História A Garota Dos Meus Sonhos - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags A Aposta, Colegial, Fanfic, Garota, Revelaçoes, Romance, Shoujo
Exibições 8
Palavras 961
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Esporte, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Poesias, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Dizem que sou engraçada, vocês acham? Então, tô postando até minha bateria acabar. Esse capítulo é o master da noite. Espero que gostem!
Amo vocês. 💖
Leiam as notas finais.

Capítulo 14 - Eu estava esperando vocês...


Fanfic / Fanfiction A Garota Dos Meus Sonhos - Capítulo 14 - Eu estava esperando vocês...

Caio a olhou malicioso, logo depois lançou um sorriso perverso em minha direção. Ele era realmente o meu amigo?

-Calma docinho, fique caladinha e seja defendida pelo seu fiel advogado...-ironizou.

Isabella se encuralou entre as pilastras um tanto receosa, eu diria. Olhei para ele, expressando todo o meu ódio presente naquele momento.

-Nós só estavámos brigando por causa das nossas revistas.-inclinei um olhar malicioso para que ela interpretasse e se esquecesse da confusão, Caio pareceu entender o recado.

-Aquelas revistas horríveis de mulher pelada?-arregalou os olhos.

-Sim, Isa. Aquela revistas picantes que os homens têm.-toquei seu ombro de leve tentando disfarçar.

-Eu não quero saber mais, tudo bem? Isso foge abruptalmente do meu interesse.-suspirou, mas se rendeu a uma curta risada. Depois disso, deu-me um beijo singelo e saiu em direção ao clube de teatro, segundo ela.

-Essa garota é insuportável.-Gabriel rolou os olhos.

-Concordo, quando você foi comê-la vocês rezaram quantas vezes o Pai Nosso?-Caio brincou, arrancando uma risada de Heitor e Gabriel. Felipe estava longe do grupo, e tudo isso por causa de mim. Afinal, quem vai gostar do cara que roubou sua namorada? Eu não o culpo por querer me matar.

-O Felipe está tão distante.-Caio comentou repentinamente como se houvesse lido meus pensamentos.

-Ele escolheu se afastar.-dei de ombros.

-Você pegou a garota dele, cara!-Gabriel disse e eu respirei fundo.

-Isso é passado. Vamos esquecer. Eu estava bêbado Gabriel, e na hora nem percebi que era ela...-menti, pois eu tinha realmente um caso com ela.

-Pedro, nós sabiamos muito bem que vocês transavam escondidos. E ainda mais, como lebres.-Gabriel brincou e eu balancei a cabeça.

-Ah, lembra daquela vez que você transou com ela em cima do fogão? Pareciam dos cachorros no cio.-Caio começou a gargalhar. 

Neste dia, Felipe descobriu o nosso "caso" eu diria que foi um dia fatídico pois ele ficou alucinado quando nos viu...transando explicitamente.

-Ah, droga! Vocês deviam escrever um livro meu. "As transas do Pedro", me deixem seus brochas.-e depois disso, peguei minha mochila.

E então, o sinal tocou indicando o início das aulas. No meio do corredor, encontrei Isabella. Nós nos demos as mãos e fomos até a sala assim, algumas pessoas olhavam e cochichavam. Mas eu pouco importava, eu só queria estar com ela. Mas o medo que eu tinha se ela descobrisse sobre a aposta era grande. Era enorme. Eu jamais aceitaria perdê-la.

-Isa, o que você mais gosta em mim?-aproveitei que a professora de quimíca não estava atenta.

-Eu gosto de absolutamente tudo.-sorriu animada e eu apertei suas bochechas.

-Mas me diga, sério. Meus olhos? minha boca?Ou será que do meu...-arqueei minhas sobrancelhas malicioso.

-Eu gosto muito dos seus olhos porque quando você sorri eles brilham como a luz do luar.-debochou, dando língua.

-Palhaça...-brinquei.

-Sério que você vê aquelas revistas nojentas?-fez uma expressão de repulsa.

