História A garota da moto (Castiel) (Terminada) - Capítulo 23


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Ambre, Armin, Castiel, Dajan, Dakota, Debrah, Dimitry, Iris, Jade, Kentin, Kim, Leigh, Li, Lysandre, Nathaniel, Nina, Personagens Originais, Priya, Professor Faraize, Professora Delanay, Rosalya, Viktor Chavalier, Violette
Tags Amor Doce, Castiel, Romance
Exibições 324
Palavras 693
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Visual Novel
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 23 - "Não podia ter feito isso, Alice"


Quando o beijo ia ficando cada vez melhor a porta atrás de mim é aberta e eu me viro bruscamente.

Castiel solta um sorriso abafado, e segura minha cintura de lado. — Lysandre... O que faz aqui?

Ele sorriu, ao nos ver. — Achei sinceramente que nunca mais veria isso. Estou feliz por vocês. — Antes que pudesse argumentar ele continuou. — Temos um grande problema com a banda Castiel. A imprensa e meio mundo acha que a Kylie faz parte dela agora e querem vê—la no show de hoje, já que é o último. Inclusive o nosso agente.

— Droga. — Murmurou Castiel. — Temos que dar um jeito de explicar o que aconteceu. Kylie não quer fazer parte da banda.

Eu comecei a pensar e fiquei ouvindo os dois discutirem. Até tomar uma decisão. — Lysandre, Castiel, eu vou fazer esse show com vocês.

....

Olhei meus cabelos, recém pintados de vermelhos pela estilista, que decidiu ser bom ficar parecida com o vocalista.

Mordi o lábio inferior ainda de frente ao espelho. Nem acredito que farei isso.

— Senhorita Meddisson, cinco minutos. — Falou uma garota loira entrando na sala.

Respirei fundo, ao contrário do festival era um show inteiro. Eu não sei nem se vou me lembrar das músicas.

Sai do camarim e fiquei em uma sala atrás do palco. Quando vi um garoto de cabelos loiros se aproximando, nem acreditei. — Dake? Dake! — Eu o abracei apertado e vi Castiel se encostar na porta nos olhando. — O que está fazendo aqui? — Perguntei depois que nos soltamos.

— Alguém tem que cuidar dos shows gata. — Disse piscando o olho.

— Olha a intimidade... — Disse Castiel, eu finge que não ouvi.

Ficamos um tempo conversando, nós três. Me senti em Los Angeles por um tempo.

....

Eu estava nervosa e minhas mãos soavam. Finalmente, a parte gravada da música começou.


My condolences
I'll shed a tear with your family
I'll open a bottle up, pour a little bit out in your memory
I'll be at the wake dressed in all black
I'll call out your name, but you won't call back
I'll hand a flower to your mother when I say goodbye
Cause baby you're dead to me

Assim que acabou, eu entrei, vendo que os meninos haviam acabado de virar e pude ouvir os gritos.

I need to kill you
That's the only way to get you out of my head
Oh I need to kill you
To silence all the sweet little things you said
I really want to kill you
Wipe you off the face of my earth
And bury your bracelet
Bury your bracelet
Six feet under the dirt

Rainy days and black umbrellas
Who's gonna save you now
Can you cheat from underground?

 

I need to say sorry
That's the only thing you say when you lose someone
I used to say I'm sorry
For all of the stupid shit you've done
So now I'm really sorry, sorry for being the apologetic one
But if I told you I cared, if I told you I care
You would think I was crazy

....

— Você foi incrível amiga! Super arrasou. — Gritou Alice, ao me ver saindo do palco e já me abraçando.

— Cadê o Junior?

— O Junior ele... — Ela olhou para baixo. — Ele não veio, Ky... É que o pai dele faleceu ontem à noite, saímos às pressas da festa. Ele está até agora na empresa dos pais.

— O que? Vocês não me ligaram, não falaram nada! Você não me falou nada, Alice! É do Junior que estamos falando! — Eu gritei, e peguei a jaqueta de Lysandre que estava em cima do sofá atrás do palco. — Não podia ter feito isso comigo.

— Kylie, não, você está de cabeça quente! — Eu a ignorei e fui correndo até a saída dos fundos.

Com o capacete, ninguém ia me reconhecer. Eu saí correndo com a moto, com o caminho da empresa traçado em minha mente.

Eu estava com raiva da Alice, ela sabe o quanto me importo com o Junior, e escondeu isso de mim. Ela acha que Junior pode aguentar tudo, mas ele não pode.

Entrei em uma das ruas que considerava a mais rápida, eu precisava falar com o Junior.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...