História A Fugitiva - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Saga Crepúsculo
Personagens Emmett Cullen, Eric Yorkie, Jacob Black, Leah Clearwater, Personagens Originais, Sam Uley, Seth Clearwater
Tags Fugitiva, Lobisomens, Lobos, Raposa, Sophie, Vampiros
Exibições 88
Palavras 1.402
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Luta, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo
Avisos: Linguagem Imprópria, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Ola queridos leitores.
Voltei com um novo capitulo que foi agora mesmo acabado de ser escrito.
Espero que gostem.

Capítulo 4 - Capitulo 4 - Família Yorkie


Capitulo 4 – Família Yorkie

    A Sophie ainda não estava acreditar que já se encontrava em Forks e que mais uma vez conseguiu escapar da Volturi com sucesso onde não precisou lutar, respirou fundo a espera que os seus tios viesse abrir a porta e ver quem era a esta hora da madrugada na casa deles.

    - Mas quem será a esta hora a tocar a porta? – pronunciou uma voz de uma mulher que vinha do corredor da entrada para abrir a porta, a mesma encontrava uma pouco nervosa porque queria acabar a tempo de fazer o café da amanhã para o seu filho.

    Ao abrir a porta a dona da casa ficou surpreendida ao ver quem se encontrava a sua frente, nunca estava nada a espera de rever a sua sobrinha depois de tantos anos separados desde que ela e os pais dela que foram embora nunca mais manterão contacto com eles.

     - Desculpa de ter interrompido o seu café da manhã tia. - desculpou-se a Sophie sabia que a sua tia estava em choque por ver ela ali em Forks e ainda por cima naquela hora.

    - Pelo menos foi com um belo motivo, entre sobrinha ainda está fresco a esta hora. – ordenou a tia da Sophie viu que a sua sobrinha trazia com elas bagagens.

    Ao entrar na casa viu que muita coisa mudou por ali enquanto teve fora, deixou as suas bagagens ali mesmo porque não sabia se os seus tios queria que ela ficasse ali, seguiu a sua tia até a cozinha onde se encontrava o seu tio já a ler o seu jornal, o mesmo adorava fazer companhia a sua esposa na cozinha em quanto a mesma estava a preparar o café da manhã.

    - Querida quem era a porta? – perguntou o tia da Sophie muito concentrado a ler, o seu jornal de rotina só ouviu os passos da sua mulher a entrar na cozinha.

    - Olha para trás de ti querido é o que te aconselho. – respondeu a tia da Sophie que sentou agora numa cadeira.

    O tio da Sophie fez o que a esposa aconselhou, fechou o seu jornal primeiro já tinha lido tudo aquilo que o interessava e virou para trás para ver quem se encontrava atrás de si quando se virou ficou surpreso por ver quem se encontrava a sua frente que até umas lagrimas ameaçavam sair, a sua preciosa sobrinha que já não vê anos.

    - Estou a sonhar temos a nossa sobrinha Sophie aqui. – comentou o tio da Sophie porque sempre desejou rever a sua sobrinha que já não vê anos junto com o seu irmão e cunhada.

    - Não está a sonhar tio Kevin estou mesmo aqui a frente de vocês. – falou Sophie que dirigiu até ao seu tio e aceitou o abraço que outro deu a ela com um bom agrado.

   A cozinha ficou um por um momento em silêncio, onde os tios da Sophie e a própria encontravam abraçados e a Emma, a tia estava a chorar por ter a sua sobrinha finalmente a li, dava para ver que a mesma passou por muitas coisas em quanto esteve fora.

    - Vieste para ficar Sophie? – perguntou Emma com algum receio porque não queria ver a sua sobrinha a ir embora de novo. 

   - Sim tia, só tenho que arranjar um lugar para ficar. – disse Sophie que sentou numa cadeira.

   - A casa dos seus pais foi vendida logo que se foram embora porque não ficas aqui. – propôs Kevin, o seu irmão tinha decidido vender a casa logo que foram embora para outra cidade.

   - Se não for para nenhum incómodo para vocês. – falou Sophie que aceitou logo a proposta pelo seus tios.

   - Não és nada um incómodo Sophie. – contou Emma que se levantou para terminar fazer o café da manha que daqui pouco o seu filho Erick acordava.

   - Então como estão os teus pais? – perguntou Kevin um pouco curioso porque estranhou por eles não terem vindo com a Sophie.

