História A garota da casa ao lado-Camren - Capítulo 31


Escrita por: ~

Exibições 1.113
Palavras 1.821
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Mistério, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi genteee ^^ cap ai novinho, boa leitura!

Capítulo 31 - Everything will be fine


Fanfic / Fanfiction A garota da casa ao lado-Camren - Capítulo 31 - Everything will be fine

[20 de Dezembro] 

Haviam se passado dois meses desde que Lauren foi presa que foi exatamente no dia do nascimento de suas filhas, sentia-se frustrada e triste por perder 2 longos meses do desenvolvimento delas, queria poder estar lá pra acorda de madrugada e niná-las até que durmam ou apenas segurá-las em seus braços transmitindo todo seu amor, estava com olheiras por causa de noites mal dormida, tinha pesadelos quase todos os dias, Chris tinha parado de visitá-la fazia alguns dias o que fazia com o que ela se sentisse cada dia mais sem esperanças, queria cumprir sua promessa e voltar para os braços de sua garota mas essa realidade lhe parecia cada vez mais distante

-eu não aguento mais passar nem um só dia aqui dentro, eu vou enlouquecer! estou terrível, estou cansada, estou com saudades de Camila, eu preciso das minhas filhas

-calma, você tem que se manter tranquila, ou pelo menos tentar, se nos desesperarmos vai ser pior, não tem nada que a gente possa fazer, estamos contando com Chris

-até ele me abandonou

-não fale assim, seu irmão não faria uma coisa dessas

-eu não sei mais de nada Keana

-precisa se alimentar, já faz três diz que não vejo você comer do almoço

-aquela gororoba? parece mais lavagem para porcos do que comida!

-mas é melhor do que ficar com fome

-não tenho sentido nada além de saudade das minhas garotas, eu não estou com fome

-se quer ver Camila e suas filhas precisa se manter de pé e só ficará de pé se você se alimentar

-agora não -deitou-se na beliche e colocou o lençol fino sobre seu rosto encarando a parede

-vai ficar se isolando de novo? fala comigo, grita, faz qualquer coisa mas não fica desse jeito

-eu só quero ficar um pouco quieta Ke, por favor respeite isso

-tudo bem então -subiu para a beliche de cima deixando respeitando o pedido de sua prima, Lauren chorava, as coisas estavam pesando demais, era como se estivesse sucumbindo

(...)

-já faz 2 malditos meses! eu não aguento mais esperar, eu não sei como ela está, não sei se está sendo bem tratada naquela porra de delegacia, Lauren não merece isso! ela não merece nada disso pelo qual está passando, nossas filhas ainda não foram registradas e isso já está sendo cobrado, não irei fazer isso sem ela, são nossas, nossas filhas!

-ei sei mi hija, posso imaginar o quando está aflita mas precisa tentar se acalmar

-SE ACALMAR? eu estou cansada de ouvir isso todos os dias, não tem como ficar calma quando a pessoa que eu amo está presa e ainda mais a quilômetros de distancia de mim

-eu tentei manter contato novamente para que deixassem ela falar contigo pelo celular mas me foi negado, o juiz está pra encerrar o processo

-ela vai ser condenada por algo que não fez? isso não faz sentido nenhum! eu preciso ir até lá, quero ir pra Miami HOJE!

-não, você não pode, já me prometeu que cuidaria de suas meninas, não pode viajar assim e deixá-las aqui, e indo até lá não poderá ajudar em nada

-mas vou poder vê-la, eu sinto tanta saudade -começou a chorar e abraçou Sinuhe

-eu sei meu amor, ela deve estar se sentindo da mesma forma, mas não podemos perder a esperança

-e se ela for condenada? o que farei? eu não quero criar Ashley e Mary sozinha

-se caso isso acontecer sabe que tem a mim e o seu pai para estar do seu lado

-NÃO! mãe você não entende, não é a mesma coisa, eu quero ela! eu quero Lauren perto de mim de novo, eu quero seus beijos, seu abraço, eu preciso.. não consigo respirar direito com ela longe, é como se nada fizesse sentido na minha vida

As duas pequeninas começaram a chorar dentro do berço e Sinuhe se aproximou

-eu sei que tudo está desmoronando agora, mas venha! olhe pra elas -Camila foi até o berço

-são fruto de um amor, do amor de vocês, use esse amor como combustível para te manter de pé Kaki

-a Mary é muito parecida com ela mama, até em relação a intersexualidade, eu sei que são gêmeas mas tem traços na Mary que não tem na Ashley, coisas pequenas, o jeitinho que ela faz bico, é do mesmo jeito da lolo

-nunca devemos perder a fé minha filha, depois irão poder olhar pra trás e lembrar desses dias tempestuosos apenas como uma batalha vencida

-acha mesmo isso?

-sim, escute a sua mãe, vai ficar tudo bem, não perca as suas esperanças, se ama a Lauren não perca as suas forças, ela costuma cumprir promessas?

-sim

-ela prometeu que voltaria, antes de levá-la me pediu também para cuidar das filhas e de ti, eu estou fazendo isso, sua missão é ter forças mais um pouco e a dela é cumprir com sua promessa, irá conseguir sair dessa

Abraçou a filha que se sentiu um pouco mais calma.

(...)

Chris não estava indo a delegacia a alguns dias porque estava resolvendo a papelada de alta de Clara na clínica, a mulher estava recuperada e não precisava mais estar ali, mas o melhor de tudo foi suas lembranças a respeito da filha, elas tinham voltado, todas elas, das felizes até as tristes, se sentia com muita raiva, a pessoa pela qual ela escolheu para se casar e dividir uma vida havia destruído a vida de Lauren.

