História A garota a minha frente - Capítulo 53


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Bissexual, Homossexual, Intersexual
Visualizações 158
Palavras 2.020
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Hentai, Mistério, Romance e Novela, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


OLAAAAAAAAAAAAAAA SÓ TÔ ATUALIZANDO PORQUE EU ROUBEI O NOTEBOOK DA MINHA TIA E ESCREVI ISSO AQUI NA HORA, PQ EU TAVA COM OUTRA COISA EM MENTE, TÔ POSTANDO TAMBEM PQ É MEU ANIVERSARIO! SIM, NINGUEM SE IMPORTA, FODA-SE, É ISSO, QUIANDO EU VOLTAR, QUERO QUE SEJA COM CAP QUE EU REALMENTE GOSTO, POR ISSO TENHO CERTEZA QUE VOU DEMORAR, ENTAO XAU

Capítulo 53 - Futebol


P.O.V Tatiana:

Saio do meu quarto banhada, estava usando um short de pano leve azul, uma camiseta branca, meus cabelos amarrados em um rabo de cavalo e um tênis preto e branco

- tá pronta? – ouço a voz de Heloísa, que tinha seu quarto bem ao lado do meu, olho para ela e ela estava com uma camiseta branca também mas com uma estampa que dizia “não sou obrigada a nada” em negrito, um short também de pano fino só que de cor preto e um all star vermelho

- hunrum, quem vai com nós? – pergunto voltando para o quarto e pegando minha mochila, com algumas coisas nela, como minha garrafinha, remédios pra qualquer coisa, uns lanches básicos e meus tic tac

- todo mundo – Helô responde acabando de amarrar seu cabelo – vamos – ela diz e segue caminho com uma mochila também, assim como ela eu vou. Aparentemente vamos tirar o dia fora  de casa

[...]

- eu dirijo! – digo correndo em direção ao jipe preto dos nossos avós

- não, eu! – Heloísa fala me empurrando, na mesma velocidade a empurro de volta, fazendo com que nenhuma de nós conseguisse entrar para o banco do motorista

- sai que você é de menor! – digo tentando tirar ela da porta, mas essa porra é forte também

- e você é uma barbeira! – ela fala. Gente é mentira, até agora eu não atropelei ninguém

- ô garotas... – olhamos para trás e Isabela estava com a chave do carro girando em seu dedo endicador

- ráh – Heloísa diz na minha cara – me da a chave amor! – ela diz estendendo a mão

- negativo – ela diz negando

- que? – a trouxa fala e foi minha vez de zoar com minha prima

- da aqui pra de maior Isa! – falo chegando até ela, ela nega outra vez sorrindo

- não queridas, eu que vou dirigir! – ela diz chegando perto do veiculo entrando no mesmo

- eu não quero morrer! – digo e Isabela manda o dedo do meio pra mim. Dou uma risada

- entrem logo! – ela fala, encaro minha prima e ela também me olha, então corremos juntas

- EU VOU NA FRENTE! – falamos em uníssono mais uma vez na maior empurração

 […]

Chegamos em uma parte da cidade onde tinha um campo de futebol, era até que grande, logo eu podia ver as meninas jogando, tipo só meninas mesmo

AAAA OBRIGADAA DEUS

No jipe veio Isa, Helô, Dan e eu, no carro dos meus pais foram logicamente meus pais, Sam e Junior, no carro do tio Ricardo e tia Bibi veio eles e meus avós

Estávamos parecendo os vampiros do crepúsculo chegando na escola, sabe aquela cena? Pois é

- vão lá jogar! – meu avô fala

- agora eu tô com vergonha de ir lá pedir! – digo olhando elas jogando, tinha pelo menos umas dez no campo

Volto a olhar para minha família, meus pais foram de mãos dadas para as arquibancadas onde tinha umas pessoas por lá

- vão lá gente! Não queriam jogar? – tio Ricardo fala

- pai, só tem meninas lá – Dan diz encostando sua cabeça no peitoral do pai. Tio Ricardo é bem alto

- aaa seja macho, homi! – tia Bianca diz bagunçando os cabelos de Daniel

- tá com medo de perder das meninas é? – pergunto olhando para ele que faz um sorriso forçado pra mim, faço o mesmo para ele