    - Bem como irei dizer, eles morrem a dois anos atrás. – revelou Sophie que viu que foi o grande choque para os outros.

   - Como assim Sophie? – falou Emma sabia que costumava o pouco para o seu marido porque o seu irmão morreu e só agora que sabe.

   - Foi a dois anos atrás, nós estamos a fugir dos Volturis e eles conseguiram apanhar eles. – contou Sophie ainda custava contar as pessoas que é órfã.

   - Porque não avisaste? – perguntou Kevin pelo menos tem a sua sobrinha viva mas já estava a ver o motivo que a Volturi estava atrás deles.

   - Não sabia o vosso número de casa porque perdi alguns pertences na minha mudança e estes anos que passaram andei a fugir da Volturi e só agora que conseguiu despistar eles. – esclarece Sophie a eles, viu que os seus tios ficaram aliviados por ter menos alguém ainda vivo.

   - Realmente passaste muita coisa mas agora podes sempre contar connosco. – garante Emma que abraçou a sua sobrinha.

   A hora desde que a Sophie chegou a casa dos seus tios passou a voar e a conversa que tiveram mas a Emma interrompeu o momento de diálogo para continuar fazer o café da manhã porque daqui pouco o Erick levanta-se e o seu tio Kevin tinha que ir trabalhar.

   Já se podia ouvir o barulho das pessoas e dos carros lá fora que é sinal que a população já estava acordada para ir aos seus respetivos trabalhos, a escola ainda se encontrava fechada por ser de férias mas mesmo assim os mais novos acordam cedo para aproveitar uns últimos dias de férias. 

   - Bom dia. – pronunciou uma voz de um garoto a entrar na cozinha.

   - Bom dia Erick. – falou a Emma que virou para atrás e deu um sorriso acolhedor para o seu filho.

    - Quem é ela? – perguntou Erick que se sentou para começar a tomar o seu café da manhã, ele não estava a reconhecer quem é aquela moça.

   - Não me digas que já esqueceste da tua prima que sempre brincava contigo, a Sophie? – disse Kevin ao seu filho, os dois nunca se separava por nada mas quando a sua sobrinha foi embora custou imenso ao Erick

  - A que me levava nas suas costas a todo lado? – falou Erick com algum dúvida por se for ela, a sua prima tinha mudado imenso durantes estes anos que tiveram afastados.

  - Oh ainda lembras de isso, bem há quanto tempo Erick, só eu que te leva a todo o lado nas minhas costas. – confirmou Sophie aqueles eram bons tempos onde ninguém precisava estar preocupado por nada.

   O café da manhã foi animada para a família Yorkie onde encontrava todos reunidos a lembrar os velhos tempos quando a Sophie ainda vivia ali junto com os seus pais mas também se encontravam a falar sobre a Sophie que veio definitivamente para ficar.

    - Bem, eu vou ter que me inscrever na escola. – revela Sophie a sua família.

    - Não terminaste os teus estudos? – perguntou pai de Erick curioso, a sua sobrinha é dois anos mais velha que o seu filho.

   - Houve uns contra tempo, esteja descansados que já estou num último ano só tenho que pedir transferência e mais nada. – explicou Sophia a mesma tinha deixados algumas disciplinas para atrás e porque também teve que procurar um trabalho para se sobreviver e deixou um pouco os estudos de lados.

   - Eu posso levar ela lá a escola e apresentar ao pessoal. – disse Erick sabia que outra não iria querer ficar o dia inteiro em casa e também que ele tinha trata algumas coisas na escola.

   - Obrigada Erick e tios por me deixaram por ficar aqui. – agradeceu Sophie pelo apoiou que está a receber dos seus familiares.

    A Sophie não estava a nada que fosse bem recebida pela sua família e compreender o lado dela porque não ter mantido contacto com eles durantes estes anos todos que se passaram mas agora os seus pais onde estejam a descansar, sabiam que agora a sua filha estava mais segura por estar no seu verdadeiro lar.

   Os mais novos Yorkie vão meter em várias confusões que ninguém vai estar nada a espera mas é a própria natureza deles meter onde não é chamado, o que importa é que vão conhecer novas pessoas que não estavam nada espera e que laço de familiares deles tornará se mais forte do que antes.


Notas Finais


Quero agradecer a toda gente que acompanham a história.
Até ao próximo capitulo.
Bjs.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...