História A garota de óculos •| Imagine Kim Taehyung |• - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Imagine Kim Taehyung
Visualizações 690
Palavras 1.507
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Estupro, Heterossexualidade, Mutilação, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oiee pessoinhas♡
Então meu povo, ontem, eu não postei cap, pq eu cheguei em casa muuuto cansada, e ainda tive que fazer tarefa da escola, ent n deu, mas me desculpem... mesmoo, é que realmente n deu, espero que entendam.
Em fim, fiquem com o cap♡ nos vemos lá embaixo \(^^)/

Capítulo 10 - Sunhee


Fanfic / Fanfiction A garota de óculos •| Imagine Kim Taehyung |• - Capítulo 10 - Sunhee


POV. (S/n)


Ficamos ali, apenas abraçados. Depois de um tempo ele se separou de mim, se apertou minhas mãos 

- conta comigo pra tudo viu ? Pra tudo mesmo. Eu vou estar aqui com você. Você  vai conseguir... vai superar tudo isso... - ele me olhava sério, seu olhar estava mais para... sinceridade, ele realmente acredita que tudo pode melhorar. Espero que esteja certo.

- obrigada tae - falei sorrindo. Fiquei feliz de poder contar tudo a ele, me sentia mais leve, era como se tivesse tirado um peso  das costas, e agora podia dividí-lo com ele.

- sabia que eu amo esse seu sorriso? - ele disse rindo

- ah é? - eu ri e ele me encarou - por que ?

- eu não  sei. Me faz sentir feliz te ver sorrindo - ele pegou meu óculos e pôs no rosto - eu simplesmente gosto de te ver feliz... - ele sorriu, aquele sorriso quadrado mais fofo do mundo.

- eu também  gosto do seu sorriso! É  o mais quadradamente ( A: nem sei se essa palavra existe) fofo que eu já  vi - disse apertando suas bochechas e ele logo fica corado. - obrigada tae - o abracei - por tudo... 

Nós  conversamos um pouco sobre o assunto. Ele me perguntou sobre se eu gostava ou não  de falar sobre isso, e se eu falaria pra mais alguém  além  dele.

- entao ____, você  pretende contar a mais alguém sobre isso?

- a quem mais eu contaria?

- ah, eu não sei, os... meninos talvez ? - ele abaixou o olhar - isso... pode afastar o jimin de você. 

- não  tae. Não  quero afastá-los de mim - ele me encarou com os olhos arregalados - tudo que essa historia fez durante a minha vida inteira, foi afastar as pessoas de mim - agora ele parecia entender melhor o que eu quis dizer - E agora que..eu finalmente tenho alguns amigos... não  quero perdê-los. Mesmo o jimin, eu quero tentar conversar com ele... afinal, ele não  pode ser de todo mal ne... - falei e ele encarou o chão  e suspirou, me olhando novamente.

- Você tem razão. Apesar de eu não  achar que os meninos se afastariam de você, entendo o seu lado. Mas... quanto ao jimin... e melhor ter cuidado, ele pode ser mais do que você  está  pensando.

- hm... entendi. Mas mesmo assim, eu quero tentar.

- tudo bem então - ele sorriu - se quiser eu vou com você  falar com ele.

- obrigada. - sorri

Estávamos tão  entretidos na conversa, que nem oercebi a campainha tocar. Quando me dei conta, a pessoa estava tocando seguidamente, então  eu finalmente me lembrei, do que eu realmente estou fazendo aqui. 

- quem é? - tae perguntou olhando para a porta, se atentando ao som da campainha.

- então - falei ligando a tela do meu celular e vendo o horário. 15:00 da tarde - lembra do meu real motivo de... ter vindo pra Coréia? - falei um pouco envergonhada. Ele assente com a cabeça - então,  a essa hora, de ser a minha... - fiquei pensando em uma palavra, mas uma só  não  dá - psquiatra/terapeuta/médica/segunda mãe coreana. - ele me olhou confuso e riu - ela vai vir todas as quintas feiras pra... sabe, me... "ajudar". Minha mae me explicou, que dependendo do dia e do momento, ela vai pasaar a tarde inteira comigo, ou até  mesmo dormir aqui.

- hm, entendi. Vamos atender então  né ! - ele disse já  se levantando e abrindo a porta, me fazendo lembrar que a coitada da mulher ainda está  lá  embaixo.

- Ah, Verdade né! Hahha.

Nos descemos até  a sala, e abrimos a porta. Era uma mulher bem branquinha, tinha cabelos castanhos e compridos, e estavam presos em um rabo de cavalo soltinho. Ela usava um vestido azul claro um poico acima dos joelhos com uma jaqueta jeans, e aparentava ter em media uns 33, 35 anos. 

- boa tarde, você  seria a (S/n) ?

- sim, eu mesma.

- muito prazer, sou Sunhee - ela disse me cumprimentando

- o prazer é  todo meu - falei e demos um aperto de mãos - entre por favor.

- com licença - entramos e nos sentamos no sofá - e você, quem é? - ela falou sorrindo pro tae.

- sou amigo dela - respondeu devolvendo o sorriso.

- hm, entendi. Então ___, como você  já  deve saber, eu vou ser a sua... "tutora" podemos dizer assim - ela galou e me explicou algimas coisas sobre como funcionariam os horários, as visitas, e o "tratamento" em sí. - e então, podemos começar? Ela perguntou levantando.

