História A garota Americana. - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 2
Palavras 780
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 2 - CAPITULO 2.


Fanfic / Fanfiction A garota Americana. - Capítulo 2 - CAPITULO 2.

Bom, chegou o momento, eu estava na porta da minha sala na escola de artes em que meu pai praticamente me obrigou a entrar. 

Ao abrir a porta me deparo com um papagaio se esgoelando:

 -Cabelo de ferruge, cabelo de ferruge - repetia ele olhando para mim.

 - Cale-se pássaro bobo - gritou um menino do fundo da sala me defendendo. Ele era lindo, cabelos encaracolados da cor de mel, olhos azuis como os meus, era alto e estava com uma camiseta dos Beatles.

 - Entre e sente-se - disse Susan boone com uma voz calma e um pouco rouca. Procurava um lugar para sentar-me, e o menino dos cabelos cor de mel me chamou para sentar ao seu lado. Sentei ao lado dele e ele logo me disse:

  - Cabelo legal.

 Eu achei que ele estava me zoando como todos os outros meninos, nunca tive tanta sorte com garotos, porém olhei nos fundos de seus olhos e pude ver que ele estava falando sério. 

- Muito o-obrigada - respondi educadamente com as bochechas coradas. 

Começamos a aula e a Sra. Boone disse para que eu desenhasse o que via a minha frente e a única coisa que via a minha frente ( que na verdade era uma pessoa ) era o menino dos cabelos bonitos ( que por acaso se chamava Bruno ).

 Ao observa-lo comecei a imaginar coisas, coisas meio estranhas para uma menina da minha idade, me imaginava beijando sua boca corada enquanto ele enfiava sua mão dentro de minhas calças. 

Quando fui ver o tempo ja tinha acabado e eu não tinha desenhado nada, nem começado a desenhar seus cabelos cacheadinhos. 

 - Deixem seus trabalhos em cima da mesa e podem ir embora. 

Que vergonha, minha tela estava completamente branca, como estava no começo da aula, sai de la sem vontade de voltar. 

 Na calçada em frente a escola, enquanto eu esperava minha empregada (Talita) que estava vindo me buscar, esbarrei com o Bruno que também estava a espera de seu pai.

 - Nos esbarramos novamente - disse ele com aquela voz excitante. Não sei o que ele tinha, mas toda vez que eu ouvia sua voz, ou sentia seu cheiro, eu me enchia de tesão, porra, esse menino é de outro mundo.

 - É mesmo - respondi envergonhada. Conversamos um pouco até que meu celular tocou, era minha empregada dizendo que não conseguiria ir me buscar tão cedo, e me disse que atrasaria umas duas horas, fiquei muito revoltada, o tempo estava mudando, em questão de alguns minutos cairia uma chuva forte e minha empregada me diz que vai se atrasar ?

 - Meu pai chegou - disse Bruno se despedindo.

 - Sorte a sua - respondi - minha empregada só virá me buscar daqui a duas horas. Ao terminar de falar uma chuva forte começou a cair e eu estava ficando toda ensopada.

 - Vamos para minha casa, depois peço ao meu mordomo que te leve embora.

 Eu aceitei, sem nenhuma maldade em mente, talvez um pouco de maldade ja que ele era um gato, mas sabia que não iria rolar nada, eu também nem queria, meu foco era Jack, o namorado de minha irmã, ele sim era o garoto dos meus sonhos. Ao chegarmos em sua casa, eu fui ao banheiro para tomar um banho quente, enquanto Bruno colocou minhas roupas para secar, e me deu uma de suas camisetas largas para vestir.

 - Você ficou bem sexy - disse ele com uma voz safada. Eu fiquei quieta, sentei ao seu lado e me acomodei. Ele começou a me contar histórias de sua vida, e eu fui vendo que ele praticamente era minha versão masculina, poxa o que estava acontecendo ? Eu só pensava em transar com ele, não me lembrava nem do rosto do Jack, isso estava me assustando. 

- Sua boca é muito bonita - falou ele com uma voz de galã ( aqueles galãs de novelas mexicanas ). A gente se aproximou e começamos a nós beijar. O clima foi esquentando bem rapido, quando fui ver ele já estava com seus dedos em minha vagina. 

Ele enfiava seus dedos enquanto beijava meu pescoço. Começou a tirar minha roupa enquanto eu tirava a dele. Subi em cima dele e ele começou a passar seu pênis em minha vagina até que eu pedi para que ele enfiasse.

Aconteceu o que eu ja previa, bom, acho que não tem nada de mais, foi só uma transa, ainda amo o Jack, e isso não iria mudar nada.

Logo após transar loucamente com meu colega de sala, liguei para Talita dizendo que eu ja estava indo embora. Ao chegar em casa fui dormir pois estava bem cansada.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...