligente, o ser pensante, você é o mais ágil e sempre faz com que o clima pesado de qualquer situação se torne um fardo leve de se carregar... Já eu sempre só servi pra juntar as pessoas e levar pra um lugar seguro, não que isso me incomode mas eu queria muito poder ajudar essas pessoas de outra forma sabe, como a Mônica sempre fez! Ajudar de verdade! Só de pensar que muitas pessoas devem estar sofrendo la fora me dói tanto o coração!

- Eu sei mas não podemos ajudar agora, o importante é nos protegermos e levar nossa família e amigos para um lugar seguro, depois vamos ver o que podemos fazer, Penha não vai conseguir o que quer, acredite em mim...

- Mas e a Mô?  A gente nem sabe onde ela ta ainda! Será que ela ta bem?  

- Eu to sim muito preocupado com a Mônica mas sei que por dentro ela continua a mesma,  e ela não vai desistir fácil,  se bem conheço a fera, ela pode até conseguir escapar!! A gente já enfrentou muita coisa, minha linda, essa vai ser apenas mais uma, prometo que em breve estaremos nós 4 na sorveteria como sempre faziamos nos finais de semana...

Ao ouvir aquilo Magali volta a sorrir.

- Só você pra me fazer bem e me deixar tranquila em momentos assim...- Magali se aproxima do rapaz e o beija apaixonadamente se sentindo como sempre muito segura perto dele.

- Ai, já ta agarrando minha prima no meio da sala né? - Dudu chega na sala junto com os pais fazendo o casal se separar.

- Oi pra você também Dudu - Respondeu Cascão

- Dudu,  pra quê você vai levar o skate? - Perguntou Magali.

- Você acha que eu vou deixar meu skate pra morrer massacrado pelos robôs? Eu não! Meu skate, minha vida!!

- O tempo passou e esse menino não cresceu nada nada - Disse Magali.

- Iii quié, eu estou bem alto ta ligado? Eu com 15 e você com 17 duvido que você seja maior do que eu!

Magali se levanta do sofá deixando bem claro seu 1;71 de altura, bem distribuídos enquanto Dudu estava bem nos seus ... 1;68. Dudu tenta medir com a palma da mão.

- O QUUE? Isso não é justo! Eu já sou um cara maduro!! vou reclamar mesmo!.... - Dudu ficava matracando sem parar, como fazia quando era pequeno.

- ... Vambora cara, tu vai ter que lidar com isso...- Cascão se levanta e acompanha todos até a porta.
 

---------------


Isa, Maria Mello, Carmem, Jeremias, Titi, Aninha, Maria Cebolinha, Irene, Dudu, Marina, Franja, Nimbus, DC, Cascão, Dorinha, Xaveco, Denise, Luca, Cebola e Magali. Todos finalmente, pegando um atalho se encontraram atrás do antigo clubinho dos meninos.

A maioria não tinha família muito grande, estavam apenas acompanhados dos pais, Cascão, Cebola e Magali tiveram a sorte de seus pais estarem viajando.

- Estão todos bem? Já estão todos aqui? - Cebola perguntou observando se não faltava ninguém.

- Sim, ta tudo certo careca.

- Bom galera, meu laboratório fica logo ali descendo a rua e...

- Espera!! Tá faltando alguém sim!... A Cascuda! Ela tá em casa! - Magali imediatamente solta a mochila vira a rua voltando.

- Magali!! - Cascão corre atrás da namorada tentando pará-la.

- Franja vai levando eles pro laboratório! - Cebola deixa a mochila no chão

- Mas e vocês?


- Cê… - Maria o puxa com um olhar pedindo pra que ele ficasse.

- Não esquenta Maninha, a gente se encontra lá, prometo voltar logo! - Cebola corre junto com Cascão atrás de Magali.

