História A F€ra. ~Imagine Kim Namjoon - Capítulo 24


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga
Tags Imagine, Kim Namjoon, Novela, Ramance, Shoujo
Visualizações 167
Palavras 2.318
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Gente desejo muito boa leitura. :3

Capítulo 24 - Palavras entre linhas.


Fanfic / Fanfiction A F€ra. ~Imagine Kim Namjoon - Capítulo 24 - Palavras entre linhas.


Kim Namjoon on~

•Assim que aquela mulher foi embora não tive muito tempo disponível com s/n, Big Hit quis que eu fosse lá ainda hoje para ajeitar tudo e anunciar o mais rápido possível à mídia minha volta ao grupo, assim que me expliquei com ela s/n assentiu dissendo "Tudo bem, não se preocupe comigo, vou ficar bem." depois saiu com seus cabelos ainda soltos me lembrando dos grampos que, a ou- meia hora atrás, eu estava tirando e jogando no chão, fiquei sorrindo enquanto procurava as chaves do carro na mesa, lembrando que foi eu que os tirei desfazendo o penteado terrível que de forma impressionante não a deixe... feia... Na verdade, o ar autoritário não cai nada mal nela, pelo contrário, só me deixa excitado de uma forma, fatal. 


.•°°•..•°°•..•°°•..•°°•..•°°•..•°°•..•°°•.


-Rm? O que tá fazendo aqui cara? >>foi a voz surpresa do Jin ao me ver entrar no estúdio de dança na Big Hit, logo os outros que estavam atentos ensaiando de costa pararam e se viraram me procurando, quando viram vieram na minha direção uns com os braços abertos e outros batendo batendo palmas.

-Bem... Achei melhor dar um fim as férias e voltar a ativa. >>falei e Jin chegou me abraçando e me levantando do chão já na bandalheira de sempre.

-Já não era hora cara. >>Foi a vez do Suga se chegar com um sorriso discreto depois que fui largado de novo, a gente se comprimentou com um toque de mãos só nosso que fez J-Hope parar do lado e estreitar os olhos olhando de um pro outro. 

-quer dizer que anda de toque secreto com a Yoongina é? >>cruza os braços erguendo a cabeça, Suga o encara com aquele sorriso de canto debochado.

-Tá com ciúmes da nossa relação viado?

-opa... Você ouviu isso J-Hope? >>Jimin chegou por trás dele com um sorriso largo passando o braço por trás do pescoço do mesmo que ainda encarava Suga. -...Cara, não pode deixar ele te tratar assim não.

-Sai daí Jimin, deixar de plantar briga. >>a voz bem humorada de Jungkook chamou atenção de todos, logo ele puxou Jimin o separando de J-Hope. -Parece aqueles diabinhos de filme que fica do lado da cabeça atentando o personagem pra fazer merda. 

-E você séria o anjo do outro lado que sempre acaba com os planos diabólicos? >>Meus olhos correram e se encontraram com os do Tae, o mesmo passou entre os outros ficando de frente comigo com um meio sorriso no rosto  enquanto no meu nenhuma feição receptiva se fez. 

•Não, não é fácil engolir e fingir que tudo está as mil maravilhas sendo que eu tenho certeza que ele gosta da s/n.

-Fico feliz que tenha voltado. >>continuou de forma natural depois de eu não ter respondido nada anteriormente.

-Eu também. >>ergui o canto da boca com antipatia visível como se fosse um pequeno sorriso, só que saiu de uma forma dura.

-Ok.... O que tá acontecendo aqui? >>Jin foi o primeiro a sentir o clima nada amigável de minha parte, ele sempre soube que algo estava errado antes de todo mundo.

-Não está acontecendo nada. >>Tae sorriu pra Jin que por sua vez estava sério avaliando as reações.

-Deve ser coisa dá sua cabeça Jin. >>Jungkook falou com um sorriso descontraído indo até ele e dando tapinhas na costa dele.

-Verdade, eles não tem razão pra isso.

-Nenhum dos dois... >>continuou J-Hope de onde Jimin parou. -...um tá noivo e o outro tá dando uns pegas em uma garota  misteriosa.

-A garota misterios de ontem... >>Suga deu uma risada maliciosa chegando do lado do Tae botando a mão no ombro dele e olhando pra todos. -...que gostosa hein. 

-Engraçado, eu achei ela familiar á alguém, só não sei com quem. >>Jimin cruzou os braços olhando longe como se tivesse caçando na mente a outra pessoa. 

>>No meio disso tudo e vários comentários eu me concentrei em não fechar a mão e meter na cara do Tae que reagia com calma rindo de poucos comentários.

-...afinal, você levou ela pra casa, passou a noite com ela ou não? >>fiquei calado diante a pergunta do Suga,( o 2° mais interessado no assunto), que estreitou os olhos esperando pro Tae, meu corpo foi ficando rígido enquanto o olhava ainda calado sem expressão alguma, devagar um sorriso de canto se formou e saiu com um ar cínico e arrastado: -bem...

