História A Friendship, A Love - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Red Velvet
Personagens Irene, J-hope, Jimin, Jin, Joy, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Seulgi, Suga, V, Wendy, Yeri
Tags Adolescência, Amizade, Amor, Drama, Jimin, Jungkook, Jungri, Seulgi, Seulmin, Superação, Vingança, Yeri
Visualizações 124
Palavras 1.571
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Fluffy, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Atenção!!!

Nesse capítulo a seguir vocês não vão conseguir entender direito e talvez até ficarem bugados, mas calma que no próximo eu(COF COF COF, a Seulgi) vai explicar o bagulho todo e vai revelar pro Jimin sobre o sonho.

Tenham uma boa leitura♥

Capítulo 12 - Pessoa Certa


Fanfic / Fanfiction A Friendship, A Love - Capítulo 12 - Pessoa Certa

"É realmente estranho, porque eu estou impressionada com tudo que você faz. Há algo sobre os seus movimentos. Você pode não saber, mas há algo especial sobre você. Eu acredito em te amar"

"Apresse-se e tome o meu coração, eu estou amando você - Loving You — G.NA"

Seulgi

— Não é que eu esteja apaixonada por você, porque eu não estou… bem eu… É... Eu só quero dizer que estou gostando de você. — Suspirei. — Que tal deixarmos um pouco a nossa amizade e união de lado e tentarmos juntos? Pode me dá uma chance? Apenas uma. — Finalizei aproximando-me dele de olhos fechados, porém ele me impediu que eu desse um passo à mais, estalando os dedos e fazendo com que eu saísse de minha própria imaginação.

— Você não iria me beijar, ou ia? — Ele perguntou sorrindo descaradamente, junto a sua excessiva ironia e bom humor.

Aish, esse Jungkook.

— Não idiota. — Revirei os olhos. — Você sabe que foi só uma atuação.

— É claro. — Se encostou na parede da cozinha, cruzando os braços. — Para quem foi mal nas últimas dez vezes, até que você foi bem nessa. — Sorri convencida. — Quando vai se declarar para… — Ficou pensativo de repente, coçando a nuca.— O seu Boy?

— Aish Jungkook, se eu não te conhecesse diria que você é gay.

— Ei, eu não sou gay!

— Sabemos. — Soltei uma risadinha baixa. — E isso não é nenhuma declaração. É só eu tentando ser sincera como sempre fui. — Tentei Argumentar.

— Ata. — Ele abaixou a cabeça murmurando uma palavra quase inaudível, contudo eu consegui ouvir muito bem e acabei que por revirar os olhos pela a segunda vez.

— Quer saber? — Ele ergueu a cabeça me olhando com as suas sombrancelhas arqueadas em curiosidade. — Você já me encheu o saco! — Ele riu.

Aish.

Não falei mais nada depois disso e só me dei o trabalho de lhe mostrar o dedo do meio o fazendo rir mais. Virei a cara, me afastando para o mais longe possível do meu amigo idiota. Antes de sair de casa para ir procurar me divertir ou vandalizar por aí, peguei o meu moletom preto em cima do sofá da sala e o vestir em mim, usando o capuz para cobrir meu rosto, conectei os fones de ouvidos no celular, entupindo os ouvidos com a música alta na qual tocava no mesmo. Ingorei Jungkook que começou a me dá broncas como se fosse o meu pai, pedindo para eu não sair de casa e novamente mostrei a ele o dedo do meio e sair daquela maldita casa batendo fortemente a porta na cara dele. Às vezes Jungkook me irrita tanto, como eu posso amar esse garoto como se fosse meu irmão? Aigoo.

Quando pus os meus pés para fora, enterrei as mãos nos bolsos do moletom e comecei a caminhar o mais rápido que fosse, antes que Jungkook desse uma de detetive particular, querendo me seguir. Caminhava tranquilamente ao som de um Rock metal tocando, totalmente despreocupada por estar agora em um dos bairros mais perigosos de Seul. Já estava acostumada a andar por um bairro como aquele e principalmente com os perigos, afinal eu sou o perigo daqui, ninguém teria coragem de enfrentar a líder da gangue de pichadores da cidade. É por isso que todos esses idiotas me amam, inclusive os meus amigos pichadores, mas caso eles descobrissem que eu sou filha de um policial, com certeza iriam me odiar. Esse é o meu segredinho que eles não fazem ideia.

Sorri maléfica e retirei os fones dos ouvidos, abaixando o capuz do meu moletom para eles visualizarem minha face descoberta, em seguida bati palmas conseguindo chamar a atenção dos meus amigos "pichadores" nos quais estavam ocupados pichando o muro do beco escuro e fechado onde eu e a turma combinavamos de nos encontrar de vez em quando. Eles assim que me viram, largaram as latas de spray no chão e vieram em direção a mim. Elevei a mão e bati nas deles, usando o nosso cumprimento secreto. Retornei a pôr as mãos nos bolsos daquele moletom preto e passei pelos três que me olharam com aquelas suas expressões fechadas, sem nenhum vestígio de sorriso ali. Como ver um sorriso me fazia falta essa hora; um do Jungkook ou de Jimin, os dois logo de uma vez.

