História A Garota Do Calendário: Janeiro (Camren) - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais
Tags Camren
Exibições 182
Palavras 880
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ficção Científica, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi, bom dia! E aí, estão querendo hot? 🔥🔥🔥😈 Quero falar que, quando tiver uma cena HOT, eu recomendo ouvir músicas, sabe essas de Casais Shippers, tipo vídeo de Camren HOT sempre tem música! Por isso, recomendo essas músicas: The Weeknd- Earned It, Sofia Kalberg-Crazy In Love, Ariana Grande- Dangerous Woman.
Eu sempre leio hot com essas músicas, se tiverem alguma pra recomendar, deixe nos comentários! 😀❤❤🔥🔥😈😈 BORA POSTAR MAIS UM?

Capítulo 8 - Capítulo 8


O calor do fogo aqueceu a parte da frente do meu corpo, e, quando pensei que morreria com a expectativa, uma carícia, leve como uma pluma, começou em minha nuca, descendo pelo pescoço e se movendo lentamente pela coluna, tocando cada curva e saliência. Ofeguei ao sentir que o mesmo calor que me envolvia na frente atingiu também minhas costas, mas não vinha da lareira. O cheiro de mar e de mulher permeava o ar ao meu redor, e eu fechei os olhos. Quando o toque leve ficou mais intenso, a mão de Lauren segurou meu braço e me puxou para ela. Pele contra pele.

Pude sentir sua respiração em meu pescoço quando ela afastou meu cabelo para o lado. O outro braço me envolveu, e uma mão forte apertou um seio nu assim que seus lábios tocaram a base sensível do meu pescoço.

Não pude evitar. Gemi no momento em que o polegar e o indicador pressionaram a ponta dura, enviando ondas de excitação por todas as minhas terminações nervosas.

— Linda, nós precisamos definir algumas regras básicas. — Sua voz era um murmúrio contra minha pele. Ela girou a língua sobre um ombro e deu uma mordida. Eu gemia.

— Regras básicas? — Mal consegui pronunciar as palavras enquanto desfrutava de seus dedos talentosos puxando e esfregando meus mamilos.

Meu corpo estava em estado de alerta máximo, suas mãos massageando e acariciando meus seios à medida que aqueles dedos implacáveis provocavam em cada mamilo uma doce tortura.

— Regra número um: vamos fazer uma quantidade insana de sexo este mês. — Ela pressionou as duas pontas ao mesmo tempo, com mais força. Gritei em êxtase, o calor entre minhas pernas encharcando o fio de tecido que eu usava.

— Isso é uma regra? — perguntei, sem fôlego, inclinando-me mais em sua direção, pressionando a bunda contra sua grossa ereção. Me pareceu uma regra boa demais.

Lauren gemeu e contra-atacou, torcendo meus mamilos e adicionando uma quantidade perfeita de dor ao prazer.

— Regra número dois: enquanto estivermos juntas, somos apenas eu e você. Pelo mês inteiro nós vamos ser monogâmicos.

Mordi o lábio e me concentrei em movimentar os quadris, pressionando o que eu podia sentir que era um pacote bastante impressionante.

— Concordo.

Ambas as mãos se afastaram do meu peito por um instante para em seguida voltar, meio molhadas. Elas deslizavam suavemente em cada aréola e eu derreti, quase incapaz de me manter em pé.

Ela deve ter sentido minha instabilidade e se mexeu para colocar um braço ao redor da minha cintura, me prendendo, mas manteve a doce sedução em meus seios. Caramba, a mulher era minha nova heroína. Se ela continuasse com aquilo, eu gozaria sem sequer ter sido penetrada. Estendi um braço para trás, segurando-o pelo pescoço, curvando meu corpo em sua mão, desejando demais beijá-la, mas seu aperto em minha cintura e a pressão firme de seu corpo em minhas costas me impediram.

— Regra número três: nós nunca vamos dormir na mesma cama. Não queremos confundir isto com algo que não é. Eu gosto de você, Camila. Muito. Não quero magoá-la fazendo você acreditar que estou em condições de ter um relacionamento. Tudo bem? — A mão que estava em minha cintura se moveu para baixo, muito baixo, até que estava ali, bem onde eu mais queria.

— Ah, puta merda, entendi — eu disse, mexendo os quadris contra seu dedo em movimento. E eu entendia. Nós queríamos a mesma coisa: amizade e alívio físico. Ela riu contra meu pescoço, os sopros de ar movimentando meu cabelo. De repente ela me virou, caiu de joelhos e desceu minha calcinha. Ela ficou presa em meus tornozelos, já que eu não havia tirado os sapatos. Quando meu olhar se fixou no seu, ela me abriu com os polegares, tocando-me com a língua, descendo direto para o clitóris.

— Oh, oh, oh. — Fui relegada a monossílabos e nada mais.

Entre lambidas, eu podia jurar que ela começou a falar. Meu cérebro teve muita dificuldade para entender, mas finalmente ela se afastou e eu voltei a lhe dar total atenção, agarrando seu cabelo, tentando empurrá-la de volta para minha fenda sensível.

— Regra número quatro. — Seus olhos brilharam e ela inalou meu cheiro. Em seguida lambeu os lábios, como se estivesse degustando uma iguaria em um banquete. — Nunca se apaixonar — disse com um sorriso, sugando então a protuberância pulsante, passando a língua na ponta.

Quase caí. Inclinei-me para trás, e ela me ajudou a me deitar na cama, com as pernas balançando sobre a beirada, abrindo-as ao máximo — com ele entre elas.

— Isso pode ser impossível... — sussurrei, enquanto sua língua se movia sobre meu sexo. Eu estava no limite quando ela parou no meio de uma combinação perfeita da língua e do dedo em ação. Gemi alto.

— Como é? — ela disse, a voz firme como o fio de uma navalha. Segurei seus cabelos e me apoiei nos cotovelos.

— Relaxa, Lauren. Estou apaixonada pela sua língua. Agora retome a ação e me faça gozar para que eu possa retribuir o favor.

O sorriso mais sexy que já vi surgiu em seu rosto.

— A melhor decisão que eu tomei na vida foi contratar você. — Ela lambeu os lábios e se inclinou para se deliciar na carne molhada. Levantei os quadris.

— Prove — desafiei. E ela o fez, repetidas vezes.


Notas Finais


Se acalmem, pois eu disse que o sexo vai rolar daqui alguns capítulos, isso só foi um aquecimento, kkkkkkk. Eu também quero regras da Lauren gente, kkkk. 😂😂😂😈😈😈😅😅😅😅🔥🔥🔥🔥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...