>>Pronto, foi o que bastou pra explodir e fazer aquilo que imaginei várias vezes em fazer só que me segurava, quando dei por mim Jin, Jimin e Jungkook estava me puxando pra longe dele que já tava caído no chão com a mão no rosto sendo ajudando pelo Suga e J-Hope que o lenvataram.

-Seu idiota, tá dóido?! >>irritado veio na direção pisando firme.

-Talvez, porquê? Vai me encarar seu traíra de merda! >>o tom debochado foi como um segundo soco só que verbal.

-Vou te mostrar quem é o merda aqui seu... >>Suga e J-Hope atracaram um em cada braço o segurando enquanto eu ria da cara dele morrendo de raiva querendo que me soltasse pra repetir a dose.

-Me solta porra!

-Nem pensar!!! >>gritou Jimin.

-O que deu em vocês? >>falou Suga aos gritos o puxando com toda força.

-Solta ele mesmo... Quero ver o que o grande RM é capaz de fazer com alguém da mesma força, já que com mulher não é novidade usar da forçar. >>berrou com ironia usando no final uma risada seca e sem humor.

-Isso não é da conta de um filho da puta como tu! >>minha voz saiu estridente enquanto tentava me livrar deles que me seguravam, ele parou de se debater e ficou me encarando com o rosto endurecido.

-Tem razão! >>esbravejou puxando os braços que logo foram soltos pelos rapazes que ficaram o encarando ainda em alerta, Tae levou uma mão ao canto da boca passando os dedos no filete de sangue e encarou a mão. -Não é da minha conta... Mas eu quero que seja. >>engatou o olhar friu no meu de fúria

-Fica longe dela. >>falei entre dentes quase parando com a voz grossa.

-Eu fico, no dia que ela se casar. >>desgraçado abriu um sorriso largo. -Mas pera, ela não tá nem se quer noiva. 

>>vendo que não iriam me soltar enquanto não parasse eu segurei a raiva me abraçando ao sentimento de ter dado um soco nele e respirei fundo.

-Ainda, s/n vai ser minha.

-S/n é livre, e a hora que ela me quiser eu vou tá a esperando de braços abertos. >>respondeu com a voz firme.

-Espera sentado estúpido. >>puxei os braços e me virei empurrando os rapazes que estavam me segurando, ainda cego pela raiva andei em passos largos e pesados até a porta por onde sair a batendo com força notando as pessoas do corredor do lado de fora olharem pra mim assustadas.

-Desgraçado de merda...>> resmunguei enquanto dirigia o carro no caminho de volta para a mansão. Várias vezes tentei afastar a dúvida se s/n e o Tae tinham passado a noite juntos mesmo, mas ela insistiu e cravou  ódio que queria me levar a fazer besteira, esbravejo, buzinei, chinguei sentindo que ia enlouquecer com a idéia de outro homem ter feito amor com ela. Ao passar pelos portões fui dirigindo pelo jardim da frente encarando à distância a escadaria que levava a porta de entrada, fechei com força os dedos em volta do volante escutando apenas minha respiração pesada. 

>>Assim que entrei voltei a respirar fundo tentando aliviar os músculos tensos,olhei o lance de escadas, cruzei em passos largos a sala e comecei a subir a escadaria pensativo segurando ao máximo os ciúmes, se antes já não queria perde-la agora é que não posso me dá ao luxo mesmo.

-Senhor Namjoon, que bom que já chegou.

-Anham... >>falei distraído não dando atenção a Yang.

-Chegou algo pro senhor, entregaram a pouco tempo. >>falou animada me fazendo parar quase no topo da escadaria para me virar. 

-Bote no escritório por favor, tó com pressa. >>ja impaciente me virei pra subir, mal subi dois degraus ela voltou a falar ignorando a minha falta de interesse.

-Encomenda da Turquia.

>>A voz animada me fez parar, ao me virar a vi já subindo as escadas com um sorriso gentil no meio do rosto redondo e uma caixa pequena entre as mãos que a envolviam com muito cuidado.

 -Tava esperando essa encomenda só pra daqui à dois dias. >>Falei descendo uns degraus pra diminuir a distância.

-Pelo visto as coisas estão conspirando à seu favor. >> Seu sorriso aumentou um pouco mais ao botar no meio da minha mão o objeto, abri a mini caixa e vi no meio de um tecido macio parece ceda um anel com os traços firmes e elagantes da s/n obtendo uma sútil delicadeza no design. Fiquei calado uns instantes olhando o anel que encomendei ontem, eu tinha acabado de chegar da festa na Big Hit e tratei logo de providencia-lo no meio da madrugada, não ia conseguir dormir mesmo pensando no que eu tinha feito no estreito de um corredor debaixo dos narizes de todos. Pedir s/n em casamento foi algo que se tivessem me dito meses atrás eu com toda certeza daria uma risada debochada achando a pessoa bem imbecil.

  No meio disso sentir a ciúme e a dúvida cruel acender como uma contração que dá minutos de alívio porém volta.  Fechei a caixa a metendo no bolço e oferecendo um sorriso forçado a Yang.

-Não nos espere pro almoço. >>Sugeri a Yang, me virando e indo, entrei pelo corredor e fui direto ao quarto da s/n onde eu bati com paciência.