Parei em frente a aquele muro pichado com a bela arte deles. Não era algo que podia se admirar, era só desenhos de símbolos de uma caveira pichada de vermelho e no centro do muro havia uma frase na qual me fez olhar para aquilo perplexa e nada orgulhosa do que estava escrito ali; uma grande frase bem destacada escrita "Morra policiais filhos da puta!". O que me deixou mais assustada do que estava foi quando segui os meus olhos para outra frase, não só uma como também várias. "Vamos matar vocês", "Odiamos vocês seus tiras de merda", "Vão para o inferno". Mas que merda era aquilo?

— Que droga é essa? — Perguntei alterada, apontando o dedo para o muro rabiscado com diversas frases de ameaças para os homens da lei.

— Qual é Seulgi. — Taehyung, um dos pichadores, riu debochado soprando a fumaça de cigarro que saiu de sua boca. — São só frases bobas, aliás… — Sorriu diabólico. — Esses filhos da puta merecem.

Durante alguns segundos senti um medo no qual nunca havia sentindo antes, tudo que eu conseguia fazer era só encarar eles que sorriam feito psicopatas malucos. Também senti uma dose de preocupação me acumulando, eu sabia o que eles estavam planejando mas só naquele exato instante eu abrir os olhos para me dar conta de que não estava só lidando com jovens rebeldes como eu, e sim com assassinos malucos. Agora sim eu percebi, percebi o que eles realmente estavam se demostrando ser. Tudo que consegui pensar foi no meu pai e nada à mais, eu tinha certeza de que ele seria um dos primeiros da lista pois ele era o mais odiado e o chefe de toda a metade de polícias da cidade. Engoli em seco, me esforçando para me manter firme e forte diante deles que me fitavam assustadoramente.

Se alguma coisa chegasse à acontecer com meu pai eu me sentiria culpada pelo o resto de minha miserável vida. Nem pensar que eu iria deixar esses idiotas psicopatas machucar o meu herói, tudo que me restava à fazer era entregá-los a policia e nunca mais me envolver com gente assim. Esses não são os meus amigos de verdade.

                  [...]

Me sentei sobre o gramado fresco, de baixo de uma enorme árvore onde tinha uma boa sombra para desfrutar, deixei minha mochila perto de meu alcance e encontei-me sobre o tronco da árvore, procurando aproveitar a calmaria do jardim da escola e ficar um pouco sozinha para refletir meus pensamentos, só esquecer tudo que houve ontem à noite, e esses machucados visíveis pelo o meu corpo. Tudo que eu menos precisava seria ouvir as pessoas perguntando do porque dos meus machucados, por que estou com o braço quebrado e engessado, por que estou com a cara toda rocha e por que estou matando as aulas de Física. Tentei puxar a mochila que se afastou de mim por causa do vento, no entanto apenas resmunguei de dor quando fiz um certo esforço com o outro braço não quebrado, mas todo dolorido.

Outra vez procurei trazer aquela maldita mochila para perto usando o pé, mas não obtive sucesso e devido a isso, me permitir chorar deixando que todas as lágrimas, cujas tentei segurar ontem, caíssem facilmente de meus olhos. Eu me sentia tão fraca e derrotada, apenas uma garotinha vulnerável e chorona, alguém que não tem valor algum, a que mereceu todas essas dores e machucados por todo o corpo. E por mais que eu tantasse me fazer de forte, eu só fracassava fácil.

— Seulgi? — Limpei as lágrimas e ergui os olhos, podendo ver a figura de Jimin me encarando preocupado e assustado pelo os fortes machucados que sofri. — O que fizeram com você? Quem te machucou assim? — Ele questionou se sentando ao meu lado.

Não respondi nada e só me manti de cabeça baixa, chorando e soluçando, expressando o quão eu era uma fraca. Tudo que pude sentir foi os seus braços fortes me abraçando como eu queria e suas pequenas mãos acariciando os meus cabelos já com a sua cor natural. Então voltei à chorar enterrando meu rosto em seu ombro. Eu queria o abraçar de volta o mais apertado que pudesse mas a dor emocional e física era tanta que só o deixei me abraçar, consolando-me mesmo sem saber de nada que me levou a ficar neste estado; não só machucada por dentro como também por fora. Nem dizer uma sequer palavra eu conseguia, só chorar e colocar tudo para fora enquanto recebia o seu ombro amigo, o ouvindo dizer que vai ficar tudo bem e que chorar é bom para poder se expressar da melhor forma. E ele tinha mesmo razão.

— Não tente se segurar, só chore o quanto quiser. Eu vou cuidar de você. — Acariciou a minha bochecha. — Eu estou aqui sempre que você for precisar. — Sussurrou no tempo em que eu permanecia chorando e abraçada a ele, molhando toda a sua camisa com minhas lágrimas como fiz da última vez.

Ah Park Jimin… É com você que eu preciso aprender a amadurecer. Você é a pessoa certa para mim.


Notas Finais


Pobre Seulgi;-;

Só quero avisar a vocês que está bem próximo deles começarem a namorar🌚😉


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...