História A Garota dos Olhos Azuis I - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias Emily Rudd, Harry Potter
Personagens Alvo Dumbledore, Bellatrix Lestrange, Dolores Umbridge, Draco Malfoy, Harry Potter, Hermione Granger, Lord Voldemort, Neville Longbottom, Personagens Originais, Ronald Weasley, Severo Snape, Sirius Black
Tags Alyson, Alyson Black, Black, Harry Potter, Jessie, Jessie Malfoy, Remus Lupin, Sirius Black
Exibições 176
Palavras 732
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Científica, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Terror e Horror, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Eu li esse capítulo com a música The Last Night, da banda Skillet.

Boa leitura.

Capítulo 17 - A capa de invisibilidade e eu o amo?


Fanfic / Fanfiction A Garota dos Olhos Azuis I - Capítulo 17 - A capa de invisibilidade e eu o amo?


Narrando: Alyson Mendes Black 

Eu andava rapidamente pelas ruas do beco diagonal, a procura da loja de Madame Malkin.

Não que eu tivesse medo de ser atacada a qualquer momento,mas não era legal ficar parada.

Eu chegava perto da loja, quando percebi que Harry,Rony, e Hermione entravam na mesma. 

Resolvi mudar meu rumo,já que não queria encontra-los. NãO queria conversar com eles. Só em Hogwarts.

Fui caminhando pelas ruas do Beco diagonal, até que vejo uma loja, antiga e misteriosa aos meus olhos. Não havia nome

Entro na mesma e vejo que havia vários objetos que eu desconhecia, mas uma coisa me atraiu. Uma capa de invisibilidade.

PUTZ

Serio? Cara óbvio que eu iria comprar né?

-Hey - Chamei a atenção do gerente. Este, estava lendo um livro. De olhos Pretos vazios e cabelos pretos rebeldes, levantou os olhos para mim. Suas vestes eram todas escuras, e havia uma cicatriz perto do olho.

-O que foi? - Sua voz era Fria, e ele parecia indiferente. Parecia até o Draco , mas o Draco é mais bonito que ele.

PERA, QUE MERDA É ESSA CONSCIÊNCIA, POR QUE VOCÊ ESTÁ PENSANDO EM DRACO MALFOY? 

Por que você o ama

AMA É O ESCAMBAL!

-Quanto custa a capa de invisibilidade? - Perguntei apontado para a capa que estava em cima de uma mesa de madeira escura.

-50 galeões

-PORRA ACHA QUE SOU RICA? - Pergunto assustada

-Pagar e levar ou saia da loja- Respondeu calmamente 

-Ok... - Eu disse. Dei os galeões ao homem e apanhei a capa, colocando no bolso da minha calça.

Sai da loja, e percebi que um certo loiro de olhos cinzentos passava na rua rapidamente. Até pensei em chamar sua atenção, mas algo mais dizia para seguir-lo

E assim fiz.

Olhei para os lados e percebi que não havia ninguém andando na rua. Peguei a capa e a pus em cima de mim, fazendo eu ficar invisível, e o comecei a seguir, mesmo sentindo que eu não deveria e, por algun motivo desconhecido, não era minha mente, e sim meu coração. Meu coração dizia para mim não o seguir. 

Após alguns minutos, Draco chegou em um beco e entrou em uma loja. Eu fiquei observando tudo por uma janela que havia ali, Óbvio!

Dois homens de capa preta estavam ali dentro conversando. Percebi que havia outros também conversando dentro da sala, que só agora eu percebi ser uma sala.

Havia um homem de cabelos loiros e olhos cinzentos junto a uma mulher de cabelos loiros e olhos pretos que conversavam aos sussuros.

Só então percebi que eram os pais de Draco. Narcisa e Lúcio Malfoy.

Até que, Voldemort, tampado por uma capa preta, aparece. Eu congelo.

Por que o Draco estáva ali com eles? Por que todos eles estão em volta do Draco? POR QUE DIABOS ELE ESTÁ ESTENDENDO A PORRA DO BRAÇO DELE PARA VOLDEMORT?

Depois de  alguns segundos, Voldemort aponta a varinha para o braço do Draco e começa a falar palavras que eu não entendia.

Eu não ouvia o que falavam ou sussurravam ,  mas boa coisa não era. Eu sabia que se eu fizesse qualquer som, eles escutariam.

Após alguns segundos longos, em que eu estava ansiosa e curiosa, apareceu uma coisa no braço de Draco. Eu não entendi por quê,  mas parecia que alguma coisa havia quebrado dentro de mim.

A marca negra, estava no braço de Draco Malfoy. Os comensais tinham sorrisos satisfeitos.

Mas eu só fui perceber que eu estava chorando, embaixo da capa, quando eu me peguei deixando escapar um pequeno, mas audível soluço. 

Todos os comensais olharam para a minha diressam , mas não viram nada. 

Passei a mão pelas minhas bochechas e percebi que haviam lágrimas descendo do meus  olhos. Lágrimas de dor.

Por que eu estava chorando? 

Por que eu sentia meu coração... Quebrado?

Mas, por quê Draco Malfoy Virou um comensal?

Eu simplesmente, sai dali, por baixo da capa de invisibilidade, eu chorava silênciosamente.

Sai do beco, e olhei nas ruas. Não havia ninguém ali. Provavelmente já haviam ido todos embora.

Eu simplesmente peguei minha varinha e aparatei na minha casa.

Nem olhei a sala, subi correndo para meu quarto. Entrei dentro do mesmo, retirei a capa, jogando-a em cima da poltrona, e me joguei na cama.

Por que doía tanto, saber que meu Amigo Draco Malfoy era um comensal?

Por que as lágrimas desciam ainda do meu rosto? 

E nesse momento,  me veio uma pergunta, que me fez ficar séria, pensando se era mesmo verdade.Mas não,  ele era só meu amigo, não poderia ser verdade.

Será que eu amo, Draco Malfoy?

Eu o amo?


(...)











Notas Finais


COMENTEM O QUÊ ACHARAM.

Bye bye
LCP1


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...