História A Fórmula do Caos - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, TenTen Mitsashi
Tags Caos, Gaaino, Gaara, Gaaraeino, Ino, Naruhina, Nejiten, Sasusaku
Visualizações 120
Palavras 2.765
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


HELLO PESSOAS LINDAS DO MEU CORE! \O/\O/ UHUUUUUUUUUUU

SIM, A SENHORITA STARK ESTÁ DE VOLTA! AEHHHHHHHH
PASSEI MAIS UM MÊS SEM POSTAR MINHAS FICS, INCLUINDO AFDC, MAS AQUI ESTOU! O/O/
ME DESCULPEM POR ESSA AUSÊNCIA, MAS PRECISEI FINALIZAR ALGUNS PROJETOS PENDENTES.
NÃO ME MATEM, PLEASEEE!!!

SOBRE OS COMENTÁRIOS DO CAPÍTULO PASSADO, NÃO SEI SE CONSEGUIREI RESPONDÊ-LOS.
MESMO ASSIM, OBRIGADA POR COMENTAREM!
OBRIGADA!!!

AGORA, VAMOS AO CAPÍTULO NOVO, SAINDO DO FORNO!
BOA LEITURA!

OBS.: desculpem pelos erros ortográficos.

Capítulo 13 - Loira Imbatível


Fanfic / Fanfiction A Fórmula do Caos - Capítulo 13 - Loira Imbatível

Ino´s POV

 

Gaara continuou me encarando com aquela cara de retardado. Juro que já estava ficando com vontade de socá-lo, porém, permaneci com os braços cruzados, esperando que aquele carrapato falasse.

- Cara... – o garoto fitou o teto, passando as mãos no rosto. 

- Gaara, me explica isso direito. – insisti, me achegando mais.

- É meio difícil conversar se ficar me pressionando desse jeito. – ele abriu os braços.

- Quê? – fiz uma careta. – Eu não estou te pressionando, você que é um maricas.

- Eu não sou maricas! – o ruivo me olhou indignado.

- Então fala logo! – berrei, impaciente.

- NÃO TE PROCUREI NA FESTA, POIS NÃO SABIA SE IRIA QUERER FICAR COMIGO DE NOVO! – ele finalmente falou. – É isso!

Pisquei os olhos algumas vezes, absorvendo aquelas palavras. Será que eu tinha ouvido direito?

- Sério? – descruzei os braços, sem acreditar. – Não, espera... Achou mesmo que depois de termos quase... quase feito aquilo lá, que eu iria te dar um fora?

- Você pode ter quem quiser aos seus pés, Ino. – ele suspirou, finalmente me encarando. – Não achei que fosse querer algo a mais.

- Eu... – parei em sua frente, encarando-o de perto. – Eu pensei a mesma coisa!

- Quê? – o ruivo franziu o cenho.

- Por acaso já se olhou no espelho? – ergui uma sobrancelha. – Você é um dos caras mais legais que conheci desde que entrei na faculdade e, sendo sincera, porque sempre sou sincera, você também é um gato. Pode ter qualquer garota.

- É... – Gaara murmurou. – Parece que pensamos igual.

- É. – concordei. – Somos dois tapados.

Às minhas palavras ele riu e o acompanhei, balançando minha cabeça negativamente. Definitivamente, aquela havia sido a conversa mais louca que tive nos últimos tempos. Apesar de saber que eu era mesmo muita areia pra o caminhão de muitos marmanjos, o Sabaku também não ficava para trás. E, para tornar tudo ainda melhor, ele era o meu tipo de homem.

- E agora? – Gaara perguntou.

- Eu não sei. – soltei um risinho, passando a mão no meu rabo de cavalo. – Da última vez que conversei sobre relacionamentos com um garoto, soquei o rosto dele.

- Espero que não soque o meu. – ele brincou, erguendo as mãos na altura do peito.

- Não vou. – lhe lancei uma piscada.

- Então... – ele começou, hesitando por um instante. – Isso quer dizer que...