- não, só acho chato e estranho quando não conheço ninguém! – ele responde

- o problema é que eu tô com vergonha de ir lá, porque eu quero muito jogar! – digo, estava sentindo o mesmo que Dan

- EIII MENINAAAS DEIXEM ELES JOGAREM AQUI! – nossa avó grita e logo me junto com meus primos, irmãos e Isa morrendo de vergonha, volto a olhar para o campo, vendo que elas tinham parado de jogar e olhavam para nós. PUTA MERDA

- EI CÊS QUEREM JOGAR? – uma garota de cabelos curtos escuros grita perguntando

- vão logo – tia Bianca fala, Helô e eu nos olhamos, dando de ombros e indo para o campo

- nada de gracinhas dona Heloísa! – Isabela diz dando um selinho em sua namorada e eu dou uma risada

- pode deixar – ela responde e logo chegamos onde todas as jogadoras estavam, juntamente com Dan e Junior

- sabem jogar? – uma ruiva pergunta com um tom irritado a bola estava abaixo de seu pé direito

- logico, se não, não estaríamos aqui! – respondo olhando no fundo dos seus olhos que eram castanhos. Gente parece a Mariana num sei o que Barbosa

Ela me olha séria por um tempo me analisando, logo outra garota aparece

- iai vamos jogar? – ela pergunta e logo desfaço meu olhar com a ruiva – uma de vocês pra cá, e a outra pro outro time, a mesma coisa com os meninos, um pra cá e outro pra lá! Vamos, vamos, vamos – ela diz batendo as mãos

[...]

- PASSA PRA MIM! – digo correndo indo para perto do gol, Heloisa logo aparece para me marcar – vai te embora macaca, me deixa encosto! – digo pra ela que continuava me marcando, saio da marcação e logo Daniel que ficou no nosso time passou a bola pra mim, assim logo passo a bola pra uma menina já que Junior vinha do outro lado para me roubar a bola

- VAI LOLÔOO! – ouço a voz de Isabela gritando

Heloísa tinha conseguido pegar a bola, mas como ela queria ser mostrar pra Isabela fazendo as gayzisses que ela tava fazendo, logo Dan pega a bola dela e passa para uma menina que era do nosso time, assim logo a bola volta para mim, quando eu me preparo para voltar pra perto do gol e chutar a ruiva aparece, de todo jeito ela tenta pegar a bola vou correndo e chuto para uma menina magrela. AAAA ELA É DO OUTRO TIMEEE, O QUE EU FIIIIIZZ

- tá fazendo o que sua louca? – uma morena pergunta e eu apenas corro pra tentar pegar a bola da menina, ela tinha umas pernas enormes, não sei se conseguiria alcança, assim que pelo menos chego perto, ela joga a bola adivinha pra quem? Pra porra daquela ruiva e assim, com chuto ela faz gol

- não, não, não... – nego pois meu espirito de querer ganhar fala mais alto, assim que elas param de comemorar o jogo volta, passo a bola para Dan que dribla as garotas me dando tempo de ir pra perto do gol, já que as meninas do meu time não eram tão boas, mas davam pro gasto, ela chuta pra mim e lembrando tudo que meu pai já me ensinou sobre futebol, juntando com o a vontade de vencer e jogar na cara dos outros eu chuto

- GOOOOOOOOOLLL – logo as meninas do meu time gritam e Daniel me abraça, algumas meninas também o que eu aproveitei bastante hehe

- cara você joga muito! – uma loirinha fala

[…]

- perdedores – Heloísa diz para mim e Daniel, que estávamos indo onde nossos familiares estavam, ela passa na nossa frente correndo

- é, até que você joga bem – ouço uma voz bem conhecida, já que ela ficou gritando todo o jogo

- hm...-  é apenas o que eu faço, continuo a andar, Daniel já havia passado de mim também

- bem, já vi que além de mal educada, também não gosta de perder – ela diz parando, assim como eu, olho para a ruiva que tinha as mãos na cintura, respirando ofegante, confesso que ela era bastante bonita e pelo que eu podia ver gostosa também, tinha poucas sarninhas em seu rosto, mas mesmo assim ela continuava linda. É pegavel, seu único defeito é ser chata

- mal educada? – faço uma pergunta retorica – ôh mil perdões se eu não tratei bem a senhorita irritada . Pra mim cara feia é falta de sexo! – digo continuando a andar

