História A garota dos meus sonhos - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Percy Jackson & os Olimpianos
Personagens Personagens Originais
Visualizações 79
Palavras 734
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Amores muito obrigada pelo feedback. Mais um capítulo pra vcs e como eu nao aguento muito ainda essa semana postarei outro!

Capítulo 3 - Capítulo 3


             Percy Jackson

Ir aquela cafeteria se tornou minha melhor rotina, ver Annabeth todos os dias era um vício. As vezes me pegava imaginando como era o rosto dela ao acordar, os olhos inchados e lentos, a pele quente o cabelo bagunçado sobre o meu peito e opa, decidi parar porque estava ficando duro com as imagens que se seguiram no meu cérebro. Ainda estávamos chegando em Agosto e cada dia mais próximo do meu aniversário de trinta anos, caralho, ainda não acostumei. Eu normalmente trabalharia e depois ficaria no meu apartamento mesmo, talvez mamãe e papai viriam me ver em algum momento do dia e seria apenas isso. Olhei pela janela ao meu lado e desejei que eu não fosse tão bundão e tivesse coragem de convidar Anna pra sair. Todos os dias conversávamos um pouco mais ela ainda era um mistério pra mim, como alguém tão jovem e bonita e ao que me parece bem inteligente e perspicaz fica perdendo tempo nessa cafeteria ao invés de ir trabalhar em algum escritório.

Hoje eu fui atendido por outra garota, desde que cheguei não vi minha loira em lugar nenhum e isso me deixou bem emburrado. Até o café parecia amargo hoje.

- Ora, quem eu vejo aqui se não o meu surfista preferido! - Uma voz muito conhecida por mim falou perto. Hermes sai de lugar nenhum atrás de mim e botou no meu ombro. - Percy que prazer revê-lo.

- Hermes – me levantei para cumprimentá-lo – saudades de você. Há quanto tempo não conversamos! - Tentei soar animado.

- Você não parece com a cara muito boa. - Hermes conseguiu depois de cinco minutos de conversa sentado à mês comigo. Algum problema com a comida ou com o atendimento?

- Não, de maneira nenhuma é sempre um prazer comer aqui. - Fiquei na dúvida se seria muita bandeira perguntar por Annabeth, mas... eu já disse que sou um filho da mãe que merece se fuder numa tentativa de relacionamento fadada ao erro? - Sabe, você tem uma funcionária nova, certo? - O cretino ousou sorrir.

- Annabeth Chase. - Ele sorriu de novo. - Algum problema com a garota?

- Nenhum prolema, na verdade. Ela é perfeita. Perfeita no sentido de completamente perfeita. - Acho que exagerei nas palavras, até eu me assustei. Quase um mês conversando com Annabeth e eu já estava caidinho por ela e por seu senso de humor rabugento. A garota tinha vinte e quatro mas parecia uma idosa quando queria reclamar. - Ela é uma excelente funcionária – clareei a garganta.

- Tudo bem, já entendi. Mas infelizmente Annabeth não está aqui. - Hermes baixou o olhar e senti meu estomago rejeita toda a comida nele e tive de me segurar para não esbravejar com Hermes por deixá-la ir.

- Como assim? Onde ela foi? - Tentei manter a calma.

- Percy, Annabeth mora em aqui em Manhattan, mas na verdade ela é de São Francisco, seu pai ainda mora lá. - Hermes pareceu pensar no que falar. - A mãe de Annabeth era minha irmã, ela faleceu deixando Annie com o pai aos sete anos e ele – Hermes pensou – bem, ele não soube lidar com o falecimento dela e entrou numa profunda depressão e começou a beber, Annabeth conviveu com isso desde cedo. Ela sempre quis ser arquiteta assim como a mãe era. Seu pai era um homem bom, professor de História superinteligente, ele tá se recuperando bem agora que já se passaram vários anos, até voltou a dar aulas e se livrou do vício repentino que ele antes nunca teve, Annabeth foi visitar Frederick.

- Que barra. - Foi a única coisa sensata que consegui dizer.

- Agora ela veio pra cá tentar terminar os estudos e receber o diploma de arquiteta. Ela trabalha aqui pra pagar o apartamento que fica há alguns quarteirões e se manter. Sendo tio eu a ajudo um pouco mais e facilito seus horários pra ela poder estudar a tarde ou a noite. - Sorrio pra ele quando termina.

- Isso é muito generoso da sua parte, Hermes. - Meu coração agora senti um pesar terrível e eu desejo ainda mais aquela mulher.

- Espero que esse interesse seja recheado de cuidado Percy Jackson. - Hermes sorriu nada amistoso, tocou meu ombro de leve e saiu da mesma forma misteriosa que chegou.

Acho que to muito fudido.


Notas Finais


Me digam se estão gostando!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...