- Quer dizer que, com toda certeza, eu ficaria novamente com você. – sorri abertamente. – A não ser que não queira mais ficar comigo.

- Eu seria um idiota se dissesse que não. – o Sabaku respondeu.

Então ele sorriu. Aquela curva sutil bem no canto de seus lábios finos que me fez derreter no mesmo segundo. Eu não tinha condições para continuar olhando aquele ser assim tão de perto. De maneira inconsciente, me inclinei em sua direção, dando uma breve olhada em sua boca. Gaara percebeu isso e seu sorriso aumentou. Em seguida, ele apoiou os dedos em meu queixo, se aproximando. Quando sua respiração açoitou minha face, fechei os olhos e as pontas de nossos narizes se roçaram.

Quando já sentia sua boca bem perto da minha, causando um leve calafrio por todo meu corpo, um barulho encheu o ambiente. Nos afastamos assustados, nos perguntando o que havia acontecido, até que ouvimos um resmungo alto vir da cozinha. Foi então que me lembrei que tinha deixado Sasuke e Sakura cuidando do meu bolo.

- Ai droga! – bati a mão na testa.

- O que foi? – Gaara franziu o cenho.

- Deixei a Sakura e o Sasuke sozinhos. – respondi, mordendo meu lábio superior.

- Isso não é nada bom. – o Sabaku disse após soltar um assobio.

- É melhor irmos até lá. – eu disse.

Sem esperar, corri na direção do corredor que me levaria até a cozinha. Gaara veio logo atrás, acompanhando meus passos. Nos aproximamos da entrada da cozinha, entretanto, algo me fez parar e obriguei o ruivo a fazer o mesmo. Abismada, assisti a cena que se desenrolava á nossa frente.

O bolo continuava na forma que agora estava sobre a mesa. No chão, jazia uma grande faca que me fez ter arrepios. Mais ao fundo do cômodo, próximos a pia, estavam os dois avoados. A torneira estava aberta e o Uchiha segurava a mão da Haruno sobre a água que escorria.

- Eu disse pra não pegar aquela faca. – Sasuke resmungava, enquanto lavava o corte na mão de Sakura com todo o cuidado do mundo.

- Se você não tivesse tentando arrancá-la de minhas mãos, isso não teria acontecido. – ela respondeu, mas pelo seu tom de voz, percebi que choraria a qualquer momento.

- Vamos esquecer isso, tá legal?! – ele disse com mais calma.

- Tá. – ela fungou, deixando que ele continuasse seu trabalho.

- Está melhor agora? – o garoto questionou.

- Sim. – a rosada respondeu.

- Quer que eu faça um curativo? – Sasuke disse e parecia estar realmente preocupado.

- Não, tudo bem. – ela balançou a cabeça para os lados. – Eu posso dar um jeito nisso.

- Claro. – ele soltou um riso suave, soltando a mão dela. – Às vezes me esqueço que cursamos a mesma área.

- É incrível que ainda se lembre. – a Haruno debochou, mas logo amenizou sua expressão. – Obrigada.

- Por nada. – Sasuke desviou os olhos para o machucado na mão da garota. – É melhor que faça logo o curativo.

- Tudo bem. – ela concordou.

Às suas palavras, minha amiga fez menção de que sairia, talvez para seu quarto. Para a surpresa de Sakura e também para a nossa, pois continuávamos a observar tudo bem quietinhos e escondidos, Sasuke a segurou pelo pulso livre, a fazendo parar. A rosada se virou para ele com a boca entreaberta, mostrando que não esperava por aquilo.

- Se precisar de algo... – o garoto começou, soltando um pigarro baixo. – Pode falar comigo.

- Err.... – ela piscou algumas vezes. – Está bem.

Levei uma das mãos até os lábios, abafando o riso que ameaçava escapar. Abaixado, Gaara cutucou a minha perna, mostrando que eu deveria ficar quieta, mas era bem difícil. Ver Uchiha Sasuke sedo fofo era algo hlário. Cheguei até a me esquecer do bolo.