-Quando dá vontade eu dou umas curtas olhadinhas.-ela me olhou apavorada.

-Por que você vê se você pode fazer comigo?-ela perguntou tão inocente, não notando o que acabara de dizer. Quando finalmente se deu conta, consertou.

-Não! Não estou dizendo isso...eu, eu só fiquei com ciúme de você ver outras mulheres peladas.-consertou-se com os olhos pregados no chão. Gargalhei imediatamente.

-Ciúmes?-perguntei, rindo e trazendo seu queixo para mais perto dos meus lábios. Mas a professora notando a balbúrdia que se encontrava a sala de aula, nos chamou a atenção rapidamente.

[...]

Antes de sair da escola, observo Caio falar com alguém pelo telefone. Ele parece estar cauteloso e vigiando minunsiosamente. Quando me avistou, desligou o celular rapidamente.

-E aí, Pedro? O que acha de ir lá em casa hoje? Vou chamar a galera, aproveita e chama a Madre Tereza de Caucutá.-debochou e eu acabei rindo dessa vez. 

-Que horas?

-Duas e meia.-concluiu, indo em direção ao seu carro.

Cheguei em casa faminto. Ao ver minha mãe cozinhando, fiquei extremamente feliz. Ao ver novamente o brilho em seus olhos e principalmente ao vê-la cantando e sorrindo com tanta paz e harmonia trouxe um sentimento de alegria para mim. Pois a felicidade da minha mãe era o mais importante.

-Por que está tão feliz assim, dona Lindgreen?-perguntei, apoiando meus braços na bancada da cozinha.

-Eu não sei se devo te contar agora mas...eu conheci alguém, filho.-disse, e naquele momento um pouco da minha alegria entrou em um buraco profundo da terra.

Seria egoísta dizer que não gostaria que minha mãe arranjasse um namorado, pois ela tinha todo o direito de se relacionar com quem quiser. Mas como filho homem, eu me sinto enciumado ao imaginá-la com outro homem além do meu pai.

-Eu quero que você seja feliz mãe. Só não escolhe um velho babão se não eu mando vocês dois pro asilo.-brinquei.

-Ah, Pedro. Com isso que você se preocupa? Ele é um coroa sarado com estilo motoqueiro.-ela suspirou como se estivesse o vendo naquele instante.

-Mãe, qual rango de hoje?-bati na bancada da cozinha, rapidamente me surpreendendo com um prato de peão preparado por ela mesma.

-A lombriga tá de quanto meses?-ela perguntou debochando de mim, novamente.

-Você sabe que eu preciso de bastante energia para fazer muitas coisas...-sorri malicioso. Rindo de sua expressão assustada.

-Me poupe dos detalhes, Pedro.-ela saiu da cozinha, toda rebolativa.

-Onde a senhora pensa que vai?-perguntei, com a boca cheia.

-Vou deletar minhas contas no Badoo, Tinder e ParRomântico.-acenou para mim, subindo as escadas rapidamente.

A minha mãe nem parecia mais a mesma, voltara a ser como antes. Engraçada, extrovertida, animada...e aquilo me deixava muito feliz. Confesso que estava animado para conhecer meu padrasto. Tomei uma ducha rápida disposto a descansar e ir à casa de Caio que ficava a poucos quarteirões.

[...]

Passei em frente à casa da Isabella e agradeci mentalmente por ela já estar me esperando na esquina. Ela entrou no carro e me deu um selinho rápido. Estacionei rapidamente, toquei a campainha esperando que Caio atendesse. Do vidro da janela, observei ele novamente ao telefone. Achei aquele comportamento estranho, ele com certeza escondia algo de nós.

-Eu estava os esperando.-ele abriu a porta com um enorme sorrito.

Estranho e extremamente peculiar.




Notas Finais


*Badoo, ParPerfeito e Tinder são aplicativos e sites para buscar um parceiro para relacionamento amorosos. Só para quem não sabia.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...