- eu só estava sem paciência, nada contra vocês! – ela diz

- tanto faz – digo sem parar de andar

- é, você não mudou nada Tatiana – ela diz e mais uma vez eu paro, olho para trás

- da onde me conhece e quem és tu? – pergunto, ela sorri de lado

- é, vejo que você não se lembra de mim mesmo, afinal, estudamos juntas no oitavo ano até o primeiro ano do ensino médio – ela diz e franzo minha testa, olho bem pra ela – não lembra mesmo? – ela pergunta com a sobrancelha arqueada

- desculpa ruivinha mas eu não lembro nem o que eu comi ontem – digo e ela ri

- você me chamava de ruivinha, mas naquele tempo eu usava óculos e meu cabelo estava bem curto! E não era um “ruivinha” que eu queria ouvir era só pra lembrar a sala que eu era a esquecida e estranha – a olho estranho – “ruivinha esquecida, estranha e esquisita” – ela cantarola, logo isso vai ecoando pela minha cabeça como pequeno flashback , vozes conhecidas voltando a minha mente, mas nenhuma imagem, nem mesmo dela – devo dizer que você tinha bastante criatividade para inventar musicas! – ela diz e agora ela que começa a andar para um lugar oposto

- ei – chamo, ela olha para mim – qual seu nome seu nome? – pergunto

- Jennifer – ela responde e apenas continua a andar

- onde você vai? – não sei por que, mas deu vontade de perguntar

- bem, vou comprar alguma coisa pra mim – ela diz – por que? – pergunta. Paro por um tempo, pensando no que eu faria

- pode me esperar aqui? – pergunta, ela hesitante confirma. Corro para onde estava minha família

- mãe, pai eu vou ali com uma colega, depois eu volta tá bom? – digo e eles confirmam enquanto merendavam algo que trouxeram para nosso “dia em família”

- eita Tati – Helô fala comendo uma fatia de pizza

- ruivinha é – Sam diz olhando para a garota

- vocês parem, tchau, daqui a pouco eu volto – digo e volto para onde estava Jennifer

- vamos? – digo e ela confirma

[...]

- meu Deus, não acredito! Eu era um monstro – falo assim que a ruiva para de falar o quão chata eu malvada, eu era. Lembrei dela assim que ela me mostrou umas fotos nossas, de final de ano, em todas as fotos eu estava divando, lacro e deslacro, grelho e desgrelho – não achava que isso era ruim, eu não tinha nada contra você, ain gente, credo, misericórdia, desculpa eu? – pergunto olhando para ela que sorria, eu tava com a impressão que desde que fiquei com ela, ela sempre dava um jeito de olhar pra mim

- tá tudo bem, todo final de ano eu te perdoava, quando você abraçava todos, inclusive eu, quando você fazia graça pra todos na sala rirem, apenas ficou na cabeça mesmo, não se sinta mal por isso, estou bem – ela diz – ah essa é a minha preferida! – ela diz e me da seu celular logo vejo uma imagem, eu estava fantasiada de gatinha preta, enquanto Jennifer estava vestida de uma garota normal, macacão, all star, uma camisa rosa, lacinho na cabeça,seus óculos e cabelos ruivos até o ombro, tava bem bebêzinha, na foto eu estava abraçada a ela com um biquinho e olhando para ela com o olhar do gato de botas, bem minha cara fazer isso na foto mesmo eu nem lembrando

- essa foi umas das melhoras festas escolares que já tivemos! – ela diz rindo

- bem, eu tenho certeza que foi ai que eu tomei meu primeiro porre. E você só tá dizendo isso porque não foi na festa dos formandos, pra onde você tinha ido? – pergunto tomando minha água

- meus pais tinham se separado, então fui morar com minha mãe em outra cidade, até... –  diz mas para

- até? – pergunto com a intenção que ela continuasse

- até ela morrer a três meses atrás,  em um acidente de carro, agora estou morando com meu pai – ela diz sorrindo fraco

- sinto muito – digo – sinto por tudo mesmo – falo agora me referindo ao que fiz com ela, mesmo sem a intenção ruim, gente eu sou inteligente mas fui tão burra, eu hein

- tudo bem, vamos voltar pra jogar de novo? – ela pergunta suspirando

- revanche? – pergunto

- revanche


Notas Finais


COMENTEM! PELO MENOS NO MEU DIA ;-;


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...