História A garota da moto (Castiel) (Terminada) - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Ambre, Armin, Castiel, Dajan, Dakota, Debrah, Dimitry, Iris, Jade, Kentin, Kim, Leigh, Li, Lysandre, Nathaniel, Nina, Personagens Originais, Priya, Professor Faraize, Professora Delanay, Rosalya, Viktor Chavalier, Violette
Tags Amor Doce, Castiel, Romance
Exibições 801
Palavras 596
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Visual Novel
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 1 - "Incomodação"


" Com 16 anos, Kylie Meddison, fugiu de casa com apenas sua moto e uma mochila. Passou um ano inteiro, viajando pelo mundo, até que voltou. Não para casa, e sim para Los Angeles. Novamente, se matriculou na escola, alugou um apartamento e recomeçou sua vida em Sweet Amoris. Mal sabe ela, que um único garoto iria bagunçar todo seu recomeço."

Um jeans preto, uma regata branca, minhas botas, e a jaqueta de couro.
Foi o que vesti.

Corri para a geladeira, tomei um pouco de suco de uva e comi uma torrada as pressas, como sempre atrasada de novo.

Peguei o capacete e a mochila, desci as escadas e me encontrei com o porteiro, apenas acenei para ele e fui para a garagem.

Meu primeiro dia, e eu chego atrasada.

Escola... Quanto tempo que eu nem abro um caderno.

Avistei minha moto, subi e acelerei.

Como pode um veículo ser a coisa que mais amo? Sorri.

...

Logo que cheguei, comecei mal. Estacionei a moto, e fui até a sala do tal representante.

— Alguém aí? — Perguntei já entrando na sala.

— Ah! Bom dia! Você é a...

— Kylie Meddison...

— Isso Kylie. — Disse o garoto loiro. — Me chamo Nathaniel. Muito prazer. — Mexeu em alguns papéis e me entregou um. — Aqui. Você veio buscar isso, não? Como você está atrasada, os use. Sua aula é na sala A, com o professor Faraize. — Falou e voltou mexer nos papéis.

Simpático, mas ocupado. Confesso que não é feio. Despedi-me e fui a procura da tal sala. Logo a encontrei.

— Oi... — Falei e todos que estavam concentrados, olharam para mim. Em especial um garoto de cabelos vermelhos, com os pés em cima da classe, que quando olhou para mim, riu da forma mais pervertida que eu conheço.

— Ah sim! — Disse o professor levantando e me puxando para frente. — Turma, essa é a nossa nova colega. Kylie Meddison... Por favor, se apresente!

Eu já odeio esse tal Faraize.

— Ahm... Chamo-me... Kylie... Tenho 17 anos. Gosto... De ouvir música... E... Da minha moto. — Falei, tenho certeza que fiquei corada e sentei no primeiro lugar vazio que encontrei.

...

O resto da aula foi... Normal? Conheci algumas pessoas, em especial: Alexy e Rosalya eram meio doidos, mas os adorei. Lysandre e Kentin também eram bem divertidos.

Cheguei onde estava a minha moto, e recoloquei minha jaqueta que eu havia tirado.

Subi, e novamente acelerei. Fiz questão de ir o mais rápido possível pra casa.

Tinha me esquecido como a escola podia ser entediante.

No corredor do prédio só podia ouvir o som das minhas botas sem salto. Com apenas uma alça da mochila colocada, destranquei a porta.

Mas quando estava prestes a entrar, o som de uma risada invadiu meus ouvidos.

Virei-me e na porta da frente, encontrei o incrivelmente alto garoto de cabelos vermelhos e sorriso pervertido, encostado com os braços cruzados e uma perna na parede.

— Oi... Kylie.

— Oi... — Estreitei os olhos.

— Castiel. — Respondeu agora descruzando os braços. — Parece que somos vizinhos.

— Para o meu azar. — Respondi.

— Nossa... Quando o seu humor melhorar, pode vir me visitar. — Falou entrando e segurando a porta.

Mostrei o dedo do meio e dei um sorriso de canto.

— Pode esperar sentado querido. *Sarcasmo* — Entrei e bati a porta.

Droga...

Já vi que vou me incomodar.

— A educação mandou lembranças! — O ouvi gritar.

— A privacidade também, idiota. — Gritei e fui para o meu quarto.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...