-a gente precisa ir até a delegacia para dar o depoimento, já faz 2 meses e só a poucos dias a senhora conseguiu lembrar, está sã e isso é muito importante

-eu quero ver a minha filha o quanto antes, precisamos tirá-la daquele lugar

-ela e Keana, foi por ela que Lauren sobreviveu, ela atirou em Michael

-a gente vai conseguir, eu quero ir agora!

-tem certeza que não quer esperar mais?

-esperar o que meu filho? ela ser condenada? o juiz já deve estar tomando uma decisão sobre o caso

-vamos então!

Os dois saíram para a delegacia, conversaram com o delegado explicando toda a situação, Clara foi para uma sala reservada para ser ouvida pelos policiais e delegado, deu seu depoimento, contou sobre os abusos que Lauren sofreu de Michael e da noite em que tudo aconteceu, de Keana que atirou pra defender a prima e de como foi parar em um manicômio

-porque ela simplesmente não denunciou?

-era apenas uma criança, teve medo! e eu também tive, sei que foi o meu maior erro, poderíamos ter tomado alguma medida contra isso quando aconteceu mas não fizemos, me sinto muito culpada

-ouvimos os depoimentos de Lauren e Keana também quando foram trazidas até aqui, Lauren alegou que seu pai a encurralou com uma arma apontada para si, tentara abusar dela novamente quando seu irmão chegou para proteger e foi atingindo

-exatamente e eu tenho a marca do ferimento de bala ainda, quase morri! Lauren na verdade achou que eu havia morrido, posso mostrar a marca se quiserem -começou a desabotoar a blusa

-não será necessário por enquanto. falaram também no depoimento que Keana atirou em Michael, ela assumiu tê-lo matado

-sim, mas foi para não deixar que ele matasse Lauren! ele ia atirar na minha filha

-senhora, irei mostrar ao juiz o seu depoimento para que ele avalia juntamente com o de Keana e Lauren

-senhor delegado por favor, faça o que conseguir por minha vida, ela não fez nada! não merece estar trancafiada dentro de uma delegacia sem ter cometido delito algum, Lauren poderia ser uma pessoa terrível depois de tudo que passou, mas ela é doce, ela é carinhosa, e minha menina é maravilhosa

-tudo que posso fazer é entregar tudo nas mãos do juiz para que avalie o caso com cuidado, entraremos em contato

-me deixe vê-la!

-não está em horário de visitas

-mas eu sou a mãe, eu preciso vê-la, por favor, nem que seja por pouco tempo

-não irá mesmo demorar

Levou Clara até uma sala onde era usada para as visitas, Chris ficou esperando no lado de fora, um dos policiais foram até a cela de Lauren 

-tem alguém lá fora querendo te ver, vamos!

-quem é? o meu irmão?

-é uma mulher

-Camila! ai meu Deus, será que é a camz? -disse olhando pra Keana, se encheu de esperanças

-eu não faço ideia, vai até lá!

Saiu da cela sendo levada pelo policial até a salinha, quando viu quem era ficou surpresa, não era Camila, a pessoa que mais queria ver nesse mundo, mas era alguém importante, correu até Clara para abraçá-la

-minha garotinha!

-mãe.. você lembrou de mim!

-sim meu amor, eu lembrei e eu vou te tirar daqui, eu vou cuidar de você

-eu preciso sair, eu tenho que saber como as minhas filhas estão

-filhas? -Chris não havia contado esse detalhe

-sim, eu tenho duas meninas, gêmeas, estão em Cuba com a minha garota, é uma longa história, quando fui presa elas tinham nascido a pouco tempo, eu mal tive o prazer de segurá-las 

-eu já dei meu depoimento, o delegado entregará tudo ao juiz, vai dr tudo certo, vou conseguir te tirar daqui

-mas e se não conseguir? e se seu depoimento não foi o suficiente?

-tem que ser! eu quase perdi seu irmão e você também, eu não posso passar por isso de novo, preciso dos meus filhos bem, os dois

-eu estou tão feliz por tê-la aqui, senti tanto a sua falta mommy

-vai dar tudo certo -beijou o topo da cabeça dela e apertou a garota em seus braços envolvendo-a

Não puderam ficar ali por muito tempo, Lauren logo teve que ser levada, se despediu da mãe que tinha os olhos marejados

-eu te amo minha filha

-eu também te amo mãe!

Foi o que disse antes de ser levada de volta pra cela, contou a Keana a situação

-será a nossa chance! Laur.. a gente vai ficar bem

-e se as coisas não derem certo? e se não sair como esperamos?

-com esse pessimismo todo não vai dar certo mesmo, precisa colocar em mente que vamos passar por isso, já aguentamos 2 longos e exaustivos meses! podemos continuar firmes -ela assentiu com a cabeça

No fim do dia acomodou sua cabeça no fino travesseiro da beliche e sorriu de lado com a imagem de sua latina em sua mente, aquele sorriso que só ela sabia dar, aquela risada que fazendo todo seu corpo estremecer, e os olhos castanhos que refletia para si tudo que ela desejada pelo resto da vida que era Camila Cabello, manter-se ao seu lado, esse era o seu propósito, mal sabia que no mesmo instante em que viajava em pensamentos pensando nela, a garota fazia o mesmo, deitou-se em sua cama agarrando-se a uma peça de roupa de Lauren, levou até suas narinas para sentir seu cheiro, sabia que teria sua garota de volta para perto de si e de suas filhas.

 

-


Notas Finais


acho que não tenho nada a dizer não rs só pedir para que comentem a opinião de vocês como sempre, bjim


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...