Magali corre com toda sua velocidade em direção a última casa da rua.
A rua onde corria estava deserta, um pouco escura e bem sombria, era um pouco iluminada apenas pelo início do amanhecer, a guerra continuava na rua ao lado, muitos robôs tiveram que se juntar  para combater a polícia civil e militar que infelizmente estavam perdendo com facilidade. Magali precisava ser rápida.

- Magali! Ta maluca de correr desse jeito? - Cascão consegue alcançá-la e a puxa.

- Desculpa foi por impulso! A gente tem que avisar ela!

- Calma, vamos tocar a campainha pra ver se ela atende.

- Que campainha o que! Temos que ir rápido! - Disse Cebola olhando ao redor. - Cascão usa aquela chave mestra pra abrir o portão!

- Ah é verdade!!

Cascão imediatamente tenta usar a chave para abrir o portão, enquanto isso uma tropa de robôs começavam a chegar pela rua em marcha.

TROP TROP TROP TROP

- Rápido Cascão!! - Cebola tentava ajudar o amigo.

- Ta emperrado GRRR - Por mais que tentassem a chave não queria virar.

- Ai meu Deus, eles vão ver a gente! - Magali já começava a ficar aflita com os robôs se aproximando.

- Foi!! - Faltando poucos passos para a aproximação da tropa, Cascão consegue abrir - Entra entra entra.

- Cascuda!!! - Magali rapidamente entra e sobe as escadas indo em direção ao quarto da moça.
Cascuda dormia com os fones de ouvido no volume máximo.

- Cascuda acorda!!

- Como ela dorme com tudo isso acontecendo? - Pergunta Cebola

- Do jeito que ela ouve música alta não duvido nada que não tenha acordado. - Respondeu Cascão.

- Hã?? - Cascuda abre os olhos lentamente, dando de cara com Magali e logo se levanta num pulo - Magali? AAAHHHH O que está fazendo aqui garota?? Acha que minha casa é casa da mãe Joana pra ficar entrando aqui quando quer? Aliás como entraram aqui?  O que fazem no meu quarto a essa hora?

- Cascuda calma!!! A gente tem que ir embora rápido!

- O que??  Embora pra onde?  Ficou maluca? Comeu comida estragada é?

- Não Cascuda é sério,  tá um caos lá fora!  Penha quer dominar o mundo e começou com o nosso bairro, daqui a pouco isso tudo vai ser só destruição, você tem que se salvar!  A gente sabe onde se esconder e...

- Ai Meu Deus! Sério!! Estamos sendo atacados por Penha!?? - Cascuda começou sarcasticamente a fingir que estava com medo - Ai meu Deus, que medo HAHAHAHA ah me poupe Magali! Você tava sonhando e veio aqui me contar! HAHAHA desculpa fofa mas não me interessa nem um pouco seus sonhos okay?  Agora saia da minha casa que vocês não são bem vindos!

- Ela ta tentando te salvar ô idiota!!!! - Cascão se aproxima da moça com raiva.

- Você não vai vir na minha casa pra me ofender okay? Eu não vou pra lugar nenhum com vocês!!!

- Bom fazer o que né… Beleza então... Vem Magali - Cascão a puxa para voltarem.

- Cascuda é sério! Por favor pense nos seus pais! - Magali pedia pra que Cascuda acreditasse.

- Ai que bla bla bla, me deixa dormir garota insuportável! E saem daqui!! - Cascuda se senta na cama mas antes que pudesse deitar,  ela começa a ouvir barulhos vindo do lado de fora, e vários clarões da janela.

Mesmo com o coração apertado, Magali desceu as escadas junto de Cascão e Cebola, para poderem sair e finalmente irem para o laboratório.  Mas antes de pisarem no último degrau da sala.

BOOOOOOOMMMMM - Surge uma pequena explosão na porta, a destruindo e derrubando alguns pedaços da parede em volta.

A turma cai pra trás com o impacto.

- Alvos encontrados!

 


Notas Finais


Só digo uma coisa... E agora? :'(
Nos vemos em breve!! 😍


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...