História A Fucking Troublemaker - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce, Bangtan Boys (BTS)
Personagens Agatha, Alexy, Ambre, Castiel, Debrah, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Lysandre, Nathaniel, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V, Viktor Chavalier
Tags Amor Doce, Bangtan Boys (bts), Comedia, Drama
Exibições 12
Palavras 920
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Científica, Harem, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 4 - Bitiezi?


Fanfic / Fanfiction A Fucking Troublemaker - Capítulo 4 - Bitiezi?

Antes que Titio me explicasse o porquê dele precisar de mim aqui na Coréia o senhorzinho do inglês voltou e começou a conversar com ele, que pelo visto fala coreano fluente.

Tava tentando entender do que eles falavam ate que Effy me cutuca... Nossa tava tão entretida com a discutição que ate me esqueci que ela estava lá parada do nosso lado assistindo tudo. Olho pra cara dela que começa:

- Você e seu tio não vão brigar mais não? Já tava ate indo procurar pipoca pro show ficar melhor. – falou na maior cara lavada do mundo. Escrota!

- Você tinha é que ter aberto essa boca pra ajudar a me defender sua escrota!

- Ta maluca! – exclamou ela arregalando os olhos – Seu tio me da mo medo. Prefiro ficar só de telespectadora que eu ganho mais. - Mas é uma vaca mesmo viu! – Cara tu é foda em?! Bateu de frente com o velho, mas só acho que você não deveria ter falado daquele jeito não – olhei pra ela com uma cara de ‘você ta de que lado afinal o garota?’- Só to dizendo isso porque você ta nas mãos dele sabe... tipo... a gente ta em outro país sem conhecer ninguém, sendo bancada por ele... ai Jackelyn to com medo... porque... – ah não! Não vou ficar escutando os chiliques de medinho dessa pessoa não!

- TO NAS MÃOS DELE É O CARALHO! – perdi a paciência. Respira, inspira não pira Jackelyn! – Olha aqui Effy não é primeira vez que sou obrigada a ir pra um lugar desconhecido e só descobrir aonde to depois de chegar não ta?! – acho que isso não ta ajudando a acalmar ela – Quero dizer... sempre que eu apronto ou o babaca do Crowel precisa de mim, ele faz isso... não se preocupa. E qual problema de estar em outro país também? Estamos na coreia e estudamos coreano por dois anos e meio juntas monamu. Lembra? Somos mais que fluentes nessa merda! Imagina o quanto vamos zuar por aqui... – nem deu tempo de terminar meu discurso de motivação porque Titio pegou no meu braço e no de Effy e saiu nos puxado pro meio da multidão que agora já estava enorme. Socorro, eu tenho fobia de multidão gente! Ainda mais nessa gritaria, só conseguia-se ouvir ‘Armys’ pra cá, ‘Xuga’ pra lá... ‘min iun gui’, ‘dimin’ e mais um monte de coisas...

Nem sei mais o que estava acontecendo ou onde eu estava indo parar, mas quando vi já estava entrando numa vã branca. E só quando fecharam as portas e deram partida no carro que eu fui reparar que não estávamos sozinhos.

Estava eu, meu tio e Effy nesta ordem sentados nos últimos bancos da vã, e nas duas fileiras de bancos na nossa frente se encontrava sete cabecinhas viradas em nossa direção nos encarando.

 O velhote cumprimentou todos cordialmente que rapidamente responderam ele de volta e viraram-se para frente. Eu para não ser mal-educada mandei um:

-  Annyeonghaseyo! - que foi lindamente ignorado já que ser nem um ali sequer virou pra traz. – Porra isso é que é vaco em?! – disse em português me virando pros dois ditos cujos que estão do meu lado e os desgraçados ficaram rindo da minha cara. Mereço!

Ué, agora os seres dos bancos da frente decidiram virar pra traz todos com carinhas de quem não estava entendendo nada, variando entre olhar para mim e pros retardados que mais pareciam estar relinchando ao em vez de rindo aqui do meu lado. Revoltei agora! Ignorei os olhares de todos e disse: - Okay acabou a palhaçada! – com a voz seria – Pra onde estamos indo e porque estamos nessa vã com essas pessoas bonitas e ignorantes – Crowel parou instantaneamente de rir.

- Eu sou o mais novo dono da Big Hit Entertainment que é uma das maiores gravadoras da Coreia do Sul. – falou todo orgulhoso e eu fiz minha melhor cara de ‘e dai?’, ele é dono de várias gravadoras pelo mundo, porque ta tão empolgado com essa agora? Remexi as mão o incentivando a prosseguir. 

 – E com isso sou o novo produtor executivo do boy group de maior sucesso da atualidade... – pausa dramática – O Bangtan Boys ou simplesmente Bts. – os olhos dele pareciam ate brilha enquanto falava. E eu ainda não entendi o que eu tenho a ver com isso.

- Tá! E onde eu entro nessa história toda?- perguntei.

- Você será a responsável pelos garotos do grupo. – Disse como se isso fosse muito simples. COMO ASSIM RESPONSÁVEL? Respira jackelyn, respira!

- Como assim? Eu vou ser responsável por essa tal de grupo Bitiezi?- me embolei toda pra falar o nome do grupo – E por que eu? Vou ser tipo baba ou empregadinha de famozinhos? – comecei a fazer um monte de perguntas ao mesmo tempo.

- Você vai fazer o trabalho que eu quiser e não vai questionar nada ta entendendo? – o excomungado falou isso naquele tom de superioridade que ele costuma usar com os empregados dele. Que ódio!

- Ah VAI TOMAR NO SEU... – Ia terminar quando percebi que todos, até mesmo o motorista da vã que olhava pelo retrovisor, me encaravam com os olhos arregalado. Puta a merda, será que todos aqui entendem português? Cheguei perto de titio e perguntei baixinho:

- Eles entendem português? – e o velhote mexeu a cabeça negativamente. Ainda bem! Pensei, porque as coisas aqui vão só se rebaixando. – ... CÚ! – Exclamei terminando meu xingamento.

E quando Crowel ia me dar mais um sermão um dono de uma voz sexymente fofa começou a falar...

 


Notas Finais


Obg por ler!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...