-S/n?

>>bati de novo espraguejando baixo a demora.

-Tenho que falar com VC.

>>A porta se abriu e a encontrei só de toalha me olhando confusa.

-Aconteceu algo?

-Eu espero que não. >>a voz saiu mais áspera do que pensei, fui entrando a vendo dar passos para trás franzindo o cenho.

-Espera, não deixei você entrar.

-Não preciso de permissão.

-Ah precisa sim.

-Tenho quase certeza de que não. >>falei a encurralando na parede botando um braço de cada lado fazendo uma mini prisão pra ela, olhei sua feição e um nó se formou na minha garganta, nesse momento percebi que não vou conseguir perdoar ela, não vou conseguir dividir a cama com uma mulher que dormiu com o meu suposto melhor amigo. 

-Mas que droga aconteceu com você? 

-S/n ontem à noite você transou com o Tae? >>Olhei no fundo dos olhos surpresos dela.

-Claro que não! >>Pigarreou com pressa lançando um olhar incrédulo e aumentando as linhas de expressões entre as sobrancelhas. Fiquei calado ainda a encarando escutando minha respiração pesada.

-Tá duvidando de mim?

-Tó. >>respondi sério.

-Eu não te dei motivos pra isso. >>As palavras saíram indignadas.

-Você apareceu ontem na festa com ele.

-Ele tinha me convidado, não ia negar a um amigo!

-Se importa muito com os amigos pelo visto.

-Não tive muitos durante a vida então sim, eu me importo d'mais quando consigo.

-Não devia dar tanta bola pra homens. >>o ciúme mais uma vez gritou alto no peito e sair em tom grave de mais as palavras.

-Eu não faço isso! Que inferno Namjoon!

-Inferno é querer tanto alguém e perceber que talvez seja tudo em vão. >>o silêncio caiu entre nós dois e ficamos trocando olhares indiferentes.

-Foi o risco que você quis correr. >>ainda no enlace do seu olhar ela concluiu a conversa comigo se abaixando e saindo por baixo do meu braço esquerdo passando pelo meu lado em passos pesados.

>>Me virei a vendo abrir o armário séria olhando as roupas entre os cabides e as mechendo com uma raiva contida.

-Tem razão... mas agora pra continuar me arriscando eu preciso que você me diga uma coisa. >>Seus olhos devagar voaram para os meus como um pássaro discreto.

-O quê?

-Gosta de mim? >>a feição ficou levemente pertubada e seus olhos se desviaram dos meus com urgência.

-Não quero responder.

-Precisa falar, eu me declarei... >>fui até ela não aceitando a recusa, segurei em seus ombros ainda com gotas de água na pele macia e a virei pra mim. -...e sinceramente é impossível você me beijar igual ontem e hoje não querer assumir que sente algo por mim.

-Eu... >>a encurralei, a boca dela ficou entre aberta como se fosse falar algo mas não encontrasse palavras, os ombros se contraíram nas minhas mãos e uma quentura me atingiu em cheio ficando no lugar do emaranhado de sentimentos de antes a vontade de beija-la até faltar o ar. Minhas mãos destacadas contra a pele fria dela foi o golpe certeiro do desejo, usei o polegar para masagear a pele devagar com leve pressão, logo o corpo todo reagiu com um estremessimento contido, sorrir com malícia e voltei a encara-la. Os olhos intensos, acesos prendendo desejos que interpreto tão bem.

-O que custa assumir? >> a mesma trancou a respiração de uma forma que nem notou, a puxei um pouco mais perto fechando os olhos e passando a ponta do nariz pela lateral do rosto dela sentido a fragrância doce de sabonete misturado com o perfume natural e sensual do corpo da mesma.

-Dói tanto assim me querer? >>Sussurrei contra a têmpora dela descendo as mãos devagar pelos braços que se eriçaram com minha carícia.

-Não... >>saiu baixo e arrastado como se o fôlego já tivesse ido em bora com apenas os toques. -...dói assumir. >>a voz saiu como murmúrio, ao olha-la encontrei olhos semicerrados já a minha espera, fortes como as ondas do mar me pegando e me afundado em êxtase.

-S/n você me deixa louco. >> sussurrei contra a boca dela a fazendo fechar os olhos com um sorriso discreto surgindo e tomando força.

-Porque sempre termino nossas brigas nos teus braços? >>a mesma mordisca minha boca me fazendo ficar rígido, passou os braços em volta do meu pescoço e eu a peguei pela cintura sentindo a textura da toalha.

-Porque é assim que casais resolvem as brigas... na cama. >>a risada suave dela foi a deixa para um beijo diferente dos outros, nosso ritmo nunca foi tão sincronizado quanto hoje, a apertei contra meu corpo saboreando com vontade o envolvimento das línguas e lábios, ela arfou com a pegada e eu capiturei isso engatando em outro beijo intenso que consumiu nós dois por completo.



Notas Finais


O. O capítulo animadinho.

Rsrs... O que acharam?

Se manifestem nos comentários.

Chuuu


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...