- O bolo! – no mesmo segundo meu riso morreu

- Quê? – o ruivo fez uma careta.

Mas não expliquei nada. Sem me importar com a ceninha dos dois esquisitos, adentrei o cômodo, indo diretamente para a mesa onde meu precioso bolinho permanecia. Geralmente, quando chego a qualquer lugar, faço muito, muito barulho. E dessa vez não foi diferente.

- EU NÃO ACREDITO! – levei as mãos à cabeça. - O QUE VOCÊS ESTÃO FAZENDO QUE AINDA NÃO DESENFOMARAM ESSE BOLO?

- Ino? – minha amiga virou-se em minha direção com os olhos arregalados.

- SIM, SOU EU! – a fuzilei com o olhar. – OU ESTAVA ESPERANDO O TIRIRICA?

- Quem? – os três perguntaram em uníssono.

- Esqueçam, eu mesma faço. – bufei, me abaixando e pegando a faca do chão. – E Sakura, vai logo fazer um curativo nesse dedo.

- Mas, como você sabe que eu... – a rosada começou a falar, mas eu a interrompi.

- NÃO IMPORTA! – me virei furiosa. – SAIAM DAQUI, TODOS VOCÊS.

- Mas... o que eu fiz? – Gaara abriu os braços.

- VAZEM! – berrei, correndo atrás deles com a faca erguida.

Assustados, os três saíram correndo enquanto me chamavam de louca e psicopata. Eu realmente era, então fazer o quê? Assim que fiquei sozinha, terminei de desenformar e decorar o bolo e tinha ficado lindo, com uns morangos sobre o chocolate. Só queria ver a cara do Uzumaki.

Ansiosa para saber a opinião não só do loiro, mas de todos os meus novos colegas, deixei o bolo sobre a mesa e corri para o meio da casa, gritando pra que todos aparecerem. A primeira pessoa que deu as caras foi Hinata, que desceu as escadas correndo.

- O quê? – a Hyuuga estava realmente atordoada. – O que tá acontecendo?

- Eu quero todo mundo aqui. – respondi apenas.

- Pra quê? – ela me encarou confusa.

- Pra comerem o bolo que acabei de fazer! – respondi com o maior entusiasmo.

- ALGUÉM DISSE BOLO? – Naruto berrou, chamando nossa atenção.

Olhamos para o topo da escada, vendo o pirado lá, usando apenas uma samba-canção. Pensei em soltar alguma piadinha, porém, os outros jovens daquela casa foram aparecendo. Um a um, como se eu os tivesse invocado das profundezas, meus amigos foram surgindo e infestando a casa. Por último, Tenten abriu a porta da entrada, surgindo com Neji.

- O que tá rolando aqui? – a Mitsashi quis saber.

- VAMOS COMER BOLO! - Naruto gritou.

- Opa, bolo? – Tenten soltou o namorado, se aproximando. – Cadê?

- Na cozinha. – apontei. – Vamos pra lá.

Saí na frente e todos me seguiram. Tenten e Naruto pareciam dois alucinados, pulando e conversando sem parar. Hinata e Sakura riam dos dois e Neji, Sasuke e Gaara vinham mais atrás conversando sobre algo que não dei a mínima.

Ao adentrarmos a cozinha, corri até a mesa, parando ao lado do protagonista da história. Com um sorriso largo, esperei que todos entrassem e olhassem para ele.

- TARÃAA! – apontei para o doce.

- Caraca, isso tá muito lindo! – Sakura foi a primeira a falar.

- Está mesmo. – Hinata concordou. – Parabéns, Ino!

- Ah qual é! – Tenten fez um gesto com a mão. – De que adianta ser bonito ou não se no fim vai estar no meu estômago?

- Hahaha... – fingi rir, mas logo me virei para o Uzumaki. – Naruto, vem cá.

- Eu? – ele fez uma careta.

- Sim. – balancei a cabeça uma vez.

- E por quê? – mesmo confuso, o loiro se aproximou.

- Porque foi você quem mais quis que eu fizesse essa bagaça. Sem contar que foi o primeiro que se manifestou em comprar os ingredientes que faltavam. – expliquei. – Por isso, nada mais justo do que ser o primeiro a experimentar.

- Sério? – o garoto arregalou os olhos, se ajoelhando em seguida. – Ah, Ino, eu te amo!

- Deixa de coisa e levanta daí. – tentei não rir.

Me obedecendo, Naruto se ergueu e foi até o bendito bolo, tirando uma fatia bem generosa. Eu já havia deixado uns pratinhos bonitinhos na mesa, então ele usou um deles e, como se fosse mesmo um ser educado, pegou um garfo. Lentamente, sob a atenção de todos os presentes, o Uzumaki levou um pedaço até a boca, mastigando devagar e com um olhar perdido.

- E então? – eu perguntei.

- Meu Deus... – ele fez uma careta. – Essa é a coisa mais... MAIS DELICIOSA QUE EU JÁ COMI!

- Não é pra tanto. – joguei o rabo de cavalo.

- É SÉRIO! – o Uzumaki falava ao mesmo tempo em que comia. – SE EU PUDESSE, ME CASARIA COM ESSE BOLO DE CHOCOLATE E MUDARIA MEU NOME PARA “BOLO DE CHOCOLATE NARUTO”.

- Dai-me paciência... – Sasuke passou uma mão no rosto, mas percebi que queria rir.

- Gente, vamos comer. – Sakura abriu os braços.

Todos se serviram e comeram até não poder mais. No fim, só sobraram as migalhas. Sério, detonamos um bolo enorme em menos de quinze minutos. Entretanto, eu me sentia feliz por ter agradado aqueles lobos famintos. Após nosso lanche, fomos para a sala jogar videogame. Deveríamos estar estudando? Deveríamos. Mas, pelo que parece, ninguém estava se preocupando muito com o futuro.

Jogamos por horas seguidas e as garotas derrotaram os meninos de lavada. Óbvio que os marmanjos inventaram mil e uma desculpas, entretanto, eles só não sabiam perder. No fim, Tenten foi dormir na república onde Neji morava, Sasuke, Sakura e Hinata foram para seus quartos e Naruto foi comer o restante do bolo que ele havia escondido debaixo da pia, mas só eu vi.

- Então... acho que somos os únicos acordados. – Gaara, o único que ficou, disse.

- Se você desconsiderar o Naruto lá na cozinha, comendo mais bolo... – completei com um sorriso de conto. – Sim, nós somos.

- Isso é bom. – o Sabaku sorriu também, mas logo se levantou, indo até o Xbox. – Pois, finalmente, poderemos ter nosso duelo.

- Finalmente! – joguei as mãos para cima.

Gaara trocou o jogo, colocando Mortal Kombat e voltou, se sentando ao meu lado. Trocamos um olhar significativo, pegando os controles em seguida. Escolhemos nossos personagens e iniciamos o combate. No começo, ficamos empatados, mas então perdemos a noção do tempo e de quantas batalhas já tínhamos jogado, virando a madrugada ali.

- AH! – deu um berro mesmo que todos já dormissem. – Ganhei de novo!

- É, você ganhou... – o rapaz suspirou cansado. – Eu desisto, você é a melhor jogadora de Mortal Kombat que conheço.

- Está falando sério ou só quer se livrar de mim e ir dormir. – semicerrei os olhos.

- Por mais que eu esteja quase desmaiando, estou falando sério. – ele deixou o controle de lado. – Você é imbatível, loira.

- Você também não é nada mal. – joguei meu cabelo para o lado.

Após trocarmos aquelas frases, ficamos ali, nos encarando sem saber o que dizer para continuar a conversa. Para Gaara isso poderia ser algo super normal, no entanto, eu era a rainha das palavras, não vivia sem elas. Não ter o que dizer era deveras desconfortável.

- Isso é muito estranho. – coloquei minhas pernas para cima do sofá.

- O quê? – Gaara quis saber.

- Não saber o que falar. – revelei.

- Está sem palavras, Yamanaka? – ele parecia surpreso.

- Sim. – balancei a cabeça positivamente.

- Realmente estranho. – ele imitou meu gesto.

- E a culpa é sua. – o encarei.

- Minha? – o Sabaku franziu o cenho.

- Você disse que quando está perto de mim se sente motivado a se expressar. – iniciei meu raciocínio. – Talvez o efeito que tenha sobre mim seja justamente o contrário.

- E isso é bom? – Gaara ergueu as sobrancelhas.

- Creio que sim. – sorri. – Só fico sem palavras quando alguém me deixa muito impressionada.

- Isso acontece com frequência? – ele perguntou.

- Pode apostar que não. – pisquei para ele.

Sem pensar muito, me inclinei na direção dele, depositando um selinho em seus lábios. Quando me afastei, notei uma leve surpresa em seu olhar, mas havia mais. Satisfação. Gaara estava satisfeito em me ver tomando a iniciativa, por isso continuei. Sem vergonha, fiquei de joelhos no sofá, apoiando as mãos em seus ombros. Nossos olhares estavam conectados a todo momento, mas pude sentir suas mãos em minha cintura. Sem rodeios, selei nossos lábios num beijo mais profundo, com direito a língua e tudo.

No mesmo segundo, meu corpo tremeu e o abracei pelo pescoço. O Sabaku não perdeu tempo, estreitando seus braços ao meu redor, deixando nossos corpos colados. Quando o ar faltou, nos afastamos ofegantes e eu, com um sorriso maroto, o empurrei até que estivesse deitado. Me reclinei sobre ele, aproximando nossos rostos mais uma vez. Sorríamos uma para o outro, mas antes que nos beijássemos novamente, ouvimos os passos de alguém vir das escadas.

Arregalamos nossos olhos e Gaara colocou o indicador sobre sua boca, mostrando que deveríamos fazer silêncio. A luz estava acesa, mas quem viesse lá de cima não nos veria, pois o sofá ficava de costas para a escada. Entretanto, não estávamos falando de pessoas normais, especialmente quando nos referimos a um ser mais conhecido como emo Uchiha.

- Sei que estão aí. – a voz de Sasuke estava meio rouca graças ao sono. – Mas podem continuar se pegando, só vim buscar água.

- Ei, cara. – Gaara o chamou. – Será que poderia apagar a luz?

- Como quiser. – o outro suspirou.

Apagando a luz, Sasuke seguiu para a cozinha. Eu, que prendia o riso durante todo aquele tempo, não consegui mais aguentar. Apenas levei uma mão até os lábios, abafando a risada para não acordar os outros.

- Parece que fomos pegos no flagra. – Gaara falou com deboche. – E mais uma vez pelo Sasuke.

- Fico preocupada com o que ele pode pedir em troca do nosso segredo. – disse, me recompondo da crise de risos.

- Ele é um cara legal, apesar de parecer um babaca às vezes. – ele observou.

- Até que ele foi fofo com a Sakura hoje. – me lembrei de mais cedo.

- Acredite, o Uchiha sabe ser sociável quando quer. – Gaara disse.

- Bom pra Sakura. – debochei, mas então voltei a fitá-lo. – Mas, que tal deixarmos isso pra lá e voltarmos ao que interessa?

- Seu pedido é uma ordem, loira. – ele respondeu.

Então o Sabaku levou uma mão ao meu rosto, me levando para perto de si. Com calma, ele me beijou, fazendo um calor bom envolver todo meu corpo. Eu não fazia ideia de que horas seriam, porém, não me importava. Nem minhas provas e atividades do dia seguinte conseguiram me preocupar. Naquele instante, eu só queria ficar com Sabaku no Gaara.  


Notas Finais


AHHHHHHHHH ELES FICARAM DE NOVO! \O/\O/
O QUE ACHAM QUE VAI ROLAR AGORA?
ME DIGAM LÁ EMBAIXO. ;)

ATÉ O PRÓXIMO!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...