- claro!

- certo. Eu gostaria de ter uma conversa com você  primeiro, mas preciso qie seja a sós - ela olhou pro tae - Tudo bem pra vocês?

- claro, pode deixar que eu saio- tae falou já  se levantando 

- não tae, pode ficar. Nós vamos la pro jardim, tudo bem hee?

- onde você  preferir.

Nos levantamos e fomos.

(...)


POV. TAEHYUNG 


Elas saíram da sala, me deixando sozinho no sofá  enquanto conversavam no jardim. Admito que fiquei curioso.

(...)


Aproximadamente meia hora depois elas voltaram, ____ estava com uma cara meio indecifrável, n sei se ela estava feliz, aliviada, chateada, normal, sei lá. Então  ela sentou no sofá  e sorriu pra mim. Logo em seguida, a hee me chama.

- Taehyung né? - assinto com a cabeça - poderia vir aqui um instante? Preciso falar com você  um pouco também. - ela disse me chamando indo em direção  ao jardim, e eu a segui. Chegamos e nos sentamos em uma mesa e ela começou.

- bom Taehyung, eu estava conversando com a ___, escutando o que ela tinha a dizer, sobre tudo que aconteceu, e sobre seu trauma. Imagino que você  saiba do que estou falando certo?

- sim, pra falar a verdade, ela tinha acabado de me contar quando a senhora chegou. 

- eu sei disso, ela me falou. Bom, eu tenho como um metodo, ouvir duas vezes a "historia de vida" de meus pacientes. Uma contada pelos pais, e a outra por eles proprios(A: os pacientes). E posso dizer, que o caso da ____ não  vai ser fácil, e eu vou precisar da sua ajuda. - ela me encarou séria. 

- pode falar.

- muito bem. O caso dela é  complicado tae, e como você  é  praticamente o unico aqui que ela tem como amigo próximo, você  vai ter que estar sempre atento a tudo. Todos, todos os minimos detalhes sobre ela se quiser que ela supere tudo isso. Ela passou por muitas coisas, e o processo vai ser um pouco demorado. Ela precisa de atenção, o maior dos problemas de tudo isso, foi que ela passou 6 anos convivendo sozinha com isso, sem poder contara ninguém, o que sentia, seus medos, desabafar. Se ela tivesse tido, uma pessoa pelo menos, o estado não  seria tão  ruim. - eu ouvia cada palavra com a maior atenção  possivel - quero que saia com ela, leve-a para sair, pasaar o tempo, o que for, qualquer coisa que faça ela se sentir cuidada e amada, e que além  de tudo desvencilhe ela de suas memórias, com principal objetivo de fazê-la ir esquecendo aos poucos tudo de ruim que aconteceu. Ela vai precisar de alguns remédios  também, tais que podem causar efeitos colaterais de vez em quando, ou ate mesmo o corpo não  se adaptar, e ela ter reações  negativas. Então  terá que observar tudo isso, se esta tomendo nos horarios, os efeitos que estão  causando, se ela está  se alimentando direito, tudo, tudo é  importante para que funcione. Eu só  estarei com ela nas quintas, então dificulta essa parte pra mim, mas você  estuda com ela, e mora na casa ao lado, então  será  mais fácil. A minha perte nisso tudo, será medicá-la, conversar, instruir, e   fazê-la entender, mental, e fisicamente, que o que aconteceu, não  foi culpa dela, Ela foi a vitima na historia, e precisa entender isso. Enquanto isso não  acontecer, nada adiantará. Tudo se baseia basicamente em maneiras de tirá-la da sua vida antiga, de suas lembranças. Para que ela entenda que ela não  foi a errada, tudo isso por meio de terapias - ela falou fazendo uma pequena pausa - e...  

- e o que ? Perguntei já  um pouco assustado com o que poderia vir

- por causa do estupro, ela nunca vai conseguir perdrr o medo

Até  que tenha uma relação sexual com uma pessoa que ela ame de verdade. 

Essas palvras...foram como...um tiro pra mim.

- ela foi forçada a fazer aquilo. E enquanto não  o fizer por livre e espontanea vontade, com alguém que acima de tudo, precisa ser extremamente cuidadoso e carinhoso com ela, que faça ela se sentir segura ao fazer,  e que realmente a ame...  ela não  estará  realmente livre. Ela precisa sentir... ela precisa compreender a diferença, entre ser forçada, e entre ser amada. Você  entendeu ?

- entendi. - na verdade, eu não  sei por que ela falou dessa questão  sexual comigo, afinal eu não sou...ahr, esquece.

-Posso contar com você 

- sim.


ótimo.  Esteja preparado, pois não  sabemos o que vem pela frente. Mas o que quer que seja, não  será  facil...







Notas Finais


Scrr, esse demorou um mês.
Gnt, serio, EU JA DISSE Q AMO VCS NÉ? ta bom, mas vou dizer de novo.
EU AMO VOCÊS!!! sério, muito obg pelos favs, pelos comentarios, pelas vizualizaçoes, por tudoo, obrigada mesmo galerinha♡
Desculpem o cap estar meio ruinzino, e que eu tinha meio que "introduzir" a segunda parte da historia. espero que tenham